Discurso - Governador visita prédio que vai abrigar hospital em Mogi das Cruzes 20130207

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Governador visita prédio que vai abrigar hospital em Mogi das Cruzes

Local: Mogi das Cruzes - Data:02/07/2013

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Boa tarde a todas e a todos!

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Boa tarde, Geraldo!

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Cumprimentar o nosso prefeito anfitrião, Marco Bertaiolli; D. Mara, presidente do Fundo Social de Solidariedade - um abraço da Lu; O Cuco, nosso vice-prefeito de Mogi; o senador Bibo, presidente da Câmara, saudando aqui todos os vereadores e vereadoras daqui do município; professor Giovanni Cerri, secretário da Saúde do estado; deputada Heroilma Tavares; deputado Dr. Luís Carlos Gondim; deputado Andréa do Prado; prefeito de Guararema, o Márcio; Biritiba-Mirim, o Inho; Suzano, Paulo Tokuzumi; Arujá, o Abel; Salesópolis, o Rafael; Igaratá, o Ary Prianti; Poá, meu médico, Dr. Testinha; Ferraz de Vasconcellos, o Filó; Dr. Luís Carlos Branco Júnior, delegado seccional; major Demar Luís da Costa Limeira, comandante da região; professor Fernando Joabre, diretor da Fatec aqui de Mogi; a Fernanda Fontanele, diretora regional de ensino; o André Abuchan, saudando aqui todos, a diretoria, os trabalhadores aqui da Engeform; secretários municipais, entidades de classe, lideranças aqui da comunidade, amigas e amigos! Olha, é uma grande alegria, viu? Não há nada... Eu diria que os pontos cardeais de uma cidade é a igreja, a escola e o hospital, né? Aqui se nasce, aqui a gente recupera a nossa saúde. E a medicina avançou muito. Se a gente for verificar, o nosso tempo é o tempo da mudança e da velocidade da mudança. Então, Tecnologia de Informação: Quem é que tinha um celular há 20 anos? Ninguém tinha. E quem tinha, se caísse no pé, quebrava o pé, porque era um tijolo! Hoje você encomenda uma passagem, o call center é na Índia! O avanço da tecnologia é impressionante! Mas eu diria que o mais notável dos avanços foi na ciência, porque a mortalidade infantil que no Brasil era de 140, hoje é 18. São Paulo é 11. É Europa, praticamente. Expectativa de vida: Se vivia no Brasil expectativa de vida média, 43 anos de idade. Hoje, quem tem 60 é um broto!

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: É jovem!

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Mudou tudo! A mais fantástica mudança foi na expectativa de vida, mudou o perfil demográfico. Fenando Henrique diz que a vida começa aos 82.

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Glória a Deus!

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Ontem eu estava vendo a entrevista dele no “Roda Viva”, é impressionante! Ele brinca que a vida começa aos 82. Então, é um outro mundo. Agora, nós temos que garantir que este avanço da ciência seja para todos. Gratuidade, ninguém precisa pagar nada. Não se paga para nascer, para se tratar, para se curar, não é? Gratuidade. Equidade: Oferecer serviço de qualidade para todos. Universalidade: você cobrir desde o pré-natal até as políticas para idosos... Então, esse é o desafio. A gente fica feliz de ter aqui em Mogi um grande parceiro, que é o Marco Bertaiolli. Vocês têm um grande prefeito, viu? E a obra feita em tempo recorde com qualidade, um bom projeto, plano diretor. Está prontinho! Até a régua com oxigênio, ar comprimido, instalações todas, está tudo pronto. Agora é equipar tudo, contratar a gestão, a OS, se essa for a opção e começar a operar. Eu fiz a conta aqui, nós temos aquela carteira de armazém, a gente vai anotando quanto cada um foi. Então, o hospital custou até agora R$ 34,5, R$ 35 milhões. Agora, para equipar vai mais 14; 35 mais 14 dá 49. Nós já demos 18; metade de 49 é 24,5. Então, eu assinei cinco, então, Giovanni, nós vamos dar 6,5. [ininteligível]. Eu, quando assinei ali, eu já coloquei seis, mas vou ter que por mais 500, porque o prefeito é rápido, ele já sapecou 14 ali. Mas na soma, tudo bem! Olha, esse é o dinheiro mais bem investido que existe. Aliás, essa agenda nossa, Bertaiolli é a agenda do povo. O que é que a população está dizendo aí nas ruas? “Nós não queremos gastar R$ 1 bilhão em estádio estatal. Nós queremos educação e saúde”. Aliás, é bom ressaltar, tem 12 estádios, são 12 cidades que vão receber a Copa do Mundo, 12 capitais; 12 estádios. Em São Paulo, lá no Itaquerão, não tem um centavo do governo do estado, nem um parafuso. É totalmente privado. Mas estão liberados aí os R$ 6,5 milhões. O hospital vai ter 10 leitos de UTI, então ele vai desde a parte ambulatorial até o atendimento de terapia intensiva. Aqui em Mogi em 15 dias... Já chegou a nova ressonância magnética, em 15 dias, é isso, Giovanni? Já começa a operar no hospital Luzia de Pinho Melo. Em 15 dias uma nova ressonância magnética, nós vamos fazer lá no Luzia o que nós fizemos no hospital Guilherme Álvaro em Santos: Nós criamos uma rede de combate ao câncer chamada Hebe Camargo, uma rede reunindo 71 hospitais no estado de São Paulo. Então, a pessoal em qualquer cidade de São Paulo, ela entra num sistema de regulação, que é o Icesp, o Instituto do Câncer, e o Icesp vai orientar qual é o serviço de saúde adequado e mais perto da casa dela no estado inteiro para o diagnóstico e tratamento do câncer. Nós vamos ter... No estacionamento? Uma parte do estacionamento o novo prédio lá no Luzia para ter todo o tratamento para o câncer.

