Pesquisa de qualidade rodoviária

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Perfil

Atualizado em: 07 de dezembro de 2013

O que é: a Pesquisa CNT de Rodovias é o principal estudo já elaborado sobre as condições das rodovias brasileiras. Um fato explicado primeiramente pelo rigor científico e esmero técnico com que é elaborada, o que lhe confere precisão e profundidade informativa.

Pesquisa: a pesquisa sobre as condições das rodovias brasileiras, realizada pela CNT, constitui-se em um importante instrumento para a orientação de políticas e ações dos setores público e privado da área de transportes.

Quem é a realiza: a Pesquisa é realizada pela Confederação Nacional do Transporte pelo Serviço Social do Transporte – SEST e pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte – SENAT.

Como é a realizada a pesquisa: a CNT desenvolveu um procedimento para avaliar as três características principais das rodovias: pavimento, sinalização e geometria da via. Essas características são analisadas conforme os níveis de conservação, segurança e conforto perceptíveis pelos usuários.

Resultado: os resultados apresentados neste relatório subsidiam a elaboração de políticas públicas de manutenção de rodovias pelos governos federal, estaduais e municipais, assim como a criação de marcos legais que traduzam as necessidades de uma infraestrutura rodoviária condizente com os desejos de progresso do Brasil. O resultado do estado da condição das rodovias é divulgado de forma qualitativa, segundo as categorias: Ótimo, Bom, Regular, Ruim ou Péssimo.

Objetivo: tem qualidades únicas por avaliar as condições das rodovias de maneira imparcial, visto que é realizada por uma organização privada totalmente independente do governo. Assim, suas particularidades dessa pesquisa são singulares e seguem padrões e normas nacionais e internacionais de coleta e análise de informações relacionadas às rodovias.

Pesquisa CNT 2013

Em 2013, a 17ª Pesquisa CNT de Rodovias apurou dados qualitativos e avaliou 96.714 km de rodovias federais e estaduais pavimentadas. Em São Paulo, 8.802 km foram verificados em rodovias públicas e concedidas, sendo o segundo Estado na Região Sudeste com mais quilômetros avaliados.

Além do mais, as estradas paulistas concedidas ocupam nove das dez melhores rodovias do Brasil, sendo a Rodovia dos Bandeirantes a que ocupa a primeira colocação, no trecho entre São Paulo e Limeira

Foram levados em contam aspectos como: pavimento, sinalização e geometria da via.

Abaixo, podemos verificar tabelas que comprovam a boa avaliação que as estradas no Estado

Avaliação Geral - CNT SP.jpg

Ranking das melhores rodovias do país - 2013

Das 10 melhores rodovias do Brasil, segundo o ranking da Confederação Nacional do Transporte - CNT, nove estão no Estado de São Paulo. De acordo com a pesquisa, a melhor no ranking é a SP-348, que liga a capital paulista ao município de Limeira.

Classificação Geral dos Estados - 2013

Na avaliação de qualidade das rodovias em âmbito estadual, São Paulo aparece com a maior porcentagem de rodovias em ótimo estado (57,3%). Na sequência aparece o Estado do Rio de Janeiro com 34,5%.

Avaliação por Estados - CNT.jpg
Avaliação por Estados - CNT 2.jpg

Classificação Geral dos Estados em Pavimentação - 2013

Classificação Geral dos Estados em Sinalização - 2013

Classificação Geral dos Estados em Geometria - 2013

Pesquisa CNT 2012

Em 2012, na 16ª Pesquisa CNT de Rodovias foram avaliados, qualitativamente, 95.707 km de rodovias federais e estaduais pavimentadas. Assim, toda a malha federal pavimentada e os principais trechos de rodovias estaduais foram contemplados pelo levantamento.

As estradas paulistas lideram o ranking. A melhor colocação de uma rodovia federal é o 22º lugar. Para a CNT, será preciso R$ 190 bilhões para solucionar os problemas nas rodovias do País, entre os quais traçado, pavimentação e sinalização.

A Pesquisa CNT de Rodovias 2012 vai além do diagnóstico. O estudo apresentado a seguir, não aponta apenas as deficiências das rodovias e os prejuízos causados por elas ao país, mas, mais que isso, se propõe a ser um instrumento de reflexão sobre a infraestrutura de transporte que a sociedade tanto deseja e necessita.

