Rodoanel

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar
Atualizado em: 21 de maio de 2014

Características

Quando começou: 1998

O que é: o Rodoanel Mário Covas (SP-021) é um empreendimento urbano que tem a função de desviar e distribuir o tráfego de passagem para o entorno da Região Metropolitana de São Paulo.

Extensão e interligação: quando os aproximadamente 170 km estiverem concluídos, interligará as dez rodovias que chegam a São Paulo - Régis Bittencourt, Raposo Tavares, Castello Branco, Anhanguera, Bandeirantes, Fernão Dias, Dutra, Ayrton Senna, Imigrantes e Anchieta.

Quatro trechos: o Rodoanel é dividido em quatro trechos (Oeste, Sul, Norte e Leste).

Trechos em operação: estão em operação os trechos Oeste e Sul, que interligam as rodovias Régis Bittencourt, Raposo Tavares, Castello Branco, Anhanguera, Bandeirantes, Imigrantes e Anchieta, evitando que boa parte do tráfego do interior para o litoral (e vice-versa) passe pela cidade de São Paulo.

Investimento total previsto: em valores atualizados o empreendimento, somados os custos dos trechos Oeste, Sul e Norte, é de R$ 12,845 bilhões. Desse montante, o Estado está investindo R$ 9,038 bilhões, enquanto a União, R$ 3,384 bilhões.

Benefícios: ao longo do seu traçado, o Rodoanel vai recuperar áreas degradadas, como portos irregulares de areia onde a extração predatória provocou erosão, que receberão paisagismo e reurbanização. Para preservar a fauna da região e evitar acidentes nas pistas foram projetadas travessias subterrâneas para a circulação de animais, minimizando a interferência em seu habitat natural.

Redução do risco de acidentes: o Rodoanel também reduzirá drasticamente o risco de acidentes com cargas perigosas, garantindo índices menores do que os registrados atualmente nas áreas urbanas. Esse fenômeno já acontece no trecho Oeste.

Escoamento de cargas: o trecho Sul facilitará o transporte e o escoamento de cargas entre o Brasil Central e o Porto de Santos e será importante elo econômico para a incorporação deste porto ao sistema de logística de transportes de todo o Estado e do país.

Melhorias no fluxo de caminhões: estudos apontam diversas melhorias para o movimento viário urbano paulistano. Entre outros benefícios, o Rodoanel Sul vai reduzir em 43% o fluxo de caminhões da Marginal do rio Pinheiros e 37% do fluxo de caminhões da Avenida dos Bandeirantes. A previsão da Dersa é que o trecho Sul somado ao trecho Oeste irá tirar 40 mil caminhões/dia da Marginal Pinheiros (uma das principais vias expressas da Capital) e outros 8.600 mil caminhões/dia da Avenida dos Bandeirantes - hoje, o principal acesso para os caminhoneiros que querem alcançar a Imigrantes ou a Anchieta.

Centros Logísticos Integrados: o Rodoanel Sul viabilizará a construção de Centros Logísticos Integrados, contribuindo para a implantação da intermodalidade de transportes no Estado de São Paulo e otimizando as condições para a coleta e distribuição de cargas na região metropolitana.

Rodoanel2.jpg

Trecho Oeste

Características: as obras do Rodoanel Oeste foram iniciadas em 1998 e concluídas em 2002. O trecho, em seus 32 km de extensão, interliga cinco das dez rodovias que chegam à Capital: Régis Bittencourt, Raposo Tavares, Castelo Branco, Bandeirantes e Anhanguera. A via passa pelos municípios de Barueri, Embu, Cotia, Osasco, Carapicuíba, Santana do Parnaíba e São Paulo.

Investimento: R$ 1,58 bilhão (base/out/02). O convênio com o Governo Federal começou em 1999, com a construção do trecho Oeste do Rodoanel, quando o Ministério dos Transportes, por meio do DNIT, repassou R$ 404 milhões às obras. Nesse empreendimento, o Governo do Estado investiu R$ 1,176 bilhão.

Trecho Sul

Características: o trecho Sul do Rodoanel começou a ser construído em 2007 e foi concluído em 2010. Com 57 km de extensão e mais 4,4 km de acesso para a Avenida Papa João XXIII, Mauá, interliga as rodovias Régis Bittencourt, Imigrantes e Anchieta.

