Discurso - Implosão da Estrutura de Concreto de Ponte na SP 333 - 20120206

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição do discurso da Implosão da Estrutura de Concreto de Ponte na SP 333

Local: Pongaí - Data: 02/06/2012


MESTRE DE CERIMÔNIA: Senhoras e senhores, com a palavra o governador do Estado de São Paulo, nosso Governador Geraldo Alckmin.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bom dia. Bom dia a todas e a todos. Uma alegria estarmos juntos aqui às margens aqui do nosso Tietê, essa vista aqui maravilhosa, esse verdadeiro mar de água doce aqui, ainda mais que esse é o ano do peixe, não é? A gente fica feliz. Mas... Quero saudar a nossa prefeita, a Marlene Navarro, prefeita de Pongaí; vereador Orlando Zine, presidente da Câmara. Saudando todos nossos vereadores; Marcos Zerbini, nosso deputado estadual, nos ajuda muito na Assembleia Legislativa de São Paulo. Dr. Saulo de Castro Abreu Filho, secretário de Estado de Logística e Transporte. Nossos prefeitos: de Promissão, o xará Geraldo Chaves Barbosa; de Guaibê, o Didi; de Balbinos, José Márcio Rigotto; de Sabino, Gilmar; de Uru, o João Luiz Veronezi; de Iacanga, o Bellini; o engenheiro Casimiro Técio de Carvalho, diretor do Departamento Hidroviário; o Dr. Francisco Rodrigues Neto, diretor presidente do Grupo Singulare; o Dr. Denis Paulo Nogueira, diretor da regional do DER-3, de Bauru; Dr. Luiz Roberto Saud Bertozzo, delegado seccional de polícia de Lins; tenente coronel Leonardo Cardoso, comandante da região de Lins, do nosso Batalhão da Polícia Militar; Capitão de Corveta Durães, ajudante da capitania fluvial do Tietê-Paraná, da nossa Marinha; o companheiro Antônio Cesar Azenha; inspetores navais da Marinha. Funcionários, aqui, das empresas que estão trabalhando, agentes da Defesa Civil, líderes aqui da comunidade, amigas e amigos. É uma grande alegria. Essa é uma obra que eu diria estruturante para o desenvolvimento do Estado de São Paulo e do Brasil. Nós temos um transporte muito sobre estrada, caminhão e estrada. Para curta distância, até 200 quilômetros, para ir daqui a Bauru, realmente caminhão é mais competitivo. Duzentos a 400 quilômetros, a ferrovia é muito competitiva, mas para longa distância, acima de 400 quilômetros, a hidrovia é imbatível. Não polui, o custo é menor, evita acidentes. No mundo inteiro o transporte hidroviário é o modal do transporte dos mais importantes. O Brasil que tem tanta água e tanto rio, a gente tem pouca hidrovia. Nós queremos que a Hidrovia Tietê-Paraná seja a mais importante hidrovia da América Latina. Hoje ela transporta 6 milhões de toneladas/ano. Nós queremos, já agora em 2014, dobrar, transportar 12 milhões de toneladas/ano. E em 2018, 22 milhões de toneladas/ano, triplicar a hidrovia. E disse bem o Dr. Saulo e o Técio, de que um comboio só tira 175 carretas, caminhão tira 350 caminhões da estrada, um comboio. Agora, como é que a gente faz crescer hidrovia? É competitividade. Reduzir o custo do transporte, o empresário ver que é mais barato ele transportar pela hidrovia do que com caminhão, e a velocidade, a rapidez. Então, aqui, em cada ponte, parava uma hora e meia, porque o comboio tem 120 metros de cumprimento, então ele não conseguia passar, porque venta e o comboio, ele desloca e bate no pilar da ponte. Então tem que parar, desengatar, passa uma chata, volta, pega outra. Agora não, ele vai passar direto. O vão, que é de 40 metros passa para 120 metros, ou seja, é uma ponte de hidrovia, como no mundo inteiro. Isso que está sendo feito aqui em Pongaí nós vamos fazer em mais três pontes sobre o Rio Tietê. E outras três vão ser feitas novas, estaiadas, seis pontes. Depois vamos investir nas eclusas, porque hoje leva quanto tempo uma eclusagem? LOCUTOR DESCONHECIDO: Duas horas e meia. GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Duas horas e meia, e nós pretendemos reduzir para uma hora, uma hora e pouco, menos da metade. O outro gargalo é a profundidade do rio, tem lugar que o rio está assoreado, nós vamos dragar a hidrovia. Tem uma carta náutica, quem navega sabe por onde navegar. Então, nós identificamos esses pontos de gargalos e vamos fazer a dragagem, o derrocamento. Com isso, a gente elimina os gargalos. Pontes de hidrovia largas, atracadouros corretos nas eclusas, para ganhar tempo na eclusagem e a dragagem do rio. A outra é a