Coletiva - Implantação do projeto piloto do Sistema Ponto a Ponto em Itatiba e Descerramento da Placa de Duplicação do Trecho da SP 360 - 20120904

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva da Implantação do projeto piloto do Sistema Ponto a Ponto em Itatiba e Descerramento da Placa de Duplicação do Trecho da SP 360

Local: Itatiba - Data: 09/04/2012


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós estamos implantando hoje aqui, a primeira rodovia do país com o chamado pedágio Ponto a Ponto, e uma das primeiras da América Latina. Esse é o tag, ele será colocado nos carros, então a pessoa só paga pelo trecho percorrido e, ao invés de ter várias praças de pedágio, tem um arco como esse arco aqui, então ele registra quando o carro passa. E nós estamos abrindo amanhã, uma licitação para comprar um milhão de tags, então isso nos permite justiça tarifária. Por exemplo, os bairros aqui de Itatiba que pagavam R$ 2,00 para ir para Jundiaí, vão pagar só o trecho percorrido, vão pagar R$ 1,40, ou seja, 30%... Deu? Tem mais um?


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Espera um pouquinho que desorganizou.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Então vamos, vamos esperar um pouquinho, começa de novo! Olha, hoje, nós estamos implantando aqui em Itatiba, na SP-360, o primeiro Pedágio Ponto a Ponto do país, e um dos primeiros da América Latina. Ou seja, a pessoa vai pagar a tarifa apenas pelo trecho percorrido, nós temos esses arcos aqui instalados, então não há necessidade daquela barreira de concreto, a pessoa põe o tag no carro, o tag, ele é esse chip é gratuito, as pessoas vão receber esse chip coloca no carro, passam aqui, e só pagaram pelo trecho percorrido, então amanhã está sendo aberta também uma licitação para comprar um milhão de tags e no futuro o tag será este aqui, então será até mais... Mais simples. Isso é um adesivo praticamente, apenas um adesivo. Isso vai possibilitar justiça tarifária, por exemplo, tinham bairros aqui em Itatiba, aqui perto da praça de pedágio, então a pessoa pagava R$ 2,00 para ir até Jundiaí, vai pagar pelo trecho percorrido dá R$ 1,40, 30% a menos. Quem ia para Itatiba pagava R$ 2,00, só pelo trecho percorrido. são poucos quilômetros. vai pagar R$ 0,60, 70% menor, o preço. Então esse modelo, nós estamos implantando um projeto piloto na SP-360, Jundiaí – Itatiba, que está sendo duplicada; em seguida, agora no mês de maio, nós deveremos implantar na SP-75 Santos Dumont de Itu até Campinas, no mês de julho na rodovia que vai pra Jaguariúna SP-340, e gradativamente vai sendo ampliada, então um ganho sob o ponto de vista tecnológico através do pedágio eletrônico, o pedágio Ponto a Ponto vai possibilitar bairros, moradores que percorrem trechos pequenos da rodovia e que moram perto da praça do pedágio tem um desconto extremamente importante. Indaiatuba, por exemplo, que paga mais de R$ 10,00 para ir e vir para Viracopos isso será menos de R$ 1,00.


REPÓRTER: Governador, o senhor já falou sobre esse assunto, o sistema vai ser utilizado para multar os motoristas por excesso de velocidade?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha esse não é o objetivo. Esse não é o objetivo, o objetivo é ter justiça tarifária, esse é o objetivo.


REPÓRTER: Haverá alguma tarifa diferenciada, por exemplo, carros e motos, ou é o mesmo valor para todos?


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: 0,08 centavos por quilômetro, independente, carro ou moto.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É 0,08 centavos por quilômetro percorrido, independente se é carro ou motocicleta.


REPÓRTER: O senhor acredita que com esse sistema no estado São Paulo, o governo federal também passe a pensar em adotar na mesma maneira?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu acredito que sim, eu acho que esse modelo que está sendo implantando na primeira rodovia do país, aqui na SP-360, ele tende a ser adotado, eu acho que esse modelo vai se multiplicar pelo país, outros estados, inclusive, estão vindo aqui a São Paulo para verificar essa... Esse modelo.


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: A tecnologia do tag é... Já é do SINIAV que é aquele futuro carros terão chip.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Esta tecnologia já é do SINIAV, ou seja, os futuros carros já saíram com adesivo, então já é a tecnologia já prevendo já o SINIAV.


REPÓRTER: Como que o governo do estado chegou nesse ponto, ou seja, adotar o ponto a ponto, foi solicitação de deputados, da população, dos usuários?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós sempre procuramos justiça tarifária, quem percorre a rodovia é paga, quem usa mais paga mais, quem usa menos, paga menos, então você tinha muito problema de localização de praça de pedágio, onde é que se localiza? Muita discussão, muita briga em relação ao local, com isso independe da localização, que você paga por trecho percorrido, não precisa parar em cada barreira de pedágio, nem vai precisar ter essas barreiras de concreto no futuro, apenas os arcos eletrônicos, a pessoa também não precisa parar, ela tem um chip no carro, vai facilitar a vida da população.


