Discurso - Visita à Santa Casa 20130310

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Visita à Santa Casa

Local: Capital - Data:03/10/2013

Governador: Muito bom dia a todas e a todos, eu quero dizer da alegria de rever e reencontrar o governador Laudo Natel, eu em todas as viagens que faço alguém me conta uma história, boa do governador Laudo Natel, a ultima foi Cordeirópolis o governador em uma sexta-feira, (inelegível), foi lá de improviso inaugurar um centro de saúde foi num opala, ele e o motorista parou na prefeitura, foi lá prefeito não estava, aí quem contou isto foi um assessor do prefeito que era funcionário jovenzinho, aí o governador não teve dúvida pego o rapaz e falou vamos lá nós dois inaugurar o centro de saúde chegaram no centro de saúde já eram umas seis horas da tarde sexta-feira e todo mundo já tinha ido embora e centro de saúde fechado aí ele virou pro rapaz e falou: “declaro inaugurado o centro de saúde”, entrou no opala e foi embora, é uma alegria rever o grande governador Laudo Natel, Doutor Kalil Rocha Abdalla nosso provedor da Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, Professor David Uip secretário de estado de saúde, Doutor Andrea Calabi secretário de estado da fazenda, deputados médicos, Doutor Salim (Inelegível), Doutor Carlos Alberto Bezerra Jr, nosso ex-presidente da Assembleia Legislativa deputado Tonico Ramos, Mario Covas Neto vereador da capital, Doutor Milton Luis de Melo Santos presidente da Desenvolve São Paulo, Alencar Purti presidente do Conselho Deliberativo do SEBRAE, (inelegível), doutor Kallil e metade de Tatuí de olho na outra metade, Doutor Antonio Carlos Fortes superintendente da Santa Casa de São Paulo, Pedro Guimarães presidente da Associação Casa Fonte de Vida mantenedora do Hospital São Francisco de Assis de Jacareí, corpo clinico, os colegas todos profissionais da saúde, corpo administrativo, professores aqui da faculdade, amigas e amigos, eu quero dizer que é uma grande alegria doutor Kalil, eu até sempre (inelegível), para confirmar que depois do resultado do jogo de ontem a noite eu não sabia se estava mantido ou não a inauguração mais, mais eu queira dizer o seguinte nós hoje estamos aqui e temos três tarefas uma é triste mais necessária as Santas Casas estão endividadas se a gente pegar o conjunto dos hospitais que atendem o SUS estão endividadas porque atendem o Sistema Único de Saúde dá 15 bilhões a divida das Santas Casas todas do Brasil, então algumas devendo em bancos pagando mais de 20% ou 24% de juros ao ano então nós resolvemos aqui em São Paulo a Agência Desenvolve São Paulo assumir está divida e subsidiar os juros então a Agencia já assinou com a Santa Casa de Marília, não é, Marília e Porto Ferreira, 11 milhões agora, agora Santa Casa o hospital de Jacareí, quantos milhões? 19 milhões. E ai o juros será de 6,5%, é isso, 6,5 praticamente a inflação, ou seja, o governo absorve nós pagamos subsidiamos a taxa de juros não vamos resolver o problema mais diminui o agravamento da divida vai numa escala geométrica então estanca ao menos essa sangria nós estamos colocando ai mais de 10 milhões do orçamento para equalizar a taxa de juros num patamar mais baixo, a segunda razão e vamos fazer com as demais Santas Casas, a segunda razão é inaugurar a reforma não é a nova unidade, eu entendo que o pais, o nosso estado nós precisamos de instituições não é que as pessoas passam, as instituições são permanentes a serviço da sociedade das pessoas, está é uma das dessas instituições a Santa Casa de Misericórdia herança lusitana do século XVI e entre as Santas Casas e Hospitais Beneficentes a Santa Casa de São Paulo é o nosso grande orgulho justo, 1560 então a Santa casa não está atendendo desde de ontem mais há quatro séculos e meio atendendo, ainda hoje eu lembrava da roda da vida não é isso, a roda da vida também no passado, as mamães que eram mamães solteiras tinham grandes dificuldades na época com preconceitos e deixavam as crianças naquela porta de batiam o sino e as freiras recolhiam o (inelegível).

