Discurso - Cerimônia Comemorativa dos 50 anos da Fapesp - 20123005

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição do discurso da Cerimônia Comemorativa dos 50 anos da Fapesp

Local: Capital - Data: 30/05/2012

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Boa noite a todas e a todos. Quero saudar o ministro Marco Antônio Raupp, ministro de estado de Ciência, Tecnologia e Inovação, nos alegra, nos honra muito com sua presença; governador Alberto Goldman, chanceler Celso Lafer, presidente da FAPESP. Os reitores da Universidade de São Paulo, João Grandino Rodas; da UNESP, Júlio Cezar Durigan; da Unicamp, Fernando Ferreira Costa. Nossos secretários de estado Sidney Beraldo, Marcelo Araújo, Herman Voorwald, Julio Semeghini. Deputado Jooji Hato, deputada Célia Leão, deputado Fernando Lessa, autor do texto da última Constituição paulista; Dr. Hélio Bicudo, secretário-chefe da Casa Civil do governo Carvalho Pinto; Glaucius Oliva, presidente do CNPQ, professor Brito, Carlos Henrique Brito da Cruz, diretor científico da FAPESP. A Helena Nader, presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência; Munir Salomão Skaf, que aqui falou do programa Jovens Pesquisadores, cientista. Conselheiros da FAPESP, quero saudá-los dizendo da alegria de rever o professor Yoshiaki Nakano. Pesquisadores, amigas e amigos. Nós podemos estabelecer como um verdadeiro marco no calendário da ciência, no Brasil, e em especial aqui em São Paulo, com a entrada em operação da FAPESP. O que ocorreu há 50 anos. Não que não se fizesse ciência por aqui, muito antes a ela se dedicaram Osvaldo Cruz, Vital Brasil, Emílio Ribas, quantos pesquisadores, inclusive aqueles que se mobilizaram pela implantação dessa instituição em 1962. Mas o fato é que como agência de fomento e promoção do conhecimento, a FAPESP inovou estabelecendo novos parâmetros para as instituições de pesquisa públicas e privadas de São Paulo. Com isso, tem sido decisiva para que nosso estado contribua com 51% da produção científica nacional e responda por 25,5% de todos os artigos científicos produzidos na América Latina e publicados em revistas internacionais indexadas. Sem descriminar a ciência aplicada da ciência pura, a FAPESP apoia todas as áreas do conhecimento, sendo essencial também na formação de recursos humanos com os 12 mil bolsistas que apoia atualmente. Levantamentos mostram que os investimentos feitos em pesquisa e desenvolvimento por São Paulo são comparáveis a países como Espanha, Itália, Rússia. Assim, somente a FAPESP recebeu investimentos do Governo de São Paulo, o ano passado, de R$ 938 milhões, valor que deverá ultrapassar R$ 1 bilhão este ano, tendo como referência fundamental de aplicação a excelência das pesquisas. Investimentos feitos com absoluto critério. Ainda hoje estive em Santos participando de vários eventos, entre os quais a da entrada em operação de um navio oceanográfico, aliás, o único do país, adquirido pela FAPESP nos Estados Unidos, para uso do Instituto Oceanográfico da USP. Significativamente, professor Celso Lafer, o navio se chama Alpha Crucis, que é o nome da estrela mais brilhante da constelação do Cruzeiro do Sul e que representa São Paulo na bandeira nacional. O navio estará disponível a pesquisadores de todo o Brasil e da América Latina, porque a FAPESP, como a ciência, não conhecem fronteiras, sendo cosmopolita assim como o é o estado de São Paulo. No mundo atual, estar à frente em pesquisas sociais, científicas, tecnológicas, não é apenas motivo de orgulho para nós, para os nossos pesquisadores, é questão de fortalecimento da nossa economia e da afirmação da soberania do nosso país. Por isso, São Paulo comemora com muita alegria os 50 anos dessa instituição que com a passagem do tempo se torna cada vez mais forte, mais inovadora, mais jovem para o bem da ciência de São Paulo e do Brasil. Parabéns à FAPESP.