expansão, é chegar até o trem. Então, nós vamos prolongar 55km de hidrovia até Piracicaba, e aí encaixa com a ferrovia e chega no porto de Santos sem um caminhão, direto no porto de Santos. E essa expansão de 55km precisam ser feitas uma barragem, que vai gerar energia elétrica, 10MW. A EMAE, que é nossa empresa de energia, vai participar e nós vamos gerar 10MW na barragem, ela gera energia e, ao mesmo tempo, faz eclusagem. E, em seguida, vamos fazer para Salto, aí são 80km a mais de hidrovia, e seis barragens. Oitenta quilômetros no primeiro momento, e 200km até Salto. Cinco barragens, duas só barragem, e três produzindo energia elétrica, barragem com turbinas para gerar energia elétrica. Colocou bem o Dr. Saulo, importantíssimo para São Paulo, para os estados vizinhos do Centro-Oeste brasileiro, que estão longe do porto, estão muito longe do porto, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais, não tem mar, estão longe do porto, e importantíssimo para São Paulo. Nós vamos, ao longo dessa hidrovia, trazer um grande desenvolvimento para a região. Só que mais São Paulo tem de importante é ter um rio como o Tietê, que é um rio maravilhoso, que ele nasce lá em São Paulo, do lado do mar, ele nasce em Salesópolis, perto de Mogi. Quando chega em São Paulo, ao invés de descer a serra para Santos e ir para o mar, ele, não é que ele seja do contra, ele é a favor do Brasil, então ele vem para o interior, ele vira e atravessa todo o Estado e vem para o Rio Paraná. Aqui, dá para ter uma ideia boa, só mostrar aqui o que vai ser feito aqui em seguida? Vai ser feito o seguinte, aqui vai ser feito o seguinte, essa é a ponte nova, ela já foi feita, ela foi feita em terra, foi feita aqui onde nós estamos, a ponte foi construída aqui. Essa ponte tem 120m de vão, acabam todos esses pilares aqui do meio, aquele paliteiro aqui acaba tudo. Ela já está pronta a ponte e ela está na altura que ela vai estar, ela está do lado. A que vai ser implodida está atrás dela, nós só vamos ver cair na água, esperamos que caia, não é? Então, ela está do outro lado. Então, vai implodir a de trás, implode a de trás, e essa que está pronta, ela encaixa. Então, o que levava meio ano interditada a ponte, em 15 dias o tráfego está aberto, porque a ponte está prontinha aí e vai encaixar. Então, o grande da engenharia brasileira, a gente tem que cumprimentar os engenheiros, os trabalhadores todos aí. Dizer também para a Marlene, nós passamos lá na cidade agora, já autorizamos para ela um ônibus novinho para transporte de aluno, transporte escolar. E ela está rica, porque só de ISS aí da obra pagou um dinheirão de imposto, não é? E também pediu para fazer um desvio de caminhão que vai para usina [ininteligível] de cana, nós vamos estudar ali, fazer desvio. E a SP-333, Dr. Saulo já vai mandar fazer um plano ali, que está esburacado, vai fazer um plano de emergência. O ano que vem, ela vai ser inteirinha, nós incluímos ela no programa do BID, no Banco Interamericano de Desenvolvimento, o financiamento. Ela vai ser uma obra de R$ 100 milhões de investimento, são 63km de recapeamento, pavimentação dos acostamentos, obras de sinalização e obras de segurança. As cidades beneficiadas: Pongaí, Cassilândia e Guarantã. Mas eu quero deixar um grande abraço e dizer o seguinte, o nosso compromisso com o desenvolvimento. É emprego, essa é a primeira prioridade. Emprego e renda. E para a gente gerar mais emprego e mais renda, o Brasil precisa ser mais competitivo, porque economia é globalizada. País que precisa ter eficiência, reduzir custo Brasil, um desses custos está aqui, é a logística e transporte muito caro, porque é pôr em cima de estrada, gastando diesel, poluindo o meio ambiente e acidente grave nas estradas. Tantas pessoas perdem a vida, acidentes graves. E a gente tendo uma obra belíssima como é a Hidrovia Tietê-Paraná. O Tietê deságua no Paraná, o Paraná se une ao Paraguai, forma a Bacia do Prata, chega a Montevidéu, onde o Santos venceu o Peñarol e foi campeão da Libertadores.

MESTRE DE CERIMÔNIA: Gestos de agradecimento ao governador Geraldo Alckmin, por sua presença em Pongaí. O governador, neste momento, dará uma entrevista coletiva. Após essa entrevista, enquanto os nossos amigos jornalistas se posicionam na volta para melhor imagem, nós faremos uma pausa e dentro de instantes teremos então a implosão desses...