Indicadores Criminais

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Indicadores Criminais

Número de homicídios dolosos 2014/2020

Atualizado em: 29 de junho de 2018


Ocorrência anual
Ano Homicídio doloso
Gráfico
2014
4.293
2015
3.758
2016
3.521
2017
3.294
2018
2019
2020


Número de homicídios dolosos 1999/2014

Em 2013, São Paulo teve a segunda menor taxa de homicídios dolosos desde 2001, quando teve início a atual série histórica, segundo dados da Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP) da Secretaria da Segurança Pública de São Paulo. O indicador de criminalidade caiu 8,2% no ano passado, com 4.439 casos. A taxa foi de 10,5 casos para cada grupo de 100 mil habitantes em 2013. O índice só é maior que o registrado em 2011. Em dez anos, a queda nos homicídios dolosos em São Paulo é de 60%.

Ocorrência anual
Ano Homicídio doloso
Gráfico
1999
12.818
Homicidiosss14.jpg
2000
12.638
2001
12.475
2002
11.847
2003
10.954
2004
8.753
2005
7.076
2006
6.057
2007
4.877
2008
4.432
2009
4.564
2010
4.321
2011
4.194
2012
4.836
2013
4.439


SP mantém menor taxa de homicídios no Brasil, diz ONU

Um estudo das Nações Unidas (ONU) divulgado no dia 10 de abril de 2014, em Londres mostra que São Paulo é o estado brasileiro com a menor taxa de homicídios - principal indicador internacional de criminalidade.

O documento, que usa dados de 2012 do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, do Ministério da Justiça, aponta que São Paulo tinha uma taxa de 10,8 homicídios por 100 mil habitantes em 2011, abaixo dos outros estados brasileiros e distrito federal.

Apenas o Amapá tem taxa inferior, mas o próprio Anuário classifica os dados deste estado como de baixa qualidade e que não são confiáveis. A taxa paulista é próxima do índice de 10 homicídios por 100 mil habitantes, que é indicada pela própria ONU.

O estudo, realizado pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, também destaca que os homicídios em São Paulo caíram 11% entre 2007 e 2011, enquanto cresceram 150% na Paraíba e 50% na Bahia.

Na edição de 2011 deste mesmo estudo, a ONU também destacou ações paulistanas para a diminuição dos homicídios, por meio de investimento em prevenção e medidas repressivas.

Fonte: site da SPP

Homicidiosss2014.jpg


Roubos e furtos de veículos

Roubos e furtos de veículos 2014/2020

Atualizado em: 29 de junho de 2018


Ocorrência anual
Ano Roubos e furtos de veículos
Gráfico
2014
221.532
2015
189.349
2016
188.881
2017
172.559
2018
2019
2020


Roubos e furtos de veículos 1999/2014

Os roubos e furtos de veículos cresceram em 2013, 21,41% em relação ao ano de 2010, no Estado de São Paulo. A Polícia Civil trabalha para identificar e prender receptadores desses veículos levados. Com o objetivo de combater esse tipo de crime, no dia 02 de janeiro de 2014, foi sancionada a Lei do Desmanche. Já a PM direciona viaturas do Policiamento de Trânsito para cruzamentos e bairros mais perigosos.

Ocorrência anual
Ano Roubos e furtos de veículos
Gráfico
1999
221.774
Furtoss14.jpg
2000
235.036
2001
214.948
2002
191.346
2003
186.155
2004
193.380
2005
197.546
2006
183.799
2007
163.537
2008
159.124
2009
177.196
2010
169.382
2011
184.311
2012
195.685
2013
215.525

Fonte: dados da Res SSP 150/95 (até 2000) e Res SSP 160/01 (2001)


Roubos

Roubos 2014/2020

Atualizado em: 29 de junho de 2018


Ocorrência anual
Ano Roubos
Gráfico
2014
311.214
2015
307.392
2016
323.274
2017
303.906
2018
2019
2020


Roubos 1999/2014

Os roubos em geral tiveram um aumento de 9,4% no ano de 2013, comparado com o ano de 2010. O combate aos crimes contra o patrimônio é uma das prioridades estabelecidas pela Secretaria da Segurança Pública. Ao longo de 2011, tanto a Polícia Militar como a Polícia Civil intensificaram ações para evitar crimes contra o patrimônio, para identificar, localizar e prender seus autores e, sempre que possível, para restituir aos proprietários valores e bens subtraídos.