Benefícios: a obra beneficia os municípios de Embu, Itapecerica da Serra, São Paulo, São Bernardo do Campo, Santo André, Ribeirão Pires e Mauá.

Investimento: R$ 5,15 bilhões (base/dez/10), com contrapartida de R$ 1,26 bilhão do Governo Federal e R$ 3,89 bilhões do Governo do Estado.

Trecho Leste

Atualizado em: 07 de julho de 2014

O trecho até a rodovia Ayrton Senna foi entregue em 03 de julho. Já o trecho que vai até o entroncamento com a Dutra será entregue no segundo semestre de 2014. Investimento: R$ 3,6 bilhões.

Características: o traçado inicia na interligação com o trecho Sul na saída da Avenida Papa João XXIII (em Mauá) e termina na Rodovia Presidente Dutra (em Arujá), interligando as rodovias João Afonso de Souza Castellano (SP-066), Ayrton Senna (SP-070) e Presidente Dutra (BR-116). Em conexão com o trecho Sul e o Sistema Anchieta-Imigrantes também viabilizará uma ligação mais rápida e eficiente com o Porto de Santos e o Aeroporto Internacional de Guarulhos

Extensão: 43,5 km de extensão

Municípios: Arujá, Itaquaquecetuba, Mauá, Poá, Ribeirão Pires e Suzano.

Investimento: R$ 3,2 bilhões - aplicados na construção, desapropriações, reassentamentos e projetos ambientais do trecho Leste do Rodoanel.

Iniciativa privada: a construção desse trecho, de responsabilidade da iniciativa privada, não entra na conta dos investimentos do Estado e da União.

Cronograma:

  • Início das obras: em agosto de 2011.
  • Previsão de término: março de 2014.

Status: A Artesp trabalha atualmente com os seguintes prazos para a conclusão da obra: 1ª etapa (do entroncamento com o Trecho Sul até a Rodovia Ayrton Senna) concluída e entregue até maio de 2014; e 2º etapa (até a Rodovia Presidente Dutra) concluída e entregue até o fim de junho.

Paper de 30/05/2014: O investimento no Complexo Viário Polo de Itaquera chega a R$ 548,5 milhões. As obras são realizadas a partir de convênio entre o Estado, que está investindo R$ 397,9 milhões, e a prefeitura da capital, cujo repasse é de R$ 150,6 milhões.

P.S.: O montante total da multa pelo atraso será definida somente na data da entrega da obra.

Acessos:

Mão de obra:

  • 1.500 funcionários diretos, sendo que mais de 70% são recrutados na região.
  • 1.500 funcionários indiretos.
  • Mais de 300 empresas terceirizadas.
  • 15 frentes de obras.
  • Total de obras de arte: 128.
  • Expectativa de tráfego: 48 mil veículos, sendo 53% de veículos pesados.

Curiosidades sobre a construção do trecho Leste do Rodoanel

  • O total de pontes e viadutos do trecho Leste somam 16,8 quilômetros de extensão. Extensão maior do que a Ponte Rio-Niterói com seus 13 quilômetros.
  • O volume total de escavação é estimado em 11.200.000 m³. Suficiente para encher três Estádios do Maracanã.
  • O volume total de brita chega a 2.000.000 m³. Suficiente para encher 27 Piscinões do Pacaembu.
  • O volume de concreto estimado para toda obra é de 550.000 m³. Equivalente ao utilizado na construção do Aeroporto de Guarulhos.
  • A quantidade aço em toda a obra é de 46.500.000 kg. Equivale a construção de sete Torres Eiffel.

Encontro Leve Estruturado: espécie de viaduto de 8,8 km de extensão, cujo impacto ambiental de construção é bem menor em relação a um dispositivo convencional. O diferencial da estrutura é sua construção em pistas elevadas, sem interferir nas várzeas dos rios Tietê e Guaió, sobre os quais está sendo construído. O investimento no viaduto será de R$ 380 milhões, no qual serão utilizadas 22 mil toneladas de aço - equivalente a 3,3 torres Eiffel, 8.640 vigas, e 2.880 estacas, além de 183 mil m³ de concreto - o suficiente para encher dois piscinões do Pacaembu.

