Discurso - Entrega de Diplomas e Carteiras de Habilitação de Educadores Musicais - Ordem dos Músicos do Brasil 20132105

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Entrega de Diplomas e Carteiras de Habilitação de Educadores Musicais - Ordem dos Músicos do Brasil

Local: Capital - Data:21/05/2013

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Dizer da alegria de recebê-los aqui, estamos muito honrados, muito felizes nesta formatura aqui na sede do governo do estado. Quero cumprimentar o Roberto Bueno, dizer que não tinha pressa, não, estamos aprendendo aqui com a sua palavra aqui, viu? Presidente da Ordem dos Músicos do Brasil; o professor Ary Jácomo Bisaglia, coordenador do programa; a professora Neide Rodrigues Gomes, diretora do Ponto de Cultura lá de Joanópolis, a capital da música, né? A maestrina Emily, regente do coral, que interpretou aqui também o Hino Nacional Brasileiro, nos brindou com a apresentação belíssima; a Vera Lúcia Davenia Piro, diretora secretária da Ordem dos Músicos; o prefeito de Joanópolis, o Adalto Oliveira; a Renilde, vice-prefeita do município. Quero agradecer aqui ao Aguilar a lembrança, foi Dia das Mães agora, semana retrasada, e aí eu levei a Lú, isso é que é marido, né, para o show do Roberto Carlos, né? Então tivemos lá, e o Roberto Carlos muito modesto, então ele cantou “Esse cara sou eu”, né, mas aí ele disse ao final, ele falou: “Olha, eu estou tentando ser esse cara”. Mas, quero agradecer ao Aguilar; cumprimentar aqui a orquestra de viola, Matutos da Mantiqueira, é o coral aqui da Ordem dos Músicos, belíssimo coral; os formandos e formandas. Dizer da alegria de nos encontrarmos aqui, formatura é sempre dia alegre, né? Dia de conquista, foram três anos, não é isso, professor? Três anos de estudos, e eu sou um admirador da música porque música é arte e ciência; arte porque é um dom. Escultor, um pintor, poeta, músico, é um dom de Deus, né? E ciência, porque é estudo, preparação, né, anos e anos de estudo. Aqui foi muito bem dito, todo dia tem que aprender algo a mais, né? E educa. A minha netinha tem oito anos e aprende piano, né, e como aquilo faz bem para ela, né? Isso faz bem para a autoestima da criança, ou do jovem, é impressionante como melhora a autoestima das pessoas. Então tem um papel... A cultura tem um papel transformador, né? E a música é ligada à nossa vida, a gente, quando criança, dorme com as canções de ninar, né? Depois na infância. A primeira namorada geralmente é ligada a uma música, né, quem é que não lembra daquele namoro, daquela música que embalou o romance, enfim. A música é sempre ligada à nossa vida, e a gente fica muito feliz. E quero dizer da importância da música na formação dos nossos jovens, e portanto, a sua presença na escola, né, na formação dos alunos, na disciplina que é muito importante, e a gente fica feliz com a formatura dos educadores musicais. Hoje eu estive lá em Bragança Paulista pela manhã, o prefeito esteve conosco lá, nós assinamos lá em Bragança para ter um Poupa Tempo e o Novo Detran para toda a região, também liberamos os recursos para instância turística, para as rodovias da região e para o Hospital Universitário São Francisco de Assis, ele aumentou 40% a possibilidade de atendimento lá pelo SUS, nós estamos liberando R$ 10 milhões por ano a mais, para o hospital, e abrimos 20 vagas só para dependentes químicos. E esse é um problema hoje do jovem brasileiro, o Brasil é hoje o maior consumidor de crack do mundo, e o segundo maior consumidor de cocaína do mundo, só perde para o Estados Unidos, que é o primeiro do mundo em cocaína. É uma epidemia grave e o que mostra que nós precisamos ressaltar valores, princípios na sociedade, e dar a mão para ajudar a recuperar. Então, criamos um grande programa chamado Recomeço, chegamos, com as 20 vagas de Bragança no hospital, a 1.024 vagas no estado, todas gratuitas, dependência química de álcool e droga. E de outro lado, o Cartão Recomeço para as comunidades terapêuticas, para depois ter o acompanhamento e poder recomeçar a sua vida. Queria destacar também na área cultural, nós temos aqui desde o Projeto Guri, que já atendeu só o ano passado 50 mil alunos, entre 6 e 18 anos de idade, no Projeto Guri. Aliás, o padre Rosalvino sempre lembra que lá na obra Dom Bosco os jovens que participam do Projeto Guri, delito zero, zero; não tem nenhum caso de nenhum deles tenha se envolvido em problemas criminosos, enfim, delito zero. Cinquenta mil por ano. O Teatro São Pedro, que enfatiza ópera e música de câmera; o Festival de Inverno de Campos de Jordão que está entre os mais renomados do mundo; a Escola de Música Tom Jobim e o Conservatório de Tatuí. Aliás, vamos ter um investimento grande lá no Conservatório de Tatuí; a Banda Sinfônica; a Orquestra Sinfônica e a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo. Aliás, domingo teve a Virada Cultural aqui na capital e eu fui assistir, domingo de manhã, no Sesc Itaquera, na zona leste, a apresentação da Osesp, tocou Mendelssohn; Villa Lobos; Beethoven; enfim, tocou os melhores músicos, né, brasileiros e do mundo. E lotado, mais lotado, era... Duas coisas: uma, vamos refazer o convênio do Ponto de Cultura lá de Joanópolis, Hora Viva São Gonçalo. Há um convênio entre o Ministério da Cultura e a secretaria, mas como essas burocracias são demoradas, né? Dizem que uma vez duas freiras vieram, lá no Palácio de Campos Elíseos, o governador era Ademar de Barros, pedindo recurso lá para a creche, aí, problema de convênio. “Ih, irmã, se for assinar o convênio, as suas crianças vão todas morrer de fome”. Esse negócio demora tanto, né? Então, independentemente do convênio do ministério para a secretaria, a gente já faz direto com o Ponto de Cultura, enquanto não assina lá em Brasília, a gente já faz direto para o Ponto de Cultura, e depois vou lá a Joanópolis, Adalto, para a gente curtir a viola caipira, Matutos da Mantiqueira. Eu sou da Mantiqueira, porque minha cidade, Pindamonhangaba, fica no pé da Serra da Mantiqueira, aliás, terra de música. A única faculdade que existia em Pindamonhangaba era a Faculdade Santa Cecília, aliás, fui aluno da Irmã Cecília, que foi aluna do Villa Lobos. Eu fui aluno de música, no meu tempo tinha aula de Música, e fui aluno da Irmã Cecília, que foi aluna do [ininteligível], exatamente. Essa é a primeira coisa, o Ponto da Cultura, e se Deus quiser ,nós vamos lá em Joanópolis. E a outra, vou verificar com o professor Herman, nós vamos contratar 20 mil professores no estado de São Paulo, professores concursados, 20 mil ao todo no estado, das várias disciplinas, das várias disciplinas. Aliás, já contratamos por concurso público 45 mil nesses dois anos, nós somos hoje o estado com maior número de professores concursados, né, o pessoal faz concurso. Aí, vou verificar com o professor Herman como é que a gente faz para a questão da música, que serão disputadíssimos, aí, os educadores musicais, e a gente como é que formata isso com vocês da Ordem dos Músicos do Brasil. Quero deixar um grande abraço, dizer da alegria aqui de recebê-los, foi para nós uma grande alegria, uma grande honra, e ficamos felizes de participar desse dia importante na vida de todos vocês aqui que se formaram. Muito obrigado