Linhas da CPTM

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

CPTM Geral

Atualizado em: 07 de novembro de 2014
Dados gerais CPTM
Extensão total da rede 260,8 km
Número de linhas 6
Número de estações 92
Passageiros transportados (média por dia útil) 2,6 milhões
Frota de trens operacionais 132 trens
Abrangência 22 municípios da RMSP

Histórico

Fundada em 28 de maio de 1992, em duas décadas de história, a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, vinculada à Secretaria dos Transportes Metropolitanos, vem passando por um processo de revitalização de seu sistema, que serve a 22 municípios, dos quais 19 estão localizados na Região Metropolitana de São Paulo.

Coube à Companhia assumir os sistemas de trens da Região Metropolitana de São Paulo, operados pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos – CBTU (Superintendência de Trens Urbanos de São Paulo – STU/SP) e pela Ferrovia Paulista S/A – Fepasa, de forma a assegurar a continuidade e a melhoria dos serviços.

  • Em 1994, a CPTM começou a operar as Linha 7 - Rubi e 10-Turquesa (antigas A e D) e 11-Coral e 12-Safira (antigas E e F), que pertenciam à CBTU.
  • Em 1996, passou a controlar os serviços da Fepasa, com as antigas Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda (antigas B e C). Em seu primeiro ano de operação, a CPTM chegou a registrar apenas 800 mil usuários/dia.
  • Em 2012, a CPTM alcançou a marca de 2,6 milhões de passageiros transportados por dia, mais que o triplo de quando começou a operar. Desde sua criação, a CPTM atravessou uma série de transformações para aprimorar a qualidade dos seus serviços, principalmente nos últimos anos, quando recebeu investimentos significativos do Governo do Estado. 

Investimentos Realizados nas Linhas da CPTM 2011/2014

InvestimentoCPTM2014.jpg


Acessibilidade CPTM

Ver também.jpg Ver também: Acessibilidade

Investimento: o Plano Plurianual (PPA) aprovado pelo governo para a CPTM, visando ao quadriênio 2012-2015, prevê investimentos da ordem de R$ 9,4 bilhões para a modernização das seis linhas e expansão dos serviços.

Infraestrutura: a CPTM está recapacitando a infraestrutura das linhas, com a implantação de novos sistemas de sinalização, telecomunicações, energia, rede aérea e via permanente.

Modernização: modernização das 92 estações, das quais 44 já são acessíveis, incluindo Osasco que embora esteja passando por obras de ampliação, conta com recursos de acessibilidade.

7 estações estão em obras de reformas:

Linha 7-Rubi (Luz-Francisco Morato-Jundiaí)

  • Reconstrução da estação Francisco Morato
  • Reconstrução da estação Jaraguá

Linha 8-Diamante (Júlio Prestes-Itapevi)

  • Ampliação da estação Osasco

Linha 11-Coral (Luz-Guaianazes-Estudantes)

  • Reconstrução da estação Suzano
  • Reconstrução da estação Ferraz Vasconcelos
  • Reconstrução da estação Poá

Linha 12-Safira (Brás-Calmon Viana)

  • Reconstrução da Estação Engenheiro Goulart

Obs: A estação Engenheiro Goulart também será utilizada na Linha 13 - Jade

Treinamento: além disso, a empresa promove, para os empregados de estações e seguranças, treinamentos para condução de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida, cerca de 4.224 empregados e de LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) para cerca de 615 empregados.

Duas novas linhas: 9 novas estações

A CPTM tem 260,8 km e 92 estações nas suas seis linhas da RMSP.

  • A Linha 9 - Esmeralda terá o seu trajeto aumentado: o prolongamento até Alphaville e Tamboré, em Barueri e a extensão de 4,5 km entre Grajaú/Varginha da Linha 9 - Esmeralda.
  • Linhas em obras: estão em obras as Linhas 13 - Jade e a extensão da Linha 9 - Esmeralda
  • Previsão de entrega de 8 novas estações: Mendes e Varginha (Linha 9 - Esmeralda); Vila Nova, Tiquatira e Aracaré (Linha 12 - Safira); CECAP - Zézinho Magalhães e Estação Aeroporto Internacional de Guarulhos (Linha 13 - Jade); e a nova estação João Dias da Linha 9 - Esmeralda, que deve ser construída em três anos com recursos provenientes da iniciativa privada, a primeira estação da CPTM que não terá investimento do setor público.
  • 'Estações entregues: já foram entregues três novas estações. A Vila Aurora da Linha 7 - Rubi foi inaugurada no dia 09 de setembro de 2013, investimento de R$ 40,3 milhões. As estações Amador Bueno e Santa Rita da Linha 8 - Diamante foram entregues no dia 23 de abril de 2014, o investimento total das duas estações, inclusive o trecho de 6,3 km foi de R$83,5 milhões.

Ampliação e capacitação do parque de máquinas de manutenção

Atualizado em: 24 de janeiro de 2013

A CPTM está investindo cerca de R$ 57 milhões na ampliação e capacitação de seu parque de máquinas de manutenção, com a aquisição de 14 veículos auxiliares ferroviários de alta precisão. Com a entrega dos últimos três novos equipamentos, a CPTM encerra essa primeira fase de investimentos no parque de máquinas. Fabricados com tecnologia de ponta, os equipamentos vão ser usados no aprimoramento dos serviços de inspeção e manutenção dos sistemas de via e rede aérea de energia.

Recursos destinados à manutenção: os recursos destinados à manutenção estão crescendo. De 2010 para 2011, houve elevação de 12%, o que permitiu a execução das intervenções preventivas e corretivas na via permanente, no material rodante, na rede área e em outros segmentos, oferecendo à operação as condições para atender a oferta de transporte programada para o ano.

Investimento em suprimento de energia de R$ 385 milhões: a licitação para expansão e recapacitação das subestações de energia das 6 linhas da CPTM foi concluída, e está dividida em três lotes. O investimento para as seis linhas é da ordem de R$ 385 milhões e o prazo de conclusão é de três anos, a contar da data da emissão da Ordem de Serviço (OS).

Trens Novos - CPTM

Previsão de 140 novos trens entre 2011 e 2016
Trens comprados (2006/2011)
Trens entregues (2007/2010)
Trens entregues (2011/2014)
Novos trens entregas previstas (2011/2014)
Previsão total de trens entregues (2011/2016)
105
38
66 (22 entregues em 2011, 22 entregues em 2012, 14 em 2013 e 8 em 2014)
74 (01 restante do lote de 105. Além de 65 comprados em 2013 e 8 para a Linha 13 - Jade em 2014) trens para a CPTM. )
140

Fonte: Coordenadora Assessoria de Imprensa, Márcia Borges

CPTM.jpg



Atualizado em: 13 de novembro de 2014
SETE.jpg
Características Com extensão total 60,5 km (Luz/Francisco Morato 39 km – Francisco Morato/Jundiaí 21,5 km) o trajeto é feito em duas "pernas", com transferência livre em Francisco Morato. São 18 estações (Luz, Palmeiras-Barra Funda, Água Branca, Lapa, Piqueri, Pirituba, Vila Clarice, Jaraguá, Vila Aurora, Perus, Caieiras, Franco da Rocha, Baltazar Fidélis, Francisco Morato, Botujuru, Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista e Jundiaí).
Usuários média de 468 mil passageiros por dia.
Intervalo entre os trens 6 minutos nos picos manhã (5h às 9h) e 6 minutos no pico tarde (16h às 20h)
Investimento
  • Investimento realizado em 2011: R$ 73,3 milhões
  • Investimento realizado em 2012: R$ 93,3 milhões
  • Investimento realizado em 2013: R$ 100,4 milhões
  • Investimento previsto em 2014: R$ 74,8 milhões
Plano de Mobilidade Urbana No dia 25 de outubro de 2013, os governos do Estado e Federal firmaram o Plano de Mobilidade Urbana. Serão investidos 5,4 bilhões na construção de trilhos e estações metroferroviárias. Para a CPTM foram contempladas obras da Linha 13 - Jade (R$ 250 milhões), a extensão da Linha 9 - Esmeralda até varginha (R$ 500 milhões) e modernização de 18 estações da CPTM, além da construção da estação de União de Vila Nova, na Linha 12 - Safira (R$ 590 milhões)
Modernização das 18 estações Linha 7 - Rubi (Botujuru, Caieiras, Baltazar Fidélis, Campo Limpo Paulista, Pirituba, Perus e Várzea Paulista), na Linha 10 - Turquesa (Guapituba, Ribeirão Pires, Ipiranga, Utinga, Prefeito Saladino e Rio Grande da Serra), na Linha 11-Coral (Antonio Gianetti Neto, Estudantes e Mogi das Cruzes) e na Linha 12 - Safira (Itaquaquecetuba e Engenheiro Manoel Feio).
Suprimento de energia A licitação para expansão e recapacitação das subestações de energia das 6 linhas da CPTM foi concluída, e está dividida em três lotes.O Consórcio Linhas Leste, composto pelas empresas Siemens e MPE – Montagens e Projetos Especiais, venceu o certame e executará o trabalho nas linhas 11-Coral e 12-Safira
  • Lote 3, no valor de R$ 117 milhões, abrange as linhas 7-Rubi e 10-Turquesa.Prazo de conclusão: três anos, a contar da data da emissão da Ordem de Serviço (OS), em 02 de agosto de 2012. As obras permitirão aumentar a capacidade de energia de 183MW para 261MW.
Obras Concluídas

Nova passarela: em 2012, a linha ganhou uma nova passarela, entregue em 17/02/2012. Localizada no Km 33 da Linha 7, nas proximidades da estação Franco da Rocha, a passarela liga a av. 7 de Setembro, altura do número 400, ao futuro Parque Linear Municipal. Dispõe de 6 rampas de acessibilidade.Investimento: R$ 1,4 milhão. Convênio: a prefeitura de Franco da Rocha fará a manutenção e conservação da passarela.

