Discurso - Entrega de 119 Uhs em Parapuã - 20121711

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Entrega de 119 Uhs em Parapuã

Local: Parapuã - Data: 17/11/2012

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia. É uma alegria estarmos juntos neste sábado ensolarado, bonito, aqui em Parapuã, para entregar 119 casas novinhas, no Conjunto Residencial Sol Nascente, não é? Muito bonito e já começar mais 109. Então, daqui a pouquinho nós vamos estar voltando aqui para entregar mais 109 casas para quem ainda não foi sorteado. Cumprimentar o Samir, que foi reeleito. Dizer que conte conosco para trabalharmos juntos aqui pela população. Cumprimentar a Sandra, presidente do Fundo Social de Solidariedade. Vereador Jamil, presidente da Câmara, saudando a todos os vereadores. O deputado Reinaldo Alguz; o deputado Mauro Bragato; o deputado Ed Thomas; o deputado que vai tomar posse dia 1º, Dilador Borges, que vai assumir dia 1º; A secretária da Agricultura, Dra. Mônica Bergamaschi; o deputado Édson Giriboni, secretário de Saneamento; o Max Penido, secretário-adjunto da Habitação; o Antonio Carlos do Amaral Filho, presidente da CDHU. Prefeitos aqui de Tupã, o Waldemir; Quintana, o Fernando; Salmourão, o Zé Luiz; Birigui, Wilson Bonini; Herculândia, José Adorno; Inúbia, o Tuta; Arco-íris, o Zé Luis; Guararapes, o Dede. Prefeitos eleitos, de Birigui, o Pedro Bernabé; de Tupã, Manoel Gaspar; de Herculândia, o Olendo; de Rubiácea, o Edmilson; de Arco-Íris, a Ana; e de Pacaembu, o Maciel. Ex-prefeito aqui de Parapuã, o Guido; o Ladeira, nosso gerente regional da CDHU. Integrantes do Projeto Sem Pressa de Envelhecer. Gostei desse nome, viu? Ninguém tem pressa para envelhecer, não é? Um dia desses eu fui à missa e o padre perguntou: “Quem quer ir para o céu levanta a mão”. A igreja inteira. Aí ele falou: “Quem quer ir hoje?”. Nem o padre, né? Ninguém. Vice-prefeito, secretários, lideranças aqui da comunidade, moradores e moradoras aqui do conjunto. Olha, é uma grande alegria. Algumas boas notícias aí. Uma, como disseram aqui os nossos deputados, a rodovia, a SP-294. Nós já fizemos um investimento grande de Marília até Adamantina. Hoje é dia 17, não é? Dia 22 sai a licitação. 23, da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros. Daqui, de Adamantina, até Tupi Paulista. Quase R$ 150 milhões. Recapeamento, acostamentos, terceiras faixas, obras de segurança, obras de arte, sinalização. Em seguida, a outra licitação, de Tupi Paulista até Panorama, encaixando na nova ponte, ligando São Paulo ao Mato Grosso do Sul. Então, um grande investimento. A outra nós vamos licitar no dia 17 de dezembro. Sai, Samir, aqui de Parapuã e vai até Martinópolis. São R$ 73 milhões na SP-425, que é a Assis Chateaubriant, não é? É a Assis Châteaubriant. Então, dois grandes investimentos. De Parapuã para Martinópolis, depois para Prudente, SP-425. Um grande investimento, publicaremos o edital, não é do projeto, é da obra já, da Assis Chateaubriant. São R$ 73 milhões. E na Comandante João Ribeiro de Barros, quase R$ 200 milhões. Então, nós vamos ter, só nessa nessas duas obras aqui, vai gerar muito emprego. Muito emprego aqui na região. Quase R$ 270 milhões de investimento. Depois, vindo para cá, no carro, o prefeito Samir me falava que Parapuã é um grande município, não é? Tem 382 quilômetros quadrados de área. A minha cidade natal... Eu quando entrei aqui, eu encontrei uma moça, uma senhora que morou em Pindamonhangaba. Morou em Pinda em que ano? Você morou em que ano lá em Pinda? Vinte anos que você veio de lá. Qual cirurgia? Não, eu sei. Você operou do quê? Cesariana? Parto ou cesariana? E o anestesista foi bom? Eu fiz 3 mil anestesias para cirurgia, 3 mil, lá em Pindamonhangaba. Fiz a cesariana. Olha aí, ó. Mas a região aqui é uma região importante. Pinda tem 270 quilômetros quadrados. Parapuã, 382. Então, estrada é superimportante aqui para a área rural. Nós já fizemos aqui a vicinal, recuperamos a vicinal Parapuã - bairro do Córrego Rico, correto? Recuperamos a vicinal Parapuã - divisa com Oswaldo Cruz. Fizemos o Melhor Caminho: bairro Negrinha/Belluci, e... Cadê a Mônica? Dá