Coletiva - Entrega das obras do terminal de passageiros do Aeroporto Estadual e descerramento de placas do Programa Creche Escola 20161803

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Entrega das obras do terminal de passageiros do Aeroporto Estadual e descerramento de placas do Programa Creche Escola

Local: [[]] - Data:Março 18/03/2016

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Nós estamos entregando hoje uma obra importante para o desenvolvimento de São José do Rio Preto e da região. Hoje o grande fator, impulsão de desenvolvimento são as aerovias, elas têm um papel indutor para atrair empresas, abrir postos de trabalho, estamos entregando todo esse terminal novo, é para embarque, para check-in, e iniciaremos em seguida a reforma e modernização da área antiga até dezembro. Então entregue a área nova, cobertura externa, estacionamento e a área antiga será entregue até dezembro, transfere para cá, e aí começa a reforma do outro lado. Fizemos investimentos também na área de segurança, sinalização, carros e bombeiros, enfim, com belíssimo terminal aeroviário para servir a região de São José do Rio Preto. Estamos entregando também cinco creches, aqui no município de Rio Preto e nos municípios da região, programa creche-escola e autorizando hoje o projeto executivo que será feito pela concessionária Triângulo do Sol, já temos o projeto base, agora o projeto executivo para a ampliação de Mirassol até Rio preto, novas faixas e marginais. Em Rio Preto, obras de arte, até porque aqui cruza a Transbrasiliana, a DR-153, e de Rio Preto até Cedral, novas faixas também de rolamento.

REPÓRTER: Previsão de internacionalização do aeroporto, tem, govenador?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, isso depende do governo federal, porque é ele que faz toda parte de união aduaneira, toda a aduana, mas eu diria que a tendência é essa, né. Se há o modal do transporte que vai crescer é o modal aeroviário, então a tendência no futuro é ter aduana própria.

REPÓRTER: Governador, uma palavrinha sobre as manifestações aí e a crise envolvendo o Governo Federal?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, um momento muito grave, né? Se a gente imaginasse em 30 dias tudo que aconteceu, 30 dias, você teve a prisão do Delcidio, o senador Delcidio, teve a prisão do João Santana e da sua esposa, você teve o depoimento sobre a ação coercitiva do ex-presidente Lula, você teve as gravações de grampos telefônicos autorizados pela justiça, você têm uma sequência de fatos extremamente graves, o Brasil tem que virar essa página, triste página, para nós termos o novo momento, esperança, emprego, desenvolvimento, e a tudo que a população precisa.

REPÓRTER: O senhor é a favor do impeachment?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, eu entendo que a abertura do processo do impeachment, ela é importante, ela é prevista na Constituição Federal, eu fui deputado federal, votei favoravelmente ao impeachment, o PT não pode dizer que o impeachment é golpe, porque ele sempre foi o campeão do impeachment, ele entrou com o pedido de impeachment contra o Collor, contra o Itamar Franco, naquele período curtinho lá do Itamar, contra o Fernando Henrique, as duas vezes, foi o campeão do impeachment. Então o impeachment é previsto na constituição. Se fosse parlamentarismo, o governo já tinha caído. Já tinha sido [ininteligível-03:50]. Como é presidencialismo, tem que ter todo um rito para a substituição e tem que cumprir a constituição.

REPÓRTER: Governador, por que a polícia demorou mais de 30 horas para retirar os manifestantes da Paulista nessa última manifestação?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, o nosso governo é republicano, todos têm direito à manifestação e é dever do Estado garantir segurança para os manifestantes, isso vale para quem é favor do impeachment, para quem é favor do governo federal, é para todos! Tanto é, tanto é que a polícia já agiu e já liberou a Avenida Paulista, então nós sempre procuramos evitar conflitos. No dia 13, nós solicitamos às organizações do movimento favorável ao governo federal, ao PT contra o impeachment, eles cumpriram, deixaram, não fizeram a manifestação naquele dia, ontem fizemos o dia inteiro a mesma coisa, pedindo para que hoje liberem a Avenida Paulista para os movimentos que defendem a presidenta Dilma, o presidente Lula, o governo é republicano e tem que trabalhar para a segurança de todos os manifestantes.

REPÓRTER: Governador, a citação do senador Aécio Neves das delações premiadas, principalmente do Delcidio, facilitam a vida do senhor em uma eventual disputa em 2018?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não, não. Primeiro nós confiamos no senador Aécio, depois ele já deu as explicações, a investigação e a justiça é para todos! Todos são iguais perante a lei.

REPÓRTER: O PSDB vai ter candidatura própria em Rio Preto, governador, na eleição nesse ano?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, eu procuro, nós temos 645 municípios, eu procuro não interferir com essas questões de natureza local, até porque não tenho o conhecimento detalhado. Então cabe aí a cada município, o partido e a aliança de partidos discutir, debater e democraticamente fazer a melhor opção.

