Coletiva - Governo de SP inaugura Baep em Sorocaba, o nono em dois anos 20201512

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Governo de SP inaugura Baep em Sorocaba, o nono em dois anos 20201512

Local: Sorocaba - Data: Dezembro 15/12/2020

Soundcloud

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Quem pergunta? Levanta o braço.

ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Calma, um de cada vez, vamos começar daqui para cá, ok?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Da esquerda para a direita, são quatro perguntas. Como você é um homem gentil, começando com as mulheres.

REPÓRTER: Muito obrigado. Boa tarde, governador. Gostaria de saber se está nos planos do governo do estado, melhorias para o Instituto Médico Legal aqui da cidade de Sorocaba, se o senhor está a par da situação que o IML aqui está?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Sim, a resposta é sim, a polícia científica e o Instituto Médico Legal, agora neste ano de 2021, nós teremos várias reformas implementadas em todo o estado de São Paulo. É necessário, é uma polícia eficiente, científica, além do que o Instituto Médico Legal, com mais agilidade, mais equipamentos, mais recursos, conseguirá produzir melhores resultados. Doutor Maurício, que comanda a polícia científica do estado de São Paulo, faz parte do conselho de segurança do estado de São Paulo, temos reunião amanhã, inclusive, às 19h no Palácio dos Bandeirantes, e anunciaremos ao longo dos primeiros meses do ano que vem, as melhorias, não apenas aqui em Sorocaba, como também em outras localidades do estado de São Paulo, e notadamente na capital de São Paulo.

REPÓRTER: Governador, é fato que o Presidente Jair Bolsonaro não o quer como candidato à sucessão presidencial de 2022, e se a Coronavac sair a partir do dia 25 de janeiro, a leitura política feita é essa, é evidente que o estado de São Paulo, sua imagem se fortaleceria, o senhor se fortaleceria. E agora, a Coronavac sai a partir do dia 25? E como que o senhor está analisando esse momento, que a segunda onda está vindo ao Brasil, no estado de São Paulo, e temos um Presidente que não quer a vacina?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Nós não estamos em uma corrida política, nem uma corrida pela vacina, nós estamos em uma corrida pela vida, é isso que precisa compreender o Presidente Jair Bolsonaro, que insiste em politizar um tema que é de vida, da saúde, da ciência e da medicina. Nós não podemos politizar ou continuar a politizar como tem feito, infelizmente, o Presidente da República. São Paulo, e eu como governador, defendemos a saúde e a medicina, por isso aqui fizemos o centro de contingência do COVID-19, desde o dia 26 de fevereiro, em quarentena. Nós estamos agora na décima sétima quarentena do plano São Paulo aqui. Foi o primeiro estado a fazer quarentena, foi o primeiro estado a determinar o uso obrigatório com multa, para os que não utilizam máscara, com o objetivo da proteção das pessoas. E aqui estabelecemos regras claras no plano São Paulo, para proteger vidas. Assim como foi, por termos o Instituto Butantã, que completará agora em fevereiro, 120 anos de existência, uma instituição de seriedade e respeitabilidade internacional, e graças a um acordo com o Laboratório Sinovac, o laboratório privado, sediado em Pequim, na China, desenvolveu com a transferência de tecnologia, uma vacina brasileira, a vacina do Butantã é uma vacina com insumos da China, mas produzida aqui. Nós já envazamos 1,400 milhão de unidades no Instituto Butantã até janeiro, até o início da vacinação, no dia 25 de janeiro, teremos 46 milhões de doses da vacina. Sim, vamos aguardar a aprovação da ANVISA, nós estamos convictos e certos de que a ANVISA terá tempo para fazer aquilo que é a sua obrigação, com independência científica, sem nenhum viés nem eleitoral, nem ideológico, para conceder a aprovação definitiva da vacina do Butantã. E em São Paulo, sem desrespeitar o Sistema Nacional de Imunização, o Sistema Estadual de Imunização, o SEI, começará em São Paulo no dia 25 de janeiro, imunizando todos os brasileiros de São Paulo com mais de 60 anos, e com prioridade absoluta para os profissionais de saúde. Homens e mulheres, médicos, enfermeiros e outros profissionais que atuam na área pública e privada, que são os nossos heróis, porque eles protegem e salvam vidas. E disponibilizamos também 4 milhões de vacinas, para estados que requererem a São Paulo, com a mesma finalidade para a imunização de profissionais de saúde nos seus respectivos estados. E 13 estados brasileiros, além de São Paulo, já solicitaram e serão atendidos.

REPÓRTER: Governador, boa tarde. Sobre o registro definitivo então sobre a Coronavac, o que o senhor pode falar sobre isso em relação à vacinação aqui no interior de São Paulo, vai ser realmente seguindo esse prazo de 25 de janeiro, como é que vai acontecer?

