Discurso - Tratamento de esgoto em Bom Jesus dos Perdões 20130608

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Tratamento de esgoto em Bom Jesus dos Perdões

Local: Bom Jesus dos Perdões - Data:06/08/2013


GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Quase boa tarde! Antes quero cumprimentar a todas e a todos; nosso prefeito, o Eduardo Massei; o presidente da Câmara, nosso anfitrião aqui na Câmara Municipal, Paulo [ininteligível]; todos os vereadores e vereadoras do município; o Biel, vice-prefeito; deputado Edson Giriboni, secretário de Saneamento; os deputados Estaduais: a Célia Leão, o Beto Trípoli e o Edmir Chedid; o prefeito de Morungaba, de Vargem, Piracaia, Bragança, Joanópolis, Nazaré Paulista, Atibaia, Pedra Bela. Me falaram que o Dr. José Augusto, que é o diretor do fórum, da comarca, está aqui presente. então, queria saudá-lo e agradecer a sua presença; Dr. Alceu Segamarchi, superintendente do DAE, engenheiro Cid aqui da regional, do DAE; secretários municipais, lideranças aqui da comunidade, amigas e amigos! É uma grande alegria. Esse não é apenas o maior convênio, mas é o melhor convênio porque é Saúde; é Meio Ambiente; é preservar a vida; recuperar os rios, peixe, rio piscoso, turismo; tornar a região melhor. A gente fica muito feliz. São quase R$ 17 milhões. Não é empréstimo, é do orçamento do estado, não precisa pagar nada, é a fundo perdido. Recurso para a [ininteligível]...

[APLAUSOS]

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO:...que vai beneficiar toda a bacia aqui da região. O deputado Beto Trípoli, que é um ambientalista, deu uma aula ali dizendo: “Olha, o Atibainha, se une com o Cachoeira e forma o rio Atibaia; Aí o Atibaia se une com o Camanducaia e o Jaguari e forma o Piracicaba; E aí o Piracicaba desagua no Tietê. Então, toda a bacia vai ser beneficiada. E, se Deus quiser, Eduardo, ficando pronta aqui a estação, a hora que ela estiver em operação, a gente vem lançar os alevinos aí, os peixes nos rios aí. Que peixe que pega aqui na região? Que peixe que pesca?

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Barcelona!

[RISOS]

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Esse é um tema vetado!

[RISOS]

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Lambari, bagre, traíra, piaba... Daqui para frente é a história de pescador, não é? Mas todos aqui são admiradores do Peixe, então nós vamos caprichar para ter uma belíssima estação de tratamento de esgoto. Asfaltar rua, calçamento de rua é importante. Nós estamos liberando aí R$ 520 mil para comprar caminhão e fazer infraestrutura. Mas isso é administrar para o automóvel, administrar para o ser humano é água e qualidade. Água: abrir a torneira e poder tomar água, água de qualidade; coletar o esgoto, tirar de perto da casa das pessoas, porque a fossa contamina o poço, contamina solo, criança que põe a mão no chão, depois a mão na boca, acaba doente; e tratar o esgoto, para o efluente da estação voltar ao rio limpo, tratado. Então esse é o grande desafio. Eu estava assistindo o Globo Ecologia o mês passado e no Globo Ecologia tinha uma matéria dizendo que o Brasil no ritmo que está indo, vai universalizar o saneamento básico em 2193. São Paulo vai universalizar o saneamento básico, quer dizer, 100% de água tratada, 100% de esgoto coletado e 100% de esgoto tratado, nos municípios de responsabilidade do estado, 2014, o ano que vem. O litoral de São Paulo, 2016 e a Região Metropolitana de São Paulo, 2018, 2019. E nos municípios que não são operados pela Sabesp nós estamos ajudando, criamos esse programa chamado Água Limpa, onde a gente passa o dinheiro, assina o convênio e através do DAE executa aí as obras que vão ser importantes para a cidade, para o presente e para o futuro. Essa é uma obra histórica, não apenas pelo valor, mas também pelos seus objetivos. E Bom Jesus dos Perdões vai ser uma cidade 300%: 100% de água tratada, 100% de esgoto coletado, 100% de esgoto tratado. São poucas cidades no Brasil que vão ser 300%. Mas eu quero deixar um grande abraço, agradecer aqui ao Edson Giriboni, toda equipe da Secretaria lá, de Saneamento; o Alceu Segamarchi; o Cid, toda equipe aí do DAE; os nossos deputados: a Célia Leão que está lá na ponta, essa guerreira, essa mulher batalhadora. Muito obrigado, Célia, o seu trabalho. Agradecer ao Edmir Chedid, aqui da Bragantina, que hoje é aniversariante, está fazendo 22 anos... De mandato parlamentar!

