Veículo Leve sobre Trilhos - VLT

De Infogov São Paulo
Revisão de 18h53min de 26 de março de 2018 por Alinemourasilva (discussão | contribs)
(dif) ← Edição anterior | Revisão atual (dif) | Versão posterior → (dif)
Ir para navegação Ir para pesquisar

Veículo Leve sobre Trilhos - VLT

Atualizado em: 18 de dezembro de 2014
Características do Trecho Prioritário Ligação entre São Vicente (Terminal Barreiros) e Santos (Terminal Porto), operada com a tecnologia VLT (Veículo Leve sobre Trilhos - Metrô Leve). Com a expectativa de atender cerca 70 mil passageiros/dia útil, será integrado às linhas de ônibus metropolitanos e municipais. Contará com obras de infraestrutura como terminais, estações de transferência, pontos de parada, dispositivos de acessibilidade, intervenções no viário e construção de ciclovias.
Gráfico Vlt.jpg
Investimento Total previsto R$ 1,29 bilhão, incluindo obras civis + rede aérea, sistemas de sinalização/comunicação, material rodante, projetos e desapropriações. Foi aprovado na 1ª quinzena de dezembro 2013 um aditamento de R$ 69 milhões - R$ 43 milhões referem-se à implantação do trecho de 1,5 km da Av. Conselheiro Nébias ao Pátio do Porto, a fim de assegurar local adequado para recebimento e testes dos primeiros veículos.
Financiamentos: O governador Geraldo Alckmin garantiu, no dia 06 de março de 2013, em Brasília, financiamento de R$ 3 bilhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC-2). Para o VLT e o Corredor Metropolitano Itapevi - São Paulo/Butantã no trecho Jandira-Vila Iara. O recurso de financiamento é de cerca de R$ 600 milhões.
  • No dia 12 de setembro de 2013, o governador garantiu investimento de R$ 181,7 milhões do Banco do Brasil para o VLT. o encontro aconteceu com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, na sede da Presidência da República, em São Paulo.
Extensão 19 km.
Benefícios no trecho São Vicente (Barreiros) / Santos (Porto)
  • Redução de 23% na frota de ônibus.
  • Redução do número de linhas de 52 para 32.
  • Redução de tempo gasto com transporte e integração tarifária.
  • Com menos ônibus circulando, a expectativa é de uma economia de aproximadamente R$ 21 milhões/ano em gastos como acidentes e manutenção.
  • Redução da emissão de poluentes na atmosfera.
trens Características dos veículos: 2,65m de largura por 44m de comprimento; capacidade para 400 usuários; velocidade média de 25km/h (a máxima é de 80km/h); ar condicionado e piso 100% baixo, facilitando a movimentação de usuários com dificuldade de locomoção. Investimento: R$ 209 milhões ( 9,5 milhões por veículo).

Anuncio da compra: em 21 de dezembro de 2012, o governador Geraldo Alckmin autorizou, em Santos, a compra de 22 Veículos Leves Sobre Trilhos (VLT) para a Baixada Santista. À ocasião, o governador destacou que 100% dos investimentos são bancados pelo Governo do Estado.

Edital: o edital para a compra dos trens (VLTs) é uma concorrência internacional, publicada em31 de maio de 2012. Duas empresas e dois Consórcios entregaram as propostas, em 27 de julho de 2012. O nome do vencedor foi publicado no DOE de 23 de novembro de 2012 (Consórcio TREMVIA SANTOS, formado pelas empresas TRANS SISTEMAS DE TRANSPORTES S.A. e VOSSLOH ESPANÃ S.A. No valor de R$ 251.887.649,31, cerca de R$ 33 milhões a menos do que o valor previsto no edital). A empresa CAF entrou com mandado de segurança para que seja declarada vencedora. Juiz concedeu decisão favorável à EMTU em 03 de dezembro de 2012 e o processo foi retomado, com o agendamento da data para assinatura do contrato.

  • Status: O 1º VLT desembarcou no porto de Santos em 22/05/14 e foi transportado para a Estação Nossa Senhora das Graças, em São Vicente, onde está passando por testes dinâmicos e de integração de sistemas no trecho entre as Estações Nossa Senhora das Graças e José Monteiro, em São Vicente, desde 30/08. Todos os trens serão entregues até agosto de 2015.

Fabricação: os três primeiros serão fabricados na Espanha e os demais serão montados na fábrica do Consórcio TremVia em Três Rios (RJ), com componentes fabricados na Europa. Até março de 2015, será iniciada a operação comercial entre Barreiros e Porto, com uma frota de 10 VLTs.

