Coletiva - Inauguração da Nova Unidade do Grupo DENSO no Brasil

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva de imprensa da Inauguração da Nova Unidade do Grupo DENSO no Brasil

Local: Santa Bárbara D'Oeste - Data: 17/07/2012


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bom dia! Olha, uma grande alegria quando se inaugura uma nova... Uma grande alegria quando se inaugura uma nova indústria, são empregos para região e é desenvolvimento, e aqui é um binômio, uma nova indústria e um centro de pesquisa e desenvolvimento, um importante centro de inovação tecnológica. Santa Bárbara é um dos municípios mais progressistas de São Paulo, a região tem uma infraestrutura invejável, formação de recursos humanos, também muito importante. E agora, no dia 8, é a inauguração de uma nova indústria automotiva, que é a fábrica da Toyota em Sorocaba; depois teremos a fábrica da Hyundai, em Piracicaba, e a fábrica da [ininteligível] em Jacareí. Então, importantes investimentos na indústria automobilística, e por consequência na indústria automotiva, e adenso é uma das grandes indústria de autopeças do mundo, com sinônimo de excelência, de qualidade. Então, uma prova de confiança no Brasil, prova de confiança em São Paulo, que é a segunda economia da América do Sul, e muito importante aqui para Santa Bárbara e para a região. Vindo a Santa Bárbara, queria já aproveitar, nós teremos a recuperação de Santa Bárbara - Capivari, dia 15 agora de agosto, lançamos o edital já das obras de Santa Bárbara - Capivari; em novembro nós deveremos já estar iniciando as obras. E Santa Bárbara – Iracemápolis, já contratamos também o projeto executivo para, em seguida, também contratar a obra. Iracemápolis de Santa Bárbara até Capivari são vinte e oito milhões, e de Santa Bárbara a Iracemápolis, quarenta e oito milhões de reais. E também queria trazer uma palavrinha sobre o corredor noroeste, amanhã nós estamos lançando o edital de pré-qualificação, são cento e oitenta milhões de investimentos. O corredor noroeste indo desde Sumaré, passando por Americana, até Santa Bárbara, inclusive incluímos novas estações, novos viadutos, obras de arte também importantes nesse projeto e pretendemos entregar no nosso mandato o corredor noroeste que nós começamos do primeiro trecho Campinas – Hortolândia até Sumaré entrega-lo integralmente para a região metropolitana de Campinas.


REPÓRTER: Governador, falando aí justamente de estradas, um dos assuntos que mais foi notícia aqui na região de Campinas, é um suposto pedágio urbano ali, principalmente na Rodovia D. Pedro, que aí com a colocação dos pórticos do Ponto a Ponto, isso daí acabaria cobrando quem usa a D. Pedro como uma espécie de avenida. O que o senhor tem a dizer sobre isso?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, não há nenhuma decisão a esse respeito, toda a lógica do chamado pedágio Ponto a Ponto, é reduzir o valor do pedágio e ter um sistema mais justo, porque há pessoas que percorrem um trecho pequeno e acabam pagando uma tarifa cheia. Vamos dar em razão da localização da praça, vamos dar um exemplo prático. Na Santos Dumont, Indanhatuba, então a população de Indanhatuba pra ir para Campinas acaba pagando uma tarifa cheia, quando no projeto do pedágio eletrônico, no Ponto a Ponto, deixa de pagar R$ 10,10 para pagar R$ 4,00, quem vai para Viracopos, enfim. A aprovação na rodovia de Itatiba, de Jundiaí a Itatiba, foi de mais de 90%. Então nós vamos implantá-la, já implantamos Itatiba/Jundiaí, agora Santos Dumont, Sorocaba/Campinas. E a terceira será a de Jaguariúna, que deve ser a... Que é a Rodovia Ademar de Barros. E tem mais: tudo de graça, o TAG de graça, a transferência é de graça, a renovação é de graça, não tem custo, não tem custo é um modelo pré-pago, e não é obrigado a aderir, quem não quiser não precisa aderir. Então a ideia é corrigir injustiças e distorções de bairros ou de cidades que ficam muito perto da praça de pedágio através do pedágio Ponto a Ponto.


