Discurso - Entrega de marginais e terceiras faixas na SP-330 e início de novas obras na rodovia 20132105

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Entrega de marginais e terceiras faixas na SP-330 e início de novas obras na rodovia

Local: Campinas - Data:21/05/2013

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Boa tarde, bom dia ainda, não é? Bom dia a todas e a todos. Tivemos a alegria de ter conosco aqui o prefeito Jonas Donizete, que tinha que viajar, mas quero aqui cumprimentar o Henrique Magalhães Teixeira; nosso vice‑prefeito, o vereador Campos Filho, presidente da Câmara saudando todos os vereadores; os nossos secretários de Estado, dos Transportes, Dr. Saulo; Gestão Pública, deputado Davi Zaia; Energia, deputado José Aníbal; desenvolvimento metropolitano, Edmur Mesquita. Deputado federal Vanderlei Macris, deputada Célia Leão, deputado Cauê Macris, prefeito de Nova Odessa, o Bill, o Valinhos, o Cleiton, de Várzea Paulista, o Juvenal, de Monte Mor, o Thiago e de Amparo, o Jacó. Vice‑prefeito de Itupeva, o Osmar, o Messias Cândido, ex‑prefeito de Cajamar, Ricardo Volpe do Daesp, Ítalo Roppa, vice-presidente da CCR, Maurício Vasconcelos, presidente da Autoban, Cleiton Luiz de Souza, diretor do DER. Dr. Licurdo, diretor de Deinter, Dr. Carneiro Rolim Neto, delegado seccional, tenente-coronel Ivan Roncato Batista, comandante aqui do batalhão, secretários municipais, trabalhadores aqui, trabalhadoras da obra, amigas e amigos. É uma alegria. Nós estamos às margens da mais importante rodovia de São Paulo, o maior VDM nesse trecho aqui até Sumaré. Se é a maior rodovia de São Paulo, é a maior do Brasil. E hoje um passo muito importante para torná‑la mais segura e para promover o desenvolvimento da região. Nós estamos simultaneamente entregando uma obra e começando outra. Então estamos entregando 23,2 quilômetros aqui na Anhanguera, estamos entregando aqui... 20,2 quilômetros de terceira faixa aqui na Anhanguera, sendo uma parte lá em Osasco, que em seguida está abrindo ao tráfego, então são 11,2 quilômetros de terceira faixa. Jundiaí-Louveira mais 9 quilômetros e Valinhos-Campinas, a marginal, essa marginal belíssima aqui é uma nova rodovia praticamente, né, a gente vê bem daqui de cima, é uma grande rodovia nova que está sendo entregue aqui, a marginal. Isso dá R$ 76,6 milhões, 23,2 quilômetros e inaugurada agora abre em seguida ao tráfego. E estamos começando mais uma outra grande obra na Anhanguera. São R$ 78 milhões de investimento e 23 quilômetros. 10 quilômetros de, aliás, 8,8 quilômetros de marginais aqui em Campinas, mais entre Louveira e Vinhedo mais 10 quilômetros de terceira faixa e Campinas-Valinhos mais 8,8 quilômetros de via marginal. Então, entregamos 23 quilômetros de terceiras faixas e novas rodovias e marginais e começamos mais 23 quilômetros. Essas obras que nós estamos começando hoje devem ficar prontas até abril de 2014, até abril do ano que vem. De outro lado, também em abril do ano que vem, nós vamos entregar a quinta faixa da Bandeirantes, no sistema Anhanguera-Bandeirantes; R$ 160 milhões de investimento, 34 quilômetros, do Km 13 ao Km 47, toda a quinta faixa da Bandeirantes. E um dia desses eu cumprimentei o governador Paulo Egídio Martins porque ele entregou a Bandeirantes, e quando fez a Bandeirantes acharam que o canteiro era muito largo. Para que esse canteiro tão grande? Ele falou: um dia vai precisar ampliar a Bandeirantes. Imagine, uma rodovia nova. Pois nós estamos agora utilizando o que ele previu há 30 e tantos anos, ampliar a Bandeirantes, e estamos ampliando para o lado do canteiro. Então Anhanguera bem ampliada, Bandeirantes bem ampliada. Entregamos hoje um trecho importantíssimo, em abril do ano que vem entregaremos o outro trecho. Depois o aeroporto. O nosso aeroporto aqui é o campo dos Amarais. Então o aeroporto de aviação geral e executiva. Nós ampliamos a pista 450 metros. Ela passou de 1.200 para 1.650 metros, meio quilômetro a mais. Então, como disse aqui o Jonas, vai poder descer avião da Azul, aviões maiores, se precisar, além de aviação executiva. Também ampliamos o pátio de aeronaves, de 4 mil m² para 10 mil m² o pátio. O grande problema hoje do Brasil é pátio. O problema é esse, não tem onde parar o avião. Eu, na campanha de 2010, eu estava vindo de Ribeirão Preto para cá, comecinho da noite, eu ia à Indaiatuba, e aí fomos descer aqui em Viracopos. Aí o piloto falou: “olha, infelizmente não pode descer.” Por que não pode descer? O tempo está bom. “Não, não tem onde parar o avião. Então, não pode descer.” Então negocia aí que a gente desce e você vai embora, depois nós vamos de carro, mas pede para a gente descer. Aí 20 minutos no ar de negociação, nos autorizaram a descer e decolagem imediata. Não tem aonde parar avião. Nós estamos no campo dos