Coletiva - Governo de SP entrega 3 mil cestas básicas e 2 mil cartões alimentação em Heliópolis 20213007

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Governo de SP entrega 3 mil cestas básicas e 2 mil cartões alimentação em Heliópolis 20213007

Local: Capital – Data: Julho 30/07/2021

Soundcloud

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: ... estado de São Paulo, mas especialmente aqui na capital de São Paulo. E hoje viemos aqui a Heliópolis, a convite do Preto Zezé, do Marcivan, para fazer uma entrega do Alimento Solidário, e também do cartão do Alimento Solidário. São 3.000 cestas do Alimento Solidário, cestas de 25 Kg, com alimentos balanceados para atender uma família de até cinco pessoas por 30 dias. E com o apoio da Apas, a Associação Paulista de Supermercados, o cartão de R$ 100 para que a comunidade, a líder, sobretudo a mãe de família, possa comprar aquilo que ela precisa, no mercado, na própria comunidade. Com isso, nós alimentamos também a economia local. E além disso, nós estamos também disponibilizando para a Central Única das Favelas e às outras demais entidades cobertores térmicos, sacos de dormir, meias, todos novos, para o atendimento àqueles que, durante esse período de intenso frio, aqui em São Paulo, precisam aumentar a sua proteção térmica. São gestos de solidariedade, que cabem ao governo do estado de São Paulo, e em comum, numa ação comum feita aqui com a prefeitura da cidade de São Paulo.

REPÓRTER: Como que vai ser esse trabalho? Continuar, governador?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO:: O objetivo é permitir que a Cufa, sempre sob orientação da Central Única das Favelas, nós possamos identificar qual a quantidade de cestas do Alimento Solidário, assim como de outros produtos, como agora durante o inverno, de cobertores térmicos, de agasalhos e também de meias para a comunidade. É respeitando a comunidade e as suas lideranças. Eles sabem o que é necessário e quando é necessário. E a nossa obrigação é atender. É o gesto solidário. Um governo só existe para atender aos mais pobres, aos mais humildes, aos desvalidos. Essa é a função do governo, primordialmente. O Fundo Social aqui do estado de São Paulo está organizado nesse sentido.

REPÓRTER: Governador, eu queria saber também da Cufa, como serão escolhidas as famílias que vão receber esses cartões-alimentação e as cestas básicas.

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: A seleção você está falando? A escolha?

REPÓRTER: Isso.

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: A escolha já foi feita pelos líderes locais. Já tinham os critérios, já, de quem já recebeu, quem não recebeu, tem o critério de quem é mais prioritário. Porque você não tem como atender a todos, então você vai ter que estabelecer um critério, que, na maioria das vezes, vai para uma mãe solteira, que muitas vezes está com dois ou três filhos em casa, está sem trabalhar, com os filhos fora da escola. Então, ela está em casa, sem poder sair, muitas vezes até com idosos. E quando chega essa ajuda nessas mulheres, ativa toda uma rede de cuidado, com as crianças, com os idosos, a economia ainda fica dentro da própria favela.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO:: Muito bem, obrigado.

REPÓRTER: Governador, posso fazer uma última pergunta?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO:: Pode.

REPÓRTER: Queria que o senhor comentasse o incêndio da Cinemateca ontem, por gentileza.

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO:: É, eu até, hoje pela manhã, comentei com uma colega sua, na entrega das vacinas do Butantan, mas a tristeza de ver uma parte significativa da Cinemateca Brasileira incendiada, e a perda de um acervo importantíssimo da historia do cinema brasileiro. Nós precisamos ter mais cuidado com a cultura do país, com os museus, com os acervos, para evitar situações como essa. E neste caso específico, houve um alerta do próprio Ministério Público Federal, para que houvesse um cuidado maior na proteção, seja para evitar incêndios ou umidade, que pudessem destruir a celuloide dos filmes históricos que estão ali guardados. Lamentavelmente, não houve esse cuidado. Mas, daqui pra frente, nós já até manifestamos que a prefeitura de São Paulo e o governo do estado podem receber a Cinemateca. Se o Governo Federal não gosta do cinema, não preza a cultura, não respeita a memória do país, nós respeitamos e vamos cuidar. Se eles não quiserem mais administrar a Cinemateca, a prefeitura da cidade de São Paulo, com o prefeito Ricardo Nunes, e nós, no governo do estado, faremos isso, e investiremos para ter uma nova Cinemateca, preparada, protegida e, principalmente, respeitadora da cultura e da memória do Brasil.

REPÓRTER: Mas já foi feito algum pedido formal para que a gestão passe para o governo ou para a prefeitura?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO:: Não, na verdade, não é um pedido, é um oferecimento da prefeitura, do prefeito Ricardo Nunes, e nós, para o Governo Federal. Se desejarem, nós faremos a administração e assumiremos os custos também, não só de reparação da Cinemateca, mas da sua administração. E por quê? Há um grau de evidência de que o Governo Federal despreza e se distancia da cultura brasileira. E nós aqui não queremos isso. Portanto, a Cinemateca está em São Paulo, nós aqui cuidaremos melhor do que o Governo Federal. E se eles tiverem essa disposição, prefeitura e governo do estado estarão juntos.

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Obrigada, governador, bom dia, viu? Até a próxima.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Vocês também.