Hidrovia Tietê-Paraná

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar
Atualizado em: 06 de novembro de 2013

Perfil: consiste em 2.400 km de vias navegáveis, sendo o inicio navegável no município de Anhembi até a foz do Rio Tietê, contemplando 800 km do trecho paulista. No Paraná divide-se em 2 ramos: Norte (da foz do Rio Tietê até São Simão/GO) e Sul (do Rio Paraná até o reservatório de Itaipu).

Anúncio: o Governo do Estado anunciou, no dia 02 de junho de 2012, o pacote que contempla o investimento de R$ 1,5 bilhão para a hidrovia Tietê-Paraná no trecho paulista.

Protocolo e investimentos previstos 2011/2015: em setembro de 2011, os Governos Federal e Estadual assinaram um protocolo de intenções para realizar investimentos de R$ 1,5 bilhão em obras na Hidrovia Tietê-Paraná, sendo R$ 900 milhões provenientes da União e R$ 600 milhões de São Paulo.

Projetos de modernização e ampliação: o recurso está sendo usado para projetos de modernização e ampliação dos 800 km da Tietê-Paraná no trecho paulista. O plano contempla a extensão da navegação nos rios Tietê e Piracicaba e implantação de terminais na hidrovia. Além disso, estão previstas construção da barragem de Santa Maria da Serra, que permitirá ampliar a navegação em 55 km até o distrito de Ártemis, em Piracicaba, e extensão de 200 km entre Anhembi até Salto. Neste trecho está prevista ainda a construção de barragem no município de Anhembi, que possibilitará a passagem das embarcações, principalmente no período de estiagem, até Conchas. São ações que vão permitir a atração de cerca de 11,5 milhões de toneladas de cargas para a hidrovia, o que representa mais do que o dobro da movimentação de hoje (em 2011, a Hidrovia movimentou 5,8 milhões de toneladas).

Investimentos em andamento: no dia 26 de abril de 2012, foram assinados quatro Termos de Compromisso com a União para liberação de R$ 42 milhões para obras de eliminação de gargalos na Tietê-Paraná, O dinheiro já foi liberado pelo Governo Federal (trata-se do primeiro repasse do total de R$ 900 milhões previstos). Para 2012, o orçamento do Governo Estadual para a Tietê-Paraná prevê R$ 150 milhões


Obras:

Construção da barragem da eclusa da Penha (SP)

Prazo: início novembro/2013 conclusão prevista para novembro 2015

Investimento: R$ 108 milhões


Construção da barragem de Santa Maria da Serra.

Investimento previsto: R$ 640 milhões.

Benefícios: permitirá ampliar a navegação da hidrovia Tietê-Paraná em 45 km até o distrito de Ártemis, em Piracicaba.

Status: EIA/RIMA protocolado em 31 de outubro de 2013.

Valor do projeto: R$ 18,3 milhões.

Entrega do projeto: março de 2014. Previsão de início da obra julho de 2014.


Extensão até Salto (aproveitamento múltiplo para transporte e geração de energia), Tietê e Porto Feliz, Anhembi, Laranjal Paulista.

Status: em elaboração do edital.

Prazo: em andamento licenciamento ambiental.


Construção da barragem e eclusa de Anhembi.

Status: em estudos.

Prazo: previsão de obra 2014/2015.


Barragens Porto Feliz e Tietê.

Prazo: projetos estão sendo desenvolvidos junto à iniciativa privada e Laranjal está em estudos.


Pontes da Ferrovia Ayrosa Galvão (Pederneiras).

Obras: terão seus vãos de navegação ampliados para 100 metros.

Prazo: licitação da obra, estimada em R$ 58,2 mlhões, é novembro


Implantação do Terminal de Araçatuba/ Ártemis.

Prazo: contratação do projeto final de 2013 (elaborando edital da licitação).

Valor do projeto: cerca de R$ 10,9 milhões (valor inclui projetos e estudos ambientais dos terminais de Salto, Araçatuba e Rubinéia; serão executados pela mesma empresa).

Valor da obra: R$ 57 milhões.