um pulinho aqui, Mônica. Então como aqui tem importante, borracha, não é, seringueira, avicultura, laticínios, gado, agricultura. Então, nós vamos liberar 12 quilômetros de Melhor Caminho. Você escolhe aí o trecho. Você anota aí. Então, você verifica os trechos mais importantes, a Codasp vem e arruma aí. Nós vamos fazer 12 quilômetros de Melhor Caminho. E demos um crédito de ICMS de 5% para avicultura, porque passou por dificuldade. Para um é bom, para o outro é ruim. O preço de milho, soja, tudo aumentou. Então para o agricultor foi bom. Quem plantou grão, não é? Feijão e tudo. Quem compra para fazer ração, ficou caro. Então, produzir frango ficou caro, produzir leite ficou caro, produzir porco ficou caro. Então nós ajudamos a avicultura, dando um crédito de 5% do ICMS, e ficam aí 12 quilômetros de estrada aqui para a cidade. Depois aqui, tem bastante criança aqui em Parapuã, não tem? Então nós incluímos Parapuã no Programa Creche Escola. Então, vai ter uma creche nova. R$ 1,2 milhão? O Samir já assinou, R$ 1,2 milhão, ele já assinou o convênio para fazer a creche. Então, as crianças poderem ficar numa creche segura, alimento, higiene, todos os cuidados. Criança, quanto menorzinha, mais cuidado precisa ter. Depois, o Ensino Fundamental. Nós estamos reforçando aí as escolas, ampliando o Ensino Técnico de graça, ampliando o Ensino Técnico. Aquele curso de um ano e meio para quem precisar fazer curso técnico. A Fatec, vai ter uma aqui em Adamantina, já vamos já fazer o prédio da Fatec. Já tem uma Fatec aqui em Pompéia, que é a única da América Latina, tecnólogo e mecânica de agricultura de precisão. Tem Marília também, tem Prudente. E a universidade, Dracena, que já tem o curso de Zootecnia, terá agora Engenharia Agronômica, Agronomia, tudo de graça. E Tupã, que já tem a Administração em Agronegócio, terá Engenharia de Biossistemas. E aqui tem Via Rápida também, não é? Então, o Via Rápida é o seguinte: quem estiver desempregado, nós não deixamos ninguém para trás. Não precisa fazer vestibular, não tem vestibulinho, não tem vestibular. Vai lá e se inscreve no Via Rápida. Cursos de cozinheiro, chapeiro, pizzaiolo, garçom, costureira, pedreiro, eletricista, soldador. Então, quem fizer o curso e estiver desempregado, nós pagamos R$ 330 de bolsa para a pessoa se dedicar ao curso. É curso de um mês, no máximo dois meses. Então a pessoa sai com o diploma, né, daquela profissão, e ainda recebe uma ajuda para poder se manter. Então, o Via Rápida Emprego, que é um curso importante. Enfim, nós temos outros investimentos aqui, mas nós estamos vindo aqui para entregar as casas. Ficaram caprichadas. Tem um grupo de casas, são seis, para os idosos. Tem casa para família que tem uma pessoa com deficiência. Ela vem totalmente adaptada. Casa novinha, piso cerâmico, teto mais alto, esquadrilha de alumínio, super bem feita. Eu não estou vendo o aquecedor solar. Cadê o aquecedor solar? Então vai instalar. Olha, o aquecedor solar, o que é que gasta na conta de luz? O que é que é? Eu sei, mas o que é que faz aumentar a conta de luz? Chuveiro, chuveiro. Então, o aquecedor solar, ele vai reduzir a conta de luz em quantos por cento? 30. Vai economizar para o resto da vida. Quem mudar para cá vai ver que a conta de luz vai cair 30%. Então, o aquecedor solar é caro, mas já está autorizado, o Penido e o Amaral, para licitar aí e colocar nas 119 casas, Samir, a energia solar e o aquecedor solar. A outra é o conjunto. Então, tem calçada, asfalto, iluminação pública, água, esgoto, muro divisório. É um residencial. E o prefeito pediu uma ajuda para terminar aquele asfalto ali que está faltando e aqui a praça. Então, como ele é bom prefeito, é econômico, nós vamos liberar R$ 200 mil e ele dá uma... Anota aí. Pelo PEN. Então, pela Secretaria da Habitação, R$ 200 mil. E a Secretaria de Esporte vai te ajudar a fazer os equipamentos da área esportiva. Então, você faz dois, dois convênios aí, dois convênios aí. Mas eu quero deixar um grande abraço e agradecer. A gente não faz nada sozinho, viu? É tudo time, tudo time. A atividade de administração é a equipe. Então, eu queria agradecer aqui