Viadutos: como complemento do trecho do Encontro Leve, serão erguidos dois viadutos, que irão atravessar as rodovias Henrique Eroles e a Ayrton Senna, totalizando 12 km de extensão – será a maior ponte do Estado de São Paulo e a segunda maior do país, perdendo apenas para a Ponte Rio-Niterói, com 13 km. Esse tipo de construção também reduziu em mais de um ano (14 meses) o tempo de execução da obra.

Frente de trabalho: existem 15 frentes de trabalho simultâneas que empregam mais de 3.100 trabalhadores. É privilegiada a contratação de mão de obra local em parcerias com as prefeituras locais.

Tão importante quanto às frentes de obra, foram as diversas ações realizadas que não têm impacto visual, mas que são de extrema importância para a obra:

  • adequação do projeto executivo para minimizar os impactos ambientais e as desapropriações;
  • estudos ambientais e geotécnicos para construção da rodovia;
  • o reconhecimento de solo e levantamentos topográficos;
  • cadastro físico dos imóveis que precisavam ser desapropriados;
  • a solicitação das licenças ambientais de instalação e o período de avaliação dos órgãos competentes. Tudo isto em linha com uma postura de transparência e parceria com as comunidades e lideranças das cidades diretamente envolvidas nesta obra, com objetivo de tratar assuntos específicos e de interesse da população.

Vistorias: em 08 de maio de 2012, O IBAMA fez a vistoria do lote 4 (trecho entre o dispositivo da Papa João XXIII e o túnel Santa Luzia) e lote 7 (2ª parte do Encontro Leve Estruturado). Em junho de 2012, o IBAMA emitiu o Parecer sobre o desmatamento desses trechos. De posse do Parecer do IBAMA, a CETESB emitirá a autorização de desmatamento.


Túnel Santa Luzia

Atualizado em: 07 de março de 2013

Diferenciais do Projeto: a obra do túnel é de grande importância para o projeto do trecho Leste do Rodoanel e reforça como a engenharia pode ser utilizada para diminuir o impacto ambiental de uma obra. Nesse caso, toda rocha, resultante das escavações e detonações está sendo reutilizada na construção dos pavimentos asfálticos e de concreto. O material das detonações, geralmente descartado também é reaproveitado, evitando a necessidade de uso de bota-fora e consequentemente, mais 17.500 viagens de caminhões pelas ruas das cidades.

Túnel: terá duas pistas de 1.080 metros de comprimento cada e três faixas de rolagem, tem previsão de conclusão em março de 2014.

Escavações: o governador Geraldo Alckmin finalizou, no dia 07 de março de 2013, as escavações do Túnel Santa Luzia. As obras do túnel foram iniciadas no dia 21 de dezembro de 2011 e desde então foram escavados 2.160 metros – cerca de 150 metros por mês. Mais de 550 pessoas trabalharam nas obras de escavação. A próxima etapa será de acabamento com concreto projetado das paredes, aterro sobre os túneis falsos, drenagens, pavimentação das pistas, iluminação, ventilação e colocação dos sistemas de segurança e comunicação. O túnel terá duas pistas de 1.080 metros de comprimento cada e três faixas de rolagem por sentido.

Status: o túnel está 88% concluído, entra agora na fase de finalização, onde serão realizados o acabamento com concreto projetado nas paredes, o término do rebaixamento do túnel, o aterro sobre os túneis falsos, as drenagens, as pavimentações das pistas, a iluminação, a ventilação e a colocação dos sistemas de segurança e comunicação.


Trecho Norte

Atualizado em: 20 de maio de 2014

Características: O Rodoanel Norte terá 44 km de extensão e interligará os trechos Oeste e Leste do Rodoanel. Ele inicia na confluência com a Avenida Raimundo Pereira Magalhães, antiga estrada Campinas/São Paulo (SP-332), e termina na intersecção com a rodovia Presidente Dutra (BR-116). O trecho prevê acesso à rodovia Fernão Dias (BR-381), além de uma ligação exclusiva de 3,6 km para o Aeroporto Internacional de Guarulhos.

O trecho Norte é uma rodovia "Classe Zero" (de alto padrão técnico e controle total de acesso), com quatro faixas de rolagem por sentido entre o Rodoanel Oeste e a rodovia Fernão Dias. O segmento entre a Fernão Dias e a via Dutra terá três faixas de rolagem de 3,6 m de largura em cada pista. A rodovia ainda é provida de canteiro central com 11m de largura e terá velocidade de 100 km/h.

