Discurso - Visita à Santa Casa e anúncio da implantação do Poupatempo de Avaré e investimentos do Dade 2013 20132006

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Discurso - Visita à Santa Casa e anúncio da implantação do Poupatempo de Avaré e investimentos do Dade

Local: Avaré - Data:20/06/2013


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Ele, que tem vários eventos hoje aqui na nossa região e muito nos alegra com a sua presença, o governador Geraldo Alckmin!

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom dia! Bom dia a todas e a todos! Quero cumprimentar o prefeito anfitrião, o prefeito de Avaré, o Paulo Novaes; o Gato, vice-prefeito; secretários de estado; deputado David Zaia, secretário de Gestão Pública; o Edson Giriboni, secretário de Saneamento de Recursos Hídricos; o prefeito de São Manoel, Marcos Monti; de Pratânia, o Roque; de Itatinga, o Paulo; de Itaí, a Célia; de Paranapanema, o Dr. Márcio; de Cerqueira César, o José Rosseto; o Dr. Miguel Chibani, secretário Municipal de Saúde, saudando aqui todos os secretários do município. O Arnaldo Galo, nosso provedor da Santa Casa de Misericórdia; major Fábio Ximenes; a Dra. Dorothy Vieira Alves Ferreira, diretora de saúde da nossa regional; Vladimir Ferro, diretor da Prodesp, que deve instalar aqui o Poupa Tempo. Cumprimentar aqui o Cláudio Salomão; os vereadores; o corpo clínico e administrativo aqui do hospital; o grupo de voluntárias, saudando com muito carinho as nossas voluntárias; Associação Beneficente Oncológica de Voluntários de Avaré; amigas e amigos! Eu sempre que tenho oportunidade, eu venho à Avaré, gosto aqui desse município, viu? Se eu fosse mais jovem eu ia ser médico aqui! Hoje nós vamos a Sarutaiá para assinar um convênio para uma ponte que caiu na época do verão; à Timburi, começar uma nova estação de tratamento de esgoto, emissários, redes coletoras; Manduri, nós vamos assinar lá em Timburi, o projeto “Água Limpa”. Um dia desses eu vi o Globo Ecologia, Dr. Paulo Novaes, e ele mostrava que o Brasil no ritmo que vai, ele vai universalizar o saneamento básico, ou seja, ter 100% de água tratada, 100% de esgoto coletado e 100% de esgoto tratado - para não poluir os rios - em 2.187. São Paulo, no estado de São Paulo, nós vamos universalizar o saneamento no interior de São Paulo, nos municípios operados pela Sabesp, em 2014, até dezembro do ano que vem, universalizar o litoral de São Paulo em 2016 e a região metropolitana de São Paulo 2019, em quatro ou cinco anos nós estamos com o estado - o primeiro do país - universalizado o saneamento. E onde não é Sabesp, no caso aqui de Manduri, nós estamos indo, município por município, fazendo o “Água Limpa”, a gente transfere dinheiro para a prefeitura, para poder fazer o tratamento de esgoto. E lançamos um programa novo, está aqui o Giriboni, que foi um dos idealizadores, que se chama “Se liga na rede”, porque, às vezes, você faz a rede na rua, no bairro, faz a estação de tratamento, faz o emissário, faz elevatório, mas a pessoa não liga a rede de esgoto porque não tem R$ 1.800 para pagar pedreiro, pagar material... Então não liga porque não tem recurso. Então nós estamos com uma equipe: Vai casa por casa, os agentes de saneamento, põem lá o corante no vaso sanitário, dá descarga, vê se está ligado ou não na rede, se não estiver ligado na rede e a pessoa ganhar até três salários mínimos, nós fazemos de graça. O governo paga 80% e a Sabesp 20%, já liga direto. Numa casa só em São Paulo, lá no Grajaú, fizemos seis ligações, era um terreno só, tinha duas casas na frente, duas em cima e duas no fundo. Só ali nós fizemos seis ligações. Então nós queremos despoluir os rios, as represas, recuperar o meio ambiente. Todos nós somos torcedores do Peixe, não é isso? E a grande alegria... Depois vamos à Fartura, nós vamos começar a obra, são 56 milhões da SP 249. Fartura, Taguaí e Taguarituba, recapeamento, acostamento, obras de arte, sinalização, rotatória. 56 milhões, então a obra começa já hoje e deve ficar pronta em 12 meses. E aqui em Avaré, é uma grande alegria, o ano que vem, a Santa Casa, ela é de 1904, não é isso? Então ano que vem, vai completar 100 anos, a primeira Santa Casa do Brasil é de Santos, é 1.543. Brás Cubas, é a primeira do Brasil. A Santa Casa da minha cidade vai fazer agora no fim do ano, 150 anos e as Santas Casas que seguram a peteca, porque ninguém mais quer atender o SUS, a tabela não é corrigida há quase 10 anos, se atende, cobre 60% do custo e tem 40% do prejuízo. Santa Casa de São Paulo hoje deve R$ 190 milhões em banco, todas as Santas Casas do Brasil chegaram a 15 bilhões de dívida, 15 bilhões. Foram punidas por atenderem quem precisa! Então, a população envelheceu, o que é muito bom, o Brasil que era um país jovem, hoje é um país maduro, caminha para ser um país idoso, o que é ótimo, a gente, eu vi o Fernando Henrique um dia desse, 82. Falou: “A vida começa aos 82”. Ainda está de namorada nova, não é? Está com tudo, não é? Então, mudou: A Medicina ficou muito cara, não é isso? Meu tempo, quando eu fiz Medicina não tinha ressonância, tomografia, não tinha nada disso! Então ficou muito cara. E o governo federal pondo cada vez menos dinheiro. Hoje quem está segurando a peteca são as prefeituras e os estados. Então o problema de saúde não é de Avaré, o problema de saúde é do Brasil! Se você pegar lá em cima no Oiapoque e descer até o Rio Chui, lá no Rio Grande do Sul, é a primeira prioridade por que... O problema é que falta recurso, a Medicina ficou mais cara, mais sofisticada e precisa de recurso. Aqui em São Paulo nós estamos suando a camisa para ajudar todas as Santas Casas. Então, liberamos um milhão - Aqui é a ortopedia, não é? E agora em setembro ou outubro deve ficar pronto e já liberamos hoje mais um milhão para fazer o segundo prédio, já. São três prédios, não é?

