Discurso - Entrega do selo Joint Commission Internacional ao Hospital Geral de Itapecerica da Serra e anúncios na área de saneamento 20133004

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Entrega do selo Joint Commission Internacional ao Hospital Geral de Itapecerica da Serra e anúncios na área de saneamento

Local: Itapecerica da Serra - Data:30/04/2013

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: ...do governador Geraldo Alckmin!

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Bom dia a todas e a todos! Quero saudar o nosso prefeito anfitrião, prefeito Chuvisco, prefeito de Itapecerica da Serra; a Regina Corsini, vice-prefeita; o vereador Cícero Costa, presidente da Câmara; deputado Edson Giriboni, secretário de Saneamento e Recursos Hídricos; dr. José Manuel de Camargo Teixeira, secretário de Estado adjunto da Saúde; deputado Osvaldo Vergínio, aqui da região; o dr. Antônio Carlos Salgueiro de Araújo, presidente do Seconci, nosso parceiro aqui, que é o Serviço Social da Construção Civil do estado de São Paulo; dr. Didier Roberto Torres Ribas, superintendente do Hospital Geral aqui de Itapecerica; dr. Rui Afonso, presidente em exercício da Sabesb; prefeito de Embu-Guaçu, Clodoaldo; de Juquitiba, o Francisco Júnior; Lacir Baldusco, ex-prefeito aqui do município, na pessoa de quem quero saudar todas as lideranças aqui da comunidade; dona Lourdes. Eu queria agradecer, a Dona Lurdes está há mais de 10 anos como voluntária aqui no Hospital Geral. Em nome da dona Lourdes, quero abraçar todo o corpo de voluntariado. O Mário Covas, quando ia no hospital, falava: “Olha, não quero saber se tem tomografia, ressonância, eu quero saber se tem voluntários!” Um hospital bom tem um corpo de voluntários. Muito obrigado, viu, dona Lurdes? pela sua dedicação!

Quero cumprimentar aqui todos os colegas da área da Saúde, profissionais da área, amigas, amigos! Dizer da alegria de vir aqui ao hospital. Nosso grande desafio é qualidade, é oferecer pelo SUS, de forma gratuita, serviços de qualidade para a população. E essa é a marca do Hospital Geral de Itapecerica, tantas vezes premiado! Tem uma propaganda, que eu gosto muito na televisão, da Fiat, que o Ronaldo Fenômeno, ele está dentro do carro. Ele fala: “Eu ganhei a bola do ano, jogador do ano, goleador do ano, troféu do ano, copa do ano.” Ganhou de tudo. E aí o sujeito fala: “É, mas esse carro você não ganhou!” Aqui, ganhou todos os prêmios. E agora o mais importante, que é o Joint Commission, uma creditação internacional. Primeiro hospital da rede..., nós temos quase 100 hospitais no estado de São Paulo, os melhores do Brasil. É o primeiro hospital da rede estadual e são poucos hospitais, conta nos dedos aí, Einstein, Sírio, HCOR, Hospital Oswaldo Cruz, Hospital Alemão. São poucos. Você conta nos dedos os hospitais que têm a creditação. O Dr. Didier colocou bem, são 1.221 itens que são avaliados. Então a qualidade do trabalho, o time, a dedicação, a segurança nesse trabalho. E como a gente tem que estar sempre avançando, então já... Se Deus quiser, a gente volta aqui antes do Natal para inaugurar o novo ambulatório, que já está em construção. São mais R$ 3 milhões de investimento, 12 salas de atendimento médico, 10 salas para exames de mamografia, endoscopia, Raio-X, área de curativos, medicação, gesso, área de espera, acolhimento, acolhimento. Enfim, um ambulatório completo aqui para poder atender ainda melhor a nossa população. Depois, ao lado da saúde, o saneamento. E a gente vê aquela beleza de represa de Guarapiranga, que responde pelo abastecimento de água aqui de toda a região. Com a obra de esgoto, vamos limpar o rio Embu-Mirim. Itapecerica tinha 0% de coleta e hoje já tem 22%, com essa obra irá a 32%, e com as demais obras até o ano que vem, chegará a 60% de esgoto coletado e 100% tratado. E com o programa Projeto Tietê 3, a nossa meta é... Eu assisti um dia desses o Globo Ecologia, cedinho lá, então tinha uma matéria sobre saneamento básico no Brasil. Aí mostra a dificuldade... A falta de saneamento. Cidades sem água, cidades sem coleta de esgoto, cidades sem tratamento de esgoto no Brasil. Então mostra: no ritmo que o Brasil vai indo, vai universalizar o saneamento básico, universalizar quer dizer, 100% de água, 100% de esgoto coletado, 100% de esgoto tratado. Cidades 300%, não é? As três... Então, o Brasil nesse ritmo, universalizará o saneamento básico em 2196. O estado de São Paulo universaliza o saneamento básico no interior do estado o ano que vem, 2014; o litoral de São Paulo, 2016; e a região metropolitana, 2019. Nós seremos o primeiro estado brasileiro a universalizar o saneamento básico. E aqui, aqui as obras são no Jardim Jacira, região... Nós vamos fazer 7,7 Km coletor tronco, 4 estações elevatórias, 5 Km de linha de recalque, 25 Km de rede coletora, 3 mil ligações domiciliares. Vai tudo para a estação de tratamento de esgoto de Barueri. E o esgoto totalmente tratado, ele vai ser totalmente tratado. A gente caminha para ter uma cidade... Aliás, não poderia ser diferente, nessa beleza de Mata Atlântica, que é a cidade de Itapecerica. São R$ 42 milhões. E o que que a gente observou, Chuvisco? É que você faz um investimento grande, coletores troncos - parece uma obra, quem passar no Pinheiros ali, do lado, o coletor tronco, que pega o esgoto da região sul de São Paulo, parece um túnel do metrô, tal é o tamanho das obras, são bilhões de reais. Aí a pessoa não liga o esgoto, não faz a ligação da sua casa na rede porque não tem R$ 1.700 para contratar pedreiro, servente, comprar material. Então não liga, não faz a ligação. Você investe uma fortuna, e o esgoto continua jogado na valeta, no córrego, fossa. Então nós mandamos uma lei para a Assembleia Legislativa - e aqui quero agradecer ao deputado Osvaldo Verginio, um bom deputado, tem nos ajudado muito - dizendo: “Olha, quem ganha até 3 salários, nós vamos fazer de graça.” Então a gente vai bairro por bairro. As equipes da Sabesp, as agentes sociais de saneamento. Põe um corante no vaso sanitário, aperta a descarga e vê para onde está indo a água sanitária. Não está ligado na rede - “Se Liga na Rede” é o programa - A gente paga, sai de graça a ligação para quem ganha até 3 salários. Então, um grande passo aqui, no saneamento básico. Eu queria cumprimentar a equipe do Giriboni e toda a equipe aqui, da Sabesp. Vindo para cá, o prefeito veio falando do ginásio de esportes: Teve um... não foi um chuvisco, foi uma tempestade. Não foi isso? De 2010? Se fosse um chuvisco estaria tudo em ordem, não é? Mas foi uma tempestade. Então a cidade perdeu a cobertura e precisa refazer o ginásio, que é importante para o esporte e não tem saúde. Saúde, precisa ter primeiro... Tomar água, 70% do corpo humano é água. A gente vai ficando mais velho, vai ficando mais enxuto, não é? E tomar água de qualidade. E precisa mexer o corpo. Água parada estraga. O sedentarismo mata no mundo, mais do que o cigarro. A vida sedentária - não é para fumar - mas mata mais do que o cigarro. Então é preciso praticar exercício, mexer o corpo, fazer ginástica. Então, ele já licitou a cobertura e nós vamos ajudar no entorno e nas obras todas lá do ginásio, vamos liberar 2 milhões agora e 2 milhões no começo do ano que vem, aí resolve o ginásio.