Pontes da SP-191.

Obras: substituição das pontes da SP-191 sobre o Rio Tietê e Piracicaba.

Investimento estimado: R$ 91 milhões (R$ 45,5 milhões cada).

Status:' projetos em análise. A execução será do Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

Prazo: previsão de obras 2014 (duração 15 meses).


Ampliação do Canal de Nova Avanhandava

Status:' Em fase de aprovação do orçamento junto ao Dnit.

Prazo: Iníco de obras no 1° semestre de 2014.

Investimento: R$5,1 milhões.


Obras na Região de Bauru


Ampliação do vão da ponte da SP 333, entre Pongaí e Novo Horizonte:

Prazo: obra iniciada em dezembro 2010 / concluída em Junho de 2012

Investimento: 28,8 milhões


Proteção do vão da ponte da SP 333

Investimento: R$ 9,4 milhões

Prazo: início agosto 2012 / conclusão prevista para março/2014.


Canal de Botucatu (km 61 a 72) e Conchas (km 89 a 110): Retificação e ampliação da rota de navegação atual. Serviços de dragagem, derrocamento e destocamento.

Previsão: Projeto contratado em Julho, prazo de execução 10 meses (abril/2014)

Investimento (no projeto): R$ 2,9 milhões


Canal de Anhembi (do km 72 ao 89): obra de Desassoreamento da rota de navegação atual.

Prazo:Início fevereiro de 2014. Conclusão novembro de 2014

Investimento: R$ 24,5 milhões (inclui projeto e obra). * Projeto concluído em junho de 2012.


Canal de Igaraçu do Tietê: Derrocamento para eliminação de pontos altos na rota de navegação a jusante da eclusa de Barra Bonita até canal de Igaraçu.

Prazo: início agosto 2011 / concluída fevereiro de 2013. Investimento: R$ 3 milhões


Canal de Ibitinga: Adequação da rota de navegação do acesso a montante da eclusa de Ibitinga. Obras de escavação, dragagem, drenagem e proteção de taludes.

Previsão: Início das obras setembro/2013, conclusão outubro/ 2014

Investimento: 9,8 milhões

Informação interna: aguardando aprovação de orçamento por parte do DNIT


Atracadouro de Espera das Eclusas de Barra Bonita, Ibitinga, Promissão e Nova Avanhandava; Dique a jusante Promissão; amortecedor de ondas da eclusa de Promissão.

Prazo:Em licitação. Sofreu ação judicial, com previsão de janeiro de 2015.


Investimento: R$ 7,4 milhões



Obras na região de Penápolis e Araçatuba:


Ampliação do vão da ponte da SP-425 (município Barbosa): Obra permitirá a passagem de comboios com quatro chatas sem a necessidade de desmembramento.

Investimento: R$ 35,5 milhões

Prazo: início 2010 / conclusão 2014


Proteção dos pilares da ponte da SP 425 (município Barbosa)

Investimento: R$ 9,9 milhões

Prazo: início março 2012 / conclusão janeiro de 2014


Reforço da proteção de pilares da ponte da Rodovia BR-153.

Investimento: R$ 14,1 milhões

Prazo: início julho 2012 /conclusão setembro 2014


Implantação de dois terminais em Araçatuba: Terminal de granéis sólidos e Terminal de granéis líquidos

Terminal de granéis sólidos em Araçatuba (recursos do Estado):Terminal público será arrendado à iniciativa privada para embarque de produtos locais. Construção de pier, armazéns e equipamentos de embarque.

Investimento: R$ 20 milhões

Prazo: licitação do projeto deve ocorrer no quarto trimestre de 2013.


Terminal para granéis líquidos (terminal privado): está a cargo da empresa Lógum. O objetivo deste terminal será coletar a produção de álcool das usinas localizadas próximas à região e destiná-lo, através de barcaças e dutovia, para os consumidores.

Prazo: Em andamento o processo de licenciamento do terminal, que será regulamentado pela Antaq.