Estação Villa Aurora: Inaugurada no dia 09/08/2013. Investimento: R$ 40,3 milhões. Em 2009, o consórcio vencedor da licitação começou as obras, porém, por conta de não cumprimento de prazos, a CPTM rescindiu o contrato, assinando com o segundo colocado da licitação, conforme prevê a Lei Federal 8.666/93, que estabelece normas gerais sobre licitações, contratos administrativos pertinentes a obras e serviços públicos. Razão pela qual o cronograma de entrega da estação passou por alteração.

Nova Estação Franco da Rocha: no dia 10 de maio de 2014, foi entregue a nova estação Franco da Rocha. Investimento total de R$ 85 milhões. Totalmente acessível, com elevadores, piso com rotas podotáteis, rampas, banheiros públicos comuns e acessíveis, comunicação em braile, visual e sonora, banco na plataforma para obeso. As obras começaram no dia 14 de março de 2013 e terminaram no dia 18 de abril de 2014.

OBS: Antiga Estação Franco da Rocha: a antiga Estação Franco da Rocha foi tombada pelo Condephaat -Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo, no dia 17 de julho de 2010. A CPTM estuda a futura função desse prédio.

Viaduto Caieiras: as alças de acessos e obras do entorno foram entregues no dia 13/06/2014, com presença do secretário Jurandir. No ano passado, em 15/07/13, o viaduto tinha sido liberado para o tráfego de veículos, para transposição de faixa ferroviária da Linha 7 com Rodovia Tancredo Neves. Com isso, essa obra está concluída.

Cartão BOM Todas as estações da Linha 7 - Rubi estão integradas com o Cartão BOM
Obras em andamento Francisco Morato: reconstrução – em razão de uma decisão liminar da Justiça, a obra de reconstrução da Estação Francisco Morato está paralisada. A empresa Heleno & Fonseca, vencedora da licitação (assinado em 25/03/2013) discute necessidade de alteração no projeto. A CPTM contratou o IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) para confirmar a viabilidade do projeto, visando reverter a decisão judicial e retomar a obra.

Jaraguá: reconstrução – os serviços de terraplanagem e de drenagem foram iniciados em setembro de 2014. Com a conclusão destes trabalhos, começarão às obras de fundação. Devido à necessidade de revisão do projeto, o cronograma da entrega da estação foi readequado para o segundo semestre de 2015.

Obras em planejamento Licitação para contratação de obras de reconstrução das estações:
  • Caieiras e Baltazar Fidelis: licitação já realizada e com resultado publicado em agosto/14 - vencedor: Hersa Engenharia e Serviços LTDA. Assinatura de contrato e ordem de Serviço não efetivados, aguardando liberação de recursos do PAC da Mobilidade.
  • Botujuru – previsão início de obras 1º semestre/15
  • Campo Limpo Paulista – previsão início de obras 1º semestre/15
  • Pirituba – previsão início de obras 1º semestre/15
  • Perus – previsão início de obras 1º semestre/15
  • Várzea Paulista – previsão início de obras 1º semestre/15
  • Obs: Lembrando que todos os prazos das estações acima estão condicionados à liberação de recursos orçamentários do Governo Federal, oriundos do PAC da Mobilidade.
  • Vila Clarice – contrato para projetos básico e executivo assinado. Previsão início de obras Dez/15
  • Jundiaí: está em elaboração o projeto para restauração da estação, que é tombada. A proposta para restauro do edifício da Estação Jundiaí mantém as características originais, já, as novas intervenções necessárias à modernização e readequação dos espaços seguem as características de uma arquitetura moderna. O término do projeto está previsto para dezembro de 2014 e a previsão é iniciar a obra no 2º semestre de 2015. O valor do investimento é de aproximadamente R$ 35 milhões, porém, será confirmado com a conclusão do projeto.
  • Estações Lapa e Água Branca: os projetos básicos e executivos visando a unificação das estações Lapa, que hoje atendem separadamente as linhas 7-Rubi e 8-Diamante, e reconstrução da estação Água Branca estão em desenvolvimento (contrato assinado em março/24).
  • Unificação da estação Lapa: a estação será totalmente acessível e todas as condições urbanísticas do entorno serão melhoradas. A estimativa para investimento na obra da nova estação unificada é de cerca de R$ 150 milhões. O novo edifício será dimensionado para um movimento estimado em 120 mil pessoas/dia. A unificação da estação Lapa promoverá a integração das linhas 7-Rubi, 8-Diamante, impactando diretamente no conforto e melhoria da acessibilidade ao sistema, ao permitir que os usuários das regiões de Francisco Morato, Franco da Rocha, Caieiras, Perus, Jaraguá e Pirituba se transfiram para a Linha 8 - Diamante. Hoje, esses passageiros tem que ser deslocar até a Barra Funda para fazer a transferência, o que torna a viagem 8 km mais distante.
Novos Trens para a CPTM Desde 2006, a CPTM comprou 105 trens; já foram entregues 104, sendo 38 pela gestão anterior (2007/2010) e 66 pelo governador Alckmin em 2011/2014.
Aquisição de Novos Trens Para reforçar a frota e chegar aos 132 trens previstos, o Governo de São Paulo autorizou, em 03 de agosto de 2012, iniciar a concorrência nacional para aquisição de 65 trens. Inicialmente estavam previstos 55, mas foi realizada uma audiência pública complementar em 14 de maio de 2012 (a primeira foi realizada em novembro de 2011), para a aquisição de 65 trens com 8 carros cada um (dez a mais do que o previsto inicialmente).

Sessão Pública: a Sessão Pública para a abertura do envelope “B” (documentos para habilitação) aconteceu no dia 20/06/2013. No dia 1º de agosto de 2013, foi assinado o contrato com a CAF, no lote de 35 trens e a no dia 09 de agosto assinou com a Huyndai / Iesa, no lote de 30 trens. Prazos: Os vencedores terão o prazo de 18 meses, a contar da data da ordem de serviço, para entregar o primeiro trem e 36 meses para o último. Propostas vencedoras:

  • Lote 1 (30 trens) ganho pelo consórcio Huyndai / Iesa. Valor Orçado: R$ 904.417.199,28. Valor Ofertado: R$ 1.193.096.999,03 – Consorcio CAF / ALSTON
  • Lote 2 (35 trens) ganho pela CAF. Valor Orçado: R$ 1.047.975.484,88.Valor Ofertado: R$ 1.011.478.243,33 – CAF Brasil
Características dos 65 trens As novas composições têm 170 metros de comprimento, estão equipadas com sistema de monitoramento por meio de câmeras instaladas no interior e na parte externa, ar condicionado e design interno diferenciado, com salões contínuos de passageiros (passagem livre entre os carros). Além disso, são acessíveis para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida e dotados de dispositivos para orientar usuários com deficiências auditiva (mapa dinâmico) e visual (áudio). Há também espaço reservado para cadeirantes.

Fonte: Coordenadora Assessoria de Imprensa, Márcia Borges



Atualizado em: 11 de outubro de 2016
X2014.jpg
Características 41,6 km de extensão no total, possui 22 estações (Júlio Prestes, Palmeiras/Barra Funda, Lapa, Domingos de Moraes, Imperatriz Leopoldina, Presidente Altino, Osasco, Comandante Sampaio, Quitaúna, General Miguel Costa, Carapicuíba, Santa Terezinha, Antonio João, Barueri, Jardim Belval, Jardim Silveira, Jandira, Sagrado Coração, Engº. Cardoso, Itapevi, Santa Rita e Amador Bueno).
Média de passageiros transportados 460 mil nos dias úteis.
Investimentos realizados 2011/2014:
  • Investimento realizado 2011: R$ 155,2 milhões
  • Investimento realizado 2012: R$ 259,1 milhões
  • Investimento realizado 2013: R$ 100,4 milhões
  • Investimento previsto 2014: R$ 137,5 milhões
Financiamento do BNDES Em 20 de junho de 2012, o Governo assinou financiamento com o BNDES, destinando R$ 550 milhões para a modernização da Linha 8 - Diamante. Seis estações serão modernizadas (General Miguel Costa, Jardim Belval, Jardim Silveira, Quitaúna, Sagrado Coração, Santa Terezinha) e outras cinco reconstruídas (Lapa, Comandante Sampaio, Domingos de Moraes, Imperatriz Leopoldina e Antônio João). Parte do financiamento será usada ainda para complementar os acessos e passarelas das estações Itapevi e Carapicuíba.
Suprimento de energia A licitação para expansão e recapacitação das subestações de energia das 6 linhas da CPTM foi concluída, e está dividida em três lotes. As obras permitirão aumentar a capacidade de energia de 183MW para 261MW.
  • Lote 2, no valor de R$ 164 milhões, envolve as linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda.
Obras concluídas Modernização das estações Itapevi, Jandira e Engenheiro Cardoso (2010): em outubro de 2010 foram entregues as obras de ampliação e modernização das três estações que deram a elas o mesmo padrão de qualidade das unidades recém-inauguradas.

Modernização da estação Carapicuíba (2011): passou por reforma, ampliação e readequação de suas instalações. A estação foi entregue em 24 de março de 2011. O investimento foi de R$ 18,4 milhões.

Modernização da estação Barueri: a estação Barueri passou por obras de modernização, com implantação de novos acessos, mezanino e passarela de transposição. As obras contemplam implantação de equipamentos de acessibilidade. Investimento R$ 9,8 milhões.

Modernização do trecho Itapevi-Amador Bueno: o trecho com 6,3 km de vias, junto com as estações Santa Rita e Amador Bueno, foi entregue no dia 23 de abril de 2014. O investimento total foi de R$ 83,5 milhões.

Novas estações: as estações Amador Bueno e Santa Rita foram inauguradas no dia 23 de abril de 2014. O investimento total nas duas estações, além do trecho de 6,3 km é de R$ 83,5 milhões.

Modernização da estação Domingo de Moraes: no dia 13 de maio de 2013, foi entregue a estação Domingos de Moraes. Investimento de R$ 10 milhões na modernização da estação.