As pessoas precisam ter casa. Então, aqui tem 896 unidades habitacionais do Parque Horizonte Azul, Jardim do Carmo, Conjunto Habitacional M Boi Mirim. Então, nós vamos incluir no Casa Paulista - o Silvio Torres está vindo aí, o secretário da Habitação, o [ininteligível] acabou de me falar - E nós vamos, nós fizemos um entendimento com a presidenta Dilma, cada programa do Minha Casa, Minha Vida na região metropolitana, a gente põe R$ 20 mil. Por que aqui o terreno é mais difícil, construção mais cara, senão só vai fazer casa no interior, não consegue fazer na região metropolitana. Então, vamos resolver o problema das 896 habitações. Estamos recuperando a rodovia SP-234, que vai de Itapecerica para Embu das Artes...Embu Guaçu. Fica pronta agora no fim do ano. E estamos recuperando também de Itapecerica para São Paulo, lá para a Zona Sul a SP-228, Armando Sales também está sendo recuperada. E conversava ali com o prefeito, nós precisamos arrumar aqui o prédio ou terreno, para a gente trazer uma escola técnica, uma Etec aqui para a cidade, para a juventude poder ter um bom curso de qualificação. Área de saúde é muito emprego! Eu perguntava ao Dr. Didier, quantos empregos, quantos colabores aqui: 1.200 pessoas trabalham. Qual fábrica hoje tem 1.200 empregados? Difícil! Então o setor agricultura, ela mecaniza. Eu ontem fui em Ribeirão Preto no Agrishow, eles devem vender R$ 2,5 bilhões de máquinas. É a maior feira do mundo de agricultura nos trópicos. Tudo mecanizado, pouca gente, a indústria robotiza. A Volkswagen, que tinha 40 mil funcionários, hoje tem 12 mil e fabrica mais automóveis: tudo robô!