MARCO VINHOLI, SECRETÁRIO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL: Duas perguntas e ambas serão respondidas. Sim, nós vamos iniciar a imunização no dia 25 de janeiro em todo o estado de São Paulo, por isso temos o SEI - Sistema Estadual de Imunização. São Paulo já faz esse sistema há mais de 50 anos, com a Secretaria de Saúde. Nós nos reunimos desde o início do mês de outubro, e no final de outubro já tínhamos o plano de imunização pronto, e o estudo da vacina também, que aliás, oferecemos ao Ministério da Saúde a opção de compra desta vacina, e o ministério no dia 20 de outubro fez essa opção, anunciou através do ministro da Saúde, General Eduardo Pazuello, a opção para aquisição dessas 46 milhões de doses da vacina, e colocá-la no Sistema Nacional de Imunização. Lamentavelmente o Presidente da República, em menos de 12 horas, na manhã seguinte, proibiu e desautorizou o ministro da Saúde de prosseguir nas negociações para a aquisição desta vacina, e erroneamente determinou que o Ministério da Saúde orientasse a compra de uma única vacina da AstraZeneca, a vacina de Oxford, pela qual nós temos respeito. Mas é um absurdo, diante de um país que a perdeu 182 mil vidas, e que perde mais de 600 vidas todos os dias, o Ministério da Saúde, por orientação ideológica e equivocada do Presidente da República, ter feito a opção por uma única vacina. Depois que iniciamos o processo aqui em São Paulo, fez opção por uma segunda vacina produzida pelo Laboratório Pfizer, e agora começa a raciocinar de forma correta, que é, nós precisamos de todas as vacinas, não uma, nem duas, todas as vacinas que forem aprovadas pela ANVISA, ou por agências de vigilância sanitária internacionais, americana, a europeia, a japonesa ou a chinesa, podem ser aplicadas no Brasil por decreto/lei assinado pelo Presidente Jair Bolsonaro. É que ele não lê o que assina, mas em fevereiro ele assinou um decreto produzido junto com o seu então ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, tornando obrigatório a aplicação e o uso de vacinas aprovadas por outras agências de vigilância sanitária internacionais. Portanto, sim, vamos e estamos confiantes na aprovação definitiva da vacina do Butantã, no dia 23 de dezembro os estudos serão entregues à ANVISA, e a ANVISA já anunciou, aliás, fez esse anúncio hoje pela manhã, que em dez dias fará análise de todas as vacinas que forem apresentadas em condições adequadas, como é o caso da vacina do Butantã. 23 de dezembro ela será apresentada, e eu tenho certeza que a ANVISA, dada a circunstância de que perdemos mais de 600 vidas todos os dias, não vai tirar férias e vai trabalhar e produzir resultados para salvar vidas, para que logo no início de janeiro tenhamos, seja da vacina do Butantã ou outras, a definição e a aprovação da vacina, para salvar vidas de brasileiros.

REPÓRTER: Governador, veículos blindados e mais armamentos. Além disso, como que o senhor pretende contribuir para salvar vidas de policiais?

JOÃO DORIA JÚNIOR, GOVERNADOR DE SÃO PAULO: Com treinamento, formação e equipamentos de proteção, colete à prova de balas, equipamentos para a inteligência da polícia, porque a inteligência evita o crime, a inteligência pega o potencial criminoso antes que ele execute o crime. Portanto, evita a pronta-resposta nas ruas, e trabalha com a inteligência. Nós temos a inteligência na Polícia Militar e na Polícia Civil, e estamos investindo forte e pesadamente nisto com equipamentos, tecnologia e treinamento, na próxima semana vamos inaugurar a delegacia de crimes cibernéticos, será o primeiro estado do Brasil a ter uma delegacia completa para evitar crimes cibernéticos. Crimes que levam à morte, crimes que levam a roubo e outras formas de ação de bandidos, e isso é um investimento do governo do estado de São Paulo. E finalmente treinamento, como fizemos agora nos meses de julho e agosto, o retreinamento de mais de 80 mil policiais militares, que foram retreinados para garantir a boa qualidade das suas ações nas ruas. E finalizo dizendo também que na semana que vem vamos apresentar no Palácio dos Bandeirantes uma nova tecnologia aos policiais, inclusive os do BAEP, que são as body cams, são as câmeras corporais, chamado olho vivo. Câmeras que vão transmitir ao vivo e direto, com alta fidelidade de imagem e de som, o trabalho dos policiais militares nas ruas. Também será a primeira polícia do Brasil a utilizar essas body cams. São 3 mil câmeras corporais, olho vivo, a expressão em inglês é body cam, câmera corporal, e que vão ser entregues na semana que vem para a Polícia Militar do estado de São Paulo. É assim que vamos proteger a vida desses heróis, que são os policiais militares que hoje, aliás, celebram 189 anos de honra, de orgulho e de salvamento para milhões de brasileiros de São Paulo. Muito obrigado, a todos. Desejo um bom dia aos jornalistas que aqui estão, os cientistas, fotógrafos, e aos policiais militares tenham um bom Natal, ao lado dos seus familiares. Continuem a fazer aquilo que é o espírito que os motivou a entrarem na Polícia Militar do estado de São Paulo, defender vidas. Viva à Polícia Militar do estado de São Paulo! Muito obrigado, bom dia, até todos.