Discurso - Entrega das obras de reforma da Casa de Agricultura e anúncio de implantação da Fatec 20131304

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso -Entrega das obras de reforma da Casa de Agricultura e anúncio de implantação da Fatec

Local: São Carlos - Data:13/04/2013

MESTRE DE CERIMÔNIA: Governador do nosso estado de São Paulo, Geraldo Alckmin!


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Boa tarde a todas e a todos! Cumprimentar o nosso prefeito, o Paulo Automani, a Dra. Alice Automani, presidente do Fundo Social de Solidariedade, o vice-prefeito e secretário da agricultura do município, o Cláudio Di Salvo, Marquinho Amaral, presidente da Câmara, saudando aqui toda a câmara de vereadores, deputado federal, Duarte Nogueira, deputado federal e presidente do Cepam, Lobbe Neto, Aldo Demarchi, deputado estadual, Dra. Mônika Bergamaschi, secretário de estado da agricultura e abastecimento São Carlense, né? Que ama esta cidade, alegria ter aqui conosco a sua mãe, a Cleunice Bermagaschi, Dr. Quadrelli, secretário de ciência e tecnologia, prefeito Mosquito, prefeito de Nova Europa, o prefeito do Campus da Usp aqui em São Carlos, o Dagoberto Dario Mori, o Silvio Goulart Rosa Júnior, presidente do Parque Tec, Parque Tecnológico, José Carlos Rossetti, coordenador da Cati, Heinz Otto Hellwig, coordenador da defesa agropecuária, Maurício Alencar, chefe geral da Embrapa, pecuária sudeste, Dr. Valckmer Negrer, delegado de polícia, coronel Luiz Antônio Fernandes Rosa, o tenente Gregório, comandante do Bombeiro, o Eunicío Malagutti, presidente do sindicato rural aqui de São Carlos, o Ivan Lucas, saudando aqui a nossa juventude, vice-prefeito, secretários municipais, lideranças comunitárias. O João Fernando que foi presidente do IPT, que além de um grande moringa, além de uma grande cientista e um grande engenheiro e professor, é um grande músico, né, um craque do sax, amigas e amigos. Vocês conhecem a história de um prefeito, não é, o Paulo Altomani, que fazia muita citações? Diz que o governador da Paraíba, o Ronaldo Cunha Lima com pressa, e o prefeito cinquenta citações; senhor senador, deputado: federal, estadual, prefeito, vereador, diretor, presidente, aquilo não tinha fim! Aí, o governador chegou e falou ‘prefeito, economia processual, você só faça duas citações: você vai num local, num hospital: profissionais de saúde e pacientes; você vai numa escola: professores e alunos; você vai num local com muita gente: senhoras e senhores; olha duas, vamos ganhar tempo!’. Aí passado uns meses, houve uma solenidade no cemitério municipal, e aí a secretária já trouxe o pacote de fichas, né, aí ele lembrou, guardou as fichas, pensou, pensou, e falou ‘meus conterrâneos e meus subterrâneos!’. Mas, amigas e amigos, uma grande alegria estarmos aqui, em São Carlos entregando essa bela obra, a Casa da Agricultura reformada, agora também com a CATI, com a Defesa Agropecuária e com a Secretária do Meio Ambiente. E a Dra. Mônika, dá um passinho aqui, Monika! Dra. Monika informatizou o Poupatempo do produtor rural, a gente pode fazer hoje, tudo pela internet: a guia de mobilização de animais, prestação de contas de vacinação, todas as informações através da internet, programa de seguro rural, programa de compra de trator e implementos, quanto é o juros?


MÔNICA BERGAMASCH: Zero!


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: O juros é zero, e a correção?


MÔNICA BERGAMASCH: Zero.


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Zero, também, então é juros negativo, não é isso, Paulo Altomani? Você que é um grande empresário é negativo, porque a inflação está seis, então, é menos seis, né? Então, é excepciona! A carência é de quanto tempo?


MÔNICA BERGAMASCH: Até três anos.