Ocorrência anual
Ano Roubos
Gráfico
1999
219.654
Rouboss14.jpg
2000
215.181
2001
219.601
2002
223.478
2003
248.406
2004
220.261
2005
221.817
2006
213.476
2007
217.203
2008
217.966
2009
257.022
2010
232.907
2011
235.523
2012
237.810
2013
257.054

Fonte: Secretaria de Segurança Pública


Furtos

Furto 2014/2020

Atualizado em: 29 de junho de 2018


Ocorrência anual
Ano Furtos
Gráfico
2014
516.551
2015
495.334
2016
514.892
2017
515.595
2018
2019
2020


Furto 1999/2014

Os incidentes relacionados aos furtos no Estado de São Paulo tiveram uma queda de 0,4% em 2013, comparando com o ano anterior que registrou 545.310. Durante o período de 2011/2014, os casos de furtos registrados ficaram em uma média de 540 mil por ano.

Ocorrência anual
Ano Furtos
Gráfico
1999
390.144
Furtos14.jpg
2000
396.952
2001
439.630
2002
462.543
2003
539.220
2004
561.271
2005
564.960
2006
552.304
2007
524.017
2008
489.434
2009
529.187
2010
506.653
2011
541.139
2012
545.310
2013
542.888


2016

  • 04/11/2016 - Governo age para combater roubo de celulares

A fim de reforçar a segurança no Estado e combater o roubo e furto de celular, o governo de São Paulo, por meio da Secretaria de Segurança Pública, acaba de firmar um protocolo de intenções com o Instituto para o Desenvolvimento do Varejo – IDV.

Entre os benefícios, está a conscientização dos membros do IDV em inserir o IMEI (International Mobile Equipment Identify) dos aparelhos celulares nos registros de boletim de ocorrência. Fora isso, o acordo prevê futuras parcerias para potencializar o trabalho da segurança pública.

O número de identificação dos aparelhos celulares nos BOs está previsto na Resolução SSP 3/2015. A medida permite que, no momento do registro das ocorrências, os delegados coletem autorização das vítimas para que a Polícia Civil solicite o bloqueio do IMEI diretamente às operadoras.

O protocolo de intenções terá vigor de 12 meses, prazo em que os estudos serão realizados para a celebração do futuro acordo.

2018

  • Criminalidade na Baixada Santista no 1º Semestre de 2018

As polícias Civil e Militar na Baixada Santista atuam de maneira integrada para combater a criminalidade nas cidades citadas pela reportagem. As ações conjuntas resultaram na queda do número de roubos em 21,41%, e os furtos em 10,06% na comparação semestral com o mesmo período do ano passado. Também neste período, 5.632 pessoas foram presas e apreendidas em flagrante e 382 armas de fogo retiradas das ruas da cidade. Sobre os casos de estupro, é importante ressaltar que 85% deste tipo de crime são praticados em locais fora da competência de atuação preventiva da polícia, sendo 65% no interior de residências. As polícias prenderam 925 pessoas por esse tipo de crime no Estado no 1o semestre deste ano. Os policiais de São Paulo contam, desde 2015, com o Banco de Perfis Genéticos, que até maio tinha 2.539 perfis inseridos no sistema. A ferramenta permitiu que os números de coincidências em crimes sexuais duplicassem neste ano em relação ao ano anterior, e possibilitou que um único criminoso fosse correlacionado em seis crimes de estupro cuja autoria era desconhecida. Em relação aos homicídios, vale salientar que a Polícia Civil investiga todos os casos contando com o trabalho especializado do setor de homicídios das seccionais para identificar e prender os autores.


  • Casos de estupro em Campinas

A Secretaria da Segurança Pública vem adotando medidas de combate aos estupros. São Paulo conta com 133 DDMs, duas localizadas no município de Campinas. No mês de junho os casos reduziram 20% em relação ao mesmo mês do ano passado na cidade. Análise das ocorrências registradas em junho mostram que 14% dos casos denunciados ocorreram antes de 2017 e 20% antes de maio. Além disso, 85% deste tipo de crime são praticados em locais fora da competência de atuação preventiva da polícia, sendo 65% no interior de residências. As polícias Civil e Militar prenderam 925 pessoas por estupro no Estado até junho deste ano. Os policiais de São Paulo contam, desde 2015, com o Banco de Perfis Genéticos, que até maio tinha 2.539 perfis inseridos no sistema. A ferramenta permitiu que

108 os números de coincidências em crimes sexuais duplicassem de 2017 para este ano, e possibilitou que um único criminoso fosse correlacionado em seis crimes de estupro cuja autoria era desconhecida. Outra medida da SSP foi o acordo de cooperação com a Secretaria da Educação para capacitar os professores e funcionários sobre como proceder quando receber a notícia de estupro de uma criança ou adolescente.


Ver também

Links externos