O emprego do mundo moderno, no mundo todo é o setor terciário, que é serviços. Saúde, Educação, Comércio, Turismo, atividades de serviço. Então, nós precisamos preparar profissionais. Então, cursos na área da saúde, a gente pode ter na Etec. E outras áreas: área de Meio Ambiente, Saneamento, Industrial. Enfim, comércio. Pode ter aqui bons cursos técnicos. E a cada 5 jovens que saem da ETEC, 4 já saem empregados. E é escola em tempo integral, faz em um período, o Ensino Médio e no outro período, o Ensino Técnico. E ele já sai com os dois diplomas, ganha um ano e meio já, na sua formação. Mas eu quero aqui agradecer ao Seconci, grande parceiro nosso! São 3 hospitais, não é? 4! Que o Seconci é nosso parceiro como Organização Social, sem fim lucrativo, não tem objetivo de lucro nenhum, é um serviço prestado a comunidade.

Agradecer ao Zé Manoel, professor Giovani, toda a equipe da Saúde. Guardem um lugarzinho de anestesista para o futuro aqui! Me convidem! Eu fiz 3 mil anestesias. E um dia, Chuvisco, eu era prefeito em Pinda e trabalhava na Santa Casa. Então a gente dava plantão. Segunda, terça, quarta e quinta. Nós éramos 5 anestesistas. Então, cada noite um ficava de plantão. E o fim de semana, sexta à noite, sábado e domingo rodava, 1 por mês, cada 1. Então, estou eu lá no meu plantão, das 19h às 7h da manhã. De madrugada – eu era prefeito da cidade - De madrugada, uma cesariana. Aí fui lá fiz uma raquizinha e tal... Máscara, gorro, quietinho ali, acompanhando o pulso, pressão, perfusão. A paciente virou e falou: “Doutor, e no Bairro do Jardim Resende, quando é que o senhor vai colocar rede de esgoto?” Então, o prefeito é cobrado. E isso tem uma outra conclusão: As mulheres são muito mais fortes do que nós, homens: Se fosse homem estava lá meio... Mulher, aproveitou para cobrar. Interessante isso: Homem quando tem problema afunda, bebe, fica mal. Mulher é guerreira! Impressionante a força das mulheres. O Criador foi mais generoso com as mulheres. E como nós estamos avançando muito na Medicina, nós vamos viver mais, não é isso? A expectativa de vida média hoje, quanto é no Brasil? 73 no Brasil, e em São Paulo, 75. Média. Claro que quem passa dos 30 vai para mais de 80, porque sai da vulnerabilidade juvenil. Morre muitos jovem em fins de semana, motocicleta. Não é doença, não é? Tiro, carro, droga. Então vai para mais 80. E na média, quem vive mais, o homem ou a mulher? Mulher. Quantos anos a mais? 5 e meio, era 6 e meio, hoje é 5 e meio. Por que vive mais? [risos]. Ouvi uma resposta machista aqui atrás. >> [risos].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Mas a mulheres vivem em média 5 anos e meio, 96 anos a mais por quê? Qual é a primeira causa de morbi, doença, mortalidade e morte? A primeira? De quê que se morre? Coração e? Grandes vasos: os hormônios femininos, estrógeno e progesterona, hormônios ovarianos, protegem o sistema cardiovascular. Então, a mulher tem menos infarto. Depois da menopausa, diminui essa proteção, mas ainda continua por muito tempo; Segunda causa é? Câncer. Aí é igual, só varia o órgão. Homem primeiro é? Próstata, mais grave. Segundo é? Pulmão, se for fumante; Terceiro é? Tubo digestivo. Na realidade, o primeiro é pele, por isso que eu falei para o pessoal sair do sol aqui. Primeiro é pele, é que a maioria dos cânceres de pele não é tão grave, não dão metástase, carcinoma. Então não é tão grave, mas o primeiro é pele. Mulher, primeiro, é? Mama; segundo é? Ovário? Acho que é de novo pulmão, se for fumante, senão é tubo digestivo. As mulheres vivem em média... E a terceira causa morte, qual é? Aí não é doença, É? Causa externa, depois a quarta é pulmão. A terceira é causa externa. Era em São Paulo, homicídio, tiro. Morriam 13 mil pessoas por ano, baixou para 12, 11, 10, 9, 8, 7, 6, 5, ano passado, foi 4.800. Então a primeira causa externa hoje é acidente rodoviário, é motocicleta, é atropelamento, é carro, é trombada de...é acidente rodoviário. A mulher está menos exposta a acidente, menos exposta à violência e acidente. Nós temos 204 mil presos no estado de São Paulo, quantos por cento de mulheres? 204 mil presos; 5%, 95% é? Homem e os 5% das mulheres ainda é? A má companhia dos homens!

>> [risos]. GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Mas o fato, então é que com agora a creditação aqui do Hospital Geral, Chuvisco, e do seu hospital geral aqui, Regina, aqui da comunidade aqui de Itapecerica, nós vamos passar de 100 anos e as mulheres não morrerão mais, não é?