REPÓRTER: A rodovias Anhanguera, Bandeirantes, a Castelo Branco já tem uma perspectiva...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós estamos por esse projeto piloto, SP-360, Itatiba, Jundiaí duplicada, depois em maio, SP-75 Santos Dumont, depois em julho, SP-340 lá para Jaguariúna e vamos gradualmente ampliando, tem que começar com o projeto piloto para depois ampliar, mas a proposta para o futuro é implantá-la geral.


REPÓRTER: Da para estimar quando vai chegar à grande São Paulo esse benefício, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Vamos ter cautela para ver o resultado desse trabalho, a questão do chip, a questão eletrônica, os resultados, mas a ideia é gradualmente a partir de 2013 e expandindo para as demais rodovias do Estado de São Paulo.


REPÓRTER: Com a variação de preço não corre risco da qualidade da rodovia também, tender a se estabilizar ou baixar?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, o preço não varia, o quilômetro rodado é o mesmo, o que você vai fazer é corrigir injustiças, pessoas que às vezes estão percorrendo um trecho pequeno e pagando uma tarifa muito alta.


REPÓRTER: O senhor falou que [inteligível] ia aplicar multa, mas é possível fazer um controle de velocidade, se é possível...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É possível, mas esse não é o nosso objetivo, o objetivo é justiça tarifária, a doutora Karla Bertocco, presidente da ARTESP, e o doutor Saulo detalham mais ai para vocês.


REPÓRTER: Governador, esses nove bairros que se sentem ilhados, antes, agora vai diminuir um pouquinho para eles irem para Itatiba, mas para Jundiaí eles não pagavam, e agora eles vai pagar...


REPÓRTER: Os moradores são... Eles vão aderirem ao sistema?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eles vão... Veja bem... O conceito é o conceito de justiça tarifária, 70% da população iam para Itatiba, ele vai ter muito beneficiada, e o desconto é de mais de 70%, agora, sempre a lógica do pedágio Ponto a Ponto, é trecho percorrido, você percorreu trecho pequeno, paga pouco, paga menos, percorreu o trecho inteiro, paga tudo.


REPÓRTER: Mas antes ele não pagavam, agora eles vão ter que pagar se aderir ao sistema.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Vão pagar R$ 1,40 ao invés de pagar R$ 2,00 e indo para Itatiba, pagarão R$ 0,60 ao invés de pagar R$ 2,00...


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: 0,08.


REPÓRTER: [Ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Veja bem, isso é importante, a sua pergunta é importante. 5% não é do lucro é do faturamento do pedágio, 5% do faturamento da concessão é ISS, não tem ICMS, o governo não recebe um centavo, 5% é ISS, então vai para os municípios, exatamente para as prefeituras construírem marginais, construírem avenidas, que ai não pagam nada; agora uma autoestrada, você entrou em uma autoestrada, o conceito é o conceito de usou pagou, utilizou pouco, paga pouco, para poder mensurar isso nós estamos implantando o Ponto a Ponto.


REPÓRTER: Para ter direito ao benefício, governador, tem que fazer algum cadastramento?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Tem, já começou hoje o cadastramento é de graça, a pessoa recebe o tag e não paga nada nem pelo tag nem pela manutenção, é totalmente gratuito e já instala no carro.


REPÓRTER: Governador, quanto à questão... O Ponto a Ponto ele tem uma tecnologia muito parecida com o sem parar, não tem uma certa rivalidade com a empresa CCR que opera a questão do sem parar, parece até que teve um certo imbróglio ai até dezembro, quando foi anunciado que seria implantado esse sistema, como que fica hoje essa questão de CCR é do Ponto a Ponto?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, na realidade são coisas diferentes, o que quê nós queremos caminhar para o futuro? Nós queremos ter o tag sem manutenção, quer dizer, nós queremos que tudo seja gratuito, então nós estamos começamos esse trabalho através dessas rodovias, nesse projeto Ponto a Ponto sem nenhum custo de manutenção.


REPÓRTER: Governador, como tinha, que critério que foi feito para se chegar a essa critério de R$ 0,60 cada trecho.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Você multiplica o quilômetro percorrido por 0,08 você multiplica, a pessoa indo do seu bairro, entrou na estrada, entrou na SP-360 até Itatiba, multiplica o número de quilômetros por 0,08. Sete quilômetros, 7,2 quilômetros, vezes 0,08, R$ 0,60.


REPÓRTER: Governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A última.


