Coletiva-Inaguração da Fábrica de Cultura do Jardim São Luís-20121102

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva de Inauguração da Fábrica de Cultura do Jardim São Luís

Local: Capital - Data: 11/02/2012

REPÓRTER: ... Mostra um afastamento do PSDB, é definitivo?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, eu queria destacar, primeiro, a importância aqui da entrega da Fábrica da Cultura, aqui no Jardim São Luís. É a quarta Fábrica de Cultura, nós já entregamos três na zona leste, a primeira na zona sul de São Paulo. Atender crianças, os jovens, terceira idade, famílias, teatro, música, cinema, instrumentos musicais, canto, poesia, literatura, circo, vídeos. Então, é um trabalho muito bonito. Nós vimos aqui, a apresentação da Fábrica de Cultura lá de Curuçá, na zona leste, que beleza que é o trabalho. Então, um trabalho que é de entretenimento, de lazer, cultural e educacional. Essas crianças e esses jovens vão ter um desempenho melhor na sua escola. Essa é a quarta de nove fábricas de cultura. Sobre a questão política, o Júlio Semeghini dá uma palavrinha.

REPÓRTER: Governador, qual é a importância de um equipamento como este para uma população de uma região carente?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, a maior necessidade dos bairros de São Paulo, especialmente os bairros mais distantes é falta de lazer, de entretenimento. Então, a Fábrica de Cultura, ela traz entretenimento, traz aulas de teatro, cinema, circo, dança, música, literatura, instrumentos musicais, tudo de graça. Aberta às crianças, aos jovens, à terceira idade, às famílias, ela muda a região. Essa é a quarta que nós estamos inaugurando, Fábrica de Cultura. As primeiras três foram na Zona leste. E nós vimos aqui uma apresentação de crianças e jovens da Fábrica de Cultura da Vila Curuçá. É impressionante, o balé, a apresentação cenográfica muito bonita. Então, eu diria um dos melhores programas de inclusão social de t rabalho com as crianças e transformação da realidade social através da cultura, e são nove. Nós entregamos a quarta, faltam mais cinco. Deveremos em menos de 60 dias entregar aqui no Capão Redondo, na Zona Sul e na Vila Nova Cachoeirinha, na Zona Norte. Então, um programa muito bonito, tudo de graça, qualidade, prédios novinhos, organizações sociais muito preparadas com professores. E é praticamente o segundo turno da escola, quer dizer, a criança fica um período na escola e o outro turno na Fábrica de Cultura.

REPÓRTER: Vocês pretendem também instalar também na Zona Oeste da capital, já que a Zona Norte já vai ser contemplada daqui a algum tempo, como é que é?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, Zona Oeste...

REPÓRTER: Só falta a Oeste.

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Mas oeste não tem área carente.

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Menos...

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Não tem área carente. Nós estamos pondo nos lugares aonde o SAD identificou os dez pontos de maior vulnerabilidade de jovens e adolescentes da cidade. Esses foram os lugares escolhidos.

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A escolha foi maior vulnerabilidade. Então, a primeira foi Sapopemba, Vila Curuçá, Itaim Paulista, agora Jardim São Luís, depois Capão Redondo, depois Vila Nova Cachoeirinha...

REPÓRTER: E Glicério agora, não é?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É Glicério também. São nove ao todo. Estamos até estudando também Grajaú, aí seria a décima fábrica de cultura.

REPÓRTER: No interior do estado, isso aí também pode ser...

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Esse programa tá mais na região, mais na capital. No interior nós temos muitas oficinas culturais e projeto Guri. Projeto Guri já passaram mais de 200 mil crianças e jovens.

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Hoje tá com 60 mil vagas.

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Hoje têm 60 mil vagas de crianças e jovens estudando música, no projeto Guri.

REPÓRTER: Governador, sobre as prévias do partido, qual a avaliação que o senhor está fazendo desse cenário? É realmente esse o caminho? É o mais democrático? E agora, já na proximidade da data, dia 4 de março?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu acho que tá indo bem, nós temos quatro pré-candidatos. Aquele for escolhido, será em um colegiado bem mais amplo, pode chegar a dez mil filiados escolhendo; terá uma enorme legitimidade a sua candidatura; aberto a todos, temos quatro inscritos. Então, eu diria que a democracia começa dentro de casa, não é? Então, você ouvindo o partido, o partido ouvindo a sociedade... Então, eu diria que é um processo importante para fortalecimento do PSDB.

REPÓRTER: Pode haver uma reviravolta com o ex-governador José Serra podendo até ainda ser candidato? Qual a avaliação que o senhor faz?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, o Serra não disse que é candidato. Então, nós não vamos avaliar sobre hipótese, não é? Se ele vier a ser candidato, isso vai ser avaliado e já quero antecipar que é um grande nome para presidente da República, para prefeito, para qualquer cargo. É um dos quadros mais qualificados do PSDB.

REPÓRTER: O prefeito Kassab, ao se aproximar do PT, o senhor diria que as negociações estão encerradas com o PSDB?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, nós queremos fazer a maior... Um grande arco de alianças em torno de um programa para servir à população de São Paulo.