Discurso - Lu Alckmin - Inauguração do Polo Regional da Escola de Moda – ASBEM - 20121809

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição do discurso da primeira dama, Lu Alckmin, na Inauguração do Polo Regional da Escola de Moda – ASBEM

Local: Capital - Data: 18/09/2012

LU ALCKMIN, PRESIDENTE DO FUNDO SOCIAL/SP: [ininteligível] Regional da escola de moda aqui da capital. Hoje nós estamos inaugurando aqui o 9º polo, é o primeiro da zona norte, à tarde eu vou inaugurar o 9º da zona leste né, então hoje inteirando dez polos regionais da escola de moda e contar pra vocês que quando eu assumi o Fundo Social pela primeira vez, em 2001 até 2006, quando o meu marido Geraldo Alckmin foi eleito governador de São Paulo. Eu lembro que no ano de 2000 andando aqui pela zona leste de São Paulo e conversando com mulheres muito carentes elas me falaram que tinham fome e que queriam comer pão. Então em 2001 quando eu assumi o Fundo Social, eu comecei as padarias artesanais, eu não sei se vocês conhecem, conhecem esse projeto né? Fez o curso? Então, de 2001 até 2006 nós implantamos mais de nove mil padarias artesanais, em 645 municípios do Estado de São Paulo, em duas mil e quinhentas entidades aqui na capital, são muitas entidades que desenvolvem o trabalho social, foi um sucesso muito grande. E quando Deus nos deu novamente a oportunidade o ano passado do Geraldo voltar a ser governador do Estado de São Paulo, e por ele ser governador eu tenho a oportunidade de ser voluntária e presidir o Fundo Social que é um trabalho que eu amo fazer. Eu sempre digo, Deus me deu tudo né e o mínimo que eu tenho que fazer é ajudar o meu semelhante e quando a gente ajuda o próximo o maior beneficiado somos nós mesmos né, vocês não podem imaginar a alegria minha de estar inaugurando estes polos, de estar em contato com vocês, de poder ver o que vocês estão fazendo, resgatando muito a dignidade de muitas de vocês, às vezes pessoas que têm depressão, às vezes pessoas que...outro dia eu estava na Vila Jacuí, aqui pro lado de São Miguel Paulista inaugurando um polo e uma moça, uma senhora me disse "ah eu comecei a fazer ao curso, não sei ler nem escrever, achei que não seria capaz”; e ela fazendo roupas perfeitas, maravilhosas. Por quê? Porque nós desenvolvemos uma técnica, que até uma pessoa que não sabe ler e escrever consegue fazer, não é? Consegue aprender, consegue costurar, e daí ela falou: “Agora eu vou querer estudar”. Então ela viu que ela é capaz, porque Deus deu inteligência a todos nós, ninguém é diferente, só que uns tiveram oportunidade e outros não, e através do Fundo Social, nós procuramos dar oportunidades, não é? O nosso trabalho é social, para ajudar os nossos semelhantes. Então eu fico muito feliz de estar aqui, dizer para vocês que no ano de 2010, quando o Geraldo foi candidato a governador, eu novamente saí pela periferia para ouvir a população e perguntar o que eu posso fazer para ajudar. Da outra vez elas me falaram que queriam pão, não é? E a gente continua esse projeto até hoje, não é? Daí dessa vez foi aqui na Zona Norte, na campanha, eu conversando com mulheres muito carentes e eles me falaram: “D. Lu, a mulher depois dos 40 anos não consegue emprego”. Eu pensei: “Como eu posso ajudar?”. E aí conversando com estilistas, com empresários eles me falaram que está faltando costureiras no estado de São Paulo, não é? Aí comecei o ano passado em abril, eu assumi em janeiro e só começamos o curso no Fundo Social em abril, porque nós quisemos desenvolver um projeto, uma técnica em que a gente pudesse ensinar a quem soubesse ler, quem estivesse desempregado, quem não soubesse ler, quem não soubesse escrever. Então, por isso que demorou um pouco, porque a gente já deu mil técnicos para desenvolver isso que vocês estão aprendendo. E aí começamos em abril. Lá no Fundo Social o curso é de dois meses, três horas por dia, tem curso de manhã, tem curso à tarde. Nós abrimos, começamos lá na sede do Fundo Social que é no Parque da Água Branca, mas foi um sucesso tão grande que as primeiras-damas e presidentes de Fundos Municipais com quem eu trabalho nos municípios, que são as mulheres dos prefeitos, e eu trabalho com 644 municípios através das esposas dos prefeitos, que como eu, também são voluntárias. Daí elas falaram: “Ah, é difícil a gente mandar pessoas para São Paulo para se capacitar”. Então, a senhora não quer ensinar a gente no interior?”. Então, nós fizemos um convênio com 28 municípios do estado de São Paulo, e aí pensamos: “Vamos fazer na capital, aonde tem o maior número de pessoas”. Então, são 28 polos na capital e 28 polos no interior. Então, no primeiro semestre eu inaugurei 28 polos no interior, viajei pelo interior do estado de São Paulo, esses 28 polos regionais do interior estão se distribuindo no mapa do estado de São Paulo nas cidades mais carentes e as mais pobres, justamente para as cidades grandes terem que ir na pequena para ajudar no desenvolvimento das cidades pequenas. Têm sido um sucesso. Desses 28 polos do interior, 119 cidades já são escolas de moda, então esses polos é para capacitar a população da cidade e as cidades do entorno poder mandar duas costureiras, como é feito aqui. Para isso, capacitar lá e ensinar a técnica na sua cidade. Quando manda a costureira ir lá e eles pagam a costureira, e tem…



LU ALCKMIN: Então eles ganham as máquinas de costura e tecidos para também começar uma escola de moda naquela cidade. E agora, no segundo semestre, vou inaugurar 28 polos aqui na capital. E hoje estou inaugurando agora de manhã um 9º polo regional da escola de moda da capital e à tarde o 10º que vai ser então como eu disse aqui do lado, na Cangaíba. Mas então dizer da minha alegria, eu acho que eu já falei demais, mas eu estou muito feliz de estar aqui com vocês e de ver no rostinho de vocês que vocês estão felizes. Mas agora eu quero ouvir um pouquinho de vocês, não é, vocês contarem desse trabalho tão lindo, não é? Não é, Dona Terezinha?


DONA TEREZINHA: Isso mesmo.


LU ALCKMIN: É muito bom estar aqui com a Dona Terezinha, Sr. Luiz, eu sei que a gente está tendo um trabalho imenso, ele que trabalha com crianças, três creches, ele trabalha com idosos e agora com adultos, adultos e jovens que vão poder fazer e estão podendo fazer esse curso aqui de corte e costura. Alguém quer contar alguma coisa?