>> APLAUSOS.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: No hospital, Arnaldo Pezzuti nós vamos ter agora em agosto já 20 leitos para dependência química, jovens que tenham problema de álcool e droga, 20 leitos, e o ano que vem... Como?

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Feminino?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Feminino, só mulher. E no ano que vem mais 60 leitos. Então nós vamos ter quase um hospital aqui para dependência química, 20 leitos de mulheres e depois mais 60 leitos. E a prefeitura... ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Governador? E o Cartão Recomeço? E o Cartão Recomeço?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Terá também, vou explicar. E a prefeitura faz a parte ambulatorial. Então a prefeitura tem o Caps AD, a prefeitura com o Caps pra álcool e droga e nós, com a retaguarda hospitalar, então faz o trabalho completo. E o Cartão Recomeço, porque? É diferente, a dependência química, ela é uma doença crônica e recidivante. Então a pessoa operou o apêndice, você tirou o apêndice, costurou... “bye bye”, resolvido. Dependência química não, você interna 45 dias, desintoxica, mas se não tiver um acompanhamento, volta para a dependência. Então o Cartão Recomeço não é para o paciente e nem para a família, é para a instituição, a clinica, a Comunidade Terapêutica ou a Casa de Transição para acompanhar durante mais alguns meses até ele estar inserido. Precisa arrumar emprego, arrumar um outro plano de vida, apoiá-lo socialmente. Enfim, um trabalho completo para recuperar o nosso jovem desse verdadeiro drama da sociedade moderna, que é o problema da dependência química. Daqui uma semana nós estamos voltando aqui à região para começar mais um hospital, que é o hospital das clinicas de Suzano, aqui do lado.

>> APLAUSOS

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Nós temos um hospital antigo, que é um hospital de retaguarda do HC, mas são doentes crônicos, que ao invés de ficar no hospital que não tem como ser operado, não tem... O doente crônico, ele vai para o hospital de retaguarda para poder abrir mais vagas nos hospitais. Então nós vamos fazer em Suzano duas coisas: Nós vamos fazer um novo hospital, aberto à região, à região e vamos reformar o antigo hospital de crônicos, hospital de retaguarda lá de Suzano. Mas eu quero deixar um grande abraço, dizer da alegria de vir hoje aqui à Mogi. Esse é um dia histórico, tem razão o prefeito: Eu estou saindo da Santa Casa de São Paulo, essa é uma corrida de revezamento, cada um vai cumprindo uma etapa. E nós lembrávamos lá na Santa Casa de São Paulo: 1.560, que não é a mais antiga, a mais antiga do Brasil é a de Santos. Braz Cubas, 1543, ergueu o primeiro hospital de São Paulo em Santos: Braz Cubas, 1543, e a Santa Casa de São Paulo 1560. Cada um vai nessa corrida de revezamento melhorando, avançando. O prédio atual da Santa Casa de São Paulo é 1884, tanto é que nós estamos reformando enfermaria por enfermaria, porque antigamente, era um monte de quarto e um banheiro só. Você tinha um corredor enorme com um banheiro, então nós estamos reformando todas as enfermarias para ser no padrão correto que é cada apartamento, cada enfermaria com toalete, toda com sanitário junto. Aqui é o “Top do Top”. A gente viu a qualidade da obra aqui para a população.

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Mogi merece!

>>APLAUSOS

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Eu quero agradecer ao professor Giovanni. O professor Giovanni é diretor da melhor escola, uma das melhores escolas médicas do país, que é a Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, e coloca todo o seu espírito público, a sua expertise, a sua experiência para nós avançarmos mais ainda na saúde aqui do estado; Agradecer aos nossos deputados, o Gondim. O Gondim ficou tão entusiasmado que já queria dar consulta aqui já no hospital novo; agradecer á Heroilma. Cadê a Heroilma? Aqui também, a deputada Heroilma nos ajuda muito; o Andrea do Prado, aqui do lado, agradecer aos três deputados; Agradecer aqui aos senadores, porque Mogi, cidade grande, é senador, não é? Ao Bibo... Ao Cuco, nosso vice-prefeito e um abraço muito especial da Lu à Dona Mara, que preside o Fundo Social de Solidariedade e em especial, dizer que vocês podem se orgulhar muito, viu? A gente precisa destacar os bons exemplos, valorizar a prata da casa. E Mogi tem um bom prefeito. Um bom prefeito! A gente deve sempre corrigir, ter a humildade de estar ouvindo, compreender, avançar ainda mais, mas de outro lado, destacar as coisas boas que são feitas em beneficio da população. Dizer para o Bertaiolli que conte conosco para a gente somar esforços aí em beneficio da população!

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Geraldo, Primeira-Dama também! Primeira-Dama também, que trabalha muito!

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Primeira-Dama, e presidente do Fundo. É isso ai! Eu brinco, viu Bertaiolli? Que tem dois tipos de marido, aqueles que dizem: “Na minha casa quem manda é a minha mulher” e os mentirosos. Mas eu quero dizer o seguinte: Com esses avanços aqui da saúde, quero dar duas boas notícias: com esses avanços da ciência, da química, das moléculas, dos novos fármacos nós, homens, vamos passar dos 100 anos. E as mulheres não morrerão mais!