APLAUSOS

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: E mais um milhão para fazer o segundo prédio e estamos liberando hoje mais um milhão para a construção do bloco do ambulatório de oncologia, que é a parte de câncer. A primeira causa de doença e de morte qual que é causa, de morbimortalidade. A primeira é? Coração e grandes vasos. Essa é a primeira. E muito mais do que hospital, bons hábitos, fazem a gente ter mais saúde. É mexer o corpo, ginástica, caminhada, meia horinha de caminhada não gasta nada, não é? E vai recuperar a saúde. Melhora o coração, melhora o cérebro, melhora o humor, melhora a memória, melhora a respiração, melhora a musculatura, melhora os... Melhora tudo! É mexer o corpo!

A outra é alimentação correta, comer corretamente. Então aquela coisa frugal, ter prato colorido, quanto mais colorido o prato, melhor. A outra é higiene do sono, é acordar cedo, acordar cedo, escancarar as cortinas, abrir janela, cortina. O cérebro emocional precisa dos raios solares da manhã, da aurora matinal. Os países ao norte do mundo, que a noite é muito longa e tem pouco sol, aumenta a depressão, então é preciso os raios da manhã na retina e para o sistema límbico e melhora o humor das pessoas... Esse é o melhor antidepressivo que existe. Enfim, bons hábitos, bons hábitos fazem saúde! E claro, controlar diabetes, hipertensão, enfim, acompanhamento.

