Coletiva - Fórum Permanente de Governadores 20160102

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Fórum Permanente de Governadores

Local: [[]] - Data:Fevereiro 01/02/2016

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, destacar a importância da reunião. Dos 25 governadores aqui em Brasília, cuja a pauta principal é a retomada do desenvolvimento, apresentação do emprego, né, uma grande preocupação hoje com... Podermos ter esse ano mais um ano de queda do PIB, de recessão, nós entendemos que as exportações podem ajudar aproveitando aí o câmbio, a moeda desvalorizada, então, todo o esforço na questão do comércio exterior. E a outra é infraestrutura e logística, construção civil gera muito emprego, então, foco na questão de infraestrutura e logística que pode reduzir custo Brasil, né, reduz custo Brasil, gera muito emprego, preserva emprego. A reunião foi bastante proveitosa todo o empenho dos governadores, e acho que os estados e municípios tem um papel muito importante do ponto de vista político ajudando também em reformas estruturantes que o país precisa e de outro lado sendo aí indutores do desenvolvimento. Depois tivemos no Supremo Tribunal Federal e agora com o presidente Renan Calheiros para a questão dos depósitos judiciais, a PEC já foi aprovada por unanimidade na Câmara está aqui no Senado e ela tem importância, primeiro para cumprir determinação judicial, ou seja, ela possibilita os recursos exclusivamente para pagar precatório, exclusivamente, alimentar e não alimentar. Então, cumprida a determinação judicial inclusive com prazo até 2020. A segunda, os credores, eles receberem, né, pessoas que estão esperando há quantos anos, né, precatórios até antigos poderem receber os valores devidos. E terceiro, os estados e municípios ficarem livre de uma dívida muito cara que tem juros moratórios, compensatório e correção monetária. É uma dívida também bastante cara. Eu diria que vem ao encontro, né, de um auto interesse público, e a aprovação no senado quanto mais rápida melhor.

REPÓRTER: Governador agora uma matéria diferente, a corregedoria de São Paulo está investigando aí 12 PMs que achar que é revenda de drogas, cobrar mensalidades de bingos e de casa flagrantes. Eu queria que o senhor falasse um pouco sobre isso.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, nós temos 90 mil polícias militares, fora os mais de quase 40 mil polícias civis e científica e temos a melhor corregedoria das polícias. Então, é apuração rigorosa, né, é isso que é feito rotineiramente.

REPÓRTER: Em relação ao zika vírus acho que foi confirmado o segundo caso no estado. O quanto isso preocupa o senhor e se existe alguma possibilidade de repasse de recursos, enfim, para as pesquisas.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Olha, é uma grande preocupação toda doença virótica que você faz a manutenção da vida e tem muito pouca eficácia, né, o tratamento. E nós estamos frente a várias doenças transmitidas pelo mesmo mosquito que é o Aedes Aegypti, a dengue que é a maior preocupação com quatro tipos de vírus diferentes, a febre chikungunya e o zika vírus ainda mais grave, mais preocupante no caso das mulheres gravidas, porque é um tropismo do vírus pelo sistema nervosos. Então, a pessoa ela tem uma polirradiculoneurite ascendente, né, de baixo para cima, chamada de síndrome de Guillain Barré, e no caso da grávida pode ter problema no sistema nervoso. Nos dois casos de São Paulo, uma, a paciente, uma mãe, ela está com 32 semanas e os exames não mostram até agora nenhuma alteração, nenhuma má formação até agora, a outra tem 22 semanas ainda não dá para saber. Todo o empenho está sendo feito nessa questão do pré-natal, será feita também a questão do parto e depois no acompanhamento da paciente e do neném. Só tem um caminho hoje, é de um lado combater o agente transmissor que é a água parada, os criadouros. Nós estamos fazendo um mutirão, nós fizemos um mutirão no sábado em 250 cidades do estado simultaneamente, é 40% dos municípios do estado de São Paulo. A outra é a vacina, então a vacina da dengue nós esperamos agora em fevereiro já iniciar a vacinação com voluntários no hospital das Clínicas em São Paulo, contra os quatro tipos de vírus e acelerar a pesquisa que é outra vacina em relação ao zika vírus, que é uma doença que chegou no Brasil há poucos anos, né, extremamente recente de pouco conhecimento e extremamente preocupante.

REPÓRTER: Mas apesar dos esforços do governo federal o estado tem alguma proposta, alguma ação do estado.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não, nós já estamos trabalhando. Primeiro, já temos lá um centro de controle de Endemias, o centro de controle para as doenças, sala de situação, mutirão sem parar envolvendo o município, as prefeituras municipais, o estado, a Sucen, nós temos uma superintendência de controle de Endemias, o exército e muito voluntariado. Quero destacar aqui escolas, igrejas, escoteiros, clubes de serviço é fantástico o trabalho também voluntário. A outra é assistência médica, o Instituto Adolfo Lutz está full time no estado inteiro de forma descentralizada para fazer o diagnóstico, assistência médica, né, o atendimento aos pacientes e de outro lado a vacina. Aí a boa notícia é que nós já vamos começar em fevereiro a vacinação com voluntários, no hospital das Clínicas. Ela será feita em 12 estados brasileiros, 18 mil pessoas, 12 mil recebem a vacina 6 mil placebos, ninguém sabe quem recebeu vacina ou placebo e você verifica segurança e reposta imunológica, o nível de imunização. A dengue está muito avançada e nós já fizemos a fase um, a fase dois, vamos para a última fase no Instituo Butantan. O zika vírus aí vai começar o trabalho, é outra vacina e outro vírus embora o mesmo mosquito transmissor.

REPÓRTER: Mas o senhor falou em acelerar a pesquisa. Tem algum aporte a mais?

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Não, o Butantan, existe uma vacina, não do Brasil, de outro país em relação a dengue, mas ela não é contra os quatro tipos de vírus e não é uma dose só, ela tem uma resposta imunológica menor, porque ela é feita com o vírus da febre amarela modificado, o nosso é feito com o vírus da dengue atenuado. Então, são coisas diferentes embora ambas para a dengue. Agora tem que iniciar um novo trabalho que levam anos, né, no sentido de você ter a vacina. Se você for verificar, rubéola, sarampo, gripe, poliomielite, tudo o que é vírus o caminho é vacina, porque você não tem um tratamento como você tem para infecções bacterianas, então, tem que acelerar a questão das vacinas. Tá bom. Categoria 01 de fevereiro de 2016 [[]]