Discurso - Entrevista no Programa de Eli Correa 20161807

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Entrevista no Programa de Eli Correa

Local: [[]] - Data:Julho 18/07/2016

ELI CORRÊA, APRESENTADOR: Bem, são 7h07min, esse é o jornal "A Folha" e suas manchetes. Governador, bom dia!

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Muito bom dia, Eli Corrêa, uma satisfação voltar ao seu programa, cumprimentar os seus ouvintes, cumprimentar o Luiz Carlos Ramos e o Cid Barbosa. É uma alegria.

ELI CORRÊA, APRESENTADOR: O governador levanta sempre cedo, já foi na roça, já foi... A gente até falou sobre isso porque num frio desse, governador, o pessoal pensa que o governador de São Paulo tá dormindo a uma hora dessa.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Eu sou leiteiro, 7h da manhã eu já tirei o leite, soltei os bezerros e fiz o queijo, né?

ELI CORRÊA, APRESENTADOR: Olha aí. O governador conhece toda... todo o segmento aí da feitura de uma fazenda. Agora, governador, ontem o Cid Barbosa ele esteve aqui no AME de Vila Maria. Inclusive, o senhor estava lá participando da inauguração. Eu queria que o senhor falasse um pouquinho.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, nós inauguramos ontem, Eli Corrêa, o AME do idoso na Vila Mariana, então é um AME voltado a pessoas com mais de 60 anos de idade e com 23 especialidades médicas e não médicas, voltadas a melhor idade. Cardiologia, oftalmo, pneumo, ortopedia, dermato, e tem fisioterapia, fisiatria, odontologia, prótese dentária, e todos os exames, vai desde Raio-X, ultrassom, né, todos os exames também, e até pequenas cirurgias. Então nós inauguramos o mês passado o AME da Lapa na zona oeste de São Paulo, já está funcionando. Ontem inauguramos o AME na Vila Mariana, ali na Av. Domingos de Moraes, e temos o Mandaqui que é o centro de referência do idoso do lado do Hospital do Mandaqui, na zona norte. E temos o CRI de São Miguel Paulista na zona leste. Então nas quatro regiões da cidade nós estamos com o AME do idoso, e ontem inauguramos o de Vila Mariana.

ELI CORRÊA, APRESENTADOR: Cid, o que você viu lá?

CID MOREIRA: É, são novas instalações, ontem mesmo o governador explicou que os serviços estão sendo implementados ao longo do tempo, até junho do ano que vem, segundo o secretário [ininteligível] também vai estar tudo funcionando integralmente, né? Então o trabalho está sendo implantado. Governador, eu tenho acompanhado todo o trabalho que tem sido feito, não só na área do estado, né, também da prefeitura, inaugura-se as coisas, os equipamentos, e por que o senhor acredita que a população fica sempre com aquela sensação que o serviço de saúde não funciona [ininteligível].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não, nós temos serviços muito bons. Por exemplo: eu vou sempre lá no Icesp, que é o Instituto de Câncer do Estado de São Paulo. E é impressionante, você entra ali, muita gente, né, muito, infelizmente, hoje o câncer cresceu muito, né, uma incidência, graças a Deus é uma doença curável, mas você ouve ali... tá lotado, né? Mas um reconhecimento, a qualidade do trabalho. Então no caso dos nossos AMEs, os dois, tanto o AME que nós inauguramos o mês passado, o da Lapa como o da Vila Mariana, prédios novinhos, instalações as mais modernas, e o nosso contrato é com a Escola Paulista de Medicina, com a Unicesp. Então nós temos os melhores médicos, profissionais, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, psicólogos, voltado mesmo as pessoas da melhor idade. Agora, um serviço desse tamanho você implanta sempre gradualmente. Aliás, nós inauguramos ontem com ele já funcionando, então já estava os pacientes sendo atendidos, a gente nunca inaugura, "olha, vai funcionar o mês que vem". Não, primeiro começa a funcionar, depois inaugura. Agora, saúde é uma demanda sempre grande porque o Brasil que era um país jovem, né, uma pirâmide de base larga, de ponto de vista demográfico, hoje é um país maduro caminhando pra ser um país idoso. Que é muito bom, sinal que as pessoas estão vivendo mais e com qualidade de vida. As pessoas podem viver mais e com boa qualidade de vida. Aliás, uma pergunta que eu fiz ontem lá, fazer aos seus ouvintes. Quem é idoso? É a partir de que quantos anos, né?