Amarais passamos 4 mil m2 para 10 mil m2 só de pátio para poder parar avião. Alargamento de pista de rolamento de 10 m para 16 m, ampliação de pista táxi paralela, acesso aos hangares, iluminação de pátio e balizamento noturno, investimos ao todo quase R$ 8 milhões. E aí vamos chegar mais hangares. Oficina mecânica, hangar de empresa de táxi aéreo, porque vai gerar muito emprego aqui na cidade e na região. Nós estamos chegando de Bragança onde entregamos, o Macris estava com a gente lá, entregamos o novo serviço para os dependentes químicos, mas 20 leitos lá no hospital São Francisco, então nós vamos chegar a 1.024 leitos para dependente químico. E já lançamos o Cartão Recomeço. Aqui tem um belíssimo trabalho com o padre Haroldo. 500 cartões já. Então as famílias, pais, mães que tem esse drama de pessoa com dependência química seja álcool, seja droga, nós estamos com 1.024 leitos para ajudar, acabamos de sair de Bragança, aliás, estamos reformando e dobrando o hospital que atende o SUS lá em Bragança. E agora o cartão Recomeço, porque não adianta sair do hospital e voltar pra rua, então sai do hospital e vai pra uma comunidade terapêutica pra poder ter uma nova profissão, pra poder se reencaminhar, arrumar um emprego. Lá também liberamos os recursos para a instância turística, e o Davi Zaia esteve conosco, vamos ter um novo Poupa Tempo e um novo DETRAN também lá. E daqui estamos indo pra Hortolândia, onde nós vamos entregar 13,5km de duplicação da SP-101, e depois vamos iniciar a obra que nem aqui, entrega uma parte e inicia a outra, vamos iniciar a obra de Hortolândia até Monte Mor, vai ser totalmente duplicada beneficiando também Capivari, e tem uma no meio. Como é que chama? Elias Fausto. Elias Fausto e Capivari. E aqui eu brinquei com os deputados aqui, eu e o Jonas, que eu vou ter que arrumar um apartamento, arrumar uma quitinete aqui em Campinas, mas daqui 15 dias nós já estamos de volta porque nós deveremos ter a licença de instalação. O Brasil é o país do cartório, você tem licença prévia, LP; depois licença LI, instalação; depois licença de operação. É um negócio de louco! Então, já temos a licença prévia, não pode começar sem a licença de instalação. Então, vai sair dia 17 de julho, então eu falei pro Saulo pra já, a construtora que é Rota das Bandeiras, já fazer agora o canteiro de obras, e em seguida, na outra semana a gente já vem aqui com as máquinas pra começar a grande obra da ligação da Anhanguera com a Bandeirantes, a continuidade do Anel Viário Magalhães Teixeira. Enfim, Campinas é por terra, ar, só falta o mar, né, mas vamos melhorar a hidrovia Tietê/Paraná. E hoje foi a formatura de 132 delegados de polícia, então 10 delegados até segunda-feira já estarão trabalhando aqui no Dinter 2, 10 novos delegados. E o Edmur nos ajudou com o Dr. Licurdo e o Dr. Rolim Carneiro, nós já arrumamos o prédio da segunda seccional, já tá tudo certo, nós vamos alugar pra ganhar tempo, vamos reformar. Lá vai funcionar a segunda seccional, a DISE, a DDM e plantão 24h no Jardim Londres, caminho do Campo grande, não é isso, caminho do Campo Grande. Devagarinho eu chego lá. Quando eu fui prefeito de Pindamonhangaba eu sabia o nome de todas as ruas, a cidade também não era tão grande, né, mas devagarinho eu vou pegando, vocês se cuidem, hein, que um dia eu posso ser prefeito de Campinas. Mas, eu quero deixar um grande abraço, agradecer aqui ao José Aníbal, nosso secretário de energia; o Davi Zaia, nosso secretário de gestão; o Edmur, nosso secretário de desenvolvimento metropolitano; o Dr. Saulo. Cadê o Saulo? Secretário de transportes e logística, fazendo aí um grande trabalho. Os nossos deputados, a Célia; o Cauê, nosso jovem deputado; e o Macris, que foi meu colega na assembleia, nós fomos deputados juntos, se bem que a água daqui é melhor porque eu fiquei careca e ele tá firme. Enfim, agradecer aqui ao nosso presidente da câmara; nosso vice-prefeito, Jonas; cumprimentar aqui a concessionária CCR Autoban, e especialmente dar um abraço em vocês. A gente fica muito feliz, entrega uma obra bem feita, né, bem feita, dentro do prazo, pra poder São Paulo se desenvolver. Nós paulistas, brasileiros de São Paulo, podemos nos orgulhar desse estado, São Paulo há 20 anos era do tamanho da Argentina. O Mário Covas brincava e dizia: “Olha, São Paulo é o segundo país da América do Sul”, é o Brasil e depois empatado Argentina e São Paulo. Hoje, 20 anos depois São Paulo tem quase o dobro do PIB da Argentina, quase o dobro. O PIB da Argentina é UU$ 420 bilhões; São Paulo é UU$ 738 bilhões, quase o dobro, nós somos disparados o segundo país na América do Sul. Isso fruto do trabalho, né, esse é um estado que é uma colmeia de trabalho, de desenvolvimento que não para, pra dar oportunidade para as pessoas. Parabéns a Campinas e região!