Coletiva - Entrega do Prêmio "Destaque em Transplantes e Capacitação de Órgão" 2012 -20122709

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva na Entrega do Prêmio "Destaque em Transplantes e Capacitação de Órgão"

Local: Capital - Data: 27/09/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, uma grande alegria estarmos iniciando hoje, a Campanha Nacional da BTO para doação e transplante de órgãos. São Paulo representa metade praticamente de todos os transplantes do país, em alguns casos como pâncreas, como pulmão representa 64, 67% dos transplantes. E nós queremos aqui agradecer e cumprimentar a todos os hospitais homenageados aqui, hospitais que foram líderes de transplantes aqui em São Paulo. Aliás, o Hospital do Rim é o Hospital que mais faz transplantes no mundo, temos avançado bastante, córnea zerou. Quem precisava de transplante de córnea era praticamente 30 dias, hoje a fila foi a zero e estamos trabalhando muito para reduzir essas filas e precisamos de mais órgãos para poder realizar os transplantes. E aí vem a campanha, e a melhor maneira de fazer a campanha é junto à família, é a família que quer ser doador dizer ao filho, esposa, pessoa da família que ela é doadora. Aí no caso de óbito, a família vai se consultada e ela não vai opor obstáculo, ela não vai recusar a doação. Então a melhor maneira pode ser até de forma informal, mas dizer para a esposa, para o filho, para a pessoa da família “olha, em caso de óbito eu sou doador de órgãos”, só isso. A família será consultada como a lei determina e a pessoa, até quando morre, pode ajudar os outros a viver melhor. A doação de órgãos é um ato de amor ao próximo. E para dar mais um passo à ciência, nós tivemos a inauguração dos novos equipamentos, dos laboratórios de histocompatibilidade do Hospital dos Transplantes do Estado. Isso vai tornar o exame das biópsias mais rápido, esclarecer dúvidas, porque o problema do transplante precisa ver histocompatibilidade para não ter rejeição. Então mais um avanço com o novo laboratório, os novos equipamentos, com o laboratório de histocompatibilidade do Hospital Brigadeiro. Então uma data bonita, quando as pessoas estão vivendo com melhor qualidade de vida, sobreviveram, ganharam uma nova vida com os transplantes.


REPÓRTER: Sabe dizer qual órgão, governador, tem mais fila de espera?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Rim, rim, por que que o rim tem a maior fila? Porque em outros casos, coração, pulmão, se você não faz um transplante num prazo mais curto, a pessoa acaba falecendo, no caso do rim, nós temos pessoas fazendo hemodiálise há trinta anos, então você tem uma sobrevida muito grande, as máquinas hoje são muito sofisticadas, de boa qualidade, então a pessoa pode ficar dez, vinte, temos caso de trinta anos, a pessoa fazendo hemodiálise, então a maior fila é a do rim, mas avançamos, porque há quinze anos atrás, 75% dos transplantes de rim era doador vivo, você tinha que ter um parente que doasse o rim, hoje 75% é doador cadáver, que é o numero de país desenvolvido.


REPÓRTER: Os números geral de transplante governador, ele quase é igual ao mesmo período do ano passado. Nisso não é preciso avançar mais? O senhor não avalia que...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Por isso a campanha, porque nós precisamos de mais órgãos, por que que córnea zerou? Porque córnea você não precisa ter o conceito de morte encefálica, qualquer tipo de óbito, você pode doar córnea, a córnea não é um órgão vascularizado, então o transplante de córnea você tem mais oferta de órgão. Nos casos de coração, pulmão, rim, você todos precisa fazer o transplante do órgão, com ele vascularizado, e, portanto são casos apenas de morte encefálica, aí é importante a colaboração das famílias e a campanha de doação de órgãos.


REPÓRTER: Governador, perguntar para o senhor sobre segurança pública. O que que levou o Governo a substituir o comando da rota?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, substituição de comando na policia, ela é sempre técnica, não tem ingerência politica, não tem pedido de governador, é uma decisão técnica que o secretário da segurança pública, com o comandante geral vê o melhor momento, faz uma avaliação, o Coronel Madia que saiu da rota, ele foi prestigiado, ele vai comandar um outro batalhão da área do choque, o batalhão é importante, agora, essas mudanças são normais, e são decisões técnicas, da pasta e do comando.


REPÓRTER: O senhor foi consultado?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Fui, claro. Fui e sempre irei prestigiar o comandante e o secretário de segurança pública.