ELI CORRÊA, APRESENTADOR: Eu não sou, viu, governador?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: O Estatuto do Idoso que é 60, mas eu tenho uma tese de que idoso é quem tem, pelo menos, dez anos a mais do que nós. Então pra quem tem 30, quem tem 40 já é um tiozinho, né? Quando chegar nos 40, aí é depois dos 50. Quando chegar nos 50, é depois dos 60. Quando chegar nos 60...

ELI CORRÊA, APRESENTADOR: É dez na frente.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: É dez na frente. E o Fernando Henrique diz que a vida começa aos 85, né?

ELI CORRÊA, APRESENTADOR: Então... idoso pra ele só aos 95. Luiz Carlos, você é idoso?

LUIZ CARLOS RAMOS, COORDENADOR DE JORNALISMO DA RÁDIO CAPITAL: É, bom...

ELI CORRÊA, APRESENTADOR: A essa altura...

LUIZ CARLOS RAMOS, COORDENADOR DE JORNALISMO DA RÁDIO CAPITAL: Eu já completei 60.

ELI CORRÊA, APRESENTADOR: Como idoso é dez anos na frente, só depois dos 80.

LUIZ CARLOS RAMOS, COORDENADOR DE JORNALISMO DA RÁDIO CAPITAL: É verdade. Eu sei lá, eu acho que isso é muito da cabeça da pessoa, governador, né?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Com certeza.

LUIZ CARLOS RAMOS, COORDENADOR DE JORNALISMO DA RÁDIO CAPITAL: Deixa eu fazer uma pergunta. Primeiro, boas-vindas ao governador também.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Luiz Carlos.

LUIZ CARLOS RAMOS, APRESENTADOR: Tá fazendo seis meses que o senhor esteve aqui em janeiro, e era pra falar sobre planos pra 2016. Agora nós estamos entrando no segundo semestre, a minha pergunta é a respeito do que o senhor tem feito aí na área do transporte coletivo, do metrô, dos trens metropolitanos. Inclusive, o Cid esteve outro dia quando o senhor entregou o primeiro trem lá da Estação da Luz, o primeiro trem novo, e outros virão por aí. Como que estão sendo essas obras?

ELI CORRÊA, APRESENTADOR: E, aliás, eu quero aproveitar essa sua pergunta, viu, Cid... Ô, Luiz, como estão as obras da Linha 4-Amarela do metrô?

LUIZ CARLOS RAMOS, COORDENADOR DE JORNALISMO DA RÁDIO CAPITAL: Ah, é, aquela que faltava ainda quatro estações.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Exatamente. O Luiz tem boa memória.

ELI CORRÊA, APRESENTADOR: A memória do Luiz é uma coisa séria.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: A Linha 4 é a linha amarela, é a mais moderna, né, aquela que opera sem operador do trem, tudo por sistema, e faltam quatro estações: a estação Higienópolis Mackenzie, a estação Fradique Coutinho... Aliás, estação Oscar Freire, a estação Morumbi lá na João Jorge Saad com a Francisco Morato, e a Estação Vila Sônia, divisa com Taboão da Serra. Então as obras são retomadas agora na primeira semana. Infelizmente, o consórcio espanhol abandonou as obras, então nós multamos, fomos pra Justiça, tomamos todas as medidas e tivemos que relicitar a obra, já contratamos a empresa e ela já está com ordem de serviço. Então a obra começa em questão de duas semanas. Aí nós entregaremos em nove meses a estação mais adiantada que é Mackenzie e Higienópolis. Depois em 14 meses a Estação Oscar Freire. Depois em 20 meses a Estação Morumbi. E finalmente, a Estação Vila Sônia. A outra boa notícia são os trens para a CPTM que tem a Linha 7 que é aquela que vai pra Jundiaí, a Linha 8 que vai lá pra Osasco, a Linha 9 a Marginal do rio Pinheiros, a Linha 10 que vai pra Santo André, pro ABC, a Linha 11 que vai lá pro Itaquerão e a Linha 12 pra USP leste, também na zona leste. Nós compramos 65 trens novos, a maior encomenda da história de São Paulo. Cada trem tem oito carros, então são 520 carros de trem, todos com ar-condicionado, sistema de câmeras, vagão contínuo, você tá no primeiro vagão e pode ir andando até o...