Obras em andamento Ampliação estação Osasco: está sendo ampliada de forma a comportar mais uma plataforma, para melhor atender a demanda. As obras começaram no primeiro semestre de 2010 e têm um custo total de R$ 64,4 milhões, e serão entregues em duas etapas:
  • A primeira etapa inaugurada em 07 de março de 2012, totalizou cerca de 8 mil m² de obras e contemplou a entrega de 2 novos acessos (norte e sul), que viabilizam a ligação com o centro de Osasco e com a rodoviária, permitindo ao público transpor a via férrea sem passar para a aérea paga, proporcionando mais facilidade e segurança no acesso à estação. Também entraram em operação 5 escadas rolantes (3 novas e 2 existentes que foram reformadas) e 2 elevadores. Os novos acessos e o mezanino dispõem de piso portátil e sinalização em braile. Esses dispositivos serão instalados no restante da estação na segunda etapa da obra. Em junho de 2012 foi entregue a obra viária do entorno da estação.
  • A licitação da segunda fase depende da rescisão do atual contrato, já em andamento, para a definição dos serviços a serem licitados. A previsão da licitação é para dezembro/14 ou janeiro de 2015.

Construção do Complexo de Manutenção de Presidente Altino:

  • Objetivo: manutenção da frota de trens.
  • Característica: o complexo de 30 mil m² abrigará oficial de revisão e reforma de trens, laboratório eletrônico e armazém. O principal galpão a ser construído terá 15,5 mil m². No local serão realizados simultaneamente os serviços de revisão em seis trens compostos de quatro carros cada. Em outra área de 5,7 mil m² serão feitas pintura e lavagem de componentes e peças utilizadas nos trens, além da manutenção de motores elétricos.
  • Investimento: R$ 165 milhões.
  • Vencedores: Consórcio formado pelas empresas Trail, Tiisa e Consbem, que deverão construir e fornecer todos os equipamentos necessários.
  • Status: a obra está em andamento. A equipe de obras trabalha nas fundações e implantação de estacas.
  • Prazos: o prazo da obra é de 24 meses de obra e seis meses de operação assistida, totalizando 30 meses (março de 2015).
  • Empregos: o novo complexo vai gerar 450 novos empregos.


Cartão Bom nos Trilhos Todas as estações da Linha 8 - Diamante estão integradas com o Cartão BOM
Obras em planejamento Reformas previstas nas estações da Linha 8 - Diamante
  • Jardim Belval, Jd. Silveira, Quitaúna. Contrato assinado. Em execução as atividades preliminares e atendimento as condicionantes ambientais. Inicio de obras previsto para março/2015.
  • Imperatriz Leopoldina. Obras condicionadas a liberação de recursos para desapropriação. Assinatura do contrato prevista para abril/2015.
  • Comandante Sampaio e Miguel Costa. Assinatura de contrato prevista para abril/2015. As obras devem iniciar 4 meses após a assinatura do contrato, tempo estimado para atividades preliminares (canteiros, alvarás e atendimento as condicionantes ambientais)
  • Sagrado Coração de Jesus. Edital publicado em 02/12/2014. Contrato previsto para assinatura em março/2015. . As obras devem iniciar 4 meses após a assinatura do contrato, tempo estimado para atividades preliminares (canteiros, alvarás e atendimento as condicionantes ambientais)

Extensão até Alphaville: a CPTM estuda a implantação desse serviço ligando os municípios Barueri e Carapicuíba. Em 17 de agosto de 2012, foi publicado edital visando contratar empresa para prestação de serviços de engenharia e arquitetura para a elaboração de projeto funcional e estudos de viabilidade ambiental e econômico-financeira para atender Alphaville e Tamboré, no Município de Barueri.

  • Projeto Funcional: o contrato do projeto funcional foi assinado em 19/04/13 com o Consórcio Oficina/Setec, vencedor da licitação. O projeto funcional será elaborado em até 12 meses(estudos em desenvolvimento. Prazo segundo semestre de 2014, está sendo feito aditivo de prazo.), a partir da data desta assinatura. A definição de número de estações, assim como outros detalhes do projeto, só será decidida após a realização dos estudos, que foram contratados.
  • Propostas: as propostas das empresas interessadas no certame foram recebidas no dia 17 de janeiro de 2013.
  • Habilitação do Consórcio: em 21 de fevereiro de 2013, foi publicado no Diário Oficial a habilitação do Consórcio Oficina Setec, formado pelas empresas Oficina Engenheiros Consultores Associados Ltda e Setec Hidrobrasileira Obras e Projetos, que vai elaborar projeto funcional e os estudos de viabilidade para uma ligação da Linha 8 - Diamante com a região de Alphaville.
  • Homologação: a homologação foi publicada no Diário Oficial, no dia 12 de março de 2013, o valor total é de R$ 1,03 milhão (base: setembro/2012).Objeto: prestação de serviços de engenharia e arquitetura para a elaboração de projeto funcional e estudos de viabilidade ambiental e econômico-financeira de um novo serviço para atendimento à Alphaville e Tamboré, no município de Barueri.Adjudicado: Consórcio Oficina Setec
  • Início de operação: a expectativa é que esse serviço entre em operação após 2015.
36 Trens novos frota dessa linha foi totalmente modernizada. Em 2010 o governo firmou uma PPP para a aquisição de 36 trens de oito carros cada um, totalizando 288 carros, incluindo a manutenção dos veículos por 20 anos. O projeto com investimentos de R$ 1,8 bilhão da vencedora da PPP, o consórcio formado pelas empresas CAF S.A. a CAF Brasil e a ICF. O maior diferencial desses 36 trens, da PPP, é o sistema com passagem livre entre os carros, o que proporciona mais espaço interno e conforto.
  • Características dos trens: fabricados pela CAF, na unidade em Hortolândia, os trens contam com oito carros e salão contínuo de passageiros (passagem livre entre os carros). As composições têm 170 m de comprimento, são acessíveis para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida e dotadas de dispositivos para orientar usuários com deficiência auditiva (mapa dinâmico) e visual (áudio). Além disso, possuem sistema de monitoramento por meio de câmeras instaladas no interior e na parte externa.
Novos Trens para a CPTM Desde 2006, a CPTM comprou 105 trens; já foram entregues 104, sendo 38 pela gestão anterior (2007/2010) e 66 pelo governador Alckmin em 2011/2014.
Aquisição de Novos Trens Para reforçar a frota e chegar aos 132 trens previstos, o Governo de São Paulo autorizou, em 03 de agosto de 2012, iniciar a concorrência nacional para aquisição de 65 trens. Inicialmente estavam previstos 55, mas foi realizada uma audiência pública complementar em 14 de maio de 2012 (a primeira foi realizada em novembro de 2011), para a aquisição de 65 trens com 8 carros cada um (dez a mais do que o previsto inicialmente).

Sessão Pública: a Sessão Pública para a abertura do envelope “B” (documentos para habilitação) aconteceu no dia 20/06/2013. No dia 1º de agosto de 2013, foi assinado o contrato com a CAF, no lote de 35 trens e a no dia 09 de agosto assinou com a Huyndai / Iesa, no lote de 30 trens. Prazos: Os vencedores terão o prazo de 18 meses, a contar da data da ordem de serviço, para entregar o primeiro trem e 36 meses para o último. Propostas vencedoras:

  • Lote 1 (30 trens) ganho pelo consórcio Huyndai / Iesa. Valor Orçado: R$ 904.417.199,28. Valor Ofertado: R$ 1.193.096.999,03 – Consorcio CAF / ALSTON
  • Lote 2 (35 trens) ganho pela CAF. Valor Orçado: R$ 1.047.975.484,88.Valor Ofertado: R$ 1.011.478.243,33 – CAF Brasil
Características dos 65 trens As novas composições têm 170 metros de comprimento, estão equipadas com sistema de monitoramento por meio de câmeras instaladas no interior e na parte externa, ar condicionado e design interno diferenciado, com salões contínuos de passageiros (passagem livre entre os carros). Além disso, são acessíveis para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida e dotados de dispositivos para orientar usuários com deficiências auditiva (mapa dinâmico) e visual (áudio). Há também espaço reservado para cadeirantes.


Atualizado em: 05 de dezembro de 2014
Linha9.jpg
Características 31,8 km. 18 estações, Osasco, Presidente Altino, Ceasa, Villa Lobos-Jaguaré, Cidade Universitária, Pinheiros, Hebraica-Rebouças, Cidade Jardim, Vila Olímpia, Berrini, Morumbi, Granja Julieta, Santo Amaro, Socorro, Jurubatuba, Autódromo, Primavera-Interlagos e Grajaú.
Municípios atendidos: São Paulo e Osasco.
Média de passageiros transportados: 500 mil/dia útil.
Investimentos realizados em 2011/2014
  • Investimento realizado em 2011: R$ 89 milhões
  • Investimento realizado em 2012: R$ 151 milhões
  • Investimento realizado em 2013: R$ 81,4 milhões
  • Investimento previsto em 2014: R$ 109,7 milhões
Plano de Mobilidade Urbana: no dia 25 de outubro de 2013, os governos do Estado e Federal firmaram o Plano de Mobilidade Urbana. Serão investidos 5,4 bilhões na construção de trilhos e estações metroferroviárias. Para a CPTM foram contempladas obras da Linha 13 - Jade (R$ 250 milhões), a extensão da Linha 9 - Esmeralda até varginha (R$ 500 milhões) e modernização de 18 estações da CPTM, além da construção da estação de União de Vila Nova, na Linha 12 - Safira (R$ 590 milhões)
Mudança de traçado A CPTM estuda conectar a Linha 9 à região de Lapa, com o objetivo de ampliar e otimizar as conexões da rede ao ligar as linhas 7 - Rubi, 8 - Diamante e 9 - Esmeralda, da CPTM, com a futura Linha 6-Laranja, do Metrô. No entanto, este empreendimento somente se viabiliza com a implantação do novo serviço proposto na região que é o Expresso Oeste-Sul, que ligará de forma rápida as cidades e bairros servidos pelas estações Barueri, Carapicuíba e Osasco a Pinheiros. Portanto, ao deixar de passar pelas estações Osasco e Presidente Altino, o traçado da Linha 9 - Esmeralda seguirá em direção a Água Branca, num trecho de 7,5 km de extensão. Estima-se que a operação neste trecho poderá ter uma oferta de 20 mil lugares por hora/sentido entre Pinheiros e Água Branca. O projeto funcional já foi realizado no âmbito do projeto Expresso Oeste-Sul. A CPTM já iniciou o processo de contratação dos projetos Básico e Executivo, com prazo previsto para emissão de Ordem de Serviço das obras ainda em 2012. Após análise dos projetos e das áreas para junção das 7 - Rubi, 8 - Diamante e 9 - Esmeralda entre Lapa e Barra Funda, bem como as ações institucionais, desapropriações e ambientais para este fim, terão início as obras. A CPTM prevê a conclusão das obras a partir de 2016.
Suprimento de Energia A licitação para expansão e recapacitação das subestações de energia das 6 linhas da CPTM foi concluída, e está dividida em três lotes. As obras permitirão aumentar a capacidade de energia de 183MW para 261MW.

