Coletiva - Assinatura de Projeto de Lei que institui a Fundação Univesp e do Decreto que cria o Programa Residência Educacional - 20121804

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva de Assinatura de Projeto de Lei que institui a Fundação Univesp e do Decreto que cria o Programa Residência Educacional

Local: Capital - Data: 18/04/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, destacar a importância da criação da residência educacional, onde nós vamos fortalecer ainda mais a formação dos universitários para o magistério, possibilitando uma bolsa e a residência educacional para os alunos a partir do terceiro ano da formação de professor, na universidade, e procurar trazer os alunos, as lideranças, os melhores quadros da universidade para a escola, pra ser professor, para o magistério de São Paulo. E segundo, projeto de lei criando a quarta universidade, a Fundação Univesp, utilizando a linguagem do século XXI, a tecnologia de informação, para ampliar o ensino universitário. O Brasil tem 11% da população que tem nível superior, o Chile tem 24%, Estados Unidos 41%, Canadá 50%. Então, acesso difícil, a universidade pública, nós temos as três melhores universidades, a USP, a Unesp e a Unicamp, mas o acesso não é fácil. E com universidade virtual, nós vamos utilizar rede de computadores para poder incluir mais, oferecendo ensino a distancia, e também semipresencial de qualidade. Esperamos em menos de quatro anos ter mais de 24 mil alunos já na Univesp. Inclusive nas engenharias, engenharia de produção, engenharia de computação. Então, eu diria que é um passo importante, utilizando tecnologia de informação, TI, e tecnologia de comunicação. O ensino a distância, ele é antigo. Mahatma Gandhi tirou o seu diploma de advogado, parte dele, a distância, por carta, na Universidade de Londres. O ensino a distância, como nós conhecemos hoje, o ensino superior, ele é final da década de 70, na Inglaterra, na Open University. Imagina-se que em uma década, quase metade dos alunos de nível superior no mundo estude pela rede de computadores. Então, uma revolução muito importante. E nós vamos ter como parceiros as melhores universidades, a USP, a Unesp e a Unicamp, a Paula Souza, que é o centro de ensino técnico e tecnológico, e ainda temos a Fapesp, Fundação de Amparo a Pesquisa para área de informática, e a Fundação Padre Anchieta, TV Cultura, também um instrumento importante.


REPÓRTER: Governador, com relação à questão da residência dos professores, vai haver algum vínculo para que esses professores tenham de dar aula no estado depois dessa residência?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O professor Herman Voorwald, ele vai poder detalhar melhor para vocês. Claro que para você ingressar no serviço público tem que fazer concurso. Então, o professor tem que ser aprovado no concurso, mas ele vai ter um tal reforço que ele vai passar no concurso, ele vai estar mais preparado. Veja hoje, no caso, hoje as profissões, e o conhecimento avançou tanto que as vezes só o diploma da faculdade não é suficiente, você acaba aprendendo na vida, no exercício profissional. Então, na medicina surgiu a residência médica, não é, os vários estágios, e o professor é o mais importante, é o professor das profissões, então a sua boa formação é muito necessária.


REPÓRTER: Governador, e a suspeita de fraude no Saresp?


REPÓRTER: É uma possibilidade de levar a universidade aonde a universidade não está presente?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente. Nós temos seiscentos e quarenta e cinco municípios no estado de São Paulo. Nós temos universidade pública em 10%, não passa disso. Você poder chegar aos seiscentos e quarenta e cinco municípios, trazer o jovem, fazer inclusão, quem não tem acesso poder ter acesso, quem mora longe poder estudar, quem trabalha poder estudar. A terceira idade tem um tempo livre também. Quer dizer, é um belíssimo instrumento de trabalho.