ELI CORRÊA, APRESENTADOR: Muito legal.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Dá mais segurança, mais segurança. Todo mundo vê todo mundo. Então entregamos o primeiro trem, o Cid Barbosa esteve lá na Luz, entregamos o primeiro trem, o segundo vai ser entregue essa semana. Nós vamos entregar, Luiz Ramos, um trem a cada 15 dias, daqui até o ano que vem a cada 15 dias um trem com oito carros novinho, 0km entra em funcionamento. Isso tem três benefícios, Eli Corrêa, o primeiro você ouve falar que a linha parou. "Olha, o pessoal tá andando em cima da linha, a estação tá congestionada.". Por que é que deu problema? É trem velho. Nós temos trem andando de 1958.

ELI CORRÊA, APRESENTADOR: Puxa!

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Então, esses trens têm 60 anos, que são os que quebram mais, eles vão sair e vão entrar esses trens moderníssimos com melhor motorização. A segunda boa notícia é diminui a lotação, nós vamos ter mais trem, então você acomoda melhor. E a terceira vai ter mais horário porque você tendo mais trens você consegue ter um horário menor para a população. Então a CPTM que é a menina dos olhos do governo, ela... nós queremos dar a ela um padrão ótimo.

CID BARBOZA, REPÓRTER: Então, governador, são 65 trens, uma parte vai ser pra substituição...

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Isso.

CID BARBOZA, REPÓRTER: O que efetivamente vai ser de aumento de frota? O senhor tem essa...

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: A gente pode dizer que um terço é pra substituir esses trens muito antigos.

CID BARBOZA, REPÓRTER: Seria então 22, 23, mais ou menos, né?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Nessa faixa, entre 20 a 24. E dois terços para aumentar a ofertar de trens para a população.

Parte 2

LUIZ CARLOS RAMOS, COORDENADOR DE JORNALISMO DA RÁDIO CAPITAL: Só pra relembrar, Cid, Eli, governador, o transporte coletivo de trens no subúrbio em São Paulo, antes ele era federal, era da antiga Central do Brasil, aquele negócio todo, e isso persistiu por um bom tempo. E aí o que acontecia? Nós tínhamos aqueles trens horríveis com surfistas, né, em cima ali, tanta gente morreu.

ELI CORRÊA, ÂNCORA: Porta aberta.

LUIZ CARLOS RAMOS, COORDENADOR DE JORNALISMO DA RÁDIO CAPITAL: Isso. O que aconteceu? O Governo do Estado passou a ser responsável. E a partir disso começou a renovação da frota. Eu me lembro exatamente quando o governador Mário Covas, era o Mário Covas, ele comprou aqueles trens espanhóis. Inclusive, quando houve o terrorismo na Espanha em 2004, em cima daqueles trens, eram trens daquela qualidade, São Paulo trouxe pra São Paulo, então tem que prosseguir essa renovação. Não é isso, governador?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Exatamente, Luiz Ramos. Você lembrou muito bem. Primeiro, o Mário Covas iniciou essa renovação, nós transportávamos, Eli Corrêa, quando o Covas assumiu, 700 mil passageiros/dia, a CPTM. Hoje nós transportamos três milhões de passageiros viagem/dia. Quer dizer, quadriplicou o transporte de trens, como também triplicou o transporte do Metrô, hoje são cinco milhões de passageiros viagem/dia. Nós transportamos todo dia oito milhões de pessoas/viagem, tem uma pessoa que faz mais de uma viagem, vai, volta, enfim. Então todo o apoio ao transporte metroferroviário. A outra boa notícia, a Linha 5, que é aquela que sai do Capão Redondo, passa por Santo Amaro e vai até Chácara Klabin, chamada “Linha dos hospitais”, ela vai atender Hospital do Servidor, Hospital São Paulo, a AACD, Hospital Edmundo Vasconcelos. Então, nós vamos entregar o ano que vem dez estações, ela tá indo muito bem, estamos com 5.700 pessoas trabalhando em seis lotes nessa linha. A Linha 15, que é a linha que vai para a zona leste, lá para a Fazenda D’Ajuda...

