Coletiva-Instalação do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte e Outras Ações-20122303

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Instalação do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte e Outras Ações

Local: São Luiz do Paraitininga - Data: 23/03/2012

COLETIVA 1



REPÓRTER: A posse desse conselho, efetivamente, [ininteligível] na Região Metropolitana, começa agora a trabalhar, efetivamente, é isso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente. Hoje começa a Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral Norte, com a posse dos novos conselheiros do Conselho do Desenvolvimento Regional. Os 39 municípios divididos em cinco sub-regiões do Vale Histórico, da região da Serra, região do Médio Vale, da região de Taubaté, São José e o Litoral Norte. Enquanto não tem a agência executiva, a Emplasa será o órgão executivo, e nós vamos criar por lei o Fundo de Desenvolvimento Metropolitano. Os temas... O conselho atua. Ele de um lado tem os prefeitos, do outro lado os representantes do governo do estado e ainda teremos o Conselho Consultivo, com a Sociedade Civil. Para discutirmos planejamento e desenvolvimento da região. Então, por exemplo, infraestrutura, Carvalho Pinto já é um tema importante, nós queremos trazer a Carvalho Pinto até a o Osvaldo Cruz; então ontem falei com o prefeito de Taubaté, porque precisamos ter a aprovação da prefeitura para poder começar o mais rápido possível. Então todos os turistas que forem para São Luís do Paraitinga ou para o Litoral, para Ubatuba, não vão precisar pegar mais a Dutra, você vai melhorar muito a logística, evitar congestionamentos em época de feriado, fim de semana. De outro lado, a Tamoios. Esperamos agora, na primeira semana de abril, ter a abertura dos envelopes. E se não houver problema judicial até o final do mês o contrato assinado, 54 km de duplicação e aí vamos trabalhar os contornos e a aprovação ambiental do contorno e da Serra. O porto de São Sebastião, deveremos ter um investimento de R$ 250 milhões. O porto já está no azul, como já não é mais deficitário, em janeiro foram 90 mil toneladas de exportação; passou de um navio para dois navios, exportação de automóveis pelo porto de São Sebastião; nós estamos exportando usinas de álcool e importando usinas de cimento, quer dizer, o mesmo navio leva as usinas de álcool, fabricadas em São Paulo e traz usinas de cimento, barrilha para indústria de vidro, fertilizantes, fosfato para indústria de fertilizantes, enfim, o movimento importante. Então, questão portuária. A questão da indústria, do pré-sal, do petróleo e gás, questão habitacional, saneamento básico, a despoluição do rio Paraíba do Sul, logística, desenvolvimento para as regiões da Serra, turismo, segurança pública, enfim, uma pauta muito vasta.


REPÓRTER: Governador, e a obra aqui em São Luís do Paraitinga com a Região Metropolitana, principalmente a igreja, deve andar com mais agilidade ou não?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, independe. A obra ela já está sendo feita, são R$ 12,8 milhões, que está sendo investido, foram encontrados ossos no subsolo, então precisa ser feito todo um trabalho com cuidado, é um prédio tombado, um dos melhores conjuntos arquitetônicos da época do café, do século XIX, que estão em São Luís do Paraitinga. Então, restauração da igreja, dos casarões, da biblioteca, da prefeitura, então, um trabalho importante que está sendo feito aqui.


REPÓRTER: Governador, o senhor do suposto Tribunal Regional de São José, já tem um prazo...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós já estamos adiantando o projeto básico, enquanto a prefeitura providencia a doação do terreno; então, nós precisamos da doação do terreno. E vamos unificar ter um Complexo Hospitalar em Taubaté. A reitoria da universidade concordou com a transferência do patrimônio do Hospital Universitário, então nós vamos ter a mesma administração para o HU e para o Hospital Regional. E investir bastante no Hospital Universitário.


REPÓRTER: [ininteligível] Região Metropolitana, a segurança. Hoje as delegacias estão precisando de policiais, estrutura, isso é um exemplo do que pode ser feito?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Então, nós... Em 60 dias nós vamos ter mais 51 policiais civis, só aqui na região. Investigadores e escrivães; depois, em seguida, virão os novos delegados de policia. É para discutir estratégia, reengenharia da polícia, eficiência, eficácia no trabalho, recursos humanos, educação desde a creche até a universidade, desenvolvimento, questão de trem bala, aeroportos, então é para discutir toda a região e alavancar a região como um todo. A Região Metropolitana já nasce, a terceira maior região metropolitana do estado de São Paulo, e a décima maior do Brasil; maior do que a região metropolitana de Porto Alegre, Curitiba e Recife. Então, importantíssimo sob o ponto de vista populacional e de PIB, de riqueza gerada na região.