REPÓRTER: Governador, como está a questão da construção de um novo presídio em Limeira?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, no caso de Limeira, nós tínhamos... Já mudamos eu acho que seis vezes de localização, estamos procurando estabelecer a localização que menos prejudique a população. A hora que tiver definido aí a gente anuncia. Eu queria mostrar só o Corredor Noroeste, acho que tem um “mapinha” aí, inclusive com o novo trevo. Trem metropolitano, nós tínhamos feito um primeiro estudo, São Paulo - Jundiaí. Aí conversamos com o governo federal, eles entendem que não prejudica o TAV, acham que são públicos diferentes, então, nós estamos estudando a viabilidade do Funding da engenharia financeira, para de repente fazê-lo, ou em uma segunda etapa ou numa etapa só, Campinas - São Paulo.


REPÓRTER: Sobre a segunda seccional de Campinas, como é que está?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Segunda seccional, ainda vindo para cá telefonei para o secretário da Segurança, nós vamos recorrer da decisão, porque a prefeitura nos cedeu um terreno e houve uma liminar impedindo a construção nesse terreno. Nós vamos tentar cassar a liminar para ganhar tempo. Se começar a demorar, vou pedir para mudar de lugar. Mas nós queremos rapidamente ter a segunda seccional em Campinas. Uma boa notícia, nós vamos nomear, na semana que vem, serão nomeados mais 200 delegados de polícia para o estado de São Paulo e 200 técnicos de... Tem um nome é agente...


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: De telecomunicações.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: De telecomunicações. Então, 400 policiais civis a mais para o Estado. E na sexta-feira é a formatura de 920...


ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Novecentos e vinte e três.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Novecentos e vinte e três novos soldados, também para o Estado de São Paulo. Aqui tem o detalhamento do corredor. Aqui é divisa de Sumaré, tem um outro mapa melhor do que esse. Aqui sai a divisa de Sumaré - Nova Odessa. Então, nós temos aqui Nova Odessa, vem para aqui Americana, aqui o terminal metropolitano de Americana. Aqui o Terminal de Nova Odessa. Aqui tem um Terminal Amizade, Terminal São Paulo - ainda em Americana - e finalmente Santa Bárbara do Oeste, o Terminal Metropolitano de Santa Bárbara do Oeste. E nós teremos obras importantes na região, para dar velocidade a esse corredor de pneu, integrando todas as cidades; Santa Bárbara, Americana, Nova Odessa, Sumaré, Hortolândia e Campinas. Então, uma grande obra metropolitana.


REPÓRTER: Governador tem previsão para a inauguração das novas instalações do Etec aqui em Santa Bárbara?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, a Etec está pronta e está funcionando. Inauguração não é tão urgente, não é? Mas ela está pronta e está funcionando. Dando um tempinho, a gente vem inaugurar, sim. Olha, foram R$ 6 milhões investidos, construção do novo bloco, 11 salas de aula, três laboratórios, auditório, salas administrativas, cantina, enfim... E toda acessibilidade, toda acessibilidade. Bem lembrado, a gente vem, sim, na próxima oportunidade a gente vem a inaugurar a Etec.


REPÓRTER: Governador...


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Aqui mostra bem a... O Corredor Noroeste, aqui Sumaré, o terminal, Nova Odessa, Americana e Santa Bárbara. Aqui mostra também uma obra importante. Aqui é a ampliação do trevo da SP-304, quando ela cruza com a Rodovia Luiz de Queiroz. Veja que é uma “passagenzinha” muito estreita e o só um pedaço de uma alça, e vai ganhar todo o complexo aqui, um trevo importante. Inclusive, em razão disso o corredor acabou tendo um custo maior, mas vai ficar uma obra definitiva aqui.


REPÓRTER: E começa por onde a construção do corredor?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Pode começar pelas duas pontas. Eu posso depois detalhar melhor para vocês. A ideia é 18 meses, em 18 meses ele está concluído, totalmente concluído.


REPÓRTER: Governador, o senhor pretende participar da campanha política esse ano? Se sim, de que forma o senhor participa?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, eleição ela é municipal, então cada cidade tem... São 645 municípios. O meu partido, o PSDB, acho que nós devemos ter candidato próprio em umas trezentas e poucas cidades, metade mais ou menos é do estado, outras cidades são coligações. Cada cidade tem autonomia, tem vida própria, decide se lança candidato se não lança, quem apoia, faz as coligações. E o que a gente pode fazer? Pode fazer uma gravação para a televisão, não é, onde tiver televisão, gravação para um vídeo, porque é humanamente impossível. E, também, se puder participar é mais domingo, sábado, não é? Dia de semana é evidente que não vamos participar. Mas a gente pode dar uma declaração, apoio. É mais ponto de vista de companheirismo, porque a decisão de voto ela é sempre uma decisão local. População não mistura a questão municipal com a estadual, com a nacional, elas são bem distintas.