Segunda causa maior de morbimortalidade no mundo, é? Câncer, segundo é câncer. E ela aumenta, porque que ela aumenta? Ela aumenta porque ela é ligada a? Idade. Porque que antigamente as pessoas não tinham tanto câncer? Porque morriam cedo. Hoje as pessoas vivem mais, e é uma doença ligada à idade. Nós homens, com 80 anos de idade, de cada 10, 7 terão câncer de próstata. Se nós vivêssemos 120 anos, todos teriam. Então isso é idade. Mas o lado bom é que é uma doença curável, curável, tem cura! Trata. Então nós estamos criando uma rede que chama rede Hebe Camargo, de combate ao câncer, reunindo 72 hospitais do estado e ao mesmo tempo uma central reguladora. Então lá em Timburi, você tem um caso de diagnóstico ou de suspeita, o sistema de saúde da cidade, o posto de saúde, vai entrar em contato com a rede reguladora, que é o Icesp em São Paulo, Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, e ele vai dizer qual serviço mais adequado e mais perto da casa da pessoa. Para ela ser atendida rápida e gratuitamente pelo SUS. Então estamos montando a rede e estamos montando uma central reguladora. A terceira causa de morbimortalidade não é doença. Qual é? Acidente, causa externa. E nessas causas externas, geralmente é jovem, é o jovem, motocicleta, carro, tiro, violência, droga. Essa causa externa era, há 10 anos atrás, homicídio, tiro, que morriam 13 mil pessoas por ano no estado de São Paulo de homicídio. Isso reduziu para 12, 11, 10, nove, oito, sete, seis, cinco, o ano passado foi 4.700, esse ano vai ser menos, nós já temos dados até maio. Então, a maior causa hoje é acidente rodoviário, é carro, moto e atropelamento, é acidente rodoviário, por isso que a gente está fazendo um trabalho de educação para o trânsito, “bebeu não dirija!”. Não pode em nenhuma hipótese, é incompatível. E de outro lado, ampliação das rodovias, segurança, acostamento, onde tem VDM mais alto, duplicação. Então, a SP-255, ela é concessionada, a duplicação urbana aqui não está incluída no contrato. Eu tenho uma reunião, agora à noite em São Paulo, nós vamos tentar melhorar os contratos de concessão, então nós já vamos avaliar o caso aqui da SP-255. E vamos fazer aqui, primeiro, mais uma boa notícia, Avaré, Arandú, Serqueira César, então nós já estamos licitando a obra agora em agosto, vamos investir 23, vai dar R$ 32 milhões para ter a SP-245 toda ela ampliada, recuperada e modernizada. Estamos liberando o dinheiro do DADE, dá R$ 3,5 milhões e vou liberar mais R$ 500 mil, o choro aí do Dr. Paulo para dar uma recapeada aí na cidade. Então, dá R$ 4 milhões, já tínhamos liberado os recursos para o horto, o lago, que deve estar pronto, para o camping municipal, para a orla da Praia Azul, para o terminal rodoviário, para o calçadão. Esse ano, acho que é para infraestrutura urbana, é isso? Para infraestrutura urbana, então vai ter R$ 4 milhões para Avaré, que é uma belíssima instância turística, poder ficar ainda melhor para quem mora aqui e para a população, para os turistas. Vamos trazer o Poupa Tempo, nós estamos ampliando o Poupa Tempo, são 35 novos Poupa Tempos, é um dos serviços públicos mais bem avaliados do governo, e em parceria com a prefeitura que vai nos ceder aqui o local e vai beneficiar os 17 municípios aqui da região. Também uma outra boa notícia é o Centro do Idoso, deve estar quase pronto, não é isso? Deve estar, só falta pôr equipamento, Centro Dia do Idoso. Nós, São Paulo, nós conquistamos o selo São Paulo, o estado amigo do idoso, todas as cidades com centro de convivência dos idosos, e as cidades maiores, como Avaré, o centro Dia. A Fatec, vamos trazer a faculdade pública e gratuita aqui para os nossos jovens poderem fazer faculdade, nível superior, 3º grau, aqui no município, estamos já vendo o local, já está previsto curso de construção civil, área ambiental, recursos