REPÓRTER: Governador, e o assassinato do cabo Bruno na madrugada? O senhor não considerou uma afronta à segurança pública do estado de São Paulo?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, investigação, ver a causa, se foi execução, enfim, ficou muitos anos no sistema carcerário, investigação, prisão dos criminosos, o mais rápido possível, enfrentamento do crime organizado, essa é a determinação, enfrentamento firme, dentro da lei. É isso que vai ser feito.


REPÓRTER: [ininteligível] rota governador, os dois últimos episódios com um número razoável de mortes, aqueles do lava-rápido e também de Várzea influenciaram nessa decisão?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, independente desses casos, todo caso de resistência seguida de morte, é investigado além da policia militar, pelo DHPP, que é o Departamento de Homicídios. Os comandos da policia militar são sempre decisões técnicas do comandante geral da policia e do secretário da segurança pública.



REPÓRTER: Governador, o aumento do número de mortes causou uma preocupação e por isso teve a [ininteligível]?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, eu sempre tenho destacado o seguinte, a divulgação de estatísticas criminais era feita de três em três meses. Nós fizemos várias mudanças buscando transparência, então uma delas: quem investigava resistência seguida de morte, era a policia militar. Hoje além da policia militar, é o DHPP, então é o departamento especializado da policia civil. Segundo, as estatísticas eram publicadas de três em três meses, determinei que fosse publicada todo mês, tudo na internet, tudo transparente. Dia 25, você publica o mês anterior e todos os indicadores e, no caso de São Paulo, por distrito, você vai lá, você sabe de região por região. Agora não se pode estabelecer por um mês uma tendência, tendência você verifica ao longo do tempo. A tendência em São Paulo, diferentemente do Brasil, que os indicadores todos de homicídio são crescentes e em São Paulo é de queda. Aliás, nós somos um dos poucos estados que está na faixa de 10 homicídios por 100 mil habitantes, que é o que recomenda a organização mundial de saúde. Então, o mês de agosto é um mês, mas se você for verificar os indicadores em série, São Paulo que tinha 12.800 mil homicídios por ano em 1999, hoje tem quatro mil, reduziu um terço. A maior causa hoje externa de morte, é acidente rodoviário, é motocicleta, carro, é atropelamento e era homicídio. Então, claro que nós queremos reduzir muito mais, agora quando você vai reduzindo como foi São Paulo, de 35 mortes para 10, a redução é mais lenta.



REPÓRTER: Teremos outras mudanças, governador, em relação a segurança pública, tanto na PM podem ter mudanças também na policia civil?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, não tem nada programado. As mudanças que deveriam ser feitas, foram feitas, mas se precisar muda, isso ai faz parte do trabalho.



REPÓRTER: Governador, o ministério público agilizou contra uma entidade que tem convênio com a secretaria da educação. Como ficam agora os contratos, uma vez que essa entidade está sob suspeita de corrupções e desvio de 10 milhões de reais?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A FDE?



REPÓRTER: Exato.



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, três palavras sobre isso. A primeira é que, é interessante que os deputados do PT que fizeram a denúncia para o ministério público... Os deputados do PT fizeram a denúncia para o ministério público pedindo a investigação e por isso que o ministério público abriu a investigação e as prefeituras do PT aqui na grande São Paulo, o preço da mochila é o dobro da FDE. A FDE compra mochila a R$8,33, pergunte quanto é o preço da mochila nas cidades administradas pelo PT aqui na grande São Paulo. Quando custa em São Bernardo, quanto custa em Diadema, quanto custa em Guarulhos, estranho isso né, fazem à denúncia quando nós estamos comprando mesmo da metade do valor da mochila. Segundo, não teve nenhuma alteração dos editais, o edital foi restrito, mentira, é o mesmo edital dos anos anteriores, não teve nenhuma mudança. Terceiro, a nossa corregedoria a pedido do próprio presidente, do professor Ortiz, já está investigando a corregedoria e o professor Ortiz, dado inclusive a sua integridade já pediu o afastamento da FDE até que termine a apuração. Então primeiro, o preço é R$8.33, quero saber quem compra mais barato, o edital é o mesmo dos anos anteriores, não houve nenhuma mudança no edital, terceiro, a corregedoria vai investigar e o professor Ortiz pra não ter nenhuma duvida quanto ao seu comportamento, já se afastou para que se apure até a conclusão dessa investigação.


REPÓRTER: Mas governador, de acordo com a denúncia do MP, o filho dele, José Ortiz Júnior, ele é candidato pelo partido do senhor, PSDB à Prefeitura de Taubaté. E esse dinheiro também estaria sendo utilizado na campanha dele. Como é que o senhor recebe essa acusação?



GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, eu acho que nós precisamos ter responsabilidade em relação a acusações e por isso investigação absoluta. Já afastou, investiga, apura e apresenta os resultados da investigação.