Sistemas de Comunicação Sinalização
  • Publicação do edital: o edital foi publicado no dia 22 agosto de 2012. A sessão pública para a entrega das propostas ocorreu no dia 22 de outubro de 2012 e o contrato com o vencedor foi assinado em janeiro de 2013.

O contrato com o ganhador da licitação de fornecimento dos sistemas de energia, sinalização, telecomunicações, controle de arrecadação e de passageiros foi assinado em janeiro de 2013.

  • Vencedor: CONSÓRCIO VLT RMBS, formado pelas empresas: Construtora Ferreira Guedes S.A., Trans Sistemas de Transportes S.A., Adtranz Engenharia e Sistemas Ltda. e Brascontrol Indústria e Comércio Ltda.
  • Projeto: O projeto executivo foi finalizado e equipamentos estão sendo instalados nas estações concluídas ao longo do primeiro trecho do VLT.
  • Status: Contratação de empresa para o fornecimento e instalação de Sistema de Portas nas Plataformas (PSD) para as estações do trecho entre a estação Barreiros, em São Vicente e a Estação Porto, em Santos: em sessão pública realizada em 24/11/14, foram recebidas quatro propostas de preço, que estão em análise pela Comissão da EMTU/SP.
  • Investimento: R$ 123 milhões ( para os dois trechos)

Operação do Sistema Integrado Metropolitano (VLT + Reestruturação do Sistema de Ônibus Intermunicipal) por meio de PPP

A operação do sistema integrado metropolitano (VLT + reestruturação do sistema de ônibus intermunicipal) será por meio de Parceria Público Privada (PPP) voltada à prestação de serviços de transporte intermunicipal, incluindo ônibus, Veículo Leve Sobre Trilhos, além do fornecimento de sistemas e de veículos (ônibus e VLTs), operação e manutenção nos nove municípios da Baixada Santista.

O prazo de vigência da concessão é de 20 anos. O investimento privado previsto é de R$ 666 milhões e inclui implantação de equipamentos e sistemas, bilhetagem eletrônica, aquisição de frota de ônibus e material rodante adicional para operar no trecho Barreiros – Samaritá do VLT, em São Vicente.

O edital da PPP do SIM foi publicado em 03/10/2014 e a sessão pública foi realizada em 25/11/2014 na sede da EMTU/SP em São Bernardo do Campo, o Consórcio BR Mobilidade Baixada Santista, formado pelas empresas Comporte Participações S.A. e Viação Piracicabana Ltda, apresentou proposta e foi homologada no dia 17/12/2014. A previsão de assinatura do contrato está previsto para fevereiro de 2015.

Gráfico
Bsv.jpg
Trecho Barreiros – Porto (Lote 1)
Características
  • Extensão: 9,5km.
  • Estimativa passageiros/dia: 45 mil.
  • Infraestrutura: duas estações de transferência (Barreiros e Conselheiro Nébias) e 14 estações de embarque/desembarque.
  • Investimento: R$ 383,2 milhões, considerando a inclusão do trecho de 1,5 km entre a Estação Conselheiro Nébias ao Terminal Porto, anteriormente previsto no Lote 2 de obras. A transferência foi necessária para garantir os testes operacionais e área adequada para o recebimento dos primeiros veículos.
Projetos
  • Projeto Básico concluído
  • Projeto executivo concluído
Licenciamento ambiental
Edital de Pré-qualificação Em abril de 2012, foi retomado o processo de licitação (o certame havia sido suspenso pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) para a entrega da documentação técnica e de habilitação para a pré-qualificação das empresas interessadas em participar da licitação pública para a execução das obras do trecho prioritário São Vicente (Barreiros) – Santos (Porto) e a extensão Conselheiro Nébias a Valongo, em Santos.
Sessão pública de abertura das propostas A sessão pública de abertura das propostas de preço foi realizada em 12 de abril de 2013, com participação de cinco consórcios. A menor proposta foi do Consórcio Expresso VLT Baixada Santista, formado pelas empresas: Construtora Queiroz Galvão S.A. e Trail Infraestrutura Ltda. Valor: R$ 313.505.850,90.
Obras concluídas
  • Estação Mascarenhas de Moraes - São Vicente
  • Estação São Vicente – São Vicente
  • Estação Emmerich – São Vicente
  • Estação Nossa Senhora das Graças - São Vicente
  • Estação Jose Monteiro - São Vicente
  • Estação Itararé, em São Vicente
  • Estação João Ribeiro, em São Vicente
  • Estação Nossa Senhora de Lourdes, Santos
  • Estação Pinheiro Machado, Santos
  • Estação Porto, Santos
  • Viaduto Emmerich com viário inferior completo, em São Vicente
  • Ponte 1, em São Vicente
  • Pontes 2 e 3 no Canal 1, em Santos
  • Trecho de via permanente com rede aérea entre as estações Mascarenhas de Moraes, em São Vicente, e Bernardino de Campos, em Santos (6,5km), exceto Túnel José Menino.
  • Ciclovia 3,5 km entre Estações Mascarenhas de Moraes e José Monteiro
cronograma das obras
  • Assinatura do contrato: abril de 2013.
  • Início das obras: Lote 1 - 29 de maio de 2013.
  • Previsão de conclusão: março de 2015.
Status O VLT começou a Operação Visita Controlada em 18 de novembro de 2014. No dia 1º de dezembro o programa foi ampliado com viagens entre as estações Mascarenhas de Moraes a José Monteiro, num percurso médio de 17 minutos (ida e volta). A Operação Visita Controlada será concluída em 20 de dezembro de 2014.
Obras em andamento Previsão para o dia 30 de Dezembro
  • Chegada prevista do segundo VLT