Lote 2, no valor de R$ 164 milhões, envolve as linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda.

Cartão Bom nos Trilhos: Todas as estações da Linha 9 - Esmeralda estão integradas com o Cartão BOM
Obras concluídas Estação Pinheiros: foi ampliada pelo Consórcio Via Amarela para possibilitar a integração entre as linhas 9-Esmeralda e 4-Amarela, a partir de 3 junho de 2011. A plataforma ganhou mais 90 metros de extensão, foram implantadas 4 escadas rolantes e 1 elevador, além de banheiros públicos e exclusivos para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Também foi concluída a passarela externa sobre a Marginal Pinheiros, ligando a Estação da CPTM com a estação da Linha 4 do Metrô. Tanto a nova estrutura da estação Pinheiros como a passarela foram construídas pelo CVA – Consórcio Via Amarela, com custos inseridos no projeto de implantação da Linha 4-Amarela.
Obras em andamento Ampliação da estação Osasco: Com conexão nas linhas 8 - Diamante e 9 - Esmeralda, está sendo ampliada de forma a comportar mais uma plataforma, para melhor atender a demanda. As obras começaram no primeiro semestre de 2010 e tem um custo total de R$ 64,4 milhões, e serão entregues em duas etapas:
  • 1ª etapa entregue em 07 de março de 2012: totalizou cerca de 8 mil m² de obras e contemplou a entrega de 2 novos acessos (norte e sul), que viabilizam a ligação com o centro de Osasco e com a rodoviária, permitindo ao público transpor a via férrea sem passar para a aérea paga, proporcionando mais facilidade e segurança no acesso à estação. Também entraram em operação 5 escadas rolantes (3 novas e 2 existentes que foram reformadas) e 2 elevadores. Os novos acessos e o mezanino dispõem de piso podotátil e sinalização em braile. Esses dispositivos serão instalados no restante da estação na segunda etapa da obra. Em junho de 2012 foi entregue a obra viária do entorno da estação.
  • A licitação da segunda fase depende da rescisão do atual contrato, já em andamento, para a definição dos serviços a serem licitados. A previsão da licitação é para dezembro/14 ou janeiro de 2015.

Construção do Complexo de Manutenção de Presidente Altino:

  • Objetivo: manutenção da frota de trens.
  • Característica: o complexo de 30 mil m² abrigará oficial de revisão e reforma de trens, laboratório eletrônico e armazém. O principal galpão a ser construído terá 15,5 mil m². No local serão realizados simultaneamente os serviços de revisão em seis trens compostos de quatro carros cada. Em outra área de 5,7 mil m² serão feitas pintura e lavagem de componentes e peças utilizadas nos trens, além da manutenção de motores elétricos.
  • Investimento: R$ 165 milhões.
  • Vencedores: Consórcio formado pelas empresas Trail, Tiisa e Consbem, que deverão construir e fornecer todos os equipamentos necessários.
  • Status: a obra está em andamento. A equipe de obras trabalha nas fundações e implantação de estacas.
  • Prazos: o prazo da obra é de 24 meses de obra e seis meses de operação assistida, totalizando 30 meses (março de 2015).
  • Empregos: o novo complexo vai gerar 450 novos empregos.


Extensão da Linha 9 - Esmeralda entre Grajaú e Varginha:: 4,5 quilômetros de Grajaú até Varginha, em direção ao extremo sul de São Paulo. Duas novas estações: Mendes e Varginha. População beneficiada:moradores do extremo sul de São Paulo, Grajaú, Estrada dos Mendes, Varginha, Vila Natal, Jardim Icaraí, Jardim São Bernardo e Conjunto Residencial Palmares. Demanda trecho Grajaú-Varginha: 111 mil passageiros dia/útil.

  • Investimento total: está estimado em cerca de R$ 633 milhões, o que inclui - além das obras civis - os sistemas de sinalização, projetos, desapropriações, entre outros. O Governo do Estado já realizou investimentos da ordem de R$ 160 milhões nessa obra.
  • Edital de pré-qualificação: no dia 15 de novembro de 2012, foi lançado o edital de pré-qualificação para selecionar as empresas interessadas nas obras de extensão.
  • Consórcios vencedores: os consórcios vencedores, que implantarão a extensão foram o THS Esmeralda e TSC Linha 9-Esmeralda.
  • Obras civis contratadas: Com a concorrência, as obras civis foram contratadas em 2013 por R$ 274 milhões, obtendo uma redução em torno de 25% no valor inicialmente previsto (estimado em R$ 368 milhões). Os consórcios vencedores, que estão implantando a extensão foram o THS Esmeralda e TSC Linha 9-Esmeralda.
  • Status: no dia 04 de dezembro de 2014, foi assinado o compromisso com o Governo Federal para o repasse de R$ 500 milhões (PAC)
  • Início das obras e Prazo de conclusão: no dia 23 de setembro de 2013, foi a assinatura do contrato e as obras começaram no dia 16 de novembro. O prazo de conclusão é de 18 meses (2015).
  • Projeto apresentado em Brasília: o governador Geraldo Alckmin se reuniu no dia 8 de julho de 2013, com a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, e o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, em Brasília, para mostrar o projeto de mobilidade urbana. O projeto contempla a extensão da Linha 9 - Esmeralda até varginha.
Obras em Planejamento Nova estação João Dias: a futura estação João Dias deve ser construída em três anos com recursos provenientes da iniciativa privada. É a primeira estação da CPTM que não terá investimento do setor público e a estimativa que custe cerca de R$ 40 milhões, beneficiando 15 mil pessoas por dia. A estação ficará no terreno cedido pela Brookfield, incorporação, responsável pelo empreendimento comercial, que pretende construir também um pequeno shopping. Além de conter uma passarela sobre a Marginal Pinheiros que conectará com a plataforma. O projeto funcional desta nova estação está em fase de elaboração. A CPTM formalizou um instrumento preliminar para elaboração dos projetos e na seqüência será constituído outro instrumento para autorizar a iniciativa privada a construir a nova estação e obter o respectivo licenciamento ambiental.
Novos Trens para a CPTM Desde 2006, a CPTM comprou 105 trens; já foram entregues 104, sendo 38 pela gestão anterior (2007/2010) e 66 pelo governador Alckmin em 2011/2014.
Aquisição de Novos Trens Para reforçar a frota e chegar aos 132 trens previstos, o Governo de São Paulo autorizou, em 03 de agosto de 2012, iniciar a concorrência nacional para aquisição de 65 trens. Inicialmente estavam previstos 55, mas foi realizada uma audiência pública complementar em 14 de maio de 2012 (a primeira foi realizada em novembro de 2011), para a aquisição de 65 trens com 8 carros cada um (dez a mais do que o previsto inicialmente).

Sessão Pública: a Sessão Pública para a abertura do envelope “B” (documentos para habilitação) aconteceu no dia 20/06/2013. No dia 1º de agosto de 2013, foi assinado o contrato com a CAF, no lote de 35 trens e a no dia 09 de agosto assinou com a Huyndai / Iesa, no lote de 30 trens. Prazos: Os vencedores terão o prazo de 18 meses, a contar da data da ordem de serviço, para entregar o primeiro trem e 36 meses para o último. Propostas vencedoras:

  • Lote 1 (30 trens) ganho pelo consórcio Huyndai / Iesa. Valor Orçado: R$ 904.417.199,28. Valor Ofertado: R$ 1.193.096.999,03 – Consorcio CAF / ALSTON
  • Lote 2 (35 trens) ganho pela CAF. Valor Orçado: R$ 1.047.975.484,88.Valor Ofertado: R$ 1.011.478.243,33 – CAF Brasil
Características dos 65 trens As novas composições têm 170 metros de comprimento, estão equipadas com sistema de monitoramento por meio de câmeras instaladas no interior e na parte externa, ar condicionado e design interno diferenciado, com salões contínuos de passageiros (passagem livre entre os carros). Além disso, são acessíveis para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida e dotados de dispositivos para orientar usuários com deficiências auditiva (mapa dinâmico) e visual (áudio). Há também espaço reservado para cadeirantes.
Redução da tarifa A partir de 15 de outubro de 2012,a tarifa nas Linhas Linha 5-Lilás do Metrô e na 9-Esmeralda da CPTM foi reduzida, entre 9h e 10h da manhã. Normalmente, o preço é R$ 3, mas neste horário vai passar a ser R$ 2,50. Então, vai ser uma economia de 50 centavos, ou 17%, em todas as viagens feitas nesse horário. É o mesmo valor da Tarifa do Madrugador, que já está em vigor há três anos e vale do início das operações até 5h34, na CPTM, e até 06h14, no Metrô.
Novas Tarifas
O passageiro que Quanto paga(até o dia 14/10/12) Quanto paga (A partir 15/10/12) Economia Mensal Economia Anual
Utiliza L9 (CPTM) ou L5 (Metrô) entre 9h e 10h
3,00
2,50
11,00
132,00
Faz integração com o ônibus na Estação Largo 13 da L5

no horário normal

4,65 (3,00 + 1,65)
3,00
72,60
871,20
Faz integração com o ônibus na Estação Largo 13 da L5 no horário madrugador
4,15 (2,50 + 1,65)
2,50
72,60
871,20
Usa os dois benefícios (L5 ou L9 entre 9h e 10h

+ integração gratuita na Estação Largo13)

4,65
2,50
47,30
567,60
Obs.: o cálculo leva em conta 22 dias úteis, ida e volta. No caso da redução entre 9h e 10h, é preciso lembrar que não há o desconto na volta para casa.