ELI CORRÊA, ÂNCORA: Cidade Tiradentes, né?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: É, não chega nessa primeira etapa até a Cidade Tiradentes, ele chegará até São Mateus, Sapopemba e São Mateus. Está indo muito bem a obra, está dentro do cronograma. A Linha 17, que é do aeroporto de Congonhas, nós retomamos porque uma empresa tinha abandonado a obra, foi também punida, já retomamos, e a Linha 6 tá toda em obra, é a nova PPP, ela sai da Brasilândia, Freguesia do Ó e vem até São Joaquim na Liberdade. A Linha 9, nós estamos estendendo o trem para o Grajaú até Varginha, então vai ter mais duas estações, Mendes e Varginha, está todinha em obra. E a Linha 13 vai pro aeroporto de Cumbica, então quem for pegar um avião em Cumbica vai poder ir de trem, ele desce dentro do aeroporto lá de Cumbica. Quem for pro aeroporto em Guarulhos, lá em Cumbica, verifica ali na chegada, na Av. Hélio Schmidt que tem ali um elevado, aquela é a linha nova do trem até o aeroporto.

ELI CORRÊA, ÂNCORA: Bem, o governador falou da memória do Luiz, a memória do governador também falou tudo isso aí. Pelo amor de Deus! Agora, governador, mudando um pouquinho de assunto, o Poupatempo atinge 500 milhões de atendimento. Como é que o senhor vê isso?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, hoje até nós iremos ao Poupatempo pra comemorar esse número, né, meio bilhão, duas vezes e meia a população brasileira.

ELI CORRÊA, ÂNCORA: Acho que todo mundo em São Paulo de alguma forma já esteve no Poupatempo, né?

LUIZ CARLOS RAMOS, COORDENADOR DE JORNALISMO DA RÁDIO CAPITAL: Eu tirei meu RG lá.

ELI CORRÊA, ÂNCORA: Então, você vê. Você também, Cid?

CID BARBOZA, REPÓRTER: É o serviço que é mais aplaudido aí pela população é o Poupatempo. Desde a implantação dele facilitou a vida enormemente de milhões de pessoas, é um serviço que não cabe reparos, o Poupatempo realmente funciona.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Esse é um fato, Cid Barboza, importante. Não é só a quantidade de atendimento, mas é a qualidade do atendimento. É o atendimento rápido, ele é eficiente. Hoje, nós estamos caminhando cada vez mais pra um Poupatempo eletrônico, você não precisa nem ir ao Poupatempo, você pela internet já resolveu o máximo possível de serviços eletrônicos. E o velho Detran que estava na polícia, nós tiramos da polícia, liberamos 1.300 policiais, delegados, investigadores, escrivães pra sua atividade-fim e passamos o Poupatempo... O Detran para o Poupatempo, para o padrão Poupatempo. Então, o novo Detran nós estamos trabalhando pra ter o mesmo nível de atendimento do Poupatempo.

ELI CORRÊA, ÂNCORA: Eu queria até aproveitar agora um pouquinho, governador, o Cid contou uma coisa até que ele deu risada aqui, o sistema de segurança lá... Onde foi?

CID BARBOZA, REPÓRTER: A segurança pública é tão... As pessoas estão tão assustadas, temerosas que a gente fica... Não sabe se ri ou se chora. Foi em Piracicaba, encontraram lá na porta de uma agência bancária um pacote lá e chamaram o GAT, chamaram a polícia, interditaram a rua cinco horas. E aí era um... Era um despacho de macumba. Quer dizer, as pessoas estão numa situação [ininteligível], a segurança pública... O pessoal continua...

