Discurso - Microbacias 20131706

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Microbacias

Local: Capital - Data:17/06/2013

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia a todas e a todos. Quero cumprimentar a Dra. Mônica Bergamaschi, secretária do estado de agricultura e abastecimento, os nossos deputados, o Dilador Borges e o Itamar Borges, falou em nome da assembleia, Dr. José Carlos Rossetti, diretor da CATI, Dr. Orlando Melo de Castro, coordenador da Apta, Dr. Cleiton Gentili, coordenador da Codeagro, prefeito Juquiá, o Merce, prefeito de Brejo Alegre, o Adriano Elias, o Dr. Gino Francescutti, economista da organização das nações unidas pra alimentação e agricultura, Américo Utumi, saudando aqui a aliança cooperativa internacional, autor do sistema cooperativista, o Rico Barreto, presidente da cooperativa de laticínios de Avaré, e quero cumprimentar aqui todas às cooperativas e cooperados. O Luiz Carlos Lima, presidente da associação Nova União do assentamento Simão Bolívar, em nome de quem quero cumprimentar aqui todos os assentados, agricultura familiar, secretários municipais, vereadores, lideranças, produtores rurais, é uma grande alegria, viu, hoje meu pai, lá de cima, está felicíssimo. Meu pai era veterinário, funcionário público, trabalhava na secretaria da agricultura, e a paixão dele era apoiar o pequeno agricultor, melhorar a sua renda. Nós fizemos o programa microbacias 1, foram 105 milhões de dólares, meio que da porteira pra dentro, né, então foi solo, recuperar solo, terraciamento, curva de nível, mata auxiliar, recuperação de várzeas, estradas, enfim, e o microbacias 2 é mercado, acesso à mercado. O nosso desáfio é melhorar a renda do nosso agricultor, da ele uma renda melhor. Então hoje são 17 milhões, e não é dinheiro emprestado, é de graça, não precisa pagar nada, é um programa especifico para associações e cooperativas, e voltado ao pequeno agricultor pra melhorar a sua renda e estimular associativismo e o cooperativismo. Então nós temos aqui, eu estava vendo aqui a cooperativa de Avaré, o projeto de um milhão trezentos e dezoito mil, a nossa parte é metade, 659 mil, a contra partida da cooperativa outros 659 mil, reforma de unidade de fabricação de queijo, bebida láctea, iogurte, manteiga, requeijão, caldeira de vapor, equipamentos, prensa pneumática, selador à vácuo, fatiador, embaladeira, enfim, um conjunto de medidas importantes para agregar valor no leite, esse produto maravilhoso. E de outro lado, pra dar outro exemplo, a associação nova união do assentamento Simão Bolívar, o valor do projeto 290 mil, sendo 196 mil do microbacias 2, e contra partida da associação 94 mil. Caminhão baú, caixas plásticas para transporte, balança eletrônica, tela plástica, balança elétrica, enfim, equipamentos importantes também. Então a gente fica muito feliz, nós temos aí já o terceiro lote, né, o terceiro já sendo analisado, só hoje 17 milhões. Queria dizer também aos prefeitos e aos deputados que tem mais 40 milhões só pra melhorar a estrada rural, então aí não é... Não é melhor caminho, é além do melhor caminho. Então vamos dizer, a gente pega, Adilson, R$ 350 mil, prefeitura entra com 10% e nós entramos com 90%, passamos o dinheiro para o município e ele faz o trabalho, ele é quem organiza, mas nós pagamos 90%, além do melhor caminho, e além do programa das [ininteligível]. Nosso companheiro lá de [ininteligível], o Luiz Carlos, né, o Luiz Carlos Lima, tem uma memória boa, lembrou que nós tivemos lá em [ininteligível] a rodovia do churrasco, não foi isso Luiz Carlos? E eu quando cheguei lá perguntei “a carne aqui é forte, a pecuária de corte, né, muito boi?” “não, não” “então porque que aqui é rodovia do churrasco?” “não, é que a estrada foi prometida cinco vezes, e cada vez que era prometida a turma fazia um churrasco, né”, ficou a rodovia do... Nós não prometemos, mas fizemos, né? A estrada está pronta. Mas deixar um grande abraço, e eu sempre gostei de atividade rural. Meu pai dizia que o contato com a natureza aproxima o homem de Deus. E como o meu sitiozinho lá só tinha 12 hectares, então eu gostava de Jersey, né, vaquinha pequenininha, e aí foi um caso engraçado, Mônica, porque tinha um vizinho, o José Ernesto Salgado, meu compadre, que tinha gado holandês puro, animais importados do Canadá, Estados Unidos, fazia transplante de embrião, e o tourinho Jersey pulou a cerca e crau na vaca, o chifre do compadre, né? E aí deu uma... O compadre foi lá reclamar né, ele falou “o compadre, esse negócio de criar Jersey é quem não tem competência pra criar holandês e tem vergonha de criar cabrito”. Mas o fato é que o Jersey, olha, está subindo, né, porque é um animal... É uma excelente opção para a pequena propriedade, né? Material sólido maior, conversão boa, [ininteligível] gasto, o [ininteligível], né, perfeito, você quer corrigir [ininteligível] pode por o Jersey que ele sabe como corrigi, né? Então é uma bela opção. Mas eu quero trazer um grande abraço a vocês, e da alegria de recebe-los aqui, que estimulem aí novas associações, novas cooperativas, nós precisamos fortalecer o cooperativismo como uma alternativa econômica pra dar escala, pra poder competir no mercado de trabalho, o associativismo, as associações pra gente poder fazer ainda mais em beneficio da população de São Paulo, estão todos convidados aí para um café, muito obrigado.