Janeiro 2015

  • Entrega do Túnel José Menino (Santos)
  • Entrega das pontes 4, 5 e 6, no Canal 2
  • Estação Bernardino de Campos, em Santos

Fevereiro 2015

  • Assinatura do contrato de Concessão PPP
  • Chegada do terceiro VLT

Março 2015

  • Início da operação precursora entre as estações Mascarenhas de Moraes, em São Vicente, e Bernardino de Campos, em Santos
  • Chegada do quarto VLT
  • Estação Conselheiro Nébias, em Santos
  • Pátio do VLT
  • Edifício administrativo (Pátio Porto)
  • Edifício da subestação de alimentação elétrica (Pátio Porto)
  • Estacionamentos (Pátio Porto)
  • Guaritas (Pátio Porto)
Trecho Conselheiro Nébias - Valongo(Lote 2)
Características
  • Extensão: 8km (Conselheiro Nébias – Valongo)
  • Infraestrutura: um terminal (Valongo), uma Estação de Transferência (Conselheiro Nébias) e 14 estações de embarque/desembarque.
  • Estimativa passageiros/dia útil: 40 mil (trechos Barreiros-Conselheiro Nébias e Conselheiro Nébias - Valongo)
Estimativa passageiros/dia útil 40 mil (trechos Barreiros-Conselheiro Nébias e Conselheiro Nébias- Porto - Valongo)
Investimento R$ 215 milhões
Projetos: O Consórcio Projetos SIM RMBS, contratado pela EMTU/SP, tem no seu escopo elaboração dos Projetos Básico e Executivo do Trecho Conselheiro Nébias – Valongo, com cerca de 8km, Projeto Básico do Trecho Barreiros – Samaritá, cerca de 7,4km e Projetos Funcionais do Trecho Conselheiro Nébias – Ponta da Praia, com cerca de 4,4 km e do BRT Litoral Sul, com cerca de 18km, na ligação de São Vicente (futura estação São Vicente- área insular) até Praia Grande (Vilas Caiçara e Samambaia
Licenciamento ambiental
  • Consulta prévia protocolada na CETESB em 16 de setembro de 2011 - Parecer protocolado naEMTU em 24 de outubro de 2011.
  • Conclusão Elaboração RAP Nébias-Valongo: protocolado na CETESB em 20 de março de 2013.
  • Obtenção LP Nébias - Valongo: abril de 2013.
  • Obtenção LI Nébias - Valongo: junho de 2013.
  • EIA-RIMA: A Cetesb exigiu para o trecho Cons. Nebias/Valongo um EIA-RIMA (Estudo de Impacto Ambiental) ao invés de um Relatório Ambiental Preliminar (RAP). Em janeiro de 2014 foi publicado no DOE aviso de contratação de empresa especializada para a elaboração do Estudo de Impacto Ambiental – EIA e respectivo Relatório de Impacto Ambiental – RIMA do Projeto de Implantação do Sistema Integrado Metropolitano – SIM e do Veículo Leve sobre Trilhos – VLT. Sessão Pública: 07/03/2014.
  • Audiência Pública: em 31/10/2014 foi realizada audiência pública em Santos para apresentação do trecho.
  • Empresa Contratada: Em junho de 2014 foi publicada no DOE a homologação da empresa WALM ENGENHARIA E TECNOLOGIA AMBIENTAL LTDA como ganhadora da licitação. O contrato foi assinado em julho de 2014.
  • Previsão de conclusão da EIA-RIMA: 1º trimestre 2015
Cronograma das obras Somente depois da conclusão da RIMA é possível definir o cronograma das obras
Trecho Complementar Conselheiro Nébias - Porto)
Características Trecho de 1,5km entre a Estação de Transferência Conselheiro Nébias e o Terminal Porto, incluindo o Pátio. A publicação será possível porque já há uma LP emitida para o trecho Barreiros até o Porto.
Valor previsto da obra R$ 118,7 milhões
Obras previstas Edificações, complementação do Pátio de estacionamento e manobras do VLT, oficinas e equipamentos de manutenção, via permanente para estacionamento dos VLTs.
Cronograma
  • Abertura de envelopes: 07/05/2014
  • Habilitação: maio 2014.
  • Assinatura de contrato de obras trecho Conselheiro Nébias - Porto: julho 2014.
  • Início de obras: agosto 2014
  • Conclusão de obras: março 2015
Observação A operação dos primeiros veículos, da avenida Conselheiro Nébias até a Estação Porto, será viabilizada em via única até que seja concluído o trecho complementar Conselheiro Nébias – Terminal Porto (março 2015), quando terá início a operação comercial do VLT. As obras dessa via única já estão em execução pelo Consórcio Expresso VLT Baixada Santista, responsável também pelo trecho Barreiros- Conselheiro Nébias.
Trecho Barreiros - Samaritá
Características Extensão: 7,5km. 4 estações projetadas. Custo estimado do empreendimento: R$ 320 milhões
Status O projeto básico desse trecho está em elaboração. Em agosto de 2014 foi assinado o contrato com a empresa WALM ENGENHARIA E TECNOLOGIA AMBIENTAL LTDA responsável pela elaboração do Estudo de Impacto Ambiental – EIA e respectivo Relatório de Impacto Ambiental – RIMA do trecho. Previsão de conclusão do licenciamento ambiental: 1º semestre de 2015 Em 29/10/2014 foi realizada audiência pública em São Vicente para apresentação do trecho.
Gráficos
Bsvmaio.jpg
Bsv2012.jpg

