Coletiva - Agenda Metropolitana do Litoral Norte 20121512

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Agenda Metropolitana do Litoral Norte.

Local: São Sebastião - Data: 15/12/2012


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: ... consórcio e não vamos esperar nenhuma PPP. Esperamos em 90 dias, no máximo 100 dias, começar a obra do contorno, que é uma grande obra que vai para o lado de Ubatuba até Massaguaçu, que é o ponto norte, e o contorno sul para São Sebastião.

REPÓRTER: E o trecho de serra?

GOVERNADOR GERALDO ALKCMIN: Depois, o trecho de serra, saindo a licença ambiental, nós já vamos licitar também. Então nós teremos as três obras em execução. O trecho do planalto já bastante adiantado, que é fazer do lado da atual pista; o trecho do contorno com toda a parte ambiental já aprovada e já na fase de licitação para assinatura de contrato em março; o trecho da serra, tendo a licença ambiental, será licitada imediatamente. E vamos ter dois projetos que estamos concluindo: mais 150 km na SP-55 entre Caraguatatuba e Ubatuba (terceiras faixas, acostamentos, ampliação) e entre São Sebastião e Bertioga. Então toda a SP-55 também ampliada. A segunda boa notícia é o projeto de lei que nós estamos assinando hoje para a Assembleia Legislativa solicitando financiamento do BID de R$ 600 milhões, R$ 600 milhões do Estado, R$1,2 bilhão para habitação. Um grande projeto para tirar famílias de áreas de risco para evitar novas ocupações e preservar o meio ambiente. E a terceira é saneamento básico. Nós vamos chegar no litoral praticamente quase 85% de esgoto coletado até 2014 e 100% desse esgoto coletado tratado e 95% de água, um grande ganho em termos de sabeamento básico.

REPÓRTER: Obrigada, governador.


Coletiva 2

REPÓRTER: Governador a questão dão hospital regional como é que vão ficar as construções?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, para a região metropolitana do Vale nós temos três grandes investimentos: Taubaté já temos o hospital regional, vamos assumir agora em janeiro o Hospital Universitário, integrar os dois no Complexo Hospitalar e investir nos dois. Recuperar o HU, modernizá-lo, equipá-lo, e ampliar o regional, que está muito bom mas precisa ser ampliado. Na região de São José dos Campos, um novo hospital no Parque Industrial, do outro lado da cidade, e um hospital muito voltado à cirurgia, parte cirúrgica e trauma. Para Litoral Norte, um hospital de referência. As quatro cidades têm Santa Casa e atendem a questão local, mas nós pretendemos ter um hospital de referência, especialmente trauma, neuro e cirurgia, hospital cirúrgico, para referência para as quatro cidades. Eu espero que agora em janeiro, c om os novos prefeitos e secretários, só me definir o local nós já vamos iniciar. Se tivesse... a outra opção seria pegar um hospital que já existe e transformarmos em regional. Mas isso depende aqui da região. Talvez o mais correta seja cada um manter a sua Santa Casa e nós termos um hospital de referência aqui para a região do Literal Norte. E, indicada a área, nós imediatamente faremos o projeto e começaremos a obra.


REPÓRTER: Já teve indicação de área?


REPÓRTER: Já existe o consenso dos prefeitos em ser em São Sebastião, não?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Então, essa é uma decisão aqui da região do litoral.


REPÓRTER: Nós estamos numa cidade beneficiada por royalties. Qual é a posição de São Paulo nessa questão, levando em consideração que Rio de Janeiro e São Paulo vão entrar na Justiça?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, a posição de São Paulo é defender o veto da presidenta Dilma. Nós estamos favoráveis ao veto da presidenta Dilma porque estabelece para o futuro novas regras, mas, para os contratos já assinados, as regras atuais. Isso me parece o mais correto. E a nossa recomendação para os 70 deputados federais de São Paulo é votar contra a derrubada do veto, é votar favorável ao veto porque São Paulo, como estado produtor de petróleo e gás, acaba perdendo. E é natural que os estados e municípios produtores tenham um recurso a mais.


REPÓRTER: São Paulo vai entrar na Justiça também?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós esperamos que o veto não seja derrubado. Temos confiança de que o veto não seja derrubado. Mas, de outro lado, se isso acontecer, a Procuradoria-Geral do Estado já está orientada a ir ao Supremo Tribunal Federal.


REPÓRTER: Governador, com relação à saúde, o prefeito de São Sebastião e Ilha Bela e também de Ubatuba já falam da divisa como local pra implantação do hospital regional, já tem esse consenso. Isso já seria possível definir que o hospital nessa região?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu acho que o caminho natural é ser Caraguatatuba, no contorno da Tamoios, ou aqui na divisa com São Sebastião, atendendo aqui a comunidade. Por isso que a gente quer que a própria região defina. A segunda boa notícia é a Tamoios. Podem marcar: no dia 16 de dezembro, daqui a um ano e um dia, nós estaremos entregando a duplicação da Rodovia Tamoios até o alto da serra. E, em março, iniciando a obra do contorno. É uma grande obra, ela vai duplicar de Caraguá até dentro de São Sebastião e até Massaguaçú, indo para Ubatuba (obra grande, R$ 1,8 bilhão).