REPÓRTER: [ininteligível-05:57] O ministério da Saúde disse que vai ser mantida. Quando vai ser feito?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, quarta-feira, começa a vacinação, nós vamos utilizar a vacina, que já temos, então em razão da necessidade do dia 23, próxima quarta-feira, começa a vacinação. Isso não quer dizer que, quem tomou a vacina, depois não deva tomar a outra vacina, contra a gripe, porque cada ano as cepas elas mudam de vírus, você tem mutações genéticas. Mas será a partir de quarta-feira já.

REPÓRTER: Ainda sobre saúde, a dengue é uma outra preocupação. [ininteligível-06:39], para fazer os exames e para diagnosticar a doença?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, aí é o governo federal, porque é o ministério da saúde que fornece o kit, o importante nesse momento é o combate ao criadouro do mosquito, esse deve ser o foco. Então nós estamos pagando 120 reais por sábado para, voluntariamente, para os agentes de saúde. Como as prefeituras estão com dificuldade, então nós pagamos, olha, quem trabalhar no sábado fazendo as visitações, e uma boa notícia aqui para vocês, olha total de imóveis no Estado de São Paulo: 16 milhões, 328 mil, 957, 16 milhões imóveis. E visitados, visitas realizadas: 12 milhões, 469. 76% dos imóveis foram visitados pelos agentes de saúde. E agora todo sábado, o mutirão, nós estamos pagando 120 reais através das prefeituras, por agente de saúde, para todo sábado, além de segunda a sexta pelo mutirão.

REPÓRTER: Divergir [ininteligível-08:00] os números divulgados [ininteligível-08:02] e a credibilidade dos municípios pelo Governo do Estado?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, eu não saberia te explicar, mas eu peço para o professor Polara, depois poder detalhar. Nosso número quem informa é o próprio município.

REPÓRTER: Por que a Santa Casa de Rio Grande está lotada. O administrador [ininteligível-08:18] disse que o estado ficou de repassar uma verba e até hoje não repassou, como está essa situação?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Têm três boas notícias para a santa casa. A primeira boa notícia é... a primeira boa notícia é para a santa casa, santa casa de Rio Preto tá incluída no pró-santa casa e está incluída na santa casa sustentável. Então ela vai receber 3,4 milhões de reais por ano. O que dá 500, não perdão, dá 283 mil reais todo mês, além do SUS, isso é o plus. Nós estamos pagando a mais, porque a tabela do SUS tá muito baixa, então 283 mil todo mês, as últimas duas parcelas foram pagas no dia 4 de março, os 2 milhões que eu prometi na primeira quinzena de abril agora serão pagos de uma vez só. Os 2 milhões. E resolvemos um problema antigo, porque o prédio onde está hoje o estado base, a Fanerp, ele era da santa casa, então nós demos o terreno aqui em Rio Preto. E isso vai garantir o futuro da santa casa, então um terreno de um valor extraordinário. Então a santa casa incorporou o seu patrimônio, um terreno altamente valioso para garantir o funding, né, do seu futuro, nós incluímos a santa casa no programa santas casas sustentáveis e vamos liberar, além disso, 2 milhões na primeira quinzena de abril.

REPÓRTER: [falas sobrepostas].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: A merenda já está regularizada. O que que aconteceu? Quando começaram as aulas agora em fevereiro, em razão da crise econômica, as prefeituras, que eram nossas parceiras, nossas parceiras em fazer a merenda, distribuir a merenda não quiseram mais, porque elas entravam com um pedacinho do per capita, então elas se entregaram. Nós temos que contratar merendeira, que não tinha, contratar empresas, montar mobiliário, fazer tudo isso, então nas cidades onde a prefeitura devolveu o serviço da merenda teve que licitar tudo isso, mas está praticamente normalizado.

REPÓRTER: Em relação a [ininteligível-10:55] a CPI?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: A apuração, pode ser, não tem nenhum problema, o governo é vítima, o que foi feito? Nós só compramos, fizemos tomadas da agricultura familiar porque fizeram uma lei em Brasília obrigando, então dizendo: olha, você tem que 30% da verba federal, você tem que comprar da agricultura familiar, nós somos obrigados a fazer tomada separadas. Aí uma cooperativa se apresenta numa licitação normal, ganha com o menor preço, depois você fica sabendo que havia uma fraude nessa cooperativa, ela não estava entregando o produto do agricultor familiar, era uma fraude feita pela cooperativa, pelos responsáveis pela cooperativa. Está sendo apurado rigorosamente serão todos punidos.

REPÓRTER: Governador, fazem 10 anos do início das obras [ininteligível-11:48] Categoria 18 de março de 2016 [[]]