ELI CORRÊA, ÂNCORA: Eu quero saber quais são as ações que o senhor pode falar na área de segurança pública então. Já que até despacho de macumba...

CID BARBOZA, REPÓRTER: Não, e mobiliza um contingente policial... Essas falsas ameaças que a gente [ininteligível] aí toda hora, vai todo mundo, GAT, fecha rua, não sei o quê. E é uma despesa danada aí que fica.

ELI CORRÊA, ÂNCORA: E aí, governador, quais as ações que o senhor pode falar na área de segurança?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: E o pior, Cid Barbosa, são os trotes que são dados na polícia, quer dizer, a polícia que precisa estar 24 horas aí atento a proteger a população, ainda sofre trote. Mas na dúvida é sempre bom verificar o que é que é o pacote. Olha, nós estamos... Inauguramos essa semana, Eli Corrêa, lá na zona leste, na Av. Águia de Haia, fizemos num local só três inaugurações, um prédio maravilhoso. Inauguramos o 39º batalhão da Polícia Militar ali na Av. Águia de Haia, inauguramos no mesmo prédio, um prédio enorme, com tecnologia mais moderna, a companhia da Polícia Militar, e inauguramos o Corpo de Bombeiros na esquina da Águia de Haia com a Mogi das Cruzes. Então, a região ali da zona leste ganhou o batalhão da polícia que foi só o prédio novo, a companhia, e o bombeiro. E criamos o BAEP. O BAEP deu excelente resultado, ele já está implantado na região metropolitana de Campinas, no Vale do Paraíba, região metropolitana, e na Baixada Santista. Teremos o quarto BAEP agora só pra zona leste de São Paulo. Que é um batalhão de ações especiais. Então, você tem viaturas maiores, maior número de policiais na viatura, armamento mais pesado, porque você tem muito hoje crime organizado, então pra você poder enfrentar esse tipo de crime organizado. A segunda boa notícia é que nós estamos integrando no sistema de câmeras de vídeo da Prefeitura com a polícia, então nós já teremos mais 90 câmeras de vídeo, não tem nada a ver com radar, com multa, é exclusivamente para proteger a população. Então, nós estamos ampliando bastante a nossa central de controle de operações e agregando câmera de vídeo. Concessionária de estrada, Prefeitura, as marginais, setores do próprio Estado, trem, metrô, tudo câmera de vídeo. E um software inteligente que a gente trabalha no sentido de prevenir o crime e de proteger a população. E também uma boa notícia dos novos policiais. Nós já estamos já formando, no final agora de julho, nós teremos mais 251 policiais técnicos científicos, estão saindo da Acadepol pra ir pro seu trabalho, já foram nomeados. Auxiliar de necropsia, médico legista, perito criminal, desenhista, técnico pericial, fotógrafo, técnico policial. Setecentos e quatro policiais civis até setembro já estarão nas ruas trabalhando, já estão também na Academia de Polícia terminando o curso, delegado, investigadores, escrivão e agente policial. E 5.321 soldados em formação, nós vamos dar um bom reforço aí no policiamento. Tecnologia com as câmeras de vídeo e a central de monitoramento. E recursos humanos com mais policiais.