REPÓRTER: Governador, qual a importância dessa empresa para a economia aqui da região?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, ela tem uma dupla importância. Primeiro, indústria, né, agrega valor. Eu fico muito preocupado com a perda de competitividade da indústria brasileira com o aumento das importações e quedas nas exportações. Porque a indústria agrega valor, ela paga salário mais alto, ela gera mais emprego. Então é fundamental para o país ter uma indústria forte, sofisticada e diversificada. Então por isso o Governo tomou uma série de medidas em relação à questão juros, imposto, politica cambial, enfim, para melhorar a competitividade da indústria. Então essa indústria é uma fábrica extremamente importante de um setor que gera muito emprego direto e indireto, que é a indústria automotiva, seja de autopeças, seja automobilística. E o centro de pesquisa e desenvolvimento, ou seja, esse é o grande ganho, você fazer inovação. E essa fábrica a DENSO ela vai ter um centro tecnologia de referência par América Latina. Ela vai ser o centro de inteligência de conhecimento de pesquisa, não só para essa fábrica, mas para o país e para América Latina. A última aí.


REPÓRTER: Os novos policias, em Hortolândia registrou uma quantidade maior proporcionalmente de roubo e furto de veículos. Tem a quantidade desses policiais que vem para a região?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Nós teremos na sexta-feira. Na sexta-feira vai ser anunciado e a distribuição ela é bastante técnica. Ela não é politica, quer dizer, me dá só os indicadores de segurança aí. Então ela é bastante técnica. Aí temos os novos delegados, temos os novos agentes de telecomunicações e os policiais militares. Eu olhei aqui, por exemplo, os crimes mais importantes, é contra a vida. Então Santa Barbara, homicídio doloso: de janeiro a maio deste ano comparado ao ano passado caiu 55%. Estrupo caiu 18%, latrocínio caiu 50%. Mas o que é que é importante? É essa polícia tá trabalhando. Então, veículos recuperados; aumentou 40% veículo recuperado esse ano relativo ao ano passado. Arma de fogo apreendida; aumentou 11%. Flagrante lavrado; aumentou 13%. Prisões efetuadas; aumentou 56%. Altos de apreensão 150%. Apreensão de entorpecentes. Tudo cresceu o que mostra que a polícia tá trabalhando, tá cumprindo aí o seu papel. Seccional de Americana, porque aqui é Seccional de Americana. Caiu 13% homicídio doloso, caiu roubo de carga, roubo a banco e latrocínio. E também aumentaram os indicadores, aumentou 21% veículo recuperado, arma de fogo apreendida, flagrante e prisões. Aí peguei o Deinter de Piracicaba, que vai subindo, não é? Aqui é Deinter de Piracicaba. Caiu 22% homicídio doloso, caiu furto, caiu roubo, caiu roubo de carga, caiu roubo a banco, caiu latrocínio. E de novo aumentou o trabalho da polícia, 19% o aumento de veículo recuperado. Aliás, eu estou fazendo... Pedi para fazer um estudo, porque é uma coisa estranha. Quer dizer, muito dos veículos que são roubados você depois recupera. Agora, então por que é que rouba? Uma parte rouba para fazer crime. O sujeito rouba com aquele carro roubado assaltar, enfim. E precisamos verificar se não tão questão de seguro também no meio. Então nós estamos checando, porque é muito alto o número de veículos roubados e também alto o número de veículos recuperados. A outra é desmanche. Eu tenho conversado com os prefeitos para nos ajudarem nessa questão. Ou seja, o desmanche ele tem que ter uma fiscalização extremamente rigorosa. Não temos que agir nos receptadores. Quer dizer, no carro que é desmanchado ou na motocicleta, quem é que tá vendendo esses produtos de roubo. Porque se você não pegar o receptador fica mais difícil. O primeiro foco nosso foi crime contra a vida que é permanente. É reduzir homicídio, reduzir latrocínio. São Paulo é um exemplo para o país, porque nós saímos de 13.000 homicídios para 4.000. Agora é crime contra o patrimônio. E chama a atenção a questão de roubo e furto de automóvel. Então é ir para cima dos desmanches, dos receptadores, também importante, e também avaliar essa questão dos seguros. Tá bom?

ORADOR NÃO IDENTIFICADO: Obrigado, gente.