Coletiva - Anúncio do início das obras viárias do Polo Institucional de Itaquera - 20122708

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva no Anúncio do início das obras viárias do Polo Institucional de Itaquera

Local: Capital - Data: 27/08/2012


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, destacar a importância hoje, os contratos já estão assinados e as obras começam. Obras, o legado da Copa, obras que ficam permanentes para a Zona Leste de São Paulo melhorando a infraestruturas, melhorando a logística. Obras na Radial Leste, que é ampliada, tem o mergulhão, tira semáforos. Obras de drenagem, melhoram a fluidez do tráfego, melhora a mobilidade urbana. Obras que transpõem a Radial Leste, ligando a Avenida Itaquera de um lado com as avenidas do outro lado da Radial Leste, então uma ligação norte-sul importantíssima. Obras também de acesso ao polo de Itaquera. O polo de Itaquera já tem Fatec ficando pronta, Etec em obra, terá fórum, polícia, bombeiro, centro de convenções, terminal rodoviário, enfim, é um polo do SENAI. É um polo importante. E além de começar essas obras, nós autorizamos também mais duas obras que estão sendo licitadas. Que é o encontro da nova Radial Leste com a Jacu Pêssego, melhorará os seus viadutos, acessos, uma obra de engenharia importante, e uma nova passarela de 178 metros de comprimento, 6 metros de largura sobre a Radial Leste, as duas pistas, o metrô, o trem, enfim, uma ligação também enorme ligando os dois lados da Zona Leste. Todas essas obras em parceira com a Prefeitura de São Paulo. A prefeitura fez desapropriações, tem outras obras complementares, então a nossa parte é R$ 355 milhões. Obtivemos um desconto na licitação de 27,5%. E com essa economia de R$ 98 milhões nós vamos fazer mais duas obras, que é a ligação da Nova Radial Leste com a Jacu Pêssego e a nova passarela ligando os dois lados da Radial Leste.


REPÓRTER: Três meses não é um prazo muito curto, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Como?


REPÓRTER: Três meses não é um prazo muito curto até o início da Copa?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não. Não. É um prazo mais do que suficiente. Quer dizer, a nossa meta é ter tudo até março entregue, de 2014. As obras já iniciadas, as maiores, outras licitadas. É uma boa margem de segurança, e todas as licenças ambientais, licitações, contrato, dinheiro, então eu diria que está um bom trabalho.


REPÓRTER: Governador, a proposta vencedora tem valor de R$ 257 milhões e o Estado entra aqui com valor de R$ 345 milhões a prefeitura R$ 132 milhões. Tem obra que não está dentro do consórcio aqui, né? Queria que o senhor explicasse isso.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, é o seguinte: era R$ 355 milhões o projeto, na disputa caiu 27,5%. Então o que nós vamos efetivamente investir é R$ 257 milhões. Então esses R$ 98 milhões nos permitem fazer mais duas obras, que vai ter desconto também. Então nós vamos economizar mais. Que é a obra da Jacu Pessego, R$ 75 milhões, o projeto está previsto, com a nova Radial Leste, e a passarela, mais R$ 19 milhões. Essa é a parte do Estado. Aí tem a parte da prefeitura, tem as desapropriações, compensações ambientais e outras obras.


REPÓRTER: Tem alguma expectativa para essas duas obras começarem?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Vamos calcular aí 90 dias, né? Noveta dias para poder concluir o processo licitatório. Mas são obras pra serem feitas em 12 meses, 12 a 15 meses. Essas que nós estamos iniciando agora são maiores, obras de engenharia maiores. O prefeito dá uma complementada aí.


PREFEITO DE SÃO PAULO, GILBERTO KASSAB: Palavras do governador. A importância de mais esse pacote de obras. Praticamente a fase final, a finalização de toda infraestrutura necessária não apenas para o funcionamento do estádio, mas nesse novo momento da extremidade da Zona Leste que vem se associar a outros investimentos do governo do estado, da prefeitura, como a Jacu Pessego, como a obra do Rodoanel, o próprio estádio de Itaquera, que será também uma arena para shows. Portanto, um bom momento que vive a Zona Leste de São Paulo, e uma boa parceria do estado com a prefeitura. O estado liderando importantes investimentos aqui na Cidade de São Paulo.


REPÓRTER: Tem algum estudo que mostre o quanto que vai cair o trânsito na região ali da Radial Leste?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Isso eu acho que a CET, depois ela pode dar esses dados. Mas é um investimento importante na Radial Leste, na fluidez da Radial Leste com o mergulhão, no acesso da Nova Radial Leste a Jacu Pessego, a eliminação de gargalos e o eixo norte-sul, quer dizer, como é que você transpõe de um lado do norte para o sul sobre a Radial Leste. Então são obras aí, viadutos importantes também. Melhora na própria Radial Leste, melhora o acesso a Jacu Pessego e melhora a ligação norte-sul sobre a Radial Leste.


