Discurso - Entrega de moradias da CDHU 20162201

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Entrega de moradias da CDHU

Local: [[]] - Data:Janeiro 22/01/2016

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Geraldo Alckmin!

[aplausos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Bom dia. Bom dia a todas e a todos. Cumprimentar o nosso prefeito o Alaor, a Maria José e a sua filha, a Iara. Agradecer aqui a orquídea, eu vou levar para a Lu, muito obrigado. Deputado federal Rodrigo Garcia, que está aqui conosco, secretário da Habitação; o Ed Thomas, deputado estadual. Quero aqui também destacar o deputado Mauro Bragato que está fora, mas pediu que eu trouxesse um grande abraço a todos vocês. Marco Rocha, nosso prefeito do Regente Feijó e presidente da Unipontal; o Ênio Magro, prefeito de Narandiba; e presidente do Ciop; Nova Guataporanga, prefeito Molina; Presidente Bernardes, o Lúcio; Presidente Epitácio, o Picucha; Alfredo Marcondes, o Celso; Panorama, o Luiz Carlos; Flórida Paulista, o Dr. Marques; e Piquerobi, o Dudu. Ribeirão dos Índios, Arlete; Marabá Paulista, o Hamiltinho; e Pirapozinho, o Padovan. Saudar aqui os ex-prefeitos, o Reinaldo Perez e o Mané do Cachimbo. O Mané e eu fomos prefeitos juntos, que ano Mané? 1900... século passado.

[risos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: 1977. O nosso mandato era de quatro anos, virou seis. O mandato foi tão bem, Ed, que o povo pediu para continuar. Então, ganhamos mais dois, não é isso, Alaor? Então, passou de quatro para seis anos. Aí lá em Piquete, Mané, tinha um prefeito na nossa época que estava aquela coisa, prorroga ou não prorroga o mandato, período militar, né, a coisa era fácil, aí, eu abro o jornal lá da região, e está lá “prefeito de Piquete, José Armando diz que se prorrogar o mandato ele renuncia”. Aí eu liguei para ele: "José Armando, quer dizer que se prorrogar você vai renunciar?", ele falou: "Não. Não. Não vai prorrogar nada, isso é a imprensa não tem notícia, fica aí, isso aí é bobagem. Não vai prorrogar e eu estou aí. Manchete do jornal já dei duas entrevistas para a rádio da São Paulo...", naquela época era a Eldorado e a Jovem Pan. Dois meses depois, prorrogado o mandato, aí a imprensa foi em cima dele. A renúncia, aí ele falou: "Olha, eu vou fazer um plebiscito para saber se o povo quer que eu fique ou quer que eu saia", passou mais um mês, nada, a imprensa foi em cima, ele falou: "Olha, disse que o plebiscito meu não tem previsão legal. Então, vamos fazer uma consulta popular, aí mais um mês, ele falou: "Olha, eu reuni os funcionários da prefeitura, e só do gabinete, e eles fizeram um apelo para eu continuar, né?".

[risos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Nós estamos indo em seguida para Caiabu saudar aqui o Dário; tenente-coronel Jeferson Bastos, comandante; meu xará, Dr. Geraldo Takushi delegado titular; dirigentes regionais da CDHU Mauro Vilanova; da CAT o Felipe Melhado; da Sabesp, o Paulo Converso; o Luiz Infanti, provedor da nossa Santa Casa; quem nasceu aqui em uma Santa Casa? Levanta a mão quem nasceu em uma Santa Casa? É isso aí. Eu nasci na Santa Casa de Pinda e os meus três filhos nasceram na Santa Casa. Então, parabéns aí ao nosso provedor pelo trabalho aí, viu, Luiz Infanti, um trabalho muito importante. Jonas Jorge, diretor da construtora que é responsável pelo conjunto; Ataíde Caldas, da CAT, em especial os novos moradores. Nós estamos entregando 102 casas, como disse aqui o Rodrigo, de dois e três dormitórios, a melhor qualidade, laje, piso cerâmico, azulejo, esquadria de alumínio e um conjunto com toda a infraestrutura, calçada, muro divisório, asfalto, e todas as casas vão receber o aquecedor solar, todas, todas, todas.

[aplausos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Então, o Rodrigo e o Vilanova falaram que é de três quatro meses, então vamos ser mais cautelosos, quatro meses. Janeiro, fevereiro, março, abril, maio. Então, Alaor, se até maio não tiver instalado você me telefona lá para cobrar, dizem que o espanhol é fogo aí, então, você avisa. O aquecedor solar ajuda o meio ambiente porque capta a energia do sol e diminui a conta de luz, o é que gasta energia elétrica é chuveiro, vai esquentar a água sem precisar energia elétrica, Ed Thomas, então vai economizar. A energia elétrica subiu 70%, a conta de luz aqui vai ser muito mais barata para a população.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Quero destacar aqui também, nós temos uma creche-escola para as mamães já autorizada, está terminando o processo de licitação. Então, uma creche-escola importante para as mamães poderem deixar seus filhos com segurança, pessoas capacitadas, todo o atendimento. Entregamos também aqui os ônibus escolares, van para transporte de pacientes, reforma da UBS, asfalto para a cidade, melhor caminho para a zona rural, construção de ponte no córrego da Figueira, caminhão de lixo para recolher o lixo, caminhão compactador. O prefeito Alaor vindo para cá de Prudente me falou que precisa de um dinheirinho a mais para o asfalto, que precisa de uma ambulância e que precisa ajudar a Santa Casa. Então, nós vamos atender as três coisas. Nós vamos liberar um recurso de asfalto, nós vamos mandar uma ambulância zero-quilômetro, novinha, tanque cheio, seguro. Só não é igual àquela do cinema. A do cinema, Ed, abre a porta sai uma morena e uma loira de dentro, né? A ambulância nova e vamos ajudar a Santa Casa, viu, Infanti, vamos te ajudar aí no custeio que o é mais importante. Cumprimentar o Pedretti, prefeito de Dracena, mas nós viemos aqui para entregar a chave da casa, a gente fica muito feliz, são 102 famílias que saem do aluguel. Quanto é o aluguel de uma casa aqui, Alaor, mais ou menos? É 400 reais, não é isso? 300, 400, 500 reais, é duro, né? É um dinheiro que vai e não volta, e o maior sonho da família é poder ter um teto, a segurança da casa, deixar para os filhos, né, ter a sua moradia. Quero agradecer ao Rodrigo e à sua equipe, ele destacou aqui mais de 100 mil casas. E nós, inclusive, estamos fazendo casa agora também na zona rural, vários municípios aqui da região, o Casa Paulista Rural, também na zona rural estamos proporcionando casa para a agricultura familiar, o assentado, o trabalhador rural. Mirante, estamos fazendo, Teodoro Sampaio, Rosana, eu acho que tem uns oito municípios aqui na região também.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Uma grande alegria. Desejar aí muitas felicidades na casa nova, que Deus abençoe. Quando que vocês vão mudar? Hoje. A última cidade que eu fui, eu entreguei a chave e perguntei a um casal, perguntei para o marido: "Quando é que vocês vão mudar?", ele falou: "Olha, doutor, é só o senhor ir embora que nós já...". Aí, eu falei: "Mas você está com pressa, hein", ele falou: "Não, é que eu quero com a sogra, né?".

[risos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Felicidades a todos.

[aplausos].

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Está aí o governador de todos os paulistas. [[]]