ao deputado Ed Thomas, tem nos ajudado muito na Assembleia Legislativa de São Paulo. Agradecer ao deputado Mauro Bragatto, também tem nos ajudado muito; deputado Reinaldo Auguz, também tem nos ajudado bastante. Estão trabalhando por São Paulo, defendendo os interesses da população aqui do nosso Estado. Muito obrigado. O Dilador, queria apresentar pra vocês, o Dilador é de Araçatuba e assume como deputado dia 1º, também pra reforçar o time. É tudo Neymar, viu, tudo craque. Tudo Neymar, e não perde pênalti, viu? Agradecer a Mônika. Cadê a Mônika? A Mônika Bergamaschi, engenheira agrônoma, secretária da Agricultura, fazendo aí um ótimo trabalho em benefício da população. Nós demos um reforço pra turma do ovo e do frango, dando 5% de ICMS. Fizemos um reforço pra turma do leite, dando também um crédito de ICMS pro laticínio. Essa semana, fortalecemos a turma do peixe, porque precisava tanque, quem faz tanque, de licença da Cetesb, e variava de R$ 1.900 até R$ 19 mil. Nós reduzimos para zero para o pequeno e médio piscicultor. Então, fortalecer a piscicultura. Meu pai, que era veterinário, dizia que a maneira mais econômica de produzir proteína é debaixo d’água, é peixe. Em Parapuã, eu aprendi com o Samir, Sandra, vindo para cá, que Parapuã quer dizer “entre rios””, está entre o Rio do Peixe e o Aguapeí, não é isso? “Entre rios”. Então, aqui tem água, então, quem puder, faz o tanque, faz o tanque e põe peixe, não é? E não vai ter gasto nenhum, tem lá sua licença pra ajudar aí a região. Queria agradecer ao Giriboni. Cadê o Giriboni? Nosso secretário de Saneamento e Recursos Hídricos, engenheiro da Poli. Nós estamos indo pra Adamantina. Adamantina vai fazer aquilo que Parapuã já é, que é uma cidade 300%. O que é uma cidade 300%? 100% de água tratada, 100% de esgoto coletado e 100% de esgoto tratado. Então, São Paulo vai ser o primeiro Estado do Brasil a universalizar o saneamento básico. Todas as cidades com água 100%, esgoto coletado e esgoto tratado. Então, estamos indo. Aqui na região, 2013, todos os municípios operados pela Sabesp, 62 municípios, tudo limpo, vai ajudar a recuperar os rios, não é? Deixar os rios todos recuperados, né? Agradecer ao Penido, que está representando aqui o Silvio Torres, nosso secretário da Habitação. Dr. Amaral, dá um passinho aqui, Dr. Amaral, que preside a CDHU, essa grande empresa. Quantos estados tem o Brasil? Vinte e sete; 26 e o Distrito Federal. O único Estado do Brasil que põe 1%, é bastante dinheiro, do ICMS pra habitação é São Paulo, o único. Dá mais de R$ 1 bilhão. Por quê? Porque fazer casa gera muito emprego: pedreiro, servente, eletricista, encanador, engenheiro, secretária, motorista. É emprego, comércio na cidade. É muito emprego. E qual o maior sonho da família? É ter o teto. Então, por isso que aqui, quem ganha um salário mínimo, tem acesso à casa própria, que é o nosso programa Casa Paulista, e o programa da CDHU. Quem ganha um salário, entra, se inscreve, se for sorteado, tem a casa própria. Quem ganha dois, três, quatro, enfim. Mas é um programa de grande importância social. Quero deixar um abraço muito carinhoso aqui pra vocês, que a casa nova traga muita alegria. Cumprimentar o prefeito, o Samir, a Sandra, e dizer o seguinte, vamos correr com as mais 109. Aí já vai dar 218 famílias que realizam o sonho da casa própria. Se a gente imaginar cinco pessoas cada família, dá mais de mil pessoas saindo do aluguel, né? Às vezes mora com parente, pra poder ter a sua casa. Diz que a gente, na vida, vive de sonho, não é isso? Quando é criança, sonha com brinquedo. Eu vejo a minha netinha lá, dorme com o urso, com a boneca. Sonha com o namorado, com a namorada, sonha com os filhos, sonha com os netos. E o sonho da família é a casa. E não é fácil, no Brasil, ter casa. A entrada é muito alta, a prestação é cara, os juros é muito alto. Então, quem é rico não tem problema. Você lê no jornal aí, o sujeito fez casa de R$ 10 milhões. Agora, quem ganha menos, é uma dificuldade. Então, nós fazemos casa pra quem não tem casa e pra quem tem renda menor. Essa é a prioridade de São Paulo. Deus proteja a todos. Um grande abraço.