Coletiva-Assinatura de Convênios para Moradias-20120103

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Assinaturas de Convênios para Moradias

Local: Capital - Data: 01/03/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Hoje nós celebramos aqui convênios e protocolos com 22 municípios de São Paulo, 1.753 unidades habitacionais, casas para famílias que ganham um salário, dois, três, até cinco salários mínimos. Cada casa três empregos, então é muito emprego direto e indireto. E casa para quem precisa, para quem tá pagando aluguel em área de risco, morando com a família, e ao mesmo tempo, famílias de menor renda, que tem um importante subsidio do governo. Parceria, as prefeituras estão nos dando o terreno, então a gente não gasta recurso com o terreno. E de forma descentralizada, nós passamos o dinheiro para o município, eles licitam e eles constroem. Sai mais barato, mais rápido e melhor.


REPÓRTER: Tem a participação da iniciativa privada também, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não. Nesse caso não. É exclusivamente governo do estado e prefeituras municipais.


REPÓRTER: E eleições, novidades?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não. Acho que está tudo caminhando, a prévia é dia 25. Então as coisas então caminhando bem. Acho que estão indo bem.


REPÓRTER: Como o senhor viu essa entrada oficial, o primeiro ato oficial, a entrevista coletiva do Serra, se apresentando?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Achei importante. Eu acho que a ida do Serra ao partido, a carta que ele fez a sua inscrição como pré-candidato, a sua participação na prévia, tudo isso valoriza a militância, valoriza a participação política, valoriza a eleição em São Paulo.


REPÓRTER: O senhor acha que ele tem que participar dos dois debates que estão sendo pleiteados, pelo Aníbal e pelo Trípoli?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, esse é um tema interno do partido, dos pré-candidatos.

REPÓRTER: Mas para a militância é bom que ele participe?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Vamos aguardar que o Serra se manifeste.


REPÓRTER: A colunista Mônica Bergamo da Band News FM disse hoje que havia preocupação dentro do partido que, na eleição em si, não no ‘pré’, mas na eleição, o senhor poderia diminuir um pouco o apoio ao Serra e acabar até ajudando o Chalita que é seu amigo pessoal. O que o senhor tem a dizer sobre isso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, isso é tão irresponsável quanto ofensivo. Não merece nem resposta.


REPÓRTER: Mais uma pergunta, governador. O PSB, como estão as negociações, se de fato se formar a aliança com o Haddad, ele deixa o governo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós queremos fazer um importante arco de alianças. Quais vão ser os tempos aí? Primeiro tempo: a prévia; segundo tempo: a construção do arco de alianças. Então, isso vai ficar a partir de abril. Se depender de nós, ficarão conosco, o PSB e outros partidos.


REPÓRTER: Obrigado.