Fonte: AI EMTU


Últimas Atualizações

15/06/16 - GA entregou nesta quarta-feira (15), em Santos, o Centro de Controle Operacional (CCO) do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) da Baixada Santista. Na passagem pela cidade, Alckmin fez vistoria nas obras do pátio de manutenção e estacionamento dos veículos e também no prédio onde será instalada a nova sede da Gerência Regional da EMTU.

2017

31/01/2017 - Entrega do primeiro trecho do VLT da Baixada Santista

O primeiro trecho do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) que faz a ligação entre os municípios de Santos e São Vicente foi entregue nesta terça-feira (31) pelo governador Geraldo Alckmin à população da Baixada Santista. O Governo do Estado investiu R$ 1,3 bilhão na obra. Com o trecho, o VLT – que já transporta em média 6 mil pessoas por dia -, pode ampliar esse número para 25 mil pessoas/dia.

O trajeto inaugurado tem 11,5 quilômetros, entre as estações Barreiros (São Vicente) e Porto (Santos). Administrado pela EMTU/SP (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos), o VLT faz parte do SIM (Sistema Integrado Metropolitano da Baixada Santista), com integração para 37 linhas de ônibus intermunicipais, beneficiando cerca de 2 milhões de habitantes que utilizam o sistema.

Ao todo, o VLT terá 15 estações. Nesta terça-feira, foram entregues as estações Ana Costa, Washington Luis e Conselheiro Nébias (que entrará em operação em fevereiro). Outras dez já estavam funcionando desde o início do ano.

“São mais estações do VLT. Com mais essas, nós completamos 15, desde de Barreiros, São Vicente, ao Porto de Santos, passando por aqui onde estamos, na (estação) Ana Costa, depois Washington Luis e Conselheiro Nébias. Também estamos entregando mais 15 trens, dos mais modernos, com ar-condicionado, elétricos, não-poluentes, capacidade para 400 passageiros e com qualidade”, disse Alckmin.

Transporte não-poluente

O VLT é um transporte não-poluente e para complementar essa característica há uma ciclovia que acompanha as estações. Os ciclistas que utilizam o trajeto podem deixar suas bikes em um bicicletário localizado na estação inicial de Barreiros. Além disso, paraciclos (estruturas de metal para estacionar as bicicletas) também foram instaladas nas demais estações.

Operação

O horário de funcionamento do VLT vai ser ampliado a partir desta quarta-feira, 1º de fevereiro, passando a operar das 7h às 19h em 14 das 15 estações (com exceção de Conselheiro Nébias). A partir de abril, o horário de circulação será ainda mais amplo: das 5h30 às 23h30.