Fonte: secretário do Transportes Metropolitanos,Jurandir Fernandes




Atualizado em: 13 de novembro de 2014
10b.jpg
Características Com 34 km de extensão, possui 13 estações - Brás e Tamanduateí (ambas com integração com o Metrô), Mooca, Ipiranga, São Caetano, Utinga, Prefeito Saladino, Santo André, Capuava, Mauá, Guapituba, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra. Dessas, três são tombadas (Luz, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra).
Municípios atendidos São Paulo, São Caetano do Sul, Santo André, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra.
Média passageiros transportados 400 mil nos dias úteis.
Investimento realizados em 2011/2014
  • Investimento realizado em 2011: R$ 263,5 milhões
  • Investimento realizado em 2012: R$ 84,8 milhões
  • Investimento realizado em 2013: R$ 54,7 milhões
  • Investimento previsto para 2014: R$ 57,9 milhões
Suprimento de energia A licitação para expansão e recapacitação das subestações de energia das 6 linhas da CPTM foi concluída, e está dividida em três lotes.O Consórcio Linhas Leste, composto pelas empresas Siemens e MPE – Montagens e Projetos Especiais, venceu o certame e executará o trabalho nas linhas 11-Coral e 12-Safira
  • Lote 3, no valor de R$ 117 milhões, abrange as linhas 7-Rubi e 10-Turquesa.Prazo de conclusão: três anos, a contar da data da emissão da Ordem de Serviço (OS), em 02 de agosto de 2012. As obras permitirão aumentar a capacidade de energia de 183MW para 261MW.
Plano de Mobilidade Urbana No dia 25 de outubro de 2013, os governos do Estado e Federal firmaram o Plano de Mobilidade Urbana. Serão investidos 5,4 bilhões na construção de trilhos e estações metroferroviárias. Para a CPTM foram contempladas obras da Linha 13 - Jade (R$ 250 milhões), a extensão da Linha 9 - Esmeralda até varginha (R$ 500 milhões) e modernização de 18 estações da CPTM, além da construção da estação de União de Vila Nova, na Linha 12 - Safira (R$ 590 milhões)
Modernização das 18 estações Na Linha 7 - Rubi (Botujuru, Caieiras, Baltazar Fidélis, Campo Limpo Paulista, Pirituba, Perus e Várzea Paulista), na Linha 10 - Turquesa (Guapituba, Ribeirão Pires, Ipiranga, Utinga, Prefeito Saladino e Rio Grande da Serra), na Linha 11-Coral (Antonio Gianetti Neto, Estudantes e Mogi das Cruzes) e na Linha 12 - Safira (Itaquaquecetuba e Engenheiro Manoel Feio).
PAC da Mobilidade A publicação dos editais para as obras das 6 estações contempladas está condicionada à liberação dos recursos orçamentários previstos pelo PAC da Mobilidade. Os termos de compromisso que impactam na transferência de recursos ainda não foram assinados. Dessa forma, a publicação dos editais foi revista, alterando o cronograma inicial.
Cartão Bom nos Trilhos Todas as estações da Linha 10 - Turquesa estão integradas com o Cartão BOM
Integração Tarifária Mauá Teve início em 20/09/14, a integração tarifária entre ônibus municipais de Mauá e a estação Mauá da CPTM. A Prefeitura instalou os validadores e realizou os testes. Esta integração responde a um Convênio firmado, em 02/12/2013, entre a CPTM e a Prefeitura de Mauá, que utiliza o cartão Sim. A resolução sobre a tarifa integrada foi publicada pela STM – Secretaria dos Transportes Metropolitanos. Desde o dia 30/08/14, o Cartão BOM é aceito em todas as estações do Metrô e da CPTM, com integração tarifária.
Obras Concluídas Estação Tamanduateí: inaugurada em 21 de setembro de 2010, custou R$ 30,2 milhões e está integrada à Linha 2-Verde do Metrô. A nova estação Tamanduateí tem 10.854 m² e está entre as cinco maiores da CPTM. O movimento diário é de 70 mil passageiros, ante uma média de 13 mil na unidade antiga. A estação foi construída a 300 m da antiga, que foi demolida. Com arquitetura arrojada, é totalmente acessível e dispõe de 4 elevadores, mapa e rota táteis, comunicação em braille, sanitários públicos e p/ pessoas com deficiência, além de 10 escadas rolantes inteligentes.

Passarela: A Passarela Parque das Américas foi entregue no dia 15/10/14. Localizada no km 26, a cerca de 1.500 metros da Estação Mauá, liga as avenidas Capitão João, altura do nº 1.500, e Brasil, altura do nº 250, permitindo maior mobilidade entre os moradores e segurança na travessia das vias. O investimento foi de aproximadamente R$ 2,6 milhões. A travessia conta com todos os itens de acessibilidade, iluminação e guarda-corpo de aço galvanizado, rampas e escadas. A CPTM implantou a passarela e, por meio de convênio, entrega sua operação à Prefeitura de Mauá, que terá como atribuições a manutenção, iluminação, segurança e limpeza.

Obras em Planejamento Das 12 estações, seis estações já têm projetos e aguardam assinatura de convênio do PAC Mobilidade. Assinado, a CPTM licita as obras. Previsão de início das obras: 1º semestre de 2015, a depender da assinatura do convênio (de recursos do PAC).

Estações com recursos do PAC:

  • Estações pré-qualificação de obras realizadas (tempo de licitação é de 3 meses): Guapituba, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra (projeto executivo em conclusão);
  • Estações com previsão de processo de licitação sem pré-qualificação (tempo de licitação é 6 meses): Ipiranga, Utinga e Prefeito Saladino (projetos executivos concluídos);

Estações sem recursos do PAC

  • Estações com Projetos em elaboração e previsão de licitação em 1º sem/15: São Caetano, Mauá, Capuava e Santo André;
  • Estação Mooca em processo de contratação de projetos básico e executivo.
  • Estação Brás: os projetos básico e executivo de ampliação do mezanino e implantação de nova passarela de interligação das plataformas da Linha 10-Turquesa com as linhas 11-Coral e 12-Safira estão em fase de conclusão.
Antiga Parada Pirelli A CPTM esclarece que a mesma não será reaberta. O projeto funcional da futura Linha 14-Ônix (Guarulhos-ABC) indicou a viabilidade da implantação da nova Estação ABC, com integração na Linha 10-Turquesa, nas proximidades de onde funcionava a antiga Parada Pirelli. A definição exata do local será conhecida após a conclusão dos projetos básico e executivos, em fase de procedimentos para contratação, bem como após entendimentos com os municípios, uma vez que sua localização deve estar em conformidade com os planos municipais.
Alteração do trajeto da estação Luz para o Brás Desde 06 de agosto de 2011, os trens da Linha 10 - Turquesa deixaram de chegar à estação da Luz e passaram a finalizar a viagem na estação Brás. Para seguir até a estação da Luz, os usuários que desembarcam em Brás fazem transferência para os trens do Expresso Leste (Linha 11) e assim chegam à centenária Luz.

Inicialmente, a mudança foi motivada pelas obras de modernização dos trilhos da Linha 10, na região da Luz. No entanto, com a entrada em operação da Linha 4-Amarela, houve crescimento da demanda e operacionalmente ficou mais seguro e ágil manter a Linha 10 em Brás definitivamente.

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos informa que estuda a possibilidade de a Linha 10 voltar a fazer embarque e desembarque na estação da Luz. Isso poderá ocorrer caso o Expresso ABC, que se encontra na fase dos projetos básico e executivo, não seja implantado até 2014.

Novos Trens para a CPTM Desde 2006, a CPTM comprou 105 trens; já foram entregues 104, sendo 38 pela gestão anterior (2007/2010) e 66 pelo governador Alckmin em 2011/2014.
Aquisição de Novos Trens Para reforçar a frota e chegar aos 132 trens previstos, o Governo de São Paulo autorizou, em 03 de agosto de 2012, iniciar a concorrência nacional para aquisição de 65 trens. Inicialmente estavam previstos 55, mas foi realizada uma audiência pública complementar em 14 de maio de 2012 (a primeira foi realizada em novembro de 2011), para a aquisição de 65 trens com 8 carros cada um (dez a mais do que o previsto inicialmente).

Sessão Pública: a Sessão Pública para a abertura do envelope “B” (documentos para habilitação) aconteceu no dia 20/06/2013. No dia 1º de agosto de 2013, foi assinado o contrato com a CAF, no lote de 35 trens e a no dia 09 de agosto assinou com a Huyndai / Iesa, no lote de 30 trens. Prazos: Os vencedores terão o prazo de 18 meses, a contar da data da ordem de serviço, para entregar o primeiro trem e 36 meses para o último. Propostas vencedoras:

  • Lote 1 (30 trens) ganho pelo consórcio Huyndai / Iesa. Valor Orçado: R$ 904.417.199,28. Valor Ofertado: R$ 1.193.096.999,03 – Consorcio CAF / ALSTON
  • Lote 2 (35 trens) ganho pela CAF. Valor Orçado: R$ 1.047.975.484,88.Valor Ofertado: R$ 1.011.478.243,33 – CAF Brasil
Características dos 65 trens As novas composições têm 170 metros de comprimento, estão equipadas com sistema de monitoramento por meio de câmeras instaladas no interior e na parte externa, ar condicionado e design interno diferenciado, com salões contínuos de passageiros (passagem livre entre os carros). Além disso, são acessíveis para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida e dotados de dispositivos para orientar usuários com deficiências auditiva (mapa dinâmico) e visual (áudio). Há também espaço reservado para cadeirantes.