REPÓRTER: Qual a previsão?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós esperamos entregar ainda no nosso mandato o trecho para Ubatuba, que é mais curto. O trecho de São Sebastião tem túneis. Deve ser uma obra para 30 meses, aproximadamente. E, tendo a licença ambiental no primeiro semestre, da serra da nova rodovia, ela será imediatamente licitada. E autorizamos também o projeto-executivo para modernização e ampliação da SP-55. São quase 50 km para Ubatuba e quase 50 km para Bertioga. Faixas de rolamento, recapeamento, acostamento, baias de segurança, sinalização, modernização de rodovia. E, finalmente, o saneamento básico. Nós deveremos passar, já agora até 2014, a água de 85% para 91%, quase universalizada a água. E o tratamento de esgoto que era baixo, 42% no litoral para 73%. E, do coletado, 100% tratado. Então, in&u acute;meras praias todas limpas. Aliás, a imprensa tem noticiado uma melhora da qualidade das praias de São Paulo.


REPÓRTER: Lá fora existem manifestantes reclamando que não há vigias em unidades de conservação.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, mas já está contratado. O Bruno Covas pode falar sobre isso. Já foi feita a licitação, os vigias já estão contratados. Houve uma operação “tartaruga demora” da Polícia Federal e eles precisam ter arma. Então, atrasou algumas semanas, mas a empresa será, inclusive, multada se não começar em 30 dias. Então já está equacionado. A concorrência já feita, os vigias já contratados, estarão assumindo agora.


REPÓRTER: O trecho de serra da Tamoios pode ser PPP?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Pode ser, pode ser PPP, mas não está ainda... ou obra pública. O importante é o projeto estar pronto e a licença ambiental na mão.


REPÓRTER: Governador, com relação à ampliação do Porto de São Sebastião, como está a situação? Nós tivemos manifestantes agora a pouco aqui também e a gente não está ouvindo falar mais como que está a situação do porto.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Porto de São Sebastião. Está aqui o dr. Saulo que pode detalhar melhor. Mas a obra do cais, que é uma obra que está em fase de limpeza de terreno e já começa esta semana, a obra do cais. É uma obra importante. E temos também o Pátio 4, cuja obra deverá... oi? Saulo, um resuminho do porto, aí. Pátio 4?


SECRETÁRIO SAULO DE CASTRO: As obras do Pátio 4 ainda é projeto, só no ano que vem.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Então é no cais?


SECRETÁRIO SAULO DE CASTRO: O caís é porque caíram, caíram, Então, para poder atracar, nós estamos refazendo todo o caís. É um caís de 50 anos, então está sendo todinho reformado.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O caís é um caís antigo, tem mais de 50 anos, está sendo... Caiu, praticamente, está sendo inteirinho refeito. E temos a obra no Pátio 4, que estamos terminando o projeto executivo. E queria deixar claro o seguinte: esse é um porto natural, São Sebastião, porque é o melhor calado natural, talvez, do Brasil, com águas muito profundas e que não há assoreamento em razão das correntes marítimas no Canal de Toque-Toque. É um porto comparado, por exemplo, a Antuérpia, na Bélgica, um porto chamado natural. E não há nenhuma incompatibilidade entre ter um porto e preservar o meio ambiente. Hoje, a tecnologia, os avanços que nós temos permitem isso e nem será, e nem seria aprovada qualquer medida que contrariasse o meio ambiente. Mas nós precisamos modernizar o porto para o desenvolvimento de São Paulo.


REPÓRTER: Há previsão de mudança no comando da companhia Docas em São Sebastião?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Aí, o dr. Saulo pode falar para vocês.


ASSESSOR: Está bom, gente. Obrigado.


REPÓRTER: O traçado do contorno sul tem alguma possibilidade de ser alterada aquela região do Itatinga e Topolândia ou não? Ter que passar por outro bairro para evitar desapropriações?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Isso aí precisa verificar. O contorno é Dersa? É Dersa o contorno?


SECRETÁRIO SAULO DE CASTRO: O traçado já foi totalmente negociado.


REPÓRTER: Não existe nenhuma possibilidade de alteração, então, daquela região?

SECRETÁRIO SAULO DE CASTRO: Pequenos ajustes.


REPÓRTER: SP-55 tem prazo para início?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: SP-55 estamos contratando o projeto executivo. Entregue o projeto, ela será licitada. São 150 quilômetros, 50 km Caraguá-Ubatuba, 98,7 km São Sebastião-Bertioga, mas ainda precisa terminar o projeto. O que já está definido é março, o contorno, que é a grande obra da região.


ASSESSOR: Obrigado, gente. Obrigado, viu?