Discurso - Inauguração das novas instalações do Centro de Reabilitação Lucy Montoro do Jardim Umarizal 20130409

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Inauguração das novas instalações do Centro de Reabilitação Lucy Montoro do Jardim Umarizal

Local: Capital - Data:04/09/2013

[APLAUSOS]

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom, bom dia a todas e a todos! Quero cumprimentar a professora Linamara Battistella, secretária dos Direitos das pessoas com Deficiência; professor Giovanni Guido Cerri, secretário de Estado da Saúde; Marco Antônio Pellegrini, secretário adjunto dos Diretos da Pessoa com deficiência; professor José da Silva Guedes, que foi quem iniciou esse trabalhou aqui em 2001; o Dr. Flávio Fava de Moraes, diretor geral da fundação da faculdade de medicina; professora Margarida Miyazaki, diretora executiva do IMREA, do instituto de medicina física e reabilitação; a Dra. Verônica Magalhães Raimundo, diretora clinica aqui do Centro de Reabilitação Umarizal; Flávio Falanga, diretor administrativo, Andréa Ribeiro Bozzi, representante do PNUD, Programa das Nações Unidas; profissionais da área de saúde; amigas e amigos; lideranças aqui da comunidade! Nós estamos muito felizes hoje. Esse é um exemplo! Primeiro, destacar aqui o trabalho do Dr. Guedes que lá em 2001 juntos, o Hospital das Clínicas estava lá no Espigão da Paulista. E o Milton Nascimento diz que o artista deve estar onde o povo está! Então, saiu lá da Paulista e veio aqui para Umarizal. Foi inaugurado, me lembro bem da inauguração em 2001. E um trabalho bonito, atendendo aqui Zona Sul, Taboão, Itapecerica, Imbu, Osasco, quase seis mil atendimentos/mês. Pessoas com lesão medular, paralisia cerebral, amputados, grandes traumas, com problema de mobilidade reduzida, enfim, pacientes que realmente precisam. Um trabalho muito bem feito e a gente fica feliz de depois de 12 anos, darmos um outro passo: O prédio foi ampliado - aliás, acabou de ficar pronta a obra - modernizado, novos equipamentos, inclusive robótica, o que há de mais avançado para a qualidade do trabalho. Acho que esse é o grande desafio: É qualidade. Saúde não pode ser mais ou menos, não pode ser improvisado, tem que ser bem feito! Então, qualidade! E a outra, atender mais pacientes, dar mais oportunidade, nós vamos passar para nove mil pacientes por mês. Então um aumento de 50%, mais de 50% de capacidade de atendimento aqui na Zona Sul da capital e da região metropolitana. Queria agradecer ao professor Giovanni Cerri. Sábado agora, há três dias, nós tivemos lá em Pedregulho e Ipuã num trabalho também inédito, que é Unidade de Cuidados Prolongados. Então o que quê acontece com as Santas Casas de cidades pequenas, de 15 mil habitantes, 10 mil habitantes? Elas tem enorme dificuldade de se manter e muita ociosidade. Pedregulho, a Santa Casa tem 55 leitos. Eu perguntei lá para o provedor: “Ano passado, quantos pacientes foram internados, em média?” “Seis pacientes. Seis, em média”. Aquele prédio gigantesco, então o que quê o professor Gioavanni fez? Ele pegou parte desses prédios que estão fechados, totalmente ociosos e criou leitos de Unidade de Cuidados Prolongados. Não é internação social, é internação de saúde, não pode passar de 90 dias, mas desafoga os grandes hospitais de Ribeirão Preto, de Franca, de Ituverava... Desafoga os grandes hospitais, então paciente que teve AVC, ele precisa de um tempo maior para se recuperar, grandes traumas, pós cirúrgico, pacientes idosos precisam ter recuperação... Então uma Unidade de Cuidados Prolongados, pode ficar um mês porque não tem condição as vezes de ir para casa e também num grande hospital, está tirando a vaga de pacientes que precisariam de UTI, cirurgia, atendimentos mais complexos. Abrimos 22 vagas em Pedregulhos e 20 vagas em Ipuã. Médico, enfermeiro, técnico de enfermagem, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional, psicólogo, assistente social, enfim, equipe completinha, completinha. Impressionante a satisfação! E novinho. Pegamos aquele prédio antigo, metade da Santa Casa e deixamos no padrão espetacular! Dois leitos cada enfermaria, um trabalho muito bonito, sucesso total, nós vamos agora replicar este modelo. Claro que 90% vai ser idoso, mas não só idosos, tinha lá um paciente com 40 anos de idade que chegou lá com fraldão, com sonda intrauretral e sem andar. Já tinha tirado a sonda, tirado a fralda e já estava começando a andar: trabalho realmente bonito! Parabéns ao professor Giovanni! Eu acho que nós vamos dar um grande passo no sentido da humanização, do atendimento para idosos, pessoas que precisam e aproveitando prédios totalmente ociosos. O nosso problema não é prédio, nosso problema é time, é equipe, é gente e gente bem preparada para podermos avançarmos. Aliás aqui é uma escola, aliás eu me sinto feliz aqui porque sou dessa escola, fiquei um ano na rua Diderot com a Dra. Margarida trabalhando lá, fazendo acupuntura lá na fisiatria. E a Linamara é chefa dura, viu? 07h00, eu tinha que chegar 06h45. Eu começava as 07h00 mas 06h45 eu tinha que estar lá! Mas aprendi, aprendi muito, isso aqui é uma escola de formação de profissionais. E saúde não é só médico, saúde são equipes. hoje ninguém sabe tudo e ninguém trabalha sozinho, são equipes multiprofissionais que trabalham integradas para atender bem o paciente. Mas quero deixar aqui um grande abraço, cumprimentar a Linamara, hoje a Rede Lucy Montoro já são 15 unidades, vamos ter mais duas agora para inaugurar nos próximos dias; quero cumprimentar também a Silvana Guarnieri, vice prefeita de Diadema, que está aqui conosco, aliás vamos levar para Diadema também a rede Lucy Montoro para atender lá o ABC, também é um referência importante! Mas a minha palavra é de agradecimento aqui ao Dr. Guedes; à Dra. Linamara; ao Dr. Giovanni, à Dra. Margaria e a quem vai comandar esse time craque aqui que é a Flávia, não é? Flávio e a Verônica. O Flávio e a Verônica. E deixar um grande abraço! Aqui só tem craque, é todo mundo Neymar, não é? Esse aqui é um centro de excelência, não é, Pellegrini? O centro de excelência para servir as pessoas. Tolstoi dizia que a verdadeira vocação de cada homem e de cada mulher é servir as pessoas. Se todo dia puder fazer uma coisa para ajudar quem... E servir quem mais precisa, servir aquele que mais precisa. E ninguém que precise mais do que aquele que tem dificuldade de saúde, não é? Esse é um dom de Deus, maravilhoso, que é a vida que a gente tem que todo dia preservá-lo, não é? Eu passei um dia desses em Paraibuna - eu gosto de tomar um cafezinho no boteco e tal - e saindo de Paraibuna para pegar a Tamoios, ali, que nós estamos duplicando a Rodovia Tamoios, ligando São José dos Campos à Caraguatatuba, aí parei ali, no Leite da Vaca Preta, tomei um café e quando eu saí dei de cara com o cemitério. Aí estava escrito assim no portão: “Nós que aqui estamos por vós esperamos.”

[RISOS]

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Pode esperar um pouco mais, não é? Ninguém tem pressa! Bom trabalho a todos! Capital