Extensão total por região

O Estado de São Paulo foi o segundo com mais quilômetros de rodovias avaliados em todo o Brasil, (8.779 km) perdendo apenas para Minas Gerais (14.377 km).

Quilômetros 2012.jpg

Resumo das características no Estado

A avaliação consiste quatro critérios (Estado geral, Pavimento, Sinalização e Geometria) em cinco níveis de qualidade (Ótimo, Bom, Regular, Ruim, Péssimo). São Paulo foi muito bem avaliada em todos os tópicos, com exceção à Geometria da Via, na qual foi majoritariamente classificada como Regular.

Carac. SP 2012.jpg

Classificação Geral dos Estados em Pavimentação - 2012

Nova.2012 1.jpg
Nova.2012 2.jpg

Classificação Geral dos Estados em Sinalização - 2012

New.2012 1.jpg
New.2012 2.jpg

Classificação Geral dos Estados em Geometria - 2012

Nuevo.2012 1.jpg
Nuevo.2012 2.jpg

Pesquisa CNT 2011

A Pesquisa CNT de Rodovias atinge, em 2011, a sua décima quinta edição. E pelo 15° ano consecutivo as estradas de São Paulo foram consideradas as melhores do país, com índice de aprovação ótimo e bom de 78,7%

Cnt.jpg

*Em relação à mesma pesquisa realizada no ano passado o índice de aprovação (ótimo e bom) das estradas paulistas caiu 2,5 pontos percentuais: 2010 – 81,2% / 2011 – 78,7%

As estradas de São Paulo são um exemplo a ser seguido pelo Brasil. Reconhecidamente a avaliação de maior credibilidade do setor. Os principais resultados:

  • 78,7% das estradas do Estado de São Paulo foram consideradas ótimas ou boas.
  • A pesquisa da CNT também mostrou que, das 16 rodovias únicas rodovias do país classificadas como ótimas, 15 são paulistas e também fazem parte do Programa de concessões.

A pesquisa CNT 2011 aponta que no Brasil o Estado geral das estradas (Estaduais, Federais, Públicas e concedidas) consideradas ótimas e boas é de 42,6%.

Cnt1.jpg

A pesquisa aponta que o Estado geral das estradas Federais do Brasil (públicas e concedidas) consideradas ótimas e boas é de 46,9%.

Cnt2.jpg

A pesquisa CNT 2011 aponta que o estado geral das estradas paulistas é o melhor do Brasil, com um índice de ótimo e bom de 78,7%, muito superior a todos os outros Estados e da união .

Cnt3.jpg

Pelo 15º ano seguido a pesquisa CNT comprova que as 10 melhores ligações rodoviárias do Brasil estão no Estado de São Paulo. Todas fazem parte do Programa de Concessão Rodoviária. Das 20 melhores estradas 19 estão em São Paulo.

Cnt4.jpg
Cnt5.jpg

O percentual de estradas concedidas consideradas ótimas e boas do Brasil é de 86,9%. O índice de aprovação das estradas públicas (ótimo e bom) é de somente 33,8%

Cnt6.jpg


Classificação Geral dos Estados

Os resultados apontam na classificação do Estado geral que 37,3% da extensão pesquisada (35.654 km) estão em condições ótimas ou boas de segurança. Os outros 60.053 km pesquisados (62,7%) apresentam algum tipo de comprometimento no pavimento, na sinalização ou na geometria da via. A análise evolutiva revela uma redução do percentual de rodovias em condições consideradas satisfatórias (Ótimo e Bom), resultado diretamente relacionado à queda de desempenho na variável sinalização. São Paulo é o Estado que possui a maior avaliação de ótimo com 4.381 e o segundo no critério de bom com 2.524 na classificação geral dos Estados.

Cntgeral.jpg

Classificação Geral dos Estados na Pavimentação - 2011

A segurança das rodovias depende do atendimento a diversos requisitos, a característica pavimento deve atender em maior grau aos seguintes atributos: suportar os efeitos do mau tempo, permitir deslocamento suave, não causar desgaste excessivo dos pneus e nível alto de ruídos, ter estrutura forte, resistir ao desgaste, permitir o escoamento das águas (drenagem) e ter boa resistência a derrapagens. São Paulo ficou em primeiro lugar, segundo a pesquisa, no critério de ótimo na pavimentação com 6.493.

