Discurso - Parada Gay 20130206

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Parada Gay

Local: Capital - Data:02/06/2013

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Diz que aparelho de som é igual gerente de banco, quando a gente mais precisa ele falha. Cumprimentar o Fernando Quaresma; o prefeito Fernando Haddad; a ministra Marta Suplicy; o deputado federal Jean Wyllys; deputado Ramalho da Construção. Embaixador da Bélgica [ininteligível]; secretário da justiça, Luiz Arruda; cultura, Marcelo Araújo; Fernando César Ferreiro, representando [ininteligível]; Rogério [ininteligível], secretário; Diego Pila, da Petrobrás; o Julian Rodrigues, coordenador de políticas LGBT. O Gustavo Bernardo, da presidência da república; o Ítalo Cardoso da SPTURIS, amigas e amigos. Dizer da alegria de estarmos juntos hoje aqui nessa grande parada, 17ª, foi 1996, 97, 1997. Você disse que a injustiça é cometida contra um cidadão, ou cidadã, é uma ameaça a toda a sociedade. Então, extrapola né, essa luta por direitos humanos, direitos civis, ela é fundamental, e São Paulo tem um compromisso com os direitos humanos. Em 2001, nós fomos o primeiro estado brasileiro a criminalizar a homofobia com a Lei 10.948, depois criamos o DECRAD, que é a Delegacia de Combates a Crimes Raciais de Delitos, de intolerância, de qualquer tipo de intolerância. Fomos o primeiro estado a estabelecer um ambulatório, na Vila Mariana, específico para travestis, transexuais; fomos o primeiro da América Latina a fazer o Museu da Diversidade. Aliás, queria convida-los, uma belíssima exposição aqui no metrô República, uma exposição crisália, muito bonita. Como é que é o nome da artista? Madalena Schwartz. É uma fotógrafa importante, tem fotos da década de 70, período da repressão militar, muito bonita a exposição fotográfica. Ela está no Instituo Moreira Sales e nos cedeu, e foi feita a exposição lá no metrô República. Nós fomos o primeiro estado a regulamentar a resolução CNJ, do casamento civil igualitário. Enfim, quero aqui reiterar o compromisso do estado de São Paulo, e é o mesmo da cidade de São Paulo, uma cidade global, cosmopolita na defesa dos direitos humanos e dos direitos civis. E além do que é uma bela festa, né? Quinta-feira depois da inauguração da exposição, fui tomar café ali no centro, tinha gente do Brasil inteiro, o país inteiro, impressionante, inclusive do exterior também. Então, São Paulo que é uma cidade global, temos grandes eventos, e aqui é a terra da vanguarda, né, a vanguarda e a riqueza de São Paulo é essa diversidade. Parabéns! Boa Parada, parabéns pelo seu trabalho, Quaresma. Um grande abraço a todos.