REPÓRTER : Governador, segurança, os índices de homicídio caiu do mês passado?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha duas... Duas notícias, importantes! Uma em relação à questão dos homicídios está sendo divulgados, hoje, todos os indicadores do mês de julho, e no caso dos homicídios a redução é em qualquer parâmetro que se analise. Se comparar com o mesmo período do ano passado a queda é mais de 7%, se compararmos com o mês anterior que é mês de junho a queda é mais de 12%, então qualquer parâmetro que a gente analise a queda de homicídio no estado de São Paulo. A outra foi à prisão, ontem, em Itajaí de um dos lideres do crime organizado relacionado aos ataques aos Polícias Militares preso em Itajaí em Santa Catarina. A polícia fez um trabalho grande de inteligência, fez um trabalho também junto com a Polícia Federal para a sua prisão lá em Santa Catarina e já foi preso, e na semana passada outros dois líderes desse crime organizado, então nós tivemos três prisões, sendo a principal do chefe do crime organizado nesse trabalho que também é importante, ou seja, o crime também de Santos, perdão! Do Guarujá, onde foi morto um ex-secretário da prefeitura esclarecido e três criminosos também presos.


REPÓRTER 1: Governador aquela fase de estrese, que o senhor fez referência nesse termo, passou, o senhor acha?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha! Eu havia dito o seguinte, que nós estávamos enfrentando um período difícil em razão do embate aí, principalmente, relacionado à questão das drogas, as chamadas biqueiras, né, essa ponta do tráfico de drogas e uma apreensão recorde de drogas, impressionante o volume das drogas apreendidas que havia uma reação, mas que tinha que perseverar e trabalhar. É isso que foi feito, já caiu... Os homicídios caíram, é claro que essa é uma tarefa permanente, diária, diuturna, 24hs, e a prisão desses criminosos que lideravam esses ataques aos policiais militares.


REPÓRTER 2: Governador os PMs recém-formados, eles vão ser efetivados ou não?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha! A questão dos soldados temporários, o presidente Fernando Henrique fez uma lei federal... Uma lei federal permitindo que jovens de 18 até 23 anos de idade pudessem ser contratos por período de 2 anos pra poder fazer o estágio de 2 anos como soldado temporário, ele não é efetivado, ele não combate criminoso, ele não anda armado, mas isso nos ajudou muito lá trás, nós fizemos em 2002 a liberar policiais da atividade-meio, então liberou muito policial militar que estava na parte de burocracia, atividade-meio, de retaguarda pra poder ir pra rua. Então, nós nos baseamos numa lei federal do presidente Fernando Henrique que permitia contratação de jovens entre 18 e 23 anos de idade por 2 anos, e numa lei estadual mandamos uma lei para a Assembleia, são duas leis. Uma lei federal e uma lei estadual, então a procuradoria-geral do estado que muito firme, ele entende que está correto, então nós vamos recorrer mostrando os argumentos que nós temos de mérito, porque isso ajuda muito a Polícia Militar e de outro lado o jurídico baseado numa lei federal e na lei estadual.


REPÓRTER 3: Governador teve queda no número de homicídios, a gente quer saber número de roubos e furtos caíram, também?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Caiu, mas a Secretaria da Segurança Pública vai dar agora em seguida uma coletiva, e ela vai explicitar todos os indicadores, aliás, eles estarão na internet todos eles, por cidade, por distrito e por... O último mês, quer dizer São Paulo é o estado que publica mensalmente todos os dados com transparência absoluta.


REPÓRTER 4: Há depoimentos, governador, de que parte desses soldados temporários exerce, sim, trabalho de combate ao crime nas ruas, o senhor está dizendo, não, que eles só fazem trabalho administrativo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente, eles não andam armados combatendo crime, eles dão suporte, eles liberam a polícia para o seu a sua atividade-fim, por isso que ajudou muito. Aliás, nós fizemos dois movimentos lá trás, um foi liberar os PM’s, o Polícia Militar de guarda de muralha, então contratamos os guardas de muralha liberamos 5 mil policiais militares. Os outros foram atividades-meio, então eles não andam armados, soldados temporários não anda armado e não combate crime, agora esse estágio é importante, eles são remunerados, muitos tem vocação, portanto, para atividade policial e ai fazem concurso público e ingressam na Polícia Militar.