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Até três anos de carência, seis para pagar, juros negativo, é realmente pra ajudar o pequeno e o médio agricultor pra poder estar equipado aí, pra melhorar a sua renda e melhorar a produtividade. São Paulo tem muita indústria, nós somos o maior produtor do mundo de açúcar e álcool. O maior produtor do mundo de suco não laranja, o maior exportador do mundo de carne bovina, o maior produtor brasileiro de ovos, Avicultura, o maior produtor brasileiro de borracha, o maior produtor brasileiro de flores, o maior produtor brasileiro de frutas, máquinas agrícolas, é impressionante a força do agronegócio de São Paulo, e ela complementa a indústria e o serviço, essa é a vantagem do Brasil, tem muitos países que tem uma agricultura competitiva, mas não tem indústria; outros têm indústria avançada, mas não tem agricultura, outros não têm serviços, o Brasil tem essa diversidade econômica maravilhosa, mas a gente sente a agricultura dos trópicos e uma indústria de ponta e serviços também crescendo né, que é muito bom porque gera bastante emprego; então quero aqui agradecer a Dra. Mônika Bergamaschi a sua dedicação e o seu trabalho na agricultura. A segunda boa notícia é o parque tecnológico, nós acabamos de passar por lá, também quero agradecer ao Silvio Rosa porque fez a iniciação e aqui ainda recebeu a homenagem, peão da tecnologia e São Carlos em um orgulho de São Paulo e do Brasil, essa é a terra do conhecimento, vanguarda do conhecimento, terra da inovação, aqui as pessoas crescem pelo investimento naquilo que elas estudaram, se preparam, naquilo e conseguem devolver à sociedade, e o parque tecnológico aproxima a universidade da pesquisa e do setor produtivo, ele faz uma sinergia né, antigamente bastava, no meu tempo de prefeito, na década de 70, pega um terreno na beira de uma boa rodovia, picota e chama ah parque industrial né, hoje não, hoje você tem uma outra lógica, pra atrair investimento de ponta e é uma data importante, o credenciamento definitivo do Tecpark, do parque tecnológico, aqui do Saens Parque, ele vai permitir às empresas, crédito subsidiado através de agência Desenvolve São Paulo, e vai permitir isenção fiscal, estímulo de natureza fiscal pra investir aqui em são Carlos, então vai atrair muitas empresas, aqui pra cidade, empresas que são as mais importantes na vanguarda aí do conhecimento. Estado de São Paulo, há um século e meio atrás, menos de dois séculos, era um estado desimportante. Desimportante, a cidade de São Paulo tinha 140 mil habitantes, era uma coisa extremamente desimportante. Há vinte anos atrás, São Paulo tinha o tamanho de Argentina, o país, a gente dizia a vinte anos, no tempo do Mário Covas, dizendo: olha o estado de São Paulo é a segunda economia na América de Sul, é igual a Argentina, mas tem uma vantagem sobre a Argentina, é que tá dentro do Brasil né. Dizer que não tem argentino não pode senão nós vamos pro inferno né, mas o fato é que hoje São Paulo tem um PIB duas vezes da Argentina, o PIB da Argentina é de 440 bilhões de dólares, São Paulo está chegando a 800 bilhões de dólares, é duas Argentinas, e isso se fez como? Se fez através do investimento na ciência, na pesquisa, na inovação que tem aqui em São Carlos essa verdadeira colméia aqui, hoje está estamos dando um passo mais importante e já orientei Silvio Rosa, doutor Quadreli, pra somar esforços aí com você, FAPESP, CNPQ, juntar todos os esforços porque hoje tem mais demanda pra instalar empresa do que espaço físico pra recebê-la, pra gente fazer mais um prédio lá no parque tecnológico, pra poder abrigar mais empresas aí de base tecnológica, a terceira boa notícia é a é a Fatec que vem complementar, eu vi muito hoje, muito apropriadamente, a escada do conhecimento, você completa esse ciclo né, você tem a ETEC e aqui tem também, Instituto federal, tem SENAI, agora Fatec, que é o tecnólogo de três anos e a ETEC, é um ano e meio, pode fazer junto com ensino médio, nós estamos lançando o projeto Vence que o aluno faz junto, escola de tempo integral, então o currículo já é integrado, então ele sai com dois diplomas, ele já não precisa perder um ano e meio, esperar SENAI, ele já sai