Foram instaladas nas estações 10 máquinas de autoatendimento para compra dos cartões unitários e para recarregar o Cartão BR Mobilidade, utilizado no VLT e nas linhas intermunicipais. Ao todo, serão utilizados 22 trens no trajeto, dos quais 18 já foram entregues, 15 deles estão em operação e três estão em fase de testes. Os trens vão circular em intervalos de 10 minutos.


2018

  • 26/03/2018 - Alckmin autoriza publicação de edital de obras do trecho Conselheiro Nébias–Valongo do VLT

O governador Geraldo Alckmin autorizou nesta segunda-feira, 26, a publicação do edital de obras do trecho Conselheiro Nébias–Valongo do VLT da Baixada Santista. A previsão é que a construção tenha início no segundo semestre deste ano, com investimento de R$ 270 milhões. As obras devem durar 30 meses.

“Serão quatorze novas estações nesta segunda fase, mais oito quilômetros de percurso chegando até o Valongo, passando pelo Hospital dos Estivadores. Assim, o VLT vai ajudar na revitalização da região central de Santos”, disse o governador.

No mesmo evento, Alckmin entregou os dois últimos VLTs contratados (21º e 22º) e três equipamentos de manutenção, além da conclusão da instalação de portas-plataforma nas cinco últimas das 15 estações do trecho Barreiros-Porto, onde ainda não havia o equipamento (Itararé, João Ribeiro, Nossa Senhora de Lourdes, Pinheiro Machado e Terminal Porto).

Conselheiro Nébias–Valongo

Com 8 km de extensão, o segundo trecho do VLT terá 14 estações, a partir da estação de transferência Conselheiro Nébias, distribuídas ao longo do centro histórico de Santos, Mercado Municipal e importantes estabelecimentos de ensino superior da Baixada Santista. Serão elas: Xavier Pinheiro, Universidades 1, Mercado, Paquetá, Poupatempo, Mauá, São Bento, Valongo, José Bonifácio, Bittencourt, Campos Sales, Universidades 2, Carvalho de Mendonça e Tamandaré.

Portas-plataforma

A operação das portas-plataforma nas estações Itararé, João Ribeiro, Nossa Senhora de Lourdes, Pinheiro Machado e Terminal Porto completa a instalação do equipamento nas 15 estações do trecho Barreiros-Porto do VLT. O investimento total foi de R$ 40 milhões.

As portas-plataforma protegem a via férrea e têm o funcionamento sincronizado com o movimento de abertura e fechamento das portas do veículo. Possuem várias funções, dependendo do local onde são instaladas, como prevenir queda de usuários na via; reduzir o perigo de arraste ou impacto, especialmente dos trens que passam em alta velocidade; melhorar o controle climático da estação; aumentar a segurança, ao não permitir que entrem nas plataformas pessoas não autorizadas; evitar que os usuários joguem lixo na via.

21º e 22º VLTs

São os últimos VLTs dos 22 contratados. Assim como os demais, possuem 2,65 m de largura por 44 m de comprimento e 3,20 m de altura; capacidade para 400 usuários; velocidade média de 25 km/h (a máxima é de 80 km/h); ar-condicionado e piso 100% baixo, facilitando a movimentação de usuários com dificuldade de locomoção.

Veículos auxiliares à manutenção

Os equipamentos de manutenção entregues nesta segunda-feira são um vagão-plataforma, um veículo auxiliar de via e um veículo auxiliar de manutenção de rede aérea.

O vagão-plataforma será utilizado para o transporte de materiais, peças e equipamentos entre o pátio de estacionamento e manutenção do Porto e a linha do VLT e vice-versa.

O veículo auxiliar de via presta diversos serviços ao longo da via, principalmente para deslocamento rápido de emergência e para sanar algum tipo de ocorrência técnica nos equipamentos, transportando ferramentas, instrumentos e pessoal técnico na cabine. Vai transitar no modo rodoviário, vencendo desníveis e curvas característicos das vias urbanas.

O veículo auxiliar de manutenção de rede aérea, por sua vez, executa manutenção, inspeção e medição no sistema de rede aérea, constituído de fio de contato, alimentador e suspensório e de seus acessórios, principalmente, na troca de fio de contato e de seu tensionamento. Transita no modo rodoviário, vencendo desníveis e curvas características das vias urbanas, e no modo rodoferroviário sobre caixas de passagem elétricas, aparelhos de mudança de via (AMV) e contadores de eixos, entre outros, sem danificá-los ou alterar suas características de funcionamento.

Ver também

Links externos