Status: a CPTM informa que as obras deverão ter início a partir da conclusão dos projetos básico e executivo das estações, ainda sem previsão.

Liberação do uso da faixa: CPTM Juntamente com a Secretaria dos Transportes Metropolitanos, ainda mantém entendimento com a Secretaria do Patrimônio da União e a ANTT (Associação Nacional dos Transportes Terrestres) para equacionar o uso da faixa ferroviária para implantação desse projeto.

Estudo e definição da modelagem: em 2011, o Expresso ABC obteve aprovação preliminar no Conselho Gestor das Parcerias Público-Privadas (PPP’s), que autorizou o aprofundamento dos estudos e definição de modelagem para que o projeto seja submetido à aprovação final do conselho gestor.

MIP: a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) esclarece que continua desenvolvendo os estudos para esse projeto, que serão considerados para a MIP dos trens regionais, caso esta venha a se consolidar.

Obs da CPTM: os prazos acima serão cumpridos desde que todas as etapas transcorram normalmente, sem entraves burocráticos ou jurídicos.



Atualizado em: 07 de novembro de 2014
112012b.jpg
Características 16 estações num percurso com 50,8 km. No trecho Luz/Guaianazes (Expresso Leste) são 24 km e no trecho Guaianazes/Estudantes 26,8 km.
Municípios atendidos São Paulo, Ferraz de Vasconcelos, Poá, Suzano e Mogi Das Cruzes.
Média de passageiros transportados 600 mil/dia útil.
Novo horário de funcionamento No dia 29 de julho de 2014, os secretários de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Julio Semeghini, e dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, e o presidente do Metrô, Luiz Antonio Carvalho Pacheco se reuniram com o presidente do Corinthians, Mario Gobbi, e o ex-presidente Andrés Sanchez para discutir a questão da mobilidade dos torcedores que frequentam a Arena Corinthians. Foi definido que, excepcionalmente para os jogos que começarem às 22h nos dias de semana, as estações Itaquera e Artur Alvim fecharão às 00h30min (com integração garantida), tempo mais que suficiente para o deslocamento dos torcedores. Além disso, a CPTM já conta com um trem que passa às 00h50 em Itaquera com destino às estações Tatuapé, Brás e Luz.
Investimentos realizados em 2011/2014
  • Investimento realizado em 2011: R$ 171,3 milhões
  • Investimento realizado em 2012: R$ 122,3 milhões
  • Investimento realizado em 2013: R$ 92,5 milhões
  • Investimento previsto para 2014: R$ 73,5 milhões
Cartão BOM Todas as estações da Linha 11 - Coral estão integradas com o Cartão BOM
Suprimento de energia A licitação para expansão e recapacitação das subestações de energia das 6 linhas da CPTM foi concluída, e está dividida em três lotes.O Consórcio Linhas Leste, composto pelas empresas Siemens e MPE – Montagens e Projetos Especiais, venceu o certame e executará o trabalho nas linhas 11-Coral e 12-Safira
  • Lote 1, no valor de R$ 105 milhões, irá beneficiar as linhas 11-Coral e 12-Safira.
Expresso Leste O serviço Expresso Leste, que hoje atende o trajeto Luz-Guaianazes, será estendido até Suzano. Para isso, estão sendo reconstruídas as estações Suzano e Ferraz, além da modernização da infraestrutura, com nova sinalização e recapacitação do sistema de energia.
Obras em andamento Modernização da estação Poá: Término: 1º semestre de 2015. Valor: R$ 16 milhões. já foi concluído o mezanino, sob as plataformas, onde estarão bilheterias blindadas, bloqueios, sanitários para os usuários, vestiários para empregados e salas operacionais. No outro anexo, estão as salas técnicas e a torre de reservatório de água. Nas salas técnicas estão sendo executadas a concretagem das canaletas, o acabamento interno das caixas de passagem da rede de dutos e a elevação de alvenaria. Além disso, também foi iniciada a implantação da estrutura que suportará as telhas metálicas da platibanda (vedação vertical do telhado) da estação. A nova estação contará com plataformas cobertas, duas escadas rolantes e todos os itens de acessibilidade, como quatro elevadores, piso podotátil, comunicação em Braille, corrimãos e rampas adequados, além de banheiros públicos comuns e exclusivos para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.

Em relação à plataforma que atende sentido Calmon Viana, a mesma está em uso desde janeiro deste ano. Já a plataforma que servirá o sentido Ferraz de Vasconcelos está prevista para entrar em operação a partir de novembro. A reforma da Estação Poá é semelhante a da Estação Calmon Viana, uma vez que não foi necessário implantar estação provisória, como em Suzano.

Reconstrução da estação Suzano: Término: 1º semestre de 2015. Valor: R$ 46 milhões. O prazo para conclusão das obras da Estação Suzano foi readequado em razão de entraves não previstos durante os processos de desapropriação, especificamente de três imóveis localizados em áreas distintas e que interferiram no andamento dos trabalhos, além das obras de segregação do transporte de carga. No mês de outubro de 2014, foram iniciados os serviços de acabamento das salas técnicas. Além disso, prossegue a aplicação do piso de porcelanato no mezanino e plataforma 2, com previsão de conclusão até o final de novembro. Também seguem os trabalhos de implantação da estrutura metálica, bem como a cobertura e fechamento laterais da estação, além da construção do acesso Norte. A execução do acesso Norte, que dá para a Rua Jorge Bey Maluf, continua sendo realizada, para posteriormente ter início a implantação dos elevadores e escadas fixas.

  • Demolição da passarela da estação Suzano: em agosto de 2014, a CPTM rescindiu unilateralmente o contrato com a empresa vencedora pelo não cumprimento das cláusulas contratuais. A Companhia reabrirá um novo processo licitatório com base na especificação existente para demolição das passarelas, tendo como prazo de contratação abril de 2015. Em relação a demolição de parte da passarela, que impactava nas obras de segregação das vias para o tráfego de trens de carga, a própria MRS fez a demolição do pedaço que interessava a eles remover.

Reconstrução da estação Ferraz de Vasconcelos: as obras da estação Ferraz de Vasconcelos sofreram interferências em razão da necessidade de readequação de uma galeria do sistema de águas pluviais do lado sul, que impossibilitava a conclusão da implantação da nova infraestrutura da via férrea, cujo traçado precisou ser modificado para receber a nova plataforma da estação. Outro fator que impactou na alteração do cronograma foi a implantação da passarela provisória de transposição da via que, por estar numa área de preservação permanente, exigiu a aprovação da CETESB autorizando a realização da obra. As equipes permanecem mobilizadas nos serviços de acabamento da obra dos acessos, que incluem a execução do piso da escada fixa, a finalização do poço do elevador, o tratamento do concreto da parte superior dos acessos e os preparativos para a instalação das escadas rolantes. Também está em fase de execução o contra piso do mezanino e plataforma.

  • Início: 2010.
  • Término: 1º sem/15
  • Valor: R$ 41,8 milhões.
Obras em Planejamento

Reconstrução da Estação Antônio Gianetti Neto.

  • Situação: Propostas recebidas em março, da pré-qualificação. Edital de contratação de obras aguardando liberação de recursos orçamentários do PAC.
  • Valor: R$ 60 milhões.

Reconstrução das Estações Mogi das Cruzes e Estudantes.

  • Situação: Pré-qualificação finalizada, editais para contratação das obras aguardando liberação de recursos orçamentários do PAC.
  • Valor: R$ 100 milhões (Mogi) / Valor: R$ 50 milhões. (Estudantes)

Reconstrução das Estações Jundiapeba e Brás Cubas.

  • Situação: em janeiro a CPTM assinou contrato para elaboração dos projetos básico e executivo, com previsão de conclusão até o fim de 2014. A publicação do edital de obras está previsto para o 1º sem/15.
  • Valor: R$ 30 milhões (Jundiapeba) / Valor: R$ 30 milhões. (Brás Cubas)
Nove novos trens Já foram entregues 8 novas composições para a Linha 11-Coral/Expresso Leste. O último trem deverá ser entregue até o final do ano.

Cronograma de entrega dos trens:

  • 29/04/2014 – 2 composições
  • 09/04/2014 – 2 composições
  • 17/06/2014 – 2 composições
  • 04/11/2014 – 2 composições

Características: fabricadas pela ALSTOM. Investimento: R$ 280 milhões. As composições são equipadas com tecnologia de ponta, ar-condicionado, câmeras de vigilância, itens de acessibilidade e terão como diferencial salão contínuo de passageiros, ou seja, a passagem livre entre os vagões.

Cancelas O município de Mogi tem 6 passagens em nível (PN), das quais 4 (Jundiapeba, Campos Salles, Cabo Diogo e Deodato Wetheiner) operadas pela CPTM e 2 (Av. Valentina Mello Freire, conhecida como Caravelas, e Av. Cavalheiro Nami Jafet) pela prefeitura. Em acordo com a prefeitura de Mogi das Cruzes, ficou estabelecido que a CPTM assumirá o controle dessas 2 PN tão logo o município conclua a instalação dos semáforos que funcionarão em conjunto com a sinalização ferroviária. A CPTM tem mantido reuniões com a prefeitura, que já executou os lançamentos de cabos e as ligações necessárias à sincronização.

Desde final de setembro de 2012, o a PN da avenida Valentina Mello Freire (Caravelas) já está operando com a sinalização semafórica municipal sincronizada à sinalização ferroviária. Quanto a PN Nami Jafet, a infra estrutura interna à ferrovia está concluída faltando a instalação dos semáforos, para os quais a prefeitura não informou um prazo definido. Por esse motivo, a CPTM ainda não assumiu as cancelas e aguarda a conclusão da sinalização também na cancela da PN Nami Jafet.