Rodoanenorte.jpg

Localização:Municípios de São Paulo, Guarulhos e Arujá

Obra

Extensão: 44 km + 3,6 km de interligação com o Aeroporto de Guarulhos. Início da obra: março de 2013. Previsão de término: fevereiro de 2016. Investimento total: R$ 5,6 bilhões. Status: 9,06% concluído.

  • Compensações ambientais, desapropriações, reassentamentos, interferências, projetos, supervisão, gerenciamento, comunicação e obras complementares: R$ 1,7 bilhão

Recursos: A licitação internacional do Rodoanel Norte foi a maior em andamento no País entre 2011 e 2013. O certame seguiu as normas do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), que participou do financiamento com R$ 2 bilhões. A obra tem também R$ 1,72 bilhão do PAC e o restante do Tesouro do Estado.

Pré-qualificação (1ª fase): edital publicado em 14 de setembro de 2011, processo suspenso por liminar na justiça em 12 de dezembro de 2011, retomada do processo em 06 de abril de 2012, recebimento dos documentos de qualificação em 15 de maio de 2012. Resultado: 25 licitantes, 18 qualificadas.

Propostas Comerciais (2ª fase): publicação da convocação em 18 de agosto de 2012, abertura das propostas em 08 de novembro de 2012, publicação das vencedoras em 15 de janeiro de 2013.

Resultado:

A Construtora OAS Ltda, a Acciona Infraestructuras S/A e os consórcios formados pelas empresas Mendes Júnior/Isolux Corsán e Construcap/Copasa foram os vencedores da licitação para a construção do Rodoanel Norte.

A distribuição das propostas vencedoras e dos valores propostos por cada um dos seis lotes foi a seguinte:

Lote 1 – Consórcio Mendes Júnior/Isolux Corsán – R$ 647.611.591,06

Lote 2 – Construtora OAS Ltda – R$ 604.170.644,64

Lote 3 – Construtora OAS Ltda – R$ 601.140.442,61

Lote 4 – Acciona Infraestructuras S/A – R$ 788.021.820,59

Lote 5 – Consórcio Construcap/Copasa – R$ 646.340.371,22

Lote 6 – Acciona Infraestructuras S/A – R$ 619.219.894,43

Cronograma:

A CETESB - Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental concedeu, em 4/2, Licença de Instalação para os trechos considerados como Prioridade 1 do Rodoanel Norte. A autorização permitiu o início das obras em cerca de 45% da área compreendida pelo traçado da nova rodovia. A obtenção da licença significa que a DERSA – Desenvolvimento Rodoviário S/A atendeu a todas as exigências ambientais prévias ao início das obras nos trechos licenciados determinadas pela CETESB.

As duas últimas Licenças de Instalação para as obras do Rodoanel Norte foram recebidas em junho pela DERSA. Com a emissão do documento pela Cetesb, a DERSA está autorizada a abrir todas as frentes de trabalho para a implantação do empreendimento.

Status: no dia 12 de março de 2013 começaram as obras do trecho Norte. As empresas vencedoras da licitação têm 36 meses para concluir o último trecho do anel rodoviário.

As obras estão em andamento e dentro do cronograma previsto, com 14,3% de execução do empreendimentoe 5,1% de obras realizadas.

Programas de Desapropriação e Reassentamento: Existem duas frentes de trabalho para liberação de área para implantação do Rodoanel Norte: desapropriação e reassentamento. Os programas estão em andamento e as ações acontecem de acordo com o cronograma da obra.

Remoção de famílias: em agosto de 2012, a Dersa iniciou o cadastramento das famílias nas áreas afetadas pelo traçado do Rodoanel Norte. Até o mês de junho de 2013, já foram cadastradas 4.641 famílias. No programa da Reassentamento está inserido quem não possui documentação do imóvel. Neste caso, as famílias cadastradas poderão optar em receber um imóvel da CDHU ou o valor em dinheiro.

Desapropriações: No Programa de Desapropriação estão inseridas pessoas que possuem documentação que comprove a propriedade do imóvel e a indenização será de acordo com o valor de mercado. Até o momento foram cadastradas 600 propriedades. Estima-se que no total, serão desapropriados 1.800 imóveis.