[RISOS]

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Agradecer o deputado Beto Tricoli, também aqui da região, foi um grande prefeito, é um ótimo deputado. Todos os três têm nos ajudado muito lá na Assembleia, a gente não faz nada sozinho, faz em equipe, time, para poder trabalhar por São Paulo; agradecer aqui à Câmara dos Vereadores, Paulo, e agradecer aos vereadores a generosidade e a responsabilidade de me outorgar o título de Cidadão Perdoense. Muito obrigado! Eu fico muito honrado, muito feliz! Agradecer ao Eduardo e toda a sua equipe. E contem conosco para a gente trabalhar em benefício da população. Cumprimentar aqui os prefeitos e prefeitas aqui da região, e daqui a pouquinho, a gente está de volta aí para poder ter outros desafios. Nós estávamos conversando sobre emprego, o Papa João XXIII dizia que o Desenvolvimento é o novo nome da Paz. Então, nós temos que atuar nas várias frentes: De um lado, apoiar a agricultura, Melhor Caminho, crédito, compra de trator, equipamentos, tecnologia, seguro rural para o pequeno produtor, todo o apoio, as estradas, todo o apoio à agricultura. Depois, a indústria. Então, aqui que é um distrito industrial, nós vamos levar a marginal da Dom Pedro até o distrito. Hoje, para a nossa alegria, vai ser anunciado amanhã, mas já saiu ontem no jornal, nós vamos receber a 14ª indústria automobilística no estado de São Paulo. A Honda decidiu fazer um investimento de mais de R$ 1 bilhão. Nós inauguramos no ano passado, a Toyota, grande fábrica, com 14 indústrias; Inauguramos este ano, a Hyundai; Temos em construção a Chery, empresa chinesa, em Jacareí; Temos a Comil, indústria de ônibus. E agora a Honda anunciou a nova fábrica. Foi um ano de luta, uma disputa grande, primeiro para convencer a investir no Brasil, porque hoje a gente disputa com a Índia, com a China, com o México. O México é uma disputa muito forte porque o México é um país de custo mais baixo que o Brasil, Chile, Colômbia. E de outro lado, pra ficar em São Paulo, conseguimos dar as condições para a empresa decidir. Então todo apoio a indústria, atividade industrial, então a marginal aí na Dom Pedro. E serviços, serviços: Turismo, comércio, o turismo religioso. Em Pindamonhangaba, eu não tenho casa na cidade, só tenho casa no sitiozinho lá da família, que fica numa estrada chamada da Colmeia. Então há 30 anos atrás a minha família, que sempre viveu ali, tinha um botequinho, um barzinho, só cachacinha, não vendia mais nada, era uma portinha. Hoje a gente brinca que o chamado bar da Rosângela é o nosso shopping center, porque é um complexo, é impressionante o tamanho: Restaurante, hotel, hospedaria, local para cavalo, bar, supermercadinho, festa, pizzaria, negócio impressionante, o que ela emprega de gente! O que fez tudo isso? Só a romaria para Aparecida, ali é parada dos romeiros a cavalo. Então o pessoal chega ali no sábado de tardezinha, toma banho, faz um churrasco, o cavalo da uma descansada... Meia-noite, sai a tropa e vai para a primeira missa em Aparecida às 06h da manhã. Então o turismo vê... Aparecida, Aparecida tem 50 mil habitantes, tem menos até, tem 40 e poucos mil habitantes e recebe 11,5 milhões de romeiros por ano. Se