Terminal para embarque/desembarque de cargas: Será licitado até o final de novembro o edital para contratação dos projetos básicos para implantação de quatro portos (terminais) na hidrovia Tietê- Paraná: Araçatuba, Ártemis, Rubinéia, Salto.

Sobre o Porto de Araçatuba, trata-se de um terminal público que será destinado a embarque/desembarque de cargas gerais. A obra será executada com recursos do governo do Estado e governo Federal, por meio do convênio firmado em 2011, para investimentos de R$ 1,5 bilhão na modernização da hidrovia Tietê-Paraná. Após a implantação, o terminal será arrendado à iniciativa privada.

O investimento previsto na construção do porto de Araçatuba é de cerca de R$ 20 milhões. A previsão de contratação do projeto é para novembro e prazo de execução (do projeto total dos 4 portos) de 12 meses.


Obra concluída em 2011:


Implantação da proteção dos pilares da ponte da rodovia SP-255 em Barra Bonita.

Prazo: Início: junho de 2010/ Término: 2012.

Investimento R$ 9,5 milhões.


Terminais hidroviários:

Os terminais hidroviários de Araçatuba e de Rubinéia e a Estrada de Ferro EF-364 serão modernizados

2017

23/02/2017 - Obras no Canal de Avanhandava vão beneficiar Hidrovia Tietê-Paraná

Com investimentos de R$ 203 milhões e conclusão prevista para julho de 2019, as obras de ampliação e assoreamento do Canal de Avanhandava, no município de Buritama, interior de São Paulo, foram iniciadas nesta quinta-feira (23), com presença do governador Geraldo Alckmin. O canal vai ganhar mais 2,4 metros de profundidade em um trecho de aproximadamente 10 quilômetros da Hidrovia Tietê-Paraná até a jusante da Usina de Três Irmãos.

Alckmin disse que as obras são de caráter estruturante e que serão muito importantes para o desenvolvimento da região e do País. “Havia um gargalo aqui em Nova Avanhandava que será resolvido com o rebaixamento do pedral”, afirmou. “O ano passado, batemos o recorde de transporte pelas hidrovias, 8,7 milhões de toneladas, e acho que poderemos ir rapidamente a dois dígitos e transportar mais de dez milhões de toneladas”, disse o governador sobre o movimento de cargas pela Hidrovia Tietê-Paraná.

O alcance dos benefícios trará reflexos positivos para a população dos diversos estados que utilizam a hidrovia para o transporte de cargas e passageiros. Serão beneficiadas as populações de Minas Gerais, Mato Grosso, São Paulo e Goiás. De quebra, a obra irá ampliar a capacidade de energia gerada pela Usina de Três Irmãos.

Os benefícios também virão na forma de novos postos de trabalho. A estimativa é de que podem ser gerados até 1.400 empregos, dos quais 350 diretos e 1.050 indiretos.

Alckmin também comentou os outros aspectos que envolvem a obra: “Nós vamos tirar daqui 700 mil m3. de pedras, 500 mil m3. de terra, ou seja, 1,3 mil m3., e rebaixaremos 2,4 metros em 10 quilômetros. Aí, mesmo com uma seca forte, a hidrovia não para. É uma segurança para quem precisa da hidrovia”, completou.

Trecho paulista

O trecho da Hidrovia Tietê-Paraná no Estado de São Paulo é administrado pelo Departamento Hidroviário do Estado de São Paulo (DH), vinculado à Secretaria de Logística e Transporte.

Em 2014, o trecho entre o km 95,5 do reservatório de Três Irmãos e a eclusa inferior de Nova Avanhandava estiveram interrompidos devido à crise hídrica que afetou o Estado e prejudicou o transporte de mercadorias.

Com o retorno das operações, a capacidade de transporte de cargas foi recuperada em 20 meses. Em 2016, foram transportadas 3,2 milhões de toneladas de produtos pelo trecho paulista. Os principais produtos transportados foram areia, cana-de-açúcar, soja e farelo de soja.

Dos R$ 203 milhões que serão investidos na obra do Canal de Avanhandava, R$ 181,5 milhões são provenientes do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal, e R$ 21,5 milhões do governo estadual.

Ver também

Links externos