Eliminação das cancelas: as cancelas da CPTM em Mogi das Cruzes serão eliminadas até junho de 2015, segundo o prefeito da cidade. A previsão, no entanto, só será cumprida se o município cumprir suas atribuições, como a construção de um túnel no local da atual Estação Central, a ser deslocada pela CPTM. A companhia prevê entregar a Estação Central até o final de 2014.

Integração Gratuita A partir do dia 22 de outubro de 2012, quem pagava R$ 3,00 para fazer a integração nas estações Corinthians-Itaquera e Tatuapé da Linha 3-Vermelha do Metrô com as linhas 11-Coral e 12-Safira da CPTM e vice-versa, faz a transferência gratuita em alguns horários. A nova medida proporciona economia e mais opções para a população que utiliza o transporte metroferroviário. Desde a implantação, 1,8 milhão de passageiros foram beneficiados com a medida

Mais de duas hora: a partir do dia 21 de janeiro de 2013, a integração gratuita entre as estações Corinthians-Itaquera e Tatuapé da Linha 3-Vermelha do Metrô, para as 11-Coral e 12-Safira da CPTM ganha duas hora a mais e vai das 10h às 17h nos dias úteis.

  • De segunda a sexta, o benefício vale das 10h às 17 h e também à noite, a partir das 20 h.
  • Aos sábados, a integração livre nas duas estações acontece a partir das 15 h
  • Nos domingos e feriados, a integração gratuita está liberada durante todo o dia.
Novos Trens para a CPTM Desde 2006, a CPTM comprou 105 trens; já foram entregues 104, sendo 38 pela gestão anterior (2007/2010) e 66 pelo governador Alckmin em 2011/2014.
Aquisição de Novos Trens Para reforçar a frota e chegar aos 132 trens previstos, o Governo de São Paulo autorizou, em 03 de agosto de 2012, iniciar a concorrência nacional para aquisição de 65 trens. Inicialmente estavam previstos 55, mas foi realizada uma audiência pública complementar em 14 de maio de 2012 (a primeira foi realizada em novembro de 2011), para a aquisição de 65 trens com 8 carros cada um (dez a mais do que o previsto inicialmente).

Sessão Pública: a Sessão Pública para a abertura do envelope “B” (documentos para habilitação) aconteceu no dia 20/06/2013. No dia 1º de agosto de 2013, foi assinado o contrato com a CAF, no lote de 35 trens e a no dia 09 de agosto assinou com a Huyndai / Iesa, no lote de 30 trens. Prazos: Os vencedores terão o prazo de 18 meses, a contar da data da ordem de serviço, para entregar o primeiro trem e 36 meses para o último. Propostas vencedoras:

  • Lote 1 (30 trens) ganho pelo consórcio Huyndai / Iesa. Valor Orçado: R$ 904.417.199,28. Valor Ofertado: R$ 1.193.096.999,03 – Consorcio CAF / ALSTON
  • Lote 2 (35 trens) ganho pela CAF. Valor Orçado: R$ 1.047.975.484,88.Valor Ofertado: R$ 1.011.478.243,33 – CAF Brasil
Características dos 65 trens As novas composições têm 170 metros de comprimento, estão equipadas com sistema de monitoramento por meio de câmeras instaladas no interior e na parte externa, ar condicionado e design interno diferenciado, com salões contínuos de passageiros (passagem livre entre os carros). Além disso, são acessíveis para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida e dotados de dispositivos para orientar usuários com deficiências auditiva (mapa dinâmico) e visual (áudio). Há também espaço reservado para cadeirantes.


Atualizado em: 17 de novembro de 2014
112012c.jpg
Características Com 38,8 km de extensão entre Brás e Calmon Viana (Poá), atende três municípios (Capital, Poá e Itaquaquecetuba). Possui 13 estações (Brás, Tatuapé, Engº Goulart, USP Leste, Comendador Ermelino, São Miguel, Jd. Helena-Vila Mara, Itaim Paulista, Jd. Romano, Engº Manoel Feio, Itaquaquecetuba, Aracaré, Calmon Viana).
Média de passageiros transportados 220 mil/dia útil.
Investimentos realizados em 2011/2014
  • Investimento realizado em 2011: R$ 57 milhões
  • Investimento realizado em 2012: R$ 46,7 milhões
  • Investimento realizado em 2013: R$ 30,6 milhões
  • Investimento previsto para 2014: R$ 50,6 milhões
Plano de Mobilidade Urbana No dia 25 de outubro de 2013, os governos do Estado e Federal firmaram o Plano de Mobilidade Urbana. Serão investidos 5,4 bilhões na construção de trilhos e estações metroferroviárias. Para a CPTM foram contempladas obras da Linha 13 - Jade (R$ 250 milhões), a extensão da Linha 9 - Esmeralda até varginha (R$ 500 milhões) e modernização de 18 estações da CPTM, além da construção da estação de União de Vila Nova, na Linha 12 - Safira (R$ 590 milhões)
Modernização das 18 estações Na Linha 7 - Rubi (Botujuru, Caieiras, Baltazar Fidélis, Campo Limpo Paulista, Pirituba, Perus e Várzea Paulista), na Linha 10 - Turquesa (Guapituba, Ribeirão Pires, Ipiranga, Utinga, Prefeito Saladino e Rio Grande da Serra), na Linha 11-Coral (Antonio Gianetti Neto, Estudantes e Mogi das Cruzes) e na Linha 12 - Safira (Itaquaquecetuba e Engenheiro Manoel Feio).
Suprimento de energia A licitação para expansão e recapacitação das subestações de energia das 6 linhas da CPTM foi concluída, e está dividida em três lotes.O Consórcio Linhas Leste, composto pelas empresas Siemens e MPE – Montagens e Projetos Especiais, venceu o certame e executará o trabalho nas linhas 11-Coral e 12-Safira
  • Lote 1, no valor de R$ 105 milhões, irá beneficiar as linhas 11-Coral e 12-Safira.
Cartão BOM Todas as estações da Linha 12 - Safira estão integradas com o Cartão BOM.
Obras Concluídas
  • Reconstrução da estação São Miguel Paulista: Início de operação comercial: 29 de julho parcialmente e 5 de agosto totalmente, pelas duas vias. Investimento: R$ 46 milhões. Estação provisória: não foi necessário implantá-la.
  • Construção do acesso norte da estação São Miguel Paulista: Em 10/setembro/13, foi contratada a Tecla Construções Ltda. p/ construção do acesso Norte. Valor: R$ 3,1 milhões. Entrega: outubro/14.
Obras em Andamento Reconstrução da Estação Engenheiro Goulart. Início das obras: 23/06/2014. Previsão de conclusão em 18 meses. Investimento: R$ 362,3 milhões. Essa estação ficará fechada e os usuários deverão utilizar a estação USP Leste. A CPTM disponibilizará, gratuitamente, ônibus exclusivos para o trajeto entre as estações Eng. Goulart e Usp Leste, durante o horário de operação dos trens, entre 4h e meia-noite. A interdição é necessária para a realização das obras de implantação da Linha 13 - Jade.
Obras em Planejamento Pré-qualificação das obras nas estações: as novas edificações terão plataformas cobertas, escadas rolantes e todos os itens de acessibilidade (elevadores, piso e rota táteis, comunicação em Braille, corrimãos e rampas adequadas). Além de banheiros públicos comuns, também terá sanitários exclusivos para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Outro item é a passarela de transposição à via férrea, em área não-paga, aberta 24 horas e iluminada.
  • União de Vila Nova: edital das obras Propostas recebidas em março/2014, assinatura de contrato prevista para este semestre, condicionada à liberação de recursos orçamentários do PAC para serem confirmados).Valor estimado: R$ 60 milhões.
  • Estação Itaquaquecetuba: pré-qualificação concluída, guardando liberação de recursos orçamentários do PAC para publicar edital de contratação de obras. Valor: R$ 35 milhões
  • Estação Manoel Feio: pré-qualificação concluída, aguardando liberação de recursos orçamentários do PAC para publicar edital de contratação de obras. Valor: R$ 30 milhões
  • Reconstrução da Estação Aracaré. a CPTM concluiu o projeto funcional e está preparando a documentação para início de licitação para contratação dos projetos básico e executivo. Edital esta previsto para ser publicado no 1º sem/15.
Obras para segregação de vias para trens e carga MRS Estão sendo realizadas obras em um trecho de 12 km na Linha 12 - Safira, entre as estações Manoel Feio e Suzano para segregação dos trens de carga. O convênio entre a CPTM e a MRS Logística S.A. foi assinado em 15 de outubro de 2010, com as condições de implantação da segregação das operações de transporte ferroviário de passageiros e cargas, no Projeto da Segregação Leste. AS obras são de responsabilidade da MRS. Não há prazo previsto.
Passarelas de acesso Entre 2011 e 2012 o Governo do Estado implantou 10 novas passarelas de acesso. Todas as novas travessias contam com itens de acessibilidade, iluminação, além de acessos por meio de rampas e escadas para transposição, em segurança, da via férrea. Passarelas já entregues: km 11, na Penha; km 25 entre São Miguel Paulista e Itaim; km 26 entre São Miguel Paulista e Itaim; km 31 entre São Miguel Paulista e Itaim; km 33 em Itaquaquecetuba; km 35 também em Itaquaquecetuba; kms 38 e 40 em Poá; kms 28 e 29 no trecho entre São Miguel Paulista e Itaim Paulista. O investimento total foi de R$ 20 milhões.
Integração Gratuita A partir do dia 22 de outubro de 2012, quem pagava R$ 3,00 para fazer a integração nas estações Corinthians-Itaquera e Tatuapé da Linha 3-Vermelha do Metrô com as linhas 11-Coral e 12-Safira da CPTM e vice-versa, faz a transferência gratuita em alguns horários. A nova medida proporciona economia e mais opções para a população que utiliza o transporte metroferroviário. Desde a implantação, 1,8 milhão de passageiros foram beneficiados com a medida

Mais de duas hora: a partir do dia 21 de janeiro de 2013, a integração gratuita entre as estações Corinthians-Itaquera e Tatuapé da Linha 3-Vermelha do Metrô, para as 11-Coral e 12-Safira da CPTM ganha duas hora a mais e vai das 10h às 17h nos dias úteis.