LUIZ CARLOS RAMOS, COORDENADOR DE JORNALISMO DA RÁDIO CAPITAL: Dentro dessa questão, governador, que é a segurança pública, o senhor declarou outro dia a respeito da... Fez uma mensagem com relação a olimpíada do Rio de Janeiro. Nós teremos vários eventos em São Paulo relacionados com isso, entre os quais jogos de futebol no Itaquerão, estádio do Corinthians. Teremos também delegações de vários países, vão treinar em clubes paulistas, paulistanos, como é o caso Israel na Hebraica, vai ter a China no Clube Pinheiro, assim por diante. E a tocha é o símbolo da Olimpíada está vindo pra cidade de São Paulo, pernoitou em Ribeirão Preto, está indo pra Campinas, vai chegar a São Paulo no próximo domingo. Qual é a mensagem que o senhor dá não só para os turistas, para os visitantes, mas para o povo de São Paulo no sentido de que embora a Olimpíada seja no Rio de Janeiro, e a gente sabe de várias coisas complicadas que estão acontecendo no Rio, como que vai ser a participação de São Paulo em termos de segurança?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, os jogos eles são, né, Olimpíadas no Rio de Janeiro, mas nós teremos dez jogos de futebol masculino e feminino, inclusive, semifinais em São Paulo. Os dez jogos serão lá na Arena Corinthians, lá em Itaquera. Que é muito bom porque foi um sucesso a Copa do Mundo. É raro você ter um estádio de futebol, uma linha de trem e outra de metrô do lado, na porta. Então, as pessoas vão poder ir de trem, vão poder ir de metrô para assistir os jogos aí da Olimpíada, futebol masculino e feminino. Depois, nós faremos aqui a aclimatação, ficarão sediados em São Paulo. Como você bem mencionou, Estados Unidos, China, Argentina, Canadá, Itália, França, Inglaterra, Israel, nós teremos aqui um grande número de países que vai ficar em São Paulo. E a Paralimpíada, que a Olimpíada é agora em agosto, né, começa dia 5, né?

LUIZ CARLOS RAMOS, COORDENADOR DE JORNALISMO DA RÁDIO CAPITAL: Dia 5.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Cinco de agosto. Depois, no dia 7 de setembro, começa a Paralimpíada, e toda a parte de treinamento anterior será feito em São Paulo, no Centro Paralímpico que foi inaugurado ali na Imigrantes, do lado de onde era a Secretaria da Agricultura, do lado da Expo São Paulo. Nós estamos preparados, já fizemos um plano de contingência, então está tudo bem organizado, embora, é óbvio, a maior parte de todos os jogos da Olimpíada serão no Rio de Janeiro. E estamos otimistas, porque eu estive lá no domingo agora, Eli Corrêa, no Centro Paralímpico, nós fomos na última paralimpíada, o sétimo do mundo, paralimpíada, esporte paralímpico. Há uma expectativa que a gente esteja entre os cinco e, lógico, melhores do mundo na paralimpíada.

ELI CORRÊA, ÂNCORA: Tomara.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Que tem além do lado esportivo, tem também o lado da cidadania, né?

CID BARBOZA, REPÓRTER: Do apoio aos deficientes.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Do apoio às pessoas com deficiência, da inclusão.

Entrevista com o governador Geraldo Alckmin - Parte 3 RÁDIO CAPITAL 1040 AM/SÃO PAULO - PROGRAMA: ELI CORREA VEICULADA EM 19/07/2016 07:50 , CADASTRADA EM 19/07/2016 07:59

ELI CORRÊA, ÂNCORA: Olha, é uma pena que nosso tempo está se esgotando. O Cid queria fazer mais uma pergunta. Eu tenho aqui uma pergunta para o governador, mudando, falando de segurança. Segurança, olha, eu vi uma manchete falando de uma matéria de ontem falando que o problema de água em São Paulo, pelo menos por hora, está superado, o senhor garante isso? O senhor confirma isso?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Confirmo e garanto, por quê, Eli Corrêa? Porque nós trabalhamos aqui em São Paulo para ter um super sistema, então nós estamos hoje com as nossas represas bem abastecidas, a população ajudou muito, quero aqui agradecer a população, evitando desperdício. Temos que continuar esse trabalho de evitar desperdício, né? De uso racional da água. Eu tenho um balde lá no meu chuveiro, ele continua lá, tem que economizar a água. Mas não há nenhum risco. E, no ano que vem, nós teremos um super sistema, porque chegam as águas do Rio São Lourenço, que vem de Juquitiba para São Paulo, 84 quilômetros de distância, estamos com 3.000 pessoas trabalhando nessa obra, termina o ano que vem, são mais 6,4 metros cúbicos por segundo de água, isso equivale a mais de dois milhões de pessoas atendidas. E a ligação do Jaguari com o Atibainha, que é outra grande obra também de engenharia. Então, São Paulo terá um sistema muito preparado para as mudanças climáticas, que quando chove, chove demais, aí você guarda água, e quando faz seca, faz seca demais. Então, passamos o período pior, vamos evitar desperdício, manter a cultura do uso racional da água e São Paulo terá, talvez, o melhor sistema Latino Americano, de abastecimento e reservação.

