Rodovia Dom Pedro I - SP-065

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar
Atualizado em: 27 de março de 2018

Características[editar]

Segundo a Confederação Nacional do Transporte - CNT 2013, a Rodovia Dom Pedro I é a terceira melhor estrada do país. Pesquisa também revela que nove das dez melhores, mais seguras e mais econômicas vias para os motoristas pertencem ao Programa de Concessões do Estado de São Paulo

Obras previstas[editar]

Projeto 1: ampliação da faixa de acostamento para 3m de largura do km 93,3 a 113, pistas Norte e Sul. Trecho: Jarinu, Itatiba. Previsão de início: abril de 2014. Previsão de entrega: março de 2020. Investimento: R$ 3,1 milhões.

Projeto 2: ampliação da faixa de acostamento para 3 m de largura do km 113 a 125,2 pistas, Norte e Sul. Trecho: Itatiba, Valinhos. Previsão de início: abril de 2014. Previsão de entrega: março de 2020. Investimento: R$ 1,9 milhão.

Projeto 3: readequação geométrica no km 91. Trecho: Jarinu. Previsão de início: abril de 2014. Previsão de término: março de 2015. Investimento: R$ 2,8 milhões.

Obras em andamento[editar]

Projeto 1: Serão implantados 32 kms de Vias Marginais nos dois sentidos. Trata-se de acesso à Rua Sérgio Carnielli pela Rodovia D. Pedro I, que é caminho para a PUC-Campinas, Unicamp e Hospital e Maternidade Madre Theodora. A obra proporcionará maior fluidez e maior segurança para os 125 mil motoristas que passam diariamente pelo trecho. Segundo Theodoro Pupo, diretor da Artesp, no dia 27 de março saiu a Licença de Instalação para as obras do restante do trecho, à exceção de 6 km no entorno da mata Santa Genebra – a serem discutidos na Justiça. Assim, até o final do ano serão entregues mais 13 km de pistas. Os 10 km faltantes serão entregues até o final de 2014.

Início: agosto de 2012 Conclusão: março de 2015 Investimento: R$ 41,9 milhões Status: atualmente as obras estão em andamento nos trechos do km 137 ao km 135,5 na pista norte e no km 136,2 na pista sul Boa notícia: previsão de entrega do trecho da pista norte entre os kms 134 e 137 para o dia 30/09/2013.

Projeto 2: Seis obras que incluem implantação de acesso, de trevos, adequação de acesso, melhorias em trevo e implantação de marginais. Trecho: Campinas (Artesp) Investimento: R$ 113,2 milhões.

  • Trevo do km 135: obra concluída em maio de 2014, mas depende da realização de prolongamento de passarela na frente do Hipermercado Extra, responsável por essa obra.
  • Acesso a Barão Geraldo: término em outubro de 2014.
  • Trevo do Carrefour: término em outubro de 2014.
  • Marginais: término em março de 2015.
  • Acesso do Wall Mart: término em março

de 2016.

  • Trevo Galeria: término em março de 2016

Projeto 3: Implantação de dispositivo no km 105,6. Trecho: Itatiba (Artesp) Investimento: R$ 3,3 milhões. Previsão de início: julho de 2014. Previsão de término: março de 2015.

Obras concluídas[editar]

2018[editar]

  • 27/03/2018 - Governador acompanha início das obras da Perimetral de Itatiba

O governador Geraldo Alckmin acompanhou nesta terça-feira, 27, o início das obras da Perimetral de Itatiba, nova rodovia que será responsável por retirar o fluxo de veículos pesados de dentro da cidade, permitindo a ligação direta entre as rodovias D. Pedro I (SP-065), Eng. Constâncio Cintra (SP-360) e Romildo Prado (SP-063). “É uma obra estratégica para Itatiba e região, porque promove o entroncamento entre três estradas e tira o trânsito de dentro da cidade. Vai melhorar a logística, atrair empresas, gerar empregos e trazer desenvolvimento”, disse o governador.

Realizadas pela concessionária Rota das Bandeiras em cumprimento ao contrato do Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo, as intervenções irão levar o tráfego rodoviário para fora da zona urbana do município, melhorando a qualidade de vida da população, além de reduzir ruídos e emissão de poluentes. As obras contribuirão com a mobilidade e segurança viária, facilitando o escoamento da produção agrícola da região e será a nova ligação do Corredor Dom Pedro com a Anhanguera-Bandeirantes.

Com investimento de R$ 123,2 milhões, as obras consistem na implantação de 8,2 km de rodovia, iniciando na interseção da SP-360 com a SP-063, além de 1,8 km de melhorias na SP-063 até o entroncamento com a SP-065. A via principal consiste em duas pistas separadas por barreira rígida dupla e canteiro central, além de acostamento e refúgio. Serão implantadas três passagens inferiores e uma passagem superior, uma via local, além de dois postos de pesagem móvel e um Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU). As obras irão gerar 720 empregos diretos e indiretos, representando desenvolvimento significativo para a economia da região.

Investimento na região

Na região de Campinas, 60 prefeituras foram beneficiadas com R$ 174,5 milhões em repasses provenientes do Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISS-QN), que incide sobre as tarifas de pedágio, no ano de 2017. O valor é maior em relação ao arrecadado no ano anterior, que foi de R$ 161,7 milhões. O ISS que incide sobre as tarifas de pedágio tem configurado importante recurso para os 262 municípios atravessados por 8,3 mil quilômetros de rodovias estaduais paulistas sob concessão. Balanço da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (ARTESP) mostra que em 2017 o repasse total atingiu R$ 509,4 milhões, R$ 39 milhões a mais que em 2016, quando as prefeituras arrecadaram com o imposto R$ 470,1 milhões. Nos últimos dez anos já foram entregues às prefeituras R$ 3,9 bilhões.


Ver também[editar]

Links externos[editar]