Programas sociais e cursos de qualificação: em 18 de dezembro de 2012, o governador Geraldo Alckmin assinou autorização para a celebração de convênios entre a Dersa e as secretarias de Justiça e Defesa da Cidadania, Administração Penitenciária e Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, para que as famílias que moram na região das obras do Rodoanel Norte tenham fácil acesso aos programas sociais oferecidos pelas pastas.

A medida permite que os dados levantados pela Dersa no processo de cadastramento dessas famílias sejam utilizados para identificar a demanda por cada programa.

O Via Rápida Emprego oferece 130 cursos gratuitos, em diversas áreas. Assim, os moradores que estiverem em busca de qualificação profissional podem se inscrever em uma das modalidades disponíveis. O programa ainda concede bolsa-auxílio de R$ 210 e auxílio deslocamento de R$ 120 para pessoas desempregadas.

Já o convênio com programa Pró-Egresso, da Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania, vai garantir que egressos do sistema penitenciário sejam empregados nas obras do Rodoanel Norte. A previsão é que 600 vagas sejam preenchidas.

Contrato entre Instituto de Botânica de São Paulo (IBot): o diretor do Instituto de Botânica de São Paulo (IBot), Luiz Mauro Barbosa, e o presidente da Dersa, Laurence Casagrande Lourenço, assinaram um contrato, com duração de três anos, que torna o Ibot o consultor e orientador de recuperação da vegetação afetada pela construção do trecho Norte do Rodoanel Mario Covas.

EIA-RIMA: o acompanhamento do reflorestamento compensatório é exigência do Estudo de Impacto Ambiental - Relatório de Impacto de Meio Ambiente (EIA-RIMA), da obra. Os botânicos visitarão o local antes, durante e depois da construção da rodovia. Técnicos do Ibot também realizarão cursos de capacitação para os funcionários da empreiteira.

Ligação com Aeroporto de Guarulhos: a Dersa mantém entendimentos com GRU Airport e a prefeitura de Guarulhos para o detalhamento do acesso do Rodoanel Norte ao aeroporto. O trecho Norte permitirá acesso mais confiável que o atual acesso pela Hélio Schmitt (saturado em virtude de conflito entre tráfego destinado ao aeroporto e tráfego urbano de Guarulhos)

Meio ambiente:

Licença Ambiental Prévia (LP):

EIA/RIMA protocolado: 16/9/2010

Aprovação: 28/6/11(Deliberação CONSEMA Nº 22/2011)

Emissão LP: 12/7/11(Nº 2009)

Licença de Instalação (LI):

  • Prioridade 1: protocolada 08/12/11. Publicação: 5/2/13
  • Prioridades 2 e 3: protocoladas em 8/2/13. Licença obtida em: 28/06/13

Licença de Operação (LO): a previsão é fevereiro de 2016 (junto com a conclusão das obras)

  • Compensação ambiental: (Lei Federal nº 9.985/20020) = R$ 24,3 milhões (valor depositado pela DERSA em 28/11/2012);
  • Plantio compensatório previsto: 1.600.000 mudas

Benefícios:

  • Desviar e distribuir o tráfego de passagem, sobretudo de caminhões, para o entorno da região metropolitana de São Paulo, principalmente na ligação Norte e Sul do País, melhorando o fluxo nas marginais tendo como consequência a melhoria do trânsito dos veículos de transporte coletivo e individual;
  • Permitir o acesso mais ágil ao Porto de Santos;
  • Redefinir a plataforma logística de transportes da região metropolitana de São Paulo de radial para anelar;
  • Diminuir o tempo gasto nos congestionamentos, os gastos com combustível e, consequentemente, a emissão de poluentes;
  • Redução de 23% do VDM (volume diário médio) de caminhões na marginal Tietê, o que representa 17.000 caminhões por dia (conclusão da obra);
  • Redução de 6% a 8% da emissão de CO veicular (gases de efeito estufa) na região metropolitana de São Paulo – Rodoanel como um todo (fonte: Avaliação Ambiental Estratégica do Rodoanel).

Região beneficiada:

Toda a região metropolitana de São Paulo, em especial: Santana do Parnaíba, Cajamar, Francisco Morato, Franco da Rocha, Caieiras, Mairiporã, Santa Isabel, Arujá, Guarulhos e São Paulo.

Fonte: Assessoria de Imprensa da Secretaria de Logística e Transportes


Ver também

Links externos