hídricos e desenvolvimento de sistemas, é computação. A outra boa notícia é creche, a creche de 150 vagas, já deve ter arrumado o terreno. Nós temos o programa de fazer 1000 creches. A creche é da prefeitura, mas o estado está ajudando as prefeituras para ampliar mais rapidamente. E o novo prédio do Fórum, R$ 11,2 milhões, deve ficar pronto agora em outubro, o novo prédio do Fórum para o poder judiciário aqui de Avaré. O prefeito me deixou aqui alguns pleitos, nós já autorizamos o melhor caminho. Avaré é um município com extensão territorial grande, então estamos liberando 12 km de melhor caminho aí para a estrada rural. Nós recebemos essa semana lá o nosso presidente da cooperativa de laticínios de Avaré, o programa Micro bacias 1 foi recuperar solo, ou seja, terraceamento, curva de nível, matas ciliares, destino das águas, toda parte de micro bacias. O programa 2, que nós estamos investindo 150 milhões, é renda para o pequeno agricultor, é renda, melhorar a sua renda, ao invés de vender o leite vende o queijo, a manteiga, o iogurte, agrega valor. Ao invés de vender a Fruta vende o doce, ao invés de vender a soja vende o porco, o frango, proteína, enfim, acesso a mercado, então fortalecer cooperativas e associações, e dar mais renda para o pequeno agricultor e os assentados. E aqui foi um dos grandes programas, é uma cooperativa de laticínios, 700 mil do governo, quase 680, e 700 mil da cooperativa de laticínios aqui de Avaré, e que é também um programa importante, e agora o Melhor Caminho. E como aqui é polo de 17 cidades, está aqui a nossa diretora de saúde, nós vamos liberar ambulância UTI para dar mais segurança aqui para a região. Só não é aquela ambulância de cinema, aquela que você abre a porta e sai uma morena e uma loira de dentro. Mas eu quero deixar aqui um grande abraço, dizer que estou sentindo falta aqui do Curiati, mas ele vai recuperar logo aí a sua saúde e daqui a pouquinho vai estar aqui com a gente. Também do Celso Giglio, que infelizmente sofreu um acidente e está se recuperando, acho que daqui a pouquinho também vai estar conosco. O Campos Machado também esteve conosco, mandou um abraço, enfim, estou com o Milton Monte, todos os parlamentares. Um dia desses, eu vi uma pesquisa interessante, feita por esses institutos mais modernos e tal, que o que as pessoas desejam? E a resposta foi serem felizes. Interessante! Ser feliz. E o que é ser feliz? Então, como é que se traduz isso? Então, um é saúde, que realmente se a gente não tem saúde você já tem um problema maior, então a saúde precisa ser valorizada. A outra é a amizade, você ter pessoas com quem você possa abrir o coração, confiar plenamente, laços de afeto. A terceira, família, nós precisamos fortalecer esse núcleo, essa célula da sociedade que é a família, esse primeiro núcleo para depois ele poder se expandir. Eu diria que, ao lado das igrejas e das escolas, a Santa Casa é um ponto cardeal da cidade. Ela não é de nenhum de nós, todos nós passamos, olha que 100 anos está se trabalhando aqui, todo mundo passa, mas a Santa Casa é o local onde a gente nasce e a gente morre, isso aqui é o início e o fim da existência, é o local do amor, do atendimento. Diz que o homem e a mulher, dizia Tolstoi, nasceu para servir, servir aos outros. A maneira mais bonita de servir é quem mais precisa, e quem está doente é quem mais precisa, quem mais precisa é quem está doente, que está debilitado. Eu diria que apoiar a Santa Casa, ajudar a Santa Casa é dever de todos nós, então eu fico muito feliz, o PoupaTempo não tem nada a ver aqui com a Santa Casa, o DADE não tem nada a ver com a Santa Casa, eu falei: “olha, nós precisamos ir em um lugar mais importante”, e o mais importante é aqui o hospital que atende quem precisa. Deixo um grande abraço para vocês, um bom trabalho! Muito obrigado!