Locutor desconhecido: (Inelegível)

Governador: Registrado aqui 4.696 (inelegível), foram cridas, uma instituição secular (inelegível), e por lado este prédio aqui é de 1884 a medicina mudou as casas de antigamente uma casa podia ter três quartos, quatro quartos, cinco quartos, mais o banheiro era um só não é, então mudou a casa moderna eu vejo ai de gente rica é dois banheiros para um quarto, o marido tem um banheiro e a mulher tem outro mudou, então essa reforma foi muito boa agora banheiro todas as enfermarias não é mais no corredor modernizado de acordo com a vigilância sanitária enfim tudo moderno foram 6,2 milhões Santa Casa faz rápido e bem feito, então é uma alegria entregar e ao mesmo tempo o doutor Kalil manda David um e-mail que no e-mail ele convida e já visa que ara uma facada, e ele (inelegível) que a facada vai ser dentro do hospital, mais nós vamos liberar os seus 5 milhões ai para a faculdade de medicina.

Aplausos

Governador: Nós precisamos não só de médicos não é, mas de bons médicos a medicina não é neutra, aumentou muitos as chamadas doenças (inelegível) quer dizer doenças ocasionadas pelas próprias intervenção se ela não for bem feita, eu sai da faculdade de medicina e fui fazer residência no Hospital do Servidor Estadual, então no começinho anestesia primeira semana o professor o professor Dubie e tinha um menino de minas colega nosso já médicos não é todos nós e ele na primeira cirurgia, professor e se cair a pressão? O professor falou (inelegível), professor e se cair a freqüência cardíaca? Bati cardíaco isto é atropelismo tal, professor e ele foi perguntando, e se ele tiver uma arritmia cardíaca professor? Quando chegou na décima pergunta e eu vendo que o Dubie estava ficando irritado, a e se acontecer isso? Aí você chama um médico viu.

