Coletiva - Abertura do VIII Congresso Nacional dos Engenheiros - 20122409

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva na Abertura do VIII Congresso Nacional dos Engenheiros

Local: Capital - Data: 24/09/2012

REPÓRTER: ... [ininteligível] para o rumo da engenharia no país?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, a engenharia vive um grande momento hoje, faltam engenheiros. A engenharia é fundamental para o desenvolvimento do país, para a competitividade né. Engenheiro inova, engenharia é inteligência, reduz custo que é fundamental para competitividade, melhora logística, atua nos parques tecnológicos. Então é uma alegria participar aqui desse grande congresso da Federação Nacional dos Engenheiros. São Paulo tem contribuído com a formação dos engenheiros, nós liberamos recursos para a Unesp, para os novos campus, campi da Unesp só pra engenharia: engenharia agronômica, engenharia ambiental, engenharia de computação, engenharia civil, engenharia eletrônica, enfim, engenharia de pesca, as várias áreas da engenharia. Além da formação dos engenheiros, a pesquisa através da FAPESP, além das universidades a FAPESP, os parques tecnológicos, está vindo pra São Paulo a Foxconn, uma única fábrica em Itú na área de produto eletrônico vai chegar a 10 mil empregos, será um grande centro de pesquisa e desenvolvimento. E infraestrutura e logística, as grandes obras do Brasil: Rodoanel, túnel Santos-Guarujá, duplicação da Euclides da Cunha, a nova Tamoios, as obras do Metrô, do trem, hidrovias, enfim, logística e infraestrutura. Diria que a engenharia é o grande motor e cérebro do desenvolvimento brasileiro.


REPÓRTER: Governador, neste mês o sindicato dos engenheiros paulistas faz 78 anos. Seu recado para categoria.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, parabéns pela data, eu sou um admirador dos engenheiros porque tive a honra de conviver de maneira muito próxima com um deles, que foi Mário Covas. É, engenheiro que dizia que toda experiência, segurança que ele tinha em sua atividade de governo vinha da sua formação através da engenharia. Então nossa admiração a esses construtores do desenvolvimento brasileiro.


REPÓRTER: Governador, o que o senhor destacaria de ação do Governo ao atendimento [ininteligível]?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, eu destacaria a ida da Poli pra baixada santista, a universidade de São Paulo levou a sua engenharia que é a escola Politécnica para a baixada santista, pra Santos, já tem a primeira turma já estudando. A infraestrutura aeroportuária, portuária, rodoanel, nova imigrantes, o IPT que é o grande parceiro da Petrobrás nos ensaios para ação em águas profundas. A formação de recursos humanos, desde o nível técnico até o nível especializado, enfim, essa é a contribuição. E destacar também o tema deste ano que é a Copa do Mundo. A Copa do Mundo é uma grande oportunidade de emprego, nós vamos ter as cidades que vão sediar a Copa, as 12 capitais, tá indo muito bem aqui o polo de Itaquera e as grandes obras de trem, Metrô, legado que vai ficar para a população da zona leste e o viário, ligação da nova Radial com a Jacú Pêssego, o rodoanel chegando mais rápido no aeroporto de Cumbica, enfim, ganhos importantes para o país.


REPÓRTER: Governador, mais uma pergunta. O porto de Santos, ele tá dobrando e tem projeção de quase triplicar movimentação de carga. E a gente percebe, inclusive o próprio secretário Jurandir fala, que a gente tem um gargalo imenso logístico no Estado. Qual ação você acha que tem que ser feita, Governo do Estado e Governo Federal, pra resolver esse problema?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, primeiro eu já citei que é tirar a travessia de balsa do canal, né, porque é um dos canais mais movimentados no mundo, o porto de Santos é o maior porto da América do Sul e você ter uma maior travessia de balsa do mundo em cima do canal é cada vez mais difícil, então o túnel Santos-Guarujá vai ajudar muito a ligação da margem esquerda com a margem direita pelo porto. A outra é o acesso rodoviário, nós já duplicamos a Imigrantes, agora vamos fazer grandes obras de duplicação da Cônego Domenico Rangoni, vai ajudar muito o córrego petroquímico de Cubatão, o Rodoanel chegando a Cumbica e o Ferroanel junto com o Governo Federal e o setor privado, nós precisamos aumentar o acesso pela ferrovia.


REPÓRTER: Tem alguma previsão na questão do Ferroanel, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Tá indo bem, os estudos já começaram. O Ferroanel norte, os estudos mostram que ele deve sair de Jundiaí e vir para estação Manoel Feio, aqui na zona leste. Então hoje o trem passa dentro da cidade, pela luz, aqui do lado pela estação da Luz, imagine trem de carga e o nosso trem a distância hoje no pico é 5 minutos, vai chegar a 3 minutos. Então o Ferroanel eu diria que é uma obra logística muito importante, fundamental para a região metropolitana e para o Porto.


REPÓRTER: Obrigada.