Discurso - Entrega de 178 u.h´s no Conjunto Habitacional Boituva “F” 20140711

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Entrega de 178 u.h´s no Conjunto Habitacional Boituva “F”

Local: Região de Sorocaba - Data:Novembro 07/11/2014

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia! Bom dia a todas e a todos. Cumprimentar o nosso prefeito Edson Marcusso; a professora Nazaré, presidente Fundo Social de Solidariedade; Dr. Hernando, nosso presidente da Câmara, saudando todos os vereadores; Deputado Federal reeleito, Arnaldo Jardim; Deputado Edson Giriboni, também reeleito, foi nosso secretario de Recursos Hídricos; Marcos Penido, secretário da Habitação; Prefeitos de Piedade, a Maria Vicentina; de Porto Feliz, o Levi; de Tatuí, o Manu; de Sarapuí, o Fábio Holtz; de I peró, Vanderlei; de Cerquilho, Dr. Tó e de Cesário Lange, o Ramiro. Milton Dallari, presidente da CDHU. [Ininteligível- 01: 03] Carlos, nosso gerente regional. Familiares do homenageado, Rafael Caetano. O Benedito Antônio Dias da Silva; o Antenor Dias da Silva. Rafael Caetano da Silva Jr; Ana Lilian [Ininteligível- 01: 22]. Toda família do Rafael Caetano, nosso carinho. João Troca, presidente da Associação das Indústrias de Boituva e Iperó. José Carlos Ranqueta, secretários municipais. E em especial os futuros moradores aqui desse belíssimo conjunto Rafael Caetano. É uma grande alegria, Edson, voltar aqui a Boituva. A cidade está crescendo, gerando emprego, novas empresas estão vindo para cá. Eu tenho dito aos prefeitos da região de que o novo eixo de desenvolvimento do Estado é esse eixo da Castelo Branco. É impressionante, você tem momentos. Então o momento aqui desse eixo, esse binário Castelo Raposo Tavares. Então, muitas empresas vindo para cá, a região crescendo e nós temos que investir aqui na região. Então, ele citou o Marcusso, nós vamos duplicar a SP-129. Começa lá no Levi, lá em Porto Feliz, passa aqui por Boituva e vai até Tatuí, lá Manu. Uma grande obra, 149 milhões, vai gerar muito emprego na construção civil aqui na região, atrair mais empresas para desenvolver a região e evitar acidente, que infelizmente hoje tem muito acidente rodoviário. Qual é a primeira causa de morte no Brasil? A primeira é coração, a segunda é câncer, a terceira é causa externa, não é doença, é causa externa. Qual era essa causa externa? Era homicídio, no Rio, em São Paulo, 13 mil pessoas por homicídio por ano; baixamos para 12, 11, 10, 9, 8, 7, 6, 5, esse ano deve ser 4.300. Para uma população maior do que a Argentina, 43 milhões de pessoas, é 10 por 100 mil. O único estado que atende a recomendação da Organização Mundial de Saúde. A maior causa externa hoje de morte é a acidente rodoviário, é carro, motocicleta, atropelamento, esse é a maior causa, então uma rodovia duplicada, tirando aquelas passagens em nível que tem cruzamento, choque de frente, porque pista única, com acostamentos, passarelas para pedestres, ciclovias segregada. Nós vamos evitar acidente, desenvolver a região e gerar aqui o trevo com a população. Na área da educação, vamos ter uma nova, uma Etec, uma escola técnica gratuita para os jovens poderem fazer cursos, um ano e meio já es tá com diploma, tem um bom emprego e poder trabalhar. É uma grande escola técnica aqui. E estou indo para Sorocaba. Quero cumprimentar o Edson Marcusso pelos investimentos aqui no hospital, hospital São Luís, né? Hospital de Boituva. E nós vamos começar agora, um grande hospital Estadual para atender a região. Nós já temos o complexo hospitalar de Sorocaba. Nós vamos fazer um outro grande hospital, 250 leitos, sendo 90... 