REPÓRTER: Governador, eu queria que o senhor comentasse a questão... A gente teve justo nessa época que saiu o relatório em que tivemos um fim de semana bem violento com execução de policial, confronto entre as polícias. Eu queria que o senhor comentasse isso.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, a polícia, o Secretário da Segurança, o Delegado Geral, o Comandante da Polícia Militar vão detalhar melhor as ações policiais, os enfrentamentos que ocorreram, quem foi preso, o que aconteceu. Em relação a esse caso do policial militar que estava em folga, o DHPP já está investigando para verificar se ele tem alguma relação ou não. Agora, o fato é que todos estão sendo presos. Inclusive essa prisão desse criminoso do Piauí, é o chefe de todo esse trabalho, foi uma prisão extremamente importante ontem lá em Itajaí.


REPÓRTER: Governador, o aumento da violência nesses últimos meses que a gente tem acompanhado, apesar da queda dos homicídios, principalmente contra policiais militares e bases da polícia, o senhor teme um novo ataque do PCC na cidade como aconteceu em 2006, tendo em vista que também era ano eleitoral, então eles podem aproveitar essa brecha?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, essa é uma guerra que você tem que vencer batalha todo dia, 24 horas, mas o fato é que São Paulo está trabalhando. E a gente sempre precisa verificar indicadores na sua série histórica. Porque quando nós passamos a publicar mensalmente, era trimestral, sempre você tem todo mês um número diferente. Então é preciso sempre verificar a tendência, a série histórica. O fato é que se a gente pegar nos últimos dez anos, no Brasil inteiro, nos últimos dez anos, tirando aí cinco, seis estados, a criminalidade cresceu fortemente. Tem estado que cresceu 100%, 150%, 200%. São Paulo caiu quase 70%. Se a gente pegar de 2000 a 2010, dados oficiais, São Paulo reduziu quase 70%, o Rio de Janeiro 48%, e o Brasil reduziu 2%. Ou seja, se tirar São Paulo e Rio aumentaram no Brasil inteiro. E nós estamos frente a um problema grave, que é problema da droga. E uma tarefa diuturna aí na questão do enfrentamento da dependência química e do tráfico de droga. Aliás, é incrível o volume de droga que está sendo apreendida em São Paulo. E o DENARC pode até dar dados aí pra vocês ainda hoje desse aumento expressivo de droga que está sendo apreendida.


REPÓRTER: Governador, sobre o que aconteceu no período da manhã, reunião com Tony Blair, qual vai ser exatamente esse convênio, como é que ele vai...?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Um resumo aí. Nós assinamos um convênio com MBC, que é o Movimento Brasil Competitivo, custo zero para o Estado, não vai ter um centavo de dinheiro público. Eles vão investir R$ 12 milhões, contrataram até o Instituto Tony Blair para acompanhar esse trabalho. Qual o objetivo? O planejamento, é chamado SP 2030, o Estado ter planejamento de curto, médio e longo prazo. Nós já temos inúmeros estudos, PITU 2020, temos vários estudos de planejamento, mas vamos reunir esses estudos, estabelecer metas, objetivos, por isso tem um item chamado unidade de entrega, para cumprimento dessas metas, melhorar o portfólio de projetos estruturantes de São Paulo, analisar as vocações regionais do estado e os investimentos necessários pra ter um desenvolvimento econômico mais harmônico, não deixar nenhuma região para trás. Eu diria que é planejamento e gestão. E nós agradecemos, que são R$ 12 milhões de investimento do Movimento Brasil Competitivo que vai nos ajudar no nosso trabalho, que já é feito, para melhorar a gestão pública em São Paulo.


REPÓRTER: É uma espécie de consultoria então?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É, exatamente. Consultoria, assessoria, estudos, projetos.


REPÓRTER: Quanto tempo leva?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Doze meses o contrato. Só complementar aqui a informação do objetivo da lei do presidente Fernando Henrique quando fez a lei federal, e a nossa lei estadual é em relação a soldado temporário. Esse jovem de 18 a 23 anos de idade, é o que está em maior vulnerabilidade. Então, um dos objetivos da lei era trazer esse jovem para ser nosso parceiro, soldado temporário, ele ganhar dois salários mínimos, ele estar estudando. Quer dizer, é obrigatório ele estudar, se ele não estudar, ele não pode ser um solado temporário. Ele ganha dois salários, ele só pode ficar durante dois anos, depois tem que sair. Ele aprende, aprende informática, aprende gestão, aprende mecânica, ele trabalha em várias áreas, telefonia, sistemas de telecomunicações. O que o ajuda depois a conseguir um bom emprego. E aqueles que têm vocação para segurança fazem concurso público pra fazer carreira policial. Então queria só dar essa complementação aí.