REPÓRTER: O senhor acredita que, até o final do ano, a duplicação da rodovia [ininteligível] está pronta?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Até o ano que vem. Nós esperamos... Nós vamos acelerar as obras, já conversei com a Karla Bertocco, aproveitar agora que não chove, acelerar ao máximo as obras. Até o ano que vem, ela vai estar duplicada.


REPÓRTER : Governador, a respeito das rodovias da região de Campinas, como a Dom Pedro, que estão muito afogadas, muito trânsito, acidentes, tem algum projeto para ampliá-las?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Tem. Agora em abril, mais tardar no início de maio, nós vamos lançar um conjunto de obras para a região metropolitana de Campinas. Eu posso... Para adiantar uma: as marginais na Rodovia Dom Pedro, mas nós teremos outras obras que serão lançadas agora, dentro de 30 a 40 dias.


REPÓRTER: Em outras rodovias também?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Na região, exatamente.


REPÓRTER: Governador, em relação ao AME de Jundiaí.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: AME de Jundiaí. O AME de Jundiaí começa a funcionar esta semana. Não se preocupem com inauguração. A gente inaugura sempre 15 dias, 20 dias depois. Não temos pressa com inauguração. O importante é começar a funcionar.


REPÓRTER: A partir de que dia?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Essa semana. A informação que eu tenho é dia 12. Dia 12 é quinta-feira. Então, começa a funcionar na quinta-feira. Serão, ao todo, 18 especialidades, mas não implanta tudo de uma vez, a implantação é gradual. E nós vamos inaugurar até o fim de abril, mas já entra em operação na quinta-feira. Entra em operação na quinta-feira e inaugura até o final do mês.


REPÓRTER: Só mais uma pergunta sobre o Ponto a Ponto. Em alguns países, isso já é uma tecnologia utilizada faz algum tempo. A gente demorou muito a entrar nessa modernidade, a fazer essa “justiça social” para quem paga pelo [ininteligível]?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Eu entendo que sim. A tecnologia de informação, ela precisa estar a serviço da população, não é? É governo eletrônico, você utilizar os meios modernos de tecnologia da informação, de TI, a serviço da população, para melhorar a qualidade dos serviços prestados, ninguém precisar ficar parando em pedágio, tirar, receber troco, fazer fila, interromper a viagem, e, ao mesmo tempo, justiça tarifária.


REPÓRTER: Governador, segundo a assessoria de imprensa da prefeitura de Campo Limpo Paulista, a inauguração do hospital local dependia da sua agenda. Isso já foi acertado?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, não depende da minha agenda. Primeiro que o hospital não é do estado, o hospital é municipal. Eu nem costumo ir em inaugurações de obras municipais. Até, sendo um hospital, até, se eu pudesse, eu iria. Mas, se ele já está pronto, não sei se está pronto, porque não é obra do estado, ele deve ser entregue imediatamente. O que nós fazemos nos nossos hospitais, nos AMEs? Nós já pomos em operação; depois, marca a inauguração, 15 dias, 20 dias, que é uma visita e uma entrega simbólica. Mas, se estiver pronto, já deve entrar em operação imediatamente.


REPÓRTER: Governador, segundo o prefeito de Campo Limpo, oito leitos, o governo iria subsidiar. Vai subsidiar mesmo ou não?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Isso, eu posso verificar. A questão do credenciamento da UTI, se ela tiver atingido todos os critérios que são obrigatórios, ela poderá entrar em funcionamento e o governo incluiu no SUS, e aí tem um subsídio. Está bom?


REPÓRTER: Governador, o senhor falou a respeito da Fatec.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Ah, a Fatec. A última, aqui. Olha, nós estamos ampliando a rede de Etecs e Fatecs na região. Então, aqui já tem uma Etec. Itatiba está crescendo, a região de Jundiaí, ela é uma região que, hoje, atrai muito investimento. A Cummins acabou de assinar um protocolo com o governo do estado para uma nova fábrica de motores, e depois de geradores, aqui na cidade; 19 outras empresas estão se encaminhado para cá. Então, nós vamos trazer para cá uma Fatec. A cidade já tem mais de cem mil habitantes, então a prefeitura vai nos ceder o terreno e o prédio e nós vamos fazer a faculdade de tecnologia, que atende Itatiba e também... Estava aqui conosco o prefeito de Morungaba, muito feliz, porque também beneficia os municípios do entorno.


REPÓRTER: Há, inclusive, a perspectiva que esse prédio da Fatec já teria sido alugado pela prefeitura municipal. Isso confere? Existe uma data para a implantação?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós vamos fazer... A ideia é ter um prédio novo, laboratórios, não ter uma coisa adaptada, mas, se tiver um prédio em boas condições, para ganhar tempo, pode alugar enquanto constrói, mas o importante é que terá a Fatec.