DISCURSO 2

Governador: Então na realidade nós precisamos, e está disse bem o doutor Kalil, é uma faculdade de medicina de ponta é isto que nós temos que oferecer para a população não só serviço é serviço de qualidade, qualidade coisa bem feita e séria para as pessoas então o dinheiro vai ser muito bem aplicado e nós vamos também liberar para você fazer mais uma reforma já mais uma enfermaria depois no comecinho do ano a gente vê se raspa o fundo do tacho lá e consegue faltam quatro não é, então vamos liberar hoje mais uma e depois nós vamos correr para poder ajudar nas demais, mais eu quero dizer da alegria de vir aqui hoje a Santa Casa a gente fica feliz não é quando vem aqui na Santa Casa e tem esta ferramenta essa oportunidade de poder ser parceiro de uma instituição com história, com a qualidade, com o trabalho aqui da Santa Casa de São Paulo, de outro lado que queria agradecer o doutor Davi Uip porque eu acho que ele está no rumo certo, não é, ele ontem visitou o Hospital Geral de Taipas e não é uma visita assim festiva , no sentido de festa mas no sentido de verificar os problemas então vai com uma equipe enquanto ele está passando visita nos pacientes lá com os médicos vendo, enxergando, uma equipe está na nutrição, outra está na lavanderia, outra está na parte de maquinas, a outra está na parte tecnológica, a outra está nas finanças, a outra está nos recursos humanos, vai com uma equipe completa para a gente passar um pente fino nos nossos hospitais especialmente os que não são OS que são administração direta para a gente poder melhorar, um dia desses ele foi no Hospital de Sapopemba e contou que depois reúne com a comunidade com os maiores interessados que é a comunidade local, ai depois que ficou horas e horas lá no Hospital de Sapopemba reuniu lá e foi ouvir a comunidade, ai uma senhora falou olha quando este hospital foi ser construído 40 anos atrás eu foi uma que estava aqui do lado para não deixar roubarem o material de construção, o pessoal roubava os materiais de construção, então o pessoal roubava o material de construção, então nós nos organizamos para não deixar roubar para poder sair mais rápido o hospital, aí o Davi falou olha ai eu aprendi quem era efetivamente o dono do hospital, a dona do hospital era ela não é que não deixou que lutou há 40 anos para não deixar roubarem o material de construção para erguer o hospital, então é isso ai Davi é estar junto do povo, junto das pessoas, junto dos colegas da área de saúde, trabalho com setor público não é fácil a gente apanha todo dia, então é preciso estar ouvindo, dialogando, estimulando, não é, estimulando, para o pessoal suar a camisa o melhor possível dar exemplos, não é, a nossa área de saúde precisa gostar de gente, precisa ter paciência, precisa estar muito perto, precisa ouvir bastante mais eu tenho certeza que nós vamos avançar, os indicadores de saúde são cada vez melhores, mortalidade infantil em São Paulo é 11, a maioria dos municípios é um digito é quase a Europa, expectativa de vida média aqui era 43 anos no Brasil há 80 anos hoje é 75 subindo quem passa dos 30 já é mais de oitenta, mais de oitenta um espetáculo e com qualidade de vida então nós estamos avançando São Paulo está na ponta da tecnologia nós atendemos a cada 15 minutos um paciente de fora de São Paulo e não somos remunerados por isso e não vem gripe para cá só vem caso mais difícil, outro dia desses eu estava no Incor um paciente casa na UTI então ele ia fazer um transplante de coração gostava já da moça vivia com ela a um certo tempo achou que a cirurgia era de auto risco quis casar, casou na UTI, e eu um dia desses falei eu queria dar um abraço no recém casado não ele já foi embora para Minas Gerais ta ótimo jogando bola, então fantástico não é, outro dia desses eu vi uma matéria na televisão duas xifópagas, unidas não é geralmente você salva uma e perde a outra as duas foram salvas, ai agora tem outro caso de xifópagas em Alagoas então as crianças do Ceara os pais a televisão pegou os pais pois em um avião e levou lá para visitar a outra família para dar força, dizendo olha as duas crianças estão correndo ai, ótimas, correndo, brincando, e operadas aqui em São Paulo, eu fui ontem lá no AME de Heliópolis porque nós estamos abrindo agora 10 AMES todo sábado funcionava de segunda a sexta nos vamos abrir das sete da manhã ás cinco da tarde, seis da tarde, todo sábado permanentemente os AMES o AME de Heliópolis além de tudo que um hospital tem ele tem no AME, ressonância magnética, tomografia computadorizada, e pet scan é impressionante o parque tecnológico moderníssimo agora o grande problema é financiamento quer dizer realmente a medicina ficou mais cara, a população envelheceu, os procedimentos são mais complexos e precisa ter financiamento o dinheiro dos impostos no Brasil dois terços ficam em Brasília, dois terços, e um terço distribui para o estados e municípios nós somos a parte mais fraca, a parte mais forte não corrige a tabela vai saindo do financiamento, então tem um grande problema de financiamento, mas enfim, nos cabe é resolver problemas e aqui em São Paulo nós estamos suando a camisa ai e de outro lado ter bons parceiros, bons parceiros nesse trabalho o melhores parceiros são os Hospitais Beneficentes e as Santas Casas alias a última vez que fui a Avaré estive lá na Santa Casa de Avaré que é um (inelegível), é um anjo da guarda ai da região, mas eu quero é deixar um grande abraço e dizer da alegria doutor Kalil de voltar aqui a Santa Casa conte conosco, parabéns a todos. Capital