REPÓRTER: Governador, o senhor, tem uma informação a respeito do deslocamento de trinta e dois policiais da Casa Militar para o patrulhamento aqui na região do Morumbi, a informação que a gente tem é que foi uma determinação do senhor. O senhor está mais preocupado do que o normal com a segurança aqui no Morumbi?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, eu estou preocupado com todo o Estado de São Paulo, com toda a população. Então, nós estamos fazendo três trabalhos. Primeiro: investir no policial. Carreira, salário, treinamento, permanentemente, motivação. Me reuni ontem com o DEIC, o secretário da Segurança, o delegado-geral, Dr. Nelson Guimarães diretor do DEIC, cumprimentando os trinta e dois delegados-investigadores que participaram dos últimos trabalhos. Só numa quadrilha foram dezessete presos, assaltantes de condomínios de luxo. Já prendemos três quadrilhas, essa é a maior e a mais relevante. Mas já foram três presas. Quatro meses de escuta telefônica, de trabalho. É investigar, esclarecer crime e prender os criminosos. Então, esse é um trabalho, uma luta permanente. Segundo: tecnologia, computação embarcada, equipamentos. Nós estamos doando, por exemplo, os revólveres 38. Uma fila de estados pedindo “o ‘três oitão’”, o antigo revólver 38. Que agora, todo armamento é pistola.40, que é muito mais eficiente, menos letal e imobiliza, praticamente, o criminoso. E a terceira é contingente. Nós estamos com seis mil policiais a mais. Na Civil, esse mês ainda vão entrar oitocentos e oitenta investigadores-escrivães, vamos ter mais duzentos delegados, e formatura daqui a dois meses de mais policiais militares. E aqui na Casa Militar, ela trabalha no Estado inteiro, porque tem a Defesa Civil. Eu já devolvi trezentos e quarenta policiais militares, foram devolvidos para a Polícia Militar.


REPÓRTER: Para o patrulhamento?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Para onde a polícia quiser. Nós devolvemos trezentos e quarenta da Casa Militar. Nós reduzimos 54%. E o grande trabalho da Casa Militar é defesa civil. Nós enxugamos, enxugamos, enxugamos, para ter polícia na rua. A polícia designa onde há mais necessidade.



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bônus.


REPÓRTER: Então, governador, está sendo revisto após a suspeita de fraude no Saresp?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O Professor Herman, ele pode detalhar melhor pra você.


REPÓRTER: Governador, o atendimento nos hospitais está prejudicado pela greve. Eu queria saber se o governo está negociando ou não está.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, a greve, nós temos duzentos e cinco serviços de saúde. Entre hospitais, AMEs, Rede Lucy Montoro, duzentos e cinco. Tem três em greve parcial. E uma greve absurda. Você faz greve quando você não tem negociação. Você faz greve quando você não tem diálogo. Você faz greve quando está interrompida a conversa.


REPÓRTER: O governo não...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Como?


REPÓRTER: O governo não está...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bom, primeiro, no primeiro ano de governo nós demos reajusta que variaram de 10% a 40% para a área da saúde. A Secretaria de Saúde está permanentemente conversando com o sindicato. Então não há nenhum sentido em fazer greve, só prejudica a população. Mas os funcionários não aderiram, porque de duzentos e cinco serviços de saúde, tem três em greve parcial, e desnecessária, porque nós estamos em diálogo.


REPÓRTER: Governador, o que foi cancelado na licitação da Linha 5 do metrô? Só pra que fique claro.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós temos um financiamento do BID, e havia uma licitação pra compra de equipamentos, escada rolante, segurança, um conjunto de equipamentos para licitações. O que que se vai fazer? Se publicou uma nova licitação, vai se fazer um novo edital, até pra reduzir custos, porque algumas das exigências que estavam incluídas de bombeiros, exigências técnicas, não havia mais necessidade. A gente consegue fazer economia, melhorar o edital, e vai ser lançada novamente.


REPÓRTER: Nenhuma interrupção na obra?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não. Não. A obra está em pleno andamento. Espero entregar ainda no meu mandato a Estação Adolfo Pinheiro, e deixar todas as estações 80% prontas. Está num bom ritmo. E é uma linha muito importante, porque ela só tem um pedaço, que é de Capão Redondo até Santo Amaro, aí ela vai chegar na Norte/Sul. Vai chegar do Largo 13, Santo Amaro, ela vai chegar na Chácara Klabin/Santa Cruz, integra com a Linha 1, que é a Norte/Sul, integra com a Linha 2, que é a da Paulista e vai pra Vila Prudente.


REPÓRTER: Governador, o senhor falou da segurança, e eu tenho aqui que o senhor autorizou mil novecentos e trinta e oito vagas para a Polícia Militar.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Isso.


REPÓRTER: Eu queria saber se tem alguma novidade de edital.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, agora é a Secretaria de Segurança. Nós já fizemos o decreto autorizando mais quase duas mil vagas para a Polícia Militar, agora a Secretaria de Segurança vai tomar as medidas para abrir edital, enfim, e fazer a prova, o processo seletivo. Está bom?