REPÓRTER: Governador, [ininteligível] regional e Jacareí...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, apoiaram o trem bala. Porque não tem sentido você ter um trem concorrente do outro. Então é apoiar o trem de alta velocidade. Se ele não sair aí é outra hipótese.


REPÓRTER: Governador, qual é a importância da reconstrução de Paraitinga para [inteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, muito importante, porque São Luís do Paraitinga é uma belíssima instância turística, da região, uma capital da cultura e da educação, tem um dos mais importantes conjuntos arquitetônicos do século XIX, da época do café, então ela tem uma grande força e importância para o país.


REPÓRTER: Governador, falando a respeito da integração do regional com o Hospital Universitário, existe, em termos de prazo, alguma coisa prevista?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, agora, a bola está com a Universidade. Eu acho que ela decidindo juridicamente pela transferência, imediata, o estado assume a gestão; a nossa ideia é que os camilianos, que hoje administram através de OS e contrato de gestão o Hospital Regional, também passem a administrar o HU.


REPÓRTER: Quanto sai de verba sobre a criação de [ininteligível] e qual a estimativa...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, não é decreto. É lei. Aí terão recursos do estado e das demais prefeituras também.


REPÓRTER: Hoje, em torno, de R$ 5 milhões em Santos. É, mais ou menos, essa estimativa?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Pode ser isso, pode ser mais. Os grandes investimentos não serão feitos através do fundo. Tamoios é transporte, porto é transporte, mas o fundo é importante para estudos, projetos, para questões de desenvolvimento regional.


REPÓRTER: Governador, queria que o senhor comentasse o fim das aulas de reforço.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, importante esclarecer. Não tem, isso é uma matéria errada, não tem nenhum fim de aula de reforço. As aulas de reforço vão continuar, é que os professores que vão dar aula de reforço serão os professores titulares, que nós vamos pagar, vão ser remunerados, para fazer aula de reforço. Então aula de reforço extracurricular, nós já temos mais de 2.000 salas funcionando. Elas continuam. E além do reforço extra aula, nós teremos o reforço na sala de aula, com mais um professor. Então, são duas coisas: continua o reforço, além do horário da aula e, além disso, terá o reforço na sala de aula para aqueles que precisarem.


REPÓRTER: Governador, no caso das cidades com pequenos portos, como São Luís, a estrada que liga Alagoinha também terá investimento?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Terão. Aliás, o doutor Clodoaldo está aqui, nós temos um grande problema de recuperação de SP’s na região. Nós queremos todas as rodovias estaduais, São Luís, Alagoinha, Vale histórico, Rodovia dos Tropeiros. Eu estou indo agora à Bananal inaugurar Bananal/Barra Mansa, que ficou pronta. Todas elas serão recuperadas.


REPÓRTER: Alagoinha pode esperar, então?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Pode, claro.


REPÓRTER: [ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: [ininteligível] nome. Agora, a escolha de candidatura, ela é local. Aí depende do diretório de São José, das suas lideranças, então é um tema...


REPÓRTER: Mas o senhor não vai interferir?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, não vamos interferir.


REPÓRTER: [ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Cruzeiro Cachoeira, recuperar as SP’s para o Vale Histórico, levamos a Fatec para Cruzeiro no outro mandato e agora vamos construir o prédio próprio da Fatec em Cruzeiro.





COLETIVA 2



GOVERNADOR GERALDO ALKCMIN: Infraestrutura, Tamoios, aeroportos, trem de alta velocidade, porto, turismo, fortalecimento econômico das pequenas cidades, educação, parque tecnológico, enfim, é uma pauta vasta. A Região Metropolitana do Vale do Paraíba e Litoral, já começa como a terceira maior região metropolitana do estado, e a décima maior região metropolitana do Brasil. Maior do que Porto Alegre, Recife, Curitiba, então, muito forte e essa união da região é importante.