  • De segunda a sexta, o benefício vale das 10h às 17 h e também à noite, a partir das 20 h.
  • Aos sábados, a integração livre nas duas estações acontece a partir das 15 h
  • Nos domingos e feriados, a integração gratuita está liberada durante todo o dia.
Novos Trens para a CPTM Desde 2006, a CPTM comprou 105 trens; já foram entregues 104, sendo 38 pela gestão anterior (2007/2010) e 66 pelo governador Alckmin em 2011/2014.
Aquisição de Novos Trens Para reforçar a frota e chegar aos 132 trens previstos, o Governo de São Paulo autorizou, em 03 de agosto de 2012, iniciar a concorrência nacional para aquisição de 65 trens. Inicialmente estavam previstos 55, mas foi realizada uma audiência pública complementar em 14 de maio de 2012 (a primeira foi realizada em novembro de 2011), para a aquisição de 65 trens com 8 carros cada um (dez a mais do que o previsto inicialmente).

Sessão Pública: a Sessão Pública para a abertura do envelope “B” (documentos para habilitação) aconteceu no dia 20/06/2013. No dia 1º de agosto de 2013, foi assinado o contrato com a CAF, no lote de 35 trens e a no dia 09 de agosto assinou com a Huyndai / Iesa, no lote de 30 trens. Prazos: Os vencedores terão o prazo de 18 meses, a contar da data da ordem de serviço, para entregar o primeiro trem e 36 meses para o último. Propostas vencedoras:

  • Lote 1 (30 trens) ganho pelo consórcio Huyndai / Iesa. Valor Orçado: R$ 904.417.199,28. Valor Ofertado: R$ 1.193.096.999,03 – Consorcio CAF / ALSTON
  • Lote 2 (35 trens) ganho pela CAF. Valor Orçado: R$ 1.047.975.484,88.Valor Ofertado: R$ 1.011.478.243,33 – CAF Brasil
Características dos 65 trens As novas composições têm 170 metros de comprimento, estão equipadas com sistema de monitoramento por meio de câmeras instaladas no interior e na parte externa, ar condicionado e design interno diferenciado, com salões contínuos de passageiros (passagem livre entre os carros). Além disso, são acessíveis para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida e dotados de dispositivos para orientar usuários com deficiências auditiva (mapa dinâmico) e visual (áudio). Há também espaço reservado para cadeirantes.


Expresso Jundiaí - Em Projeto

Atualizado em: 05 de setembro de 2012

O que é: será um serviço expresso de ligação entre Jundiaí e São Paulo, com cerca de 47 km de extensão, aproveitando parte da faixa ferroviária existente. A outra parte será implantada em um trecho totalmente segregado do trem metropolitano. O tempo de viagem é estimado em 25 minutos.

Objetivo: atender a necessidade de deslocamento da população entre Jundiaí, importante polo regional, e a cidade de São Paulo, com um meio de transporte rápido, econômico e não-poluente. Proporcionar sensível redução nos tempos de viagem, ganhos econômicos, além de descongestionar o modal rodoviário existente.

Estações: serão duas estações terminais: Jundiaí e Água Branca. O projeto prevê a construção de duas novas edificações que estarão integradas aos demais modos de transporte da região. As estações estarão dimensionadas para atender a demanda do serviço expresso.

Demanda: cerca de 20 mil passageiros por dia.

Custo das tarifas: no momento não é possível fazer ter definições sobre tarifas.

Investimento: custo estimado R$ 3,2 bilhões, por meio de PPP.

Status: o projeto funcional foi concluído em setembro de 2011. A CPTM publicará, no dia 10 de setembro de 2012, o edital para contratar empresa que vai elaborar os projetos básico e executivo do Trem Expresso Jundiaí.

Estudos ambientais: posteriormente serão contratados os estudos ambientais complementares para licenciamentos, além de estudos de viabilidade econômica e financeira que definirão a forma de aporte de recursos do Estado, uma vez que se prevê uma concessionária privada operando esse serviço, por meio de PPP (Parceria Publico-Privada).

Cronograma de obras: será definido durante a elaboração dos projetos básico e executivo. A previsão é que o início da operação do serviço seja entre 2016 e 2017.

Audiência Pública: em 07/07/12 foram realizadas duas audiências públicas sobre o projeto. A primeira aconteceu em São Paulo, no período da manhã. À tarde, em Jundiaí, houve a segunda audiência. Os procedimentos para obtenção da licença ambiental prévia remetem a novas audiências públicas.

Trens Regionais: a implantação do serviço de trens regionais ligando a capital paulista e os municípios de Jundiaí, Santos e Sorocaba têm o objetivo de resgatar as ligações ferroviárias com novos padrões de desempenho e qualidade. Para implantação desses serviços ferroviários, já foram contratadas empresas para desenvolverem os projetos funcionais.

Fonte: Coordenadora Assessoria de Imprensa, Márcia Borges

Expresso.jpg


Trem Regional São Paulo - Sorocaba - Em Projeto

Atualizado em: 16 de abril de 2014
Características A linha expressa, com cerca de 90 quilômetros, que ligará São Paulo a Sorocaba, em cerca de 50 minutos. A linha passará por áreas dos municípios de Sorocaba, Alumínio, Mairinque, São Roque, Barueri, Carapicuíba, Osasco e São Paulo.
Estações: previsão de 4 Estações - Água Branca [São Paulo], São Roque, Brigadeiro Tobias [Sorocaba] e Sorocaba
Serviço Inicialmente estima-se a prestação do serviço com 8 trens, em intervalos médios de 15 minutos. Cada trem deverá levar de 30 a 900 passageiros (dependendo da quantidade de carros), todos sentados. Velocidade máxima de até 180 km/h. Prevê-se a possibilidade de implantação de 2 serviços, compartilhando a mesma infraestrutura:
  • Viagem direta: Água Branca – Sorocaba
  • Viagem paradora: Água Branca – com paradas em São Roque e Brigadeiro Tobias – Sorocaba.
Tempos de viagem Direta, de Sorocaba a São Paulo, cerca de 50 minutos. Com previsão de parada em Brigadeiro Tobias e São Roque: 60 minutos. O tempo previsto de São Roque a São Paulo é de 30 minutos.
Tarifa: a tarifa deverá ser inferior ao custo de uma viagem de carro de Sorocaba a São Paulo e competitiva com o valor da passagem de ônibus.
Investimento estimado R$ 5,6 bilhões.
Benefícios sócio econômicos e ambientais Estima-se um ganho de R$ 4,4 bilhões em 10 anos, originados pelos benefícios sócio-ambientais, a exemplo de: redução da emissão de CO2,descongestionamento das rodovias e a consequente redução de acidentes automobilísticos.
Consórcio Planservi-Oficina Em maio de 2011, a CPTM assinou contrato com o Consórcio Planservi-Oficina, que venceu a licitação, para desenvolvimento do projeto funcional. O estudo avaliou o traçado da nova linha que prevê trechos parciais na faixa de domínio da antiga linha Sorocabana/Fepasa, principalmente no acesso às cidades.
Projeto funcional A previsão inicial era concluir o projeto funcional em junho de 2012. No entanto, esse prazo foi prorrogado para o mês de setembro de 2012. O projeto foi concluído e apresentado à equipe técnica da CPTM, que após analisá-lo solicitou complementações que foram feitas pela contratada. Em 19 de dezembro de 2012, a CPTM apresentou à prefeitura de Sorocaba e a sociedade local o projeto funcional.
Status O projeto básico e executivo está em estudo pela MIP.
Audiência pública No dia 12 de julho de 2013, técnicos da CPTM apresentaram ao mercado, em audiências públicas em São Paulo e em Sorocaba, as conclusões do projeto funcional visando à implantação do Trem Regional São Paulo-Sorocaba. Na ocasião, prestaram esclarecimentos sobre os serviços técnicos de engenharia e meio ambiente para a elaboração de projetos Básicos e Executivos aos interessados em participar da licitação.
Observação A diretriz do governo é para que, enquanto não se concretiza a PPP, a CPTM continue desenvolvendo os estudos necessários à implantação dos trens regionais. Assim que for firmada uma Parceria Público Privada com o Governo do Estado, os estudos já realizados pela CPTM serão agregados ao projeto em desenvolvimento pela iniciativa privada.
Trens Regionais: A implantação do serviço de trens regionais ligando a capital paulista e os municípios de Jundiaí, Santos e Sorocaba têm o objetivo de resgatar as ligações ferroviárias com novos padrões de desempenho e qualidade. Para implantação desses serviços ferroviários, já foram contratadas empresas para desenvolverem os projetos funcionais.

Fonte: Coordenadora Assessoria de Imprensa, Márcia Borges




2017

10/05/2017 - CPTM inaugura bicicletário com 576 vagas em Suzano

Os moradores de Suzano que pedalam diariamente até as estações da CPTM para pegar os trens da companhia já podem deixar suas bicicletas com segurança e comodidade, sem pagar nada, no novo bicicletário da Estação da CPTM de Suzano, na Grande São Paulo.

Inaugurado nesta quarta-feira (10) pelo governador Geraldo Alckmin, o equipamento é o maior bicicletário da CPTM, com 1.045 m² de área construída e 576 vagas disponíveis para uso gratuito da população. O local soma-se à rede de 30 unidades existentes nas estações de trens, em seis linhas da CPTM, que juntos oferecem 7.734 vagas para bicicletas.

Bicicletários

Dos 30 bicicletários localizados em estações da CPTM, 27 são administrados pela própria Companhia Paulista de Trens Metropolitanos. As exceções sãos os bicicletários das estações de Mauá, gerenciado pela associação de ciclistas Askobike, o de Santo André e o de Pinheiros, administrados pela Via 4.

O uso é gratuito, exceto o da Estação Mauá, que cobra mensalidade de R$ 20 dos associados da Askobike e diária de R$ 2 de outros usuários.

Ver também

Links externos