Coletiva - Início das obras de expansão da Linha 5 - Lilás e vistoria da construção da estação Adolfo Pinheiro - 20112307

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva de imprensa do Início das obras de expansão da Linha 5 - Lilás e vistoria da construção da estação Adolfo Pinheiro

Local: Capital - Data: 23/07/2011


REPÓRTER 1: Eu queria que o senhor falasse da importância dessa... Desse trecho, né, que as obras vão começar?

GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Olha! A Linha-5 do metrô que liga Capão Redondo, Campo Limpo, Vila Belezas, Giovanni Gronchi vem até Santo Amaro, Largo Treze transporta em torno de 220, 230 mil passageiros, ela passará para 650 mil passageiros dia, serão mais 12km de metrô, 11 estações, aqui, Santo Amaro, Alto da Boa... Borba Gato, Alto da Boa Vista passará pelo Ibirapuera, Hospital do Servidor atenderá 10 hospitais nessa linha e chegará... Passará pela Vila Clementina e chegará até Chácara Klabin. Então ela integra essa Linha-5 com a Linha-9 do trem em Santo Amaro, integra com a... Entregará com a Linha-17 do metrô a Linha Ouro que vai para o Morumbi, ela vai integrar com o corredor de trólebus que vem de São Matheus, ela vai integrar em Santa Cruz com o corredor Norte-Sul e, ela vai integrar em Chácara Klabin com a linha que vai para Vila Prudente. Então, ela vai ter uma sinergia, uma eficiência enorme para beneficiar a população. Hoje o metrô está transportando 3,7, 3,8 milhões de passageiros por dia, e o trem 2,4 milhões dá 6,1 milhões de passageiros dia, a nossa expectativa em 4 anos é ir para 9 milhões de passageiros.

REPÓRTER 1: Governador, no ano passado houve uma denúncia de irregularidades na licitação do metrô, houve até um atraso no início das obras da Estação do Alto da Boa Vista houve uma investigação, o que foi concluído?

GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Olha! O contrato... A licitação foi feita, todos os recursos foram interpostos, o contrato foi assinado o ano passado foi dado ordem de serviço, houve uma denúncia, foi interrompida essa ordem de serviço, houve uma avaliação durante 06 meses que não concluiu por essa denúncia, nós não poderíamos manter a obra parada indefinitivamente, o inquérito contínua se tiver algum fato, vai ser apurado e responsabilizado, mas nós vamos adiantar com obra para não prejudicar a população. Essa linha uma das mais importantes, aliás, hoje, nós estamos com três linhas simultâneas de metrô em obra: a Linha-2 que sai de Vila Prudente, Oratório e vai até a Cidade Tiradentes atendendo a zona leste, a Linha-4 que vamos entregar agora em setembro: República e Luz, ela integra desde lá o centro de São Paulo até Vila Sonia na zona sul-sudeste e essa Linha-5 que sai daqui de Santo Amaro passa pelos hospitais vai até norte-sul, então três linhas simultâneas de metrô. E, estaremos iniciando nos próximos dias a Linha-17 do metrô que vai integrar o Aeroporto de Congonhas ao Morumbi e depois ao Jabaquara.

REPÓRTER 2: Essa linha pode ser estendida até o M’ Boi Mirim, governador?

GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Essa linha, ela do Capão Redondo a um estudo para ir pro Jardim Ângela, sim, mas ainda um estudo, o que já está em obra é ir na direção de Santa Cruz e Chácara Klabin.

REPÓRTER 3: Governador, e para o Aeroporto de Cumbica...

GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Aeroporto de Cumbica tem o TAV que nós vamos aguardar o governo federal, e nós vamos fazer o Expresso Guarulhos que será um trem com poucas paradas, portanto muito rápido que vai atender ali a SECAP, vai atender também o aeroporto, os funcionários, enfim vai... Vai ser importante, e vamos esperar o TAV pra ver o desenlace.

