Coletiva - Entrega de casas em Atibaia 20161512

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Entrega de casas em Atibaia

Local: Atibaia - Data:Dezembro 15/12/2016

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Hoje é um dia de muita alegria, chegando o Natal, e famílias poderem passar o Natal já na casa nova. São 780 apartamentos, famílias que realizam o sonho da casa própria, saem do aluguel e passam a ter a sua moradia. Então, uma grande conquista. Nós já entregamos junto com a Caixa Econômica Federal, Minha Casa Minha Vida, Casa Paulista, 50 mil unidades e temos 69 mil unidades hoje em construção. No caso aqui de Atibaia, o nosso aporte foi R$ 15 mil por apartamento para viabilizar aqui no empreendimento em Atibaia. Então, é um grande dia, casa nova para famílias que ainda não tinham casa e gera muito emprego, né? Essas 69 mil unidades que estão em obra hoje, nós temos praticamente 80 mil empregos diretos gerados, fora os empregos indiretos.

REPÓRTER: Governador, houve uma demanda da região do Vale do Paraíba [ininteligível]m região é a mais violenta do Estado já há alguns meses, alguns anos, o que é que o Governo está fazendo para ajudar para melhorar esses índices, nós tivemos aumento em assassinatos e roubos em [ininteligível].

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, nós já... Primeiro, instalamos na região o Baep, que é o Batalhão de Operações Especiais, na região do Vale do Paraíba. A segunda boa notícia é que está a Choque e a Rota na região fazendo operações especiais. Porque grande parte desses delitos, especialmente homicídio, estão ligados ao tráfico de drogas. Então, um trabalho importante da Rota e do Choque na região. A região também está recebendo um reforço de mais 702 policiais militares a mais para a Operação Verão. Então, para um reforço para a Operação Verão. E nós autorizamos anteontem o Dejec, é a Diária por Jornada Extra para a Polícia Civil. Então, a Polícia Civil, o policial faz uma jornada maior e o governo paga. Então, no caso da Polícia Civil está autorizado o Dejec, nós devemos investir perto de R$ 800 mil de complementação salarial por jornada a mais e, na Polícia Militar, 702 policiais militares na Operação Verão. E estamos trabalhando com o Governo Federal para unir os esforços. São Paulo, Rio de Janeiro e a Força Nacional, porque esse eixo São Paulo-Rio nós temos um problema grave de tráfico de drogas.

REPÓRTER: Em relação à região do Vale do Paraíba, a cidade está tendo problema por falta de medicamento de alto custo, [ininteligível] São José dos Campos e Taubaté, tem previsão para normalização?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, a informação que eu estou tendo aqui é que há uma parte... A maior parte é atraso do fornecedor, nós estamos multando os fornecedores. Outra parte é atraso do Ministério da Saúde, porque nós não compramos o medicamento, nós só distribuímos. Uma pequena parte é indisponibilidade do mercado e uma pequena parte é compra do Estado que teve problema. Mas deve ser normalizado aí rapidamente. E para evitar judicialização, fizemos na quarta-feira um acordo do Tribunal de Justiça e o Ministério Público para a questão dos medicamentos, evitando que a pessoa tenha que ir à Justiça, gastar dinheiro com advogado, sobrecarregar a justiça, demorar processos, resolver administrativamente isso. E temos um grande hospital sendo construído em São José dos Campos, cuja obra está indo muito bem, ela está bastante adiantada até. E o segundo hospital sendo construído em Caraguatatuba, que será a referência para o litoral norte de São Paulo.

REPÓRTER: Para encerrar da minha parte, o conjunto habitacional do Pinheirinho, os moradores do bairro do Pinheirinhos de São José dos Campos, ficou com problema das obras. Tem prazo para entregar?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, tem sim, nós vamos... Está praticamente pronta a obra do Pinheirinho, são 1.461, lá são casas, não são apartamentos. São 1.461, está pronta a obra. A empresa tem que integrar as obras de água de esgoto. Ela entrega, a Sabesp vai conferindo para poder entregar na rede, mais da metade do trabalho já foi feito. A Sabesp está trabalhando até sábado e domingo para poder receber o mais rápido possível e aprovar as ligações. É questão, agora, de dias. O Governo do Estado investiu praticamente R$ 30 milhões a fundo perdido, a nossa parte não precisa pagar nas obras do Casa Paulista, e pagamos o Aluguel Social, R$ 500 durante todo esse período, R$ 400 o Estado, R$ 100 a Prefeitura. Então, é questão de dia aí já serão entregues as casas, tá bom?