com o diploma do médio e o do técnico, e hoje em dia quase todo mundo trabalha e estuda, trabalha e estuda, as pessoas não podem mais só estudar então ele já vai trabalhar e continua os estudos, vai fazer a FATEC, aqui em São Carlos, ter o diploma de nível superior, tudo de graça e aqui quero agradecer a USP, porque a universidade de São Paulo, é a melhor universidade do Estado, do país, da América Latina e uma das melhores universidades do mundo, mantida integralmente com o dinheiro do povo de São Paulo, do contribuinte paulista e agradecer ao meu xará. Oh, Dr. Geraldo, dá um passo aqui Dr. Geraldo! Porque a USP, a engenharia da USP está fazendo 60 anos! Então é a minha idade, é um broto, né, 60 anos? É uma boa parceria, todo governante adora fazer prédio, não é verdade? Fazer prédio é negócio que aparece muito, depois pra fazer funcionar é outro problema, né, mas o prédio que é o importante! Eu me lembro de quando Covas entrou, tinha prédio pra todo lado em construção, no caso, por exemplo, de hospital, e a maioria doa dos hospitais que nós temos, tinham os elitos ociosos, porque faltava médico, equipamento, dinheiro para custeio, então você tem um monte de leito ocioso, em todo que é hospital, e estavam fazendo outros, o importante é custeio. A USP, o novo Campus, ela tem noite muito espaço ocioso, então nós vamos utilizar a noite: laboratórios, salas de aula, quer dizer, você utiliza... O Brasil, não pode ser o campeão do desperdício, tem que ter sinergia, né, o novo conceito de ética não é só, não roubar e não deixar roubar é obrigação, e caráter! O novo conceito é de ética é eficiência, nós temos que fazer mais com o dinheiro público, é fazer melhor com o dinheiro público. Então unimos os esforços, a engenharia da USP, nos cedendo os espaços no período na noite, e nós já vamos poder rapidamente abrir o primeiro curso que é Tecnólogo em Saneamento que hoje, falta muito, pra águas, né? Para o saneamento, para os recursos hídricos, bons profissionais, então Tecnólogo em Saneamento e em seguida fabricação mecânica, ou seja, pra indústria também bons tecnólogos. A Etec de cada cinco, quatro saí empregados! E Fatec de cada dez, nove saí empregados! E é um bom casamento, né, às vezes, você está dando um diploma de um emprego que não existe, né, que não tem. E tem um monte de vaga que não é preenchida por falta de? Qualificação! A Fatec e a Etec prepara para as necessidades do? Mercado de trabalho. Então agradecer aqui a USP, e cumprimentar pelos 60 anos aí, esse sucesso que é a Engenharia da USP, e o Campus aqui de São Carlos. Depois queria trazer uma palavra, entre aqueles pedidos do Paulo Altomani, dos seis, um deles era a duplicação da SP-318, a Rodovia Tales Lorena, então, nós já autorizamos vai duplicar até o Rio Mogi, então, nós vamos duplicar. O pessoal... Viu Nogueira, o pessoal de Ribeirão Preto, vai poder todos vir mais depressa, aqui para São Carlos. Depois queria trazer aqui, uma palavra sobre o Fórum, está indo bem aí, a obra já começou R$ 7 milhões daqui a pouquinho já está pronta aí, uma obra importante para o poder, a ampliação, o poder as novas varas atender o trabalho da justiça, do poder judiciário, aqui da cidade. E a outra, a Santa Casa De Misericórdia que hoje completa... Está completando esse ano, 122 anos, né? As Santas Casas são uma boa herança de Portugal, uma herança lusitana, a primeira Santa Casa do Brasil é de 1.543 é Brás Cubas é a Santa Casa de Santos em 1.543. A Santa Cassa de São Paulo é de 1.560, então 122 anos, é um modelo maravilhoso, porque não é estatal, ela é privada, mas não tem fim lucrativo, não é pra dá lucro é pra atender a? Comunidade! Então atende o SUS e ao mesmo tempo tem convênio, quem pode atende também o convênio, e o prejuízo do SUS acaba sendo coberto um pouco pelos convênios que ela também atende. Então a um pleito aqui, de transformar a Santa Casa numa unidade hospitalar estratégica, porque aí melhora a remuneração dos serviços prestados, nós vamos nos empenhar para na próxima reunião do Conselho de Saúde da secretaria, a gente dar esse upgrade aqui para a Santa Casa para que melhore o custeio. Depois, eu queria dar os parabéns ao prefeito, porque gostei de duas