Cntpavime.jpg

Classificação Geral dos Estados na Sinalização - 2011

A sinalização rodoviária tem importância fundamental para a segurança dos usuários das vias e se torna cada vez mais essencial à medida que a velocidade operacional e o volume de tráfego crescem. A finalidade essencial dos sinais de trânsito (sinalização vertical, sinalização horizontal, dispositivos auxiliares, sinalização semafórica, sinalização de obras e sinalização de gestos) é de comunicar aos usuários das rodovias normas, instruções e informações que visem a movimentação correta e segura dos veículos (DNIT, 2010d). O Estado de São Paulo foi o que obteve o melhor desempenho de ótimo com 4.450 e ficou em segundo na avaliação de bom com 2.335.

Cntgeralsinal.jpg

Classificação Geral dos Estados na Geometria - 2011

As características geométricas da via afetam as condições de segurança viária nos aspectos: habilidade do motorista em manter o controle do veículo e identificar situações e características perigosas; existência de oportunidades de conflitos, tanto em relação à quantidade quanto ao tipo; consequências de uma saída de pista de um veículo desgovernado; e comportamento e atenção dos motoristas 16. Assim, a implantação de projetos geométricos inadequados causa acidentes, limitações da capacidade de tráfego da rodovia e aumento dos custos operacionais (DNIT, 2010a). São Paulo obteve o melhor desempenho na avaliação de ótimo com 1.826. na geometria da via.

Cntgeralgeometria.jpg

Pesquisa Guia Quatro Rodas 2011/2012

Em 2011 a equipe do Guia Quatro Rodas percorreu mais de 250 mil quilômetros de estradas, em toda a extensão do país, e avaliou que em São Paulo o motorista pode viajar com tranquilidade – e que na Bahia as viagens são um transtorno. Confira o ranking atualizado abaixo.

As melhores rodovias ficam em São Paulo

Oito das dez melhores estradas eleitas estão no Estado de São Paulo. A vencedora, SP-348 (Bandeirantes, com 178 km de extensão) liga a capital até a região de Cordeirópolis, próximo a Limeira, e é conhecida pelo seu traçado moderno e seguro, ótima capacidade de escoamento, visibilidade excelente e asfalto em perfeito estado de conservação. Desde 1998 ela é administrada pela Autoban, empresa privada que faz parte do grupo CCR.

  • 1ª) SP-348 – Bandeirantes (São Paulo a Cordeirópolis) – SP
  • 2ª) SP-070 – Ayrton Senna/Carvalho Pinto (São Paulo a Taubaté) – SP
  • 3ª) SP-160 – Imigrantes (São Paulo a São Vicente) – SP
  • 4ª) SP-280 – Castello Branco (São Paulo a Espírito Santo do Turvo) – SP
  • 5ª) SP-340 – Adhemar de Barros (Campinas a Mococa) – SP
  • 6ª) SP-330 – Anhanguera (São Paulo à divisa SP/MG) – SP
  • 7ª) SP-225 – Com. João Ribeiro de Barros/Eng.º Paulo Nilo Romano (Bauru a Itirapina) – SP
  • 8ª) SP-310 – Washington Luís (Limeira a Mirassol) – SP
  • 9ª) BR-290 – Freeway (Porto Alegre a Osório) – RS
  • 10ª) BR-040 Washington Luís (Rio de Janeiro a Juiz de Fora) – RJ/MG


As piores estão no Norte/Nordeste

  • 1ª) BR-235 – Remanso à divisa BA/PI – BA
  • 2ª) PA-150 – Eldorado dos Carajás a Rio Maria – PA
  • 3ª) BR-116 – Iço à divisa CE/PE – CE
  • 4ª) PI-140 – Itaueira a Dirceu Arcoverde – PI
  • 5ª) BR-497 – Campina Verde a Prata – MG
  • 6ª) BA-160 – Bom Jesus da lapa a Ibotirama – BA
  • 7ª) BR-364 – Cacoal a Ji-Paraná – RO
  • 8ª) BR-222 – Santa Luzia a Bom Jesus das Selvas – MA
  • 9ª) BA-093 – Simões Filho a Dias d’Ávila – BA
  • 10ª) MT-407 – Anel Viário de Cuiabá – MT

Ver também

Links externos