CID BARBOZA, REPÓRTER: Governador, tem aquela Parceria Público Privado de moradia no Centro, na Rua São Caetano, eu lembro de quando foram iniciados os trabalhos lá, nós tivemos acompanhando. Em que pé está a construção daquele conjunto para moradores na Rua São Caetano? E qual a outra novidade que temos por aí?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, Cid Barboza, até quando nós estivemos lá, você presenciou, participou, cobriu lá o ato, eu brinquei que nós começamos pela rua das noivas, que é a Rua São Caetano, porque quem casa quer casa, então, esses prédios ficam prontos em outubro. Já está 90% pronto, em outubro nós já vamos entregar os dois prédios que ficaram prontos.

CID BARBOZA, REPÓRTER: As famílias que vão ocupar esses prédios já estão definidas?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Vai ser, vai ser, a inscrição está aberta, www.habitacao.sp.gov.br, ou seja, habitacao porque não tem o "ç", podem se escrever, as inscrições estão abertas, entrando clica no acesso Cadastro PPP, a inscrição ia terminar agora dia 25, nós prorrogamos. E vamos começar o segundo conjunto de prédios, 2000 unidades em frente a Sala São Paulo, ali na Nova Luz.

LUIZ CARLOS RAMOS, ÂNCORA: É onde era a Rodoviária.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: A Rodoviária de São Paulo, exatamente. Então, ali não é só fazer casas, apartamentos, é das unidades, embaixo comercio e um Centro Cultural. Então, o que que a pessoa para se inscrever? Ela não pode ter casa, não pode ter casa, não pode ter ganhado casa no passado do sistema nosso de habitação, precisa ter pelo menos uma pessoa que trabalhe no Centro, nós queremos prestigiar as pessoas ficarem perto do seu local de trabalho e que ganhem até seis salários mínimos paulistas, que é mais alto, é em torno de R$ 1 mil, então até R$ 6 mil. Então, quem ganhar até seis salários que não tenha casa própria e que tenha pelo menos uma pessoa que trabalhe no Centro, para a gente poder aproximar a moradia do trabalho, as inscrições estão abertas, www.habitacao.sp.gov.br.

ELI CORRÊA, ÂNCORA: Para encerrarmos, governador, domingo que vem tem a convenção do partido. Nós estamos falando com o governador do Estado. E a convenção, obviamente, aqui em São Paulo, diz respeito especialmente a capital, como é que o senhor vê a convenção do partido?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, eu acho que é um momento alto da democracia porque a cada quatro anos a gente elege os nossos prefeitos e vereadores. São Paulo tem 645 municípios que terão a sua eleição, desde o menorzinho que é Bora, tem 860 habitantes, até São Paulo, com 12 milhões de habitantes, uma das maiores cidades do mundo. A nossa convenção será aqui em São Paulo da capital. O nosso candidato, o pré canditado é o João Doria, uma importante aliança com oito partidos. Aí é trabalhar é conversar com as pessoas, enfim, eu acho que teremos aqui uma boa opção. Queria destacar a importância dos governos locais, o Montoro dizia: “Ninguém vive no Estado, ninguém vive na União, as pessoas vivem nos Municípios”, então, o governo mais importante é o governo local, está mais perto da população, enxerga os problemas, convive com ela e trabalha para resolve-los, então, destacar a importância dos governos das cidades. Eu fui prefeito da minha cidade natal, na década de 70, não é um trabalho fácil, mas é o que mais nos realiza, porque você está muito perto da população.

CID BARBOZA, REPÓRTER: E o senhor está se preparando para Convenção Nacional, governador?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Eu estou preparadíssimo para ser candidato, Cid Barboza, a Presidente do Santos Futebol Clube.

ELI CORRÊA, ÂNCORA: Governador, bom dia e obrigado!

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Eli Corrêa, um abraço a todos.

ELI CORRÊA, ÂNCORA: Obrigado Cid, obrigado, Luiz Carlos Ramos. 7:56. [[]]