REPÓRTER: Quantos hospitais governador? Aproximadamente.

GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: São 10 hospitais que vão ser atendidos. Essa linha tem 12 quilômetros de extensão, 11 estações, 26 trens novos, cada trem seis carros. Nós estamos falando de 156 carros, os mais modernos, com a tecnologia, novinhos em folha. Atenderá 10 hospitais e fará a integração com quatro linhas de metrô ou trem, e com o corredor de trólebus da EMTU.

REPÓRTER: Governador o senhor parece que está com intenção de reforçar as blitz da Lei Seca também?

GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Isso. Olha, ontem eu até acompanhei a Polícia Militar e o secretário de Segurança na blitz lá na Vila Madalena. O que quê que nós vamos fazer? Ontem em todo estado de São Paulo, chama “Direção Segura”, é um programa que envolve 500 policiais, 190 viaturas em todo estado de São Paulo, além do policiamento normal. Só pro “Direção Segura”. Sexta à noite, sábado à noite, domingo à noite. Nas regiões de mais movimento, restaurantes, bares. Primeiro, segurança, pegar criminosos, evitar assaltos. Segundo, aplicação da Lei Seca. O que quê está acontecendo hoje? Caiu muito homicídio, graças a Deus está caindo. Então hoje está havendo mais morte por acidente do que por homicídio. Isso aconteceu ano passado, e esse ano está se repetindo. Então estão morrendo mais pessoas por acidente do que por homicídio. E parte desses acidentes envolvem álcool. Então nós vamos iniciar até no dia primeiro de agosto uma grande campanha em relação à questão do álcool, especialmente com jovens, com menores de idade, punição severa, campanha educativa, e cumprimento da lei.

REPÓRTER: Governador, o senhor pode explicar um pouco essa questão da arquibancada móvel do estádio. Como é que fica isso, o que quê vai ser feito com essa arquibancada?

GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Olha, vamos aguardar outubro, porque em outubro que vai ser decidido se São Paulo obterá a abertura da Copa ou não. Então vamos aguardar primeiro que a FIFA se pronuncie, o que nós dissemos é que no estádio do Corinthians o governo de São Paulo não coloca um centavo. Não terá um centavo de dinheiro do Estado. O evento de abertura da Copa, que não é do Corinthians, ele é de São Paulo, é do Brasil, se São Paulo sediar a Copa nós vamos viabilizar o aluguel da estrutura móvel que faz o evento e depois vai embora. E vamos buscar parceiros pra poder financiar, temos já várias ideias, propostas que nós estamos estudando que vão ser muito positivas.

REPÓRTER: Quer dizer, seria um aluguel, mas não vai precisar dar uma destinação pra isso?

GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: É aluguel, só alugue, aluga e devolve.

REPÓRTER: Governador, os juízes estão reclamando que não há tornozeleiras eletrônicas pra atender as medidas cautelares. O quê que o estado pretende fazer a respeito disso?

GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: Nós tivemos uma reunião muito boa com doutor Fernando Grela, que é o procurador do Ministério Público de São Paulo, uma reunião muito positiva. Nós temos 4.800 tornozeleiras, os nossos presos em regime semiaberto usam as tornozeleiras. O que surgiu é que com a nova lei federal, nós criamos e foi publicado no Diário Oficial de hoje, um grupo de trabalho envolvendo Tribunal de Justiça, Ministério Público, governo do estado, secretaria de Segurança, SAP, administração penitenciária, pra gente verificar como aplicar a nova lei com segurança para a sociedade. E uma das hipóteses é a tornozeleira. Então foi criado o grupo de trabalho, hoje foi publicado no Diário Oficial, e nós vamos rapidamente ver a melhor maneira de aplicar a lei, que precisa ser aplicada, é lei federal, e trazendo segurança para as decisões judiciais e para a população.

REPÓRTER: Há um prazo?

GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, GERALDO ALCKMIN: O mais rápido possível.