10 salas de cirurgia, hospital de alta complexidade e 96 leitos de UTI. O hospital tem 250, 40% deles são leitos de terapia intensiva. No meu tempo de exercício de médico, quando o hospital tinha UTI, era 5%, hoje 35% dos leitos de UTI. Por quê? Muito trauma, muito trauma, doente grave e paciente idoso. Paciente idoso é um paciente que sempre você tem mais atenção, mais cuidado, uma ação mais intensiva. Ent& atilde;o, tudo de graça, tudo pelo SUS. Nós vamos fazer três hospitais, um em Sorocaba para atender a região toda, referência para a região, casos muito graves manda lá para Sorocaba, um em São José dos Campos e mais um também em São Paulo. E aqui a habitação, que é o maior sonho da família, não é isso? Quanto é o aluguel de uma casa aqui em Boituva, Marcusso? Quanto? 300? 400? 500? É caro, né? E é um dinheiro sofrido, porque vai e não volta, é sofrido. Então, o maior sonho da família é ter uma casa, e não é fácil. Gente rica a gente liga a televisão, jogador de futebol, pessoal de televisão, comprou uma casa de um milhão, dois milhões. Mas quem vive de salário é difícil você conseguir comprar uma casa. Então, n&oacu te;s completamos a semana passada 500 mil casas. Você, Arnaldo, que foi secretário da Habitação, tem parte importante nesse trabalho. Meio milhão, 500 mil casas para quem não tem casa. E São Paulo não deixa ninguém para trás. Quem ganha um salário mínimo tem acesso à casa própria, porque não pode passar de 15% a renda. Quanto é o salário mínimo hoje? 724. Quanto é 15% de 724? Cento e... R$ 108, 00. Eu também não sabia, mas alguém soprou aqui, R$ 108. Quanto é o aluguel aqui, 500? Quem ganhar um salário vai ganhar R$ 108 para ser dono da casa, maior programa para associados. E, nós sabemos que têm outras famílias que ainda não conseguiram. Então nós vamos começar esse mês, 500, pelo Casa Paulista, esse mês, e terminando o projeto da CDHU, mais 120 pela CDHU. Dá 620 famílias, com mais 178 hoje, vai dar quase, 798 famílias em uma cidade em que todo mundo terá sua casa própria, e qualidade. Vocês vão ver a qualidade. Esquadria de alumínio, piso, azulejo, ligação individualizada de água. Em um conjunto, até piscina, né? Passei em frente ali, uma piscina caprichada lá. Nós viemos trazer um abraço carinhoso para vocês, desejar muitas felicidades. Vou verificar essa ligação importante da Castelo Branco com aqui com SP129, que é estratégica. E também a questão do complexo esportivo, que é sempre bom, né, para todas as idades, todas as idades. E deixar a palavra carinhosa aqui do seguinte: vocês vão ter um patrono, o Rafael Caetano, que dá nome aqui a esse conjunto; e o seu irmão o Bene, Dr. Bene, ele colocou uma cosia que lembrei do m eu pai. Doutor Bene, ele falou que o Rafael Caetano era um homem bom. Uma vez o meu filho caçula, o Tomas, foi à Pindamonhangaba, minha cidade, onde o meu saudoso pai vivida. Foi lá, visitou o avô e aí o Tomas falou para o meu pai, o avô: "Oh, está tudo bem?". Aí o avô perguntou para ele: "Tomas, tá tudo joia? Está tudo bem?". Ele falou: "Olha, o meu pai está meio bravo comigo, porque as minhas notas lá na escola estão mais ou menos e tal". Ai o avô disse a ele, ao neto: "Meu filho, guarde o seguinte. Você gosta das pessoas". Nós tínhamos uma irmã de criação, cuja mãe era cega, dona Margarida. "Você é carinhoso com a dona Margarida. Põe a dona Margarida no colo. Você brinca com os cachorros, você é um menino afetivo. Guarde o seguinte: o importante na vida não é ser o primeiro , o importante na vida é ser bom. Isso é que é importante". Então, nós vamos ter aqui como patrono um homem bom, que foi Rafael Caetano. Que vai inspirar todos nós, pra gente trazer muita alegria, muitas bênçãos de Deus a todas as famílias aqui. Parabéns a vocês.

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: [Ininteligível - 00:03:31].

[APLAUSOS]. Região de Sorocaba