tirasse o turismo religioso, acabava a rede de emprego. Então é importante a gente fortalecer o turismo, o setor de serviços também e a cidade poder receber bem as pessoas. Mas eu quero deixar um grande abraço e o nosso programa Creche-Escola, o Eduardo já viu os terrenos aí? Já escolheu os terrenos. Um, ele já escolheu, agora vai escolher o segundo terreno. Nós inauguramos essa semana passada, a primeira das mil creches que deverão ser entregues. Em Lençóis Paulista, mas é um espetáculo, o projeto! O projeto ficou super bonito! É o projeto é igual para todas, tem creche de 80 crianças até 130 crianças. E pode ter a creche e do lado, a EMEI. E hoje, está aprovado, nós lançamos um programa chamado Primeiríssima Infância, que é de 0 a 3 anos, porque quanto menorzinha a criança, mais cuidado precisa ter. Criança pequena é igual pessoa de idade: Você olha de manhã, está bem e de tarde está mal. Então precisa ter muita atenção, pessoas preparadas, cuidado, saúde. E também foi provado, às vezes você vê uma pessoa na idade adulta cometer coisas graves. E hoje a ciência mostra que a gente tem cicatrizes. Você cortou a mão não fica uma cicatriz? Fica. Um trauma muito grande na infância, fica uma cicatriz no? Cérebro. Então criança... Esses traumas emocionais, problemas de família, enfim, violência... Isso marca muito a criança, ela sofre muito. Então criança precisa ter essa fase do chamado Ensino Infantil, 0 a 5 anos: Muito carinho, muito apreço, cuidados, atenção... Então, embora pela Constituição Brasileira, até cinco anos seja responsabilidade da prefeitura, o estado começa depois dos seis anos, que é o Ensino Fundamental; Médio, depois dos 14 anos; e Superior Técnico, Tecnológico e Superior, nós vamos ajudar as prefeituras. Nossa meta é por aí, mais de R$ 1 bilhão para a prefeitura poder ter as melhores creches e o estado de São Paulo ser de novo, o primeiro... o primeiro no Ensino Infantil. Acabou de ser publicado pelo PNUD, da ONU, o IDH, o Índice de Desenvolvimento Humano. Ele mede três coisas principais: Educação, Saúde e Renda. Educação, Saúde e Renda. O estado de São Paulo era, há 10 anos atrás, o segundo melhor estado brasileiro. Nós estávamos atrás de Santa Catarina. E agora nós somos o primeiro, passamos Santa Catarina. E um dos setores que nós mais avançamos foi a Educação. E o Ensino Infantil vai possibilitar a gente avançar ainda mais. Mas quero deixar um grande abraço para vocês. Dizer a alegria de estar aqui em Bom Jesus dos Perdões. Nós fizemos questão de vir no primeiro centenário, que é uma dúvida se no segundo centenário nós vamos poder vir, não é?

[RISOS]

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Mas o fato é que a gora a curva é para cima e para o alto, não é? No império romano, as pessoas viviam 25 anos de idade; O Brasil, na década de 40, as pessoas viviam 43 anos de idade, a expectativa de vida média, porque morria muita criança; Hoje é 73. São Paulo, 75. Se passar dos 30, como nós, vai para mais de 80, em média. E a curva está subindo. Se morar em Bom Jesus dos Perdões, vai passar dos 100...

[RISOS]

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: E as mulheres não morrerão mais!

[APLAUSOS]