Discurso - Sindicato dos Metalúrgicos 20131105

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Sindicato dos Metalúrgicos

Local: Capital - Data:11/05/2013

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: ...Alckmin, governador do estado de São Paulo!

>> APLAUSOS.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO:... Bom dia a todas e a todos! Estimado Cláudio Magrão, presidente da Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo, sua esposa Ângela, cumprimentando também todas as senhoras, todas as mulheres aqui presentes. Prefeito aqui de Itupeva, Ricardo Bocalon, prefeito da nossa grande Jundiaí, nosso caro prefeito Pedro Bigardi, deputado federal Paulinho, Paulo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical, Osvaldo Vergínio, deputado estadual João Batista Inocentini, presidente Nacional do Sindicato dos Aposentados, Ivan Torres, presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos e também do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo, um grande ajudante na luta da classe dos trabalhadores, o Ageu Henrique dos Santos, é uma alegria em revê-lo, meu amigo José Pirlo, ex-presidente aqui da federação, grande sindicalista do nosso Vale do Paraíba, do Cruzeiro, presidentes e diretores dos sindicatos, toda a família metalúrgica aqui presente, uma palavra breve. Aliás, isso é questão de muita citação humana, então o prefeito, não é nem o Ricardo e nem o Pedro Bigardi, mas o prefeito fazia muitas citações, isso é lá na Paraíba, quando o governador da época, o Ronaldo Cunha Lima, já faleceu, o pai do Cássio Correia Lima, o Ronaldo pré-saiu prefeito, senador, deputado, presidente, diretor, (ininteligível), e ele com pressa chegou e falou: “prefeito, duas citações: a autonomia processual, vamos ganhar tempo, você vai numa escola, professores e alunos, vai no hospital, profissionais da saúde e pacientes, vai num lugar que vai muita gente, senhoras e senhores, só duas”. Aí passaram uns dias e houve uma solenidade no cemitério municipal. Aí o tinha o secretário lá com (ininteligível) todas, o prefeito (ininteligível) “meus conterrâneos e meus subterrâneos”. Amigas e amigos, é uma alegria trazer um grande abraço aqui a federação, 70 anos de luta, né? Não é isso? Nada a gente consegue sem luta, nada vem com relação espontânea, é luta, é conquista, e a luta dos metalúrgicos renunciou toda a classe trabalhadora, foi a vanguarda da luta dos trabalhadores. São Paulo se confunde com o trabalho e os trabalhadores, e a Federação dos Metalúrgicos se confunde com a luta da classe trabalhadora de São Paulo. É uma alegria que eu venho trazer um grande abraço, o sofrimento nesses 70 anos da federação de São Paulo. Nosso estado está crescendo, nós crescemos acima da média do PIB brasileiro, estamos acima, noano passado o PIB do Brasil cresceu 0,9 e nós crescemos 1,3, o Brasil cresceu esse ano 3 e nós crescemos 3,5, nós sempre estamos crescendo acima da média. Acabou de ter a Agrishow, setor de máquinas foi recorde, tem fila lá pra comprar máquina agrícola, setor automobilístico, acabamos de inaugurar a Toyota, em Sorocaba tem 12 fábricas (ininteligível). A Hyundai em Piracicaba, a (ininteligível) está vivendo uma grande fábrica em Jundiaí, a (ininteligível) em Lorena, indústria ferroviária, fizemos uma encomenda só, Magrão, uma encomenda de 105 trens, cada trem tem oito carros, então são 840 carros por encomenda, indústria brasileira, (ininteligível) no Brasil. Então um setor importantíssimo da economia e do emprego em São Paulo. Mas o Paulinho chamou atenção pra uma questão, porque eu quero que cobra, uma fábrica, né, uma empresa que nós temos empregos e melhores salários, não só emprego, mas gerar emprego com salário melhor, esse é um desafio, ela vai prolongar porque tem uma mão de obra bem qualificada, nós temos os melhores recursos humanos, né, ensino técnico, tecnológico, Via Rápida, qualificação, sistemas de escola, Centro Paula Souza, do Senai. E logística nós temos as melhores estradas, aeroportos, portos, fechando Rodoanel Metropolitano, só faltam melhorar os índices [ininteligível] mas também o imposto, (ininteligível), então o que quê se fez pra evitar a guerra do sal, hoje tem duas alíquotas, 12 e sete, então você acertou, todo o mundo 4%, Brasil inteiro uma alíquota só, unificado, interestadual, de 4%, evita a guerra do sal, fica entre o fundo de compensação e o norte, nordeste e centro-oeste o fundo do desenvolvimento. O que quê o senado está votando terça-feira? Não uma, mas três alíquotas, quatro para o sul e sudeste, são as mais prejudicadas. Sete para o norte, nordeste e centro-oeste, e 12% pra Zona Franca de Manaus, quem entrou aqui viu uma grande terraplanagem, um centro de logística da (ininteligível). O que vai acontecer se isso for aprovado? Ir pra Zona Franca indústria de cosméticos, indústria química, autopeças, indústria eletrônico-eletrônica, tem 20 mil empregos no Paraná, tem 20 mil empregos em Santa Catarina, e o pior é que grande parte não vai pra Zona Franca, a gente vai é importar, nós vamos começar a importar mais produtos, importar mais produtos. Ontem eu entreguei 1.000 carros pra Polícia Civil, 1.000, 400 Hilux, todas fabricadas na Argentina, como é que pode, nós compramos, 400 carros pra polícia e a fábrica da Argentina tem benefício que a indústria brasileira não consegue competir, 400 HiLux fabricadas na Argentina. Então eu chamo atenção nós não podemos deixar votar essa reforma do ICMS, para, deixa pra 2015, está muito perto da eleição ano que vem, acaba o processo eleitoral contaminando esse debate, isso deve ser feito que longe de eleição e o melhor momento da gente brecar essa reforma do ICMS, deixar mais pra frente, no primeiro ano de um novo mandato, quem ganhou já ganhou, quem perdeu já perdeu, faz uma coisa que interessa ao Brasil, não a um estado ou a outro estado. Mas eu quero é deixar aqui meu compromisso com a família metalúrgica trabalhadora aqui do nosso Estado, abraçar aqui o Magrão, que preside dessa grande Federação, o Mário Covas disse, nós todos queremos ouvir o nosso presidente Magrão. E o Mário Covas me ensinou o seguinte: você nunca fure fila, interrompa partida de futebol e atrase churrasco né, nós queremos ouvir ao Magrão, parabéns a todos.