coisas iniciais aí: a primeira é fechar a torneira, certo? A primeira coisa, ou seja, não adianta o Brasil querer aumentar mais imposto, né? O Brasil, por que cresce pouco? O ano passado foi um Pibinho 0,09% o crescimento, só maior que o a Paraguai, segundo pior crescimento da região! Porque o Brasil ficou caro, antes de ficar rico, geralmente quando fica rico, fica caro, mas aqui ficou caro, antes de ficar rico! O Brasil é um país caro, automóvel é um negócio caríssimo, mas caríssimo! O meu filho tinha aqui, um Polozinho, ele mudou pro México, trabalha há cinco anos no México, no setor de seguros lá no México. Ele com o mesmo dinheirinho do Polozinho dele, daqui, e comprou um Audi-A3 zero quilometro no México. É impressionante, tudo é mais barato, tudo é mais barato, então o Brasil ficou caro, não tem como aumentar mais imposto! Só tem uma maneira, é melhor eficiência no gasto público, então tem que fechar o que não é essencial, e escolher bem! Governar é escolher, é o Paulo escolheu bem, Saúde, né? Porque as pessoas precisam, tocando rapidamente os mutirões para zerar fila, então vai zerando fila: é catarata, cirurgia, exames, vesícula, você zerando as filas e vai atendendo. E nós vamos nos somar nesse esforço coletivo, nós passamos lá agora, em frente ao hospital, então o que acho que é uma construção? Como tem a Faculdade Medicina que é federal, a faculdade de medicina precisa ter hospital escola, senão não tem como ter faculdade de medicina! Eu acho que seria o Governo Federal ter como hospital escola, o hospital, e nós assumirmos o AME, e fazemos o AME e a Prefeitura rede primaria. Então o atendimento primário, através da prefeitura e melhorando a resolutividade do atendimento primário. Diminui o caminho pra hospital, o AME também melhora resolutividade, né, porque você terá todos os especialistas, desafoga também, e o caso que precisar ter internação, você terá internação. E é importante a gente resolver o que puder em São Carlos, que é um grande centro de conhecimento. Menotti Del Picchia tem um poema muito bonito chamado, Juca Mulato, onde ele diz o seguinte, ‘a própria dor na terra natal, dói menos!’, né, para ir pra São Paulo, virar ficha, virar número! É aqui na cidade estar perto dos amigos, da família, né, ‘a própria dor na terra natal, dói menos!’, então melhorando aqui, esse grande centro na área da saúde, de medicina que é aqui, em São Carlos! Contém conosco pra gente trabalhar juntos, não tem mágica, mas trabalho honesto, em parceria, junto com a população em benefício do povo de São Paulo. Quero aqui agradecer ao Aldo Demarchi, o Aldo tem sido um grande parceiro na Assembléia Legislativa de São Paulo, agradecer ao Lobbe Neto, agradecer o Lobbe, nosso presidente do Cepam, nosso deputado federal, o Duarte Nogueira tem defendido com brilhantismo os interesse da Federação do estado de São Paulo lá em Brasília, muito obrigado Luis Nogueira, agradecer aqui aos nossos secretários, à Mônica, são carlense e o Dr. Quadreli, toda equipe, cumprimentar aqui toda comunidade, abraçando o Paulo Automani, médico tem olho clínico, eu lá atrás já tinha visto, olha o Paulo, se a população lhe der a oportunidade vai ser um grande prefeito, um grande prefeito porque tem a objetividade do engenheiro, tem a experiência do administrador privado e tem amor às pessoas. Aristóteles definiu a política como arte e ciência, ao encontro do bem comum; arte é dom, precisa gostar de gente, senão política é um negócio muito chato, muito chato, é preciso gostar de gente, gostar das pessoas, é como vocação, é como pintor, eu vi que as gravuras de Salvador Dalí estão vindo pra cá, é um gênio, é um dom, um cantor, política é um dom, e ciência, precisa se preparar porque são decisões difíceis, complexas de várias áreas, ao encontro do bem comum se deseja o quê? É o bem das pessoas é melhorar a vida de população e dos três níveis de governo municipal, estadual e federal, o que mais pode melhorar a vida da população é o municipal, porque está mais perto das pessoas, enxerga o problema das pessoas, tá ali no dia a dia eu, portanto, pode avançar muito mais quero dizer ao Paulo Automani, que conte conosco em benefício da população, muito obrigado.