Discurso - Festa do Calçado e inauguração de obras em rodovias 20130507

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Festa do Calçado e inauguração de obras em rodovias

Local: Franca - Data:07/05/2013

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Boa noite a todas e a todos. Eu quero cumprimentar o nosso prefeito anfitrião, o Alexandre Ferreira; a sua esposa, presidente do Fundo Social de Solidariedade, a Cynthia; vice-prefeito Fernando Baldochi; vereador Jépy Pereira, presidente da Câmara, saudando aqui todos os vereadores e vereadoras da Franca e da região; José Carlos Brigagão do Couto, presidente do Sindifranca; José Alexandre do Carmo Jorge, presidente da Associação Comercial e Industrial da Franca; o deputado federal, Dr. Ubiali; deputados estaduais, o Roberto Engler e o Gilson de Souza; nossos sempre deputados amigos, o Airton Sandoval, suplente do nosso senador Aloysio e o Milton Baldochi; Dr. Luiz Carlos Quadrelli, secretário do Desenvolvimento; prefeito de Santo Antônio da Alegria, o Ricardo; presidente do Consórcio de Municípios da Alta Mogiana, o Comam; prefeito de Restinga, o Paulo; Rifaina, o Abrão; Patrocínio Paulista, o Marcos; Pedregulho, o Zézinho; Itirapuã, o Rui; Cristais Paulista, o Miguel; Jeriquara, o Sebastião; ex-prefeitos aqui da Franca, o Sidnei Franco da Rocha e o Gilmar Dominici; presidente do Instituto Cidade do Calçado, Juliano [ininteligível]; Júlio [ininteligível] diretor do [ininteligível]; Abdala Jamil Abdala, presidente da Francal Feiras; Wayner Machado, representando o presidente Paulo Skaf; Fábio de Sales Meirelles Neto, representando o Dr. Fábio Meirelles, presidente da Faesp; empresários, trabalhadores, amigas e amigos. É uma alegria, primeiro, voltar a Franca, capital do calçado e capital da hospitalidade. Eu me sinto sempre em casa aqui em Franca, tal é a hospitalidade de vocês. Muito obrigado. E ainda agradecer a honra do título de Cidadão Calçadista. Esta é uma cidade que é terra de empreendedores. A indústria do calçado, eu perguntava ao Brigagão, quantos anos. Falou: “Olha, começou por volta de 1850”. Quase 200 anos fabricando calçado e sempre inovando. E nós aprendemos com Franca, nós aprendemos. É a primeira indicação de procedência da indústria paulista, e olha que nós temos mais de 40, quase 50% da indústria brasileira, e é a primeira indicação de procedência. Nós temos indicações de procedência no mundo extraordinárias: o espumante, Champagne, na França; o presunto, Parma, na província de Parma, na Itália. No Brasil, nós temos o queijo da Serra da Canastra, em Minas; nós temos a carne bovina dos Pampas, no Rio Grande do Sul; e São Paulo é a primeira indicação de procedência, o calçado da Franca, sinônimo de qualidade, excelência, selo de procedência. E quero dizer, Brigagão, que nós queremos que São Paulo seja o primeiro estado brasileiro a ter um setor competente para a indicação de procedência, e você vai nos ajudar para que a gente possa avançar. E, aliás, já há aqui um desafio, que é o café da Franca, que é um café maravilhoso aqui na sua qualidade. E quero também me incorporar a esse trabalho. Nós temos aqui o Nicc, que foi lembrado pelo Alexandre, o Núcleo de Inteligência Coureiro-Calçadista, junto com a prefeitura. O Brigagão, ele, para montar aqui o Instituto Cidade do Calçado, está pedindo aqui um apoio para a gente montar o instituto e também para o curso Comportamento e Atitudes Gerenciais no Chão de Fábrica, projeto já apresentado à Secretaria do Desenvolvimento. Então, o Dr. Quadrelli está aí, ele verifica aí os procedimentos jurídicos, mas, se tudo ok, já está autorizado, já, os dois pedidos aí do Sindifranca e do Instituto. E também estou passando ao Dr. Quadrelli, há um pleito também das bancas de pespontos. O Banco do Povo é até R$ 7.500 de crédito e o pleito é R$ 15 mil para poder comprar as máquinas. Então, também o Dr. Quadrelli vai cuidar disso, e a gente financia ou pelo Banco do Povo ou pela Agência Desenvolve São Paulo, mas nós vamos garantir o crédito aqui para as bancas de pesponto. E nós temos aqui curso na Etec de Curtimento, e, na Fatec, Gestão de Produção Industrial. E estamos aumentando o Via Rápida para 400 vagas, só aqui na cidade da Franca, para cursos rápidos de pespontador, operador de máquina reta e overlock, modelagem e NDL, corte e costura, modelagem de bolsa, informática, mecânica de manutenção, soldador, torneiro mecânico, cortador de calçado e outros. E todos esses cursos, se a pessoa estiver desempregada e não estiver recebendo o Seguro-Desemprego, nós pagamos uma bolsa para que ela possa fazer o curso, se dedicar aquele um mês ou dois meses, se preparando bastante e tendo uma bolsa para poder se manter nesse período. E quero, finalmente, não vou abordar outros temas para não cansá-los, mas dizer do nosso compromisso, até como dever de médico, com a saúde. Nós estamos buscando até julho uma solução, a melhor possível, junto com a prefeitura e com a Santa Casa, pra nós termos aqui o hospital público, gratuito, pra atender o SUS e com qualidade pra Franca e para a região. Já colocamos até junho serão R$ 10 milhões só pra custeio, não é pra fazer obra não, só pra custeio, veja como a medicina é cara, R$ 10 milhões até junho e vamos buscar uma solução definitiva. Todas as Santas Casas passaram por dificuldades por causa da tabela do SUS que não é corrigida há muito tempo, e eu tenho certeza que com esse aporte do estado mais um reforço na gestão, o reforço na gestão, a gente possa equacionar aqui pra ter um hospital público estadual atendendo bem a comunidade ao lado do AME aqui da Franca, como também já inauguramos o AME também em Ituverava e vamos inaugurar em maio a Santa Casa de Pedregulho, uma retaguarda pra doente crônico e depois a Santa Casa de Ipuã em junho, então nós vamos ter mais duas retaguardas de leitos crônicos aqui na região. Mas quero deixar um grande abraço, agradecer aqui a honra desse título de cidadania da cidade, do calçado aqui da Franca, e dizer que estou entusiasmado, Brigagão, primeiro com o título, né, São Paulo ter a primeira indústria com indicador de procedência do estado, primeira indústria com indicador de procedência. E o quanto que é exigido das indústrias, né, o quanto é exigido de certificação, de qualidade pra você ter esse indicador de procedência. Ganha o consumidor, né, com a qualidade, com os avanços do arranjo produtivo do sapato, do calçado aqui da Franca como sinônimo de qualidade. E nós vamos dar toda a parceria pra gente poder avançar mais e ter esse indicador de procedência também no próprio estado, ser o primeiro estado brasileiro a poder oferecer isso pra outras áreas do estado de São Paulo. Deixo um grande abraço aqui pra todos vocês, peço licença pra voltar pra São Paulo, porque eu saí às seis horas da manhã e senão a minha mulher vai largar de mim, e ela é a melhor parte da família, então eu correria grande risco, né? Mas quero deixar um grande abraço. Parabéns a Franca!