Coletiva - Inauguração do Núclieo Central do Parque Tecnológico de Piracicaba - 20122108

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição da coletiva de Inauguração do Núcleo Central do Parque Tecnológico de Piracicaba

Local: Piracicaba - Data: 21/08/2012

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Estou vindo tanto a Piracicaba que vou ter que alugar uma casa aqui, viu? Dizer da alegria de vir aqui inaugurar o núcleo central do Parque. Uma alegria voltar a Piracicaba, inaugurar o núcleo central do Parque Tecnológico. Esse é um grande projeto, só a [ininteligível] aqui ao lado mais de 1.000 colaboradores. E assinar aqui a liberação de mais R$ 5 milhões para o projeto de gaseificação. Esse é um projeto que vai trazer recurso da iniciativa privada, do BNDS, do Governo do Estado, do IPT. É praticamente a vinda do IPT para o Parque Tecnológico, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado. E o projeto que vai estudar a biomassa para bagaço de cana palha de cana, ponta de cana, virar gás. Um gás com muito carbono. E isso remonta a molécula, pode ter produtos de biocombustível, plástico, ter uma infinidade de produtos. Além de aumentar a produção de energia elétrica através também da biomassa, então é um belo projeto. As obras aqui do estado estão caminhando bem, o Anel Viário está sendo construído. A duplicação da Rodovia do Açúcar entre Piracicaba, Rio das Pedras, depois vai até Capivari. Também a duplicação na saída para Charqueada. E nós incluímos no programa do BID a Rodovia Luís de Queirós que também terá um grande investimento na modernização, recuperação, enfim, investimentos importantes aqui na cidade.


REPÓRTER: O que significa esse parque pra a região do país, governador?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, esse é um bom caminho, né? O Brasil só vai ser competitivo internacionalmente se investir em pesquisa, em inovação tecnológica, em desenvolvimento. Do Parque Tecnológico é o local que une a teoria a prática, une a universidade, une os centros de pesquisas e desenvolvimento, une o setor produtivo todos do mesmo local. Aqui nós temos Fatec, o instituto federal, a [ininteligível], a Universidade de São Paulo, IPT e o setor produtivo numa região que é a campeã da bioenergia. Hoje um dos principais centros de desenvolvimento de São Paulo.


REPÓRTER: Governador foram registrados novamente ataques a policiais militares a região de Campinas. E por coincidência os policiais estavam trabalhando no chamado bico. Como é que o Governo tem trabalhado com isso? Como é que tem visto essa questão?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós tivemos um caso em Hortolândia que os criminosos já estão presos, né? Já estão presos. E tivemos um caso em Campinas que nem é policial, ele é das forças armadas, que também vai ser preso, né? A polícia já está trabalhando. Aliás, eu queria destacar aqui, que eu acho que é importante. O Deinter 9, aqui de Piracicaba, nós tivemos uma redução no primeiro semestre deste ano comparado com o primeiro semestre do ano passado de 25% de homicídios. Caiu de 181 o ano passado para 136 esse ano. E latrocínios, 61% de queda no Deinter 9, aqui de Piracicaba. Foram 18 casos o ano passado no primeiro semestre e sete casos esse ano. Mandamos aqui para a região mais 28 escrivães e 24 investigadores, além também de um reforço na Policia Militar. Então é importante destacar. Quer dizer, enquanto no Brasil inteiro aumentam os índices de criminalidade no Deinter 9, aqui de Piracicaba, uma redução importante de crime contra a vida que é a redução de homicídio 25% e mais de 60% em latrocínio. E a polícia trabalhando. Se a gente pegar todos os indicadores de eficiência, apreensão de arma, aumentou; apreensão de droga aumentou, as prisões aumentaram muito, nós estamos batendo recorde aí de criminosos presos.


REPÓRTER: O que o senhor tem a dizer a respeito do décimo oitavo ataque lá em São Paulo [ininteligível]?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Não, São Paulo, nós tivemos um ato de vandalismo que a polícia vai prender, não tenho a menor dúvida. Ato de vandalismo, queimaram um ônibus, lamentavelmente... O motorista até quero destacar a sua ação de socorrer uma pessoa deficiente, e esses criminosos vão ser presos.


REPÓRTER: O senhor acha que tem algum envolvimento, alguma relação esses casos?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Todos os indícios, eu acho que tudo deve ser apurado, a investigação não deve excluir nada. Mas todos os indícios são de vandalismo e a polícia já está no encalço desses criminosos.


REPÓRTER: [ininteligível] alguma mudança [ininteligível].


REPÓRTER: [ininteligível] pesquisas de desenvolvimento e educação. Como resolve o problema da falta de professores na rede estadual? Temos escolas sem professores e não consegue contratar.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É. Nós contratamos 28 mil professores nesses um ano e meio. Fizemos concurso público, uma parte significativa está dando aula outros estão fazendo curso na escola de professores, e no início do ano letivo já vão estar também. Foram 28 mil professores. Estamos valorizando a carreira do magistério, anunciamos o reajuste de 45% para professores que está sendo dado ano a ano, então uma boa valorização da carreira do magistério e abertura de concurso público. Então esse é o trabalho que está sendo feito. O Ideb, no Brasil inteiro, houve uma queda no Ensino Médio, houve uma queda. E São Paulo passou para o segundo lugar no Brasil e teve um crescimento importante no Ideb no Ensino Médio, que é um grande desafio. E uma boa notícia. Vamos integrar o Ensino Médio com o Técnico. Nosso aluno vai poder sair com dois diplomas: o diploma do Ensino Médio e o diploma da Etec, o diploma do Ensino Técnico. Aliás, Piracicaba tem aqui todos os níveis. Tem o Via Rápida pra o emprego, que é aquele curso de um mês que a gente paga até para a pessoa poder estudar se ela tiver desempregada, ganha R$ 310,00. Tem a Etec, que é uma das melhores do Estado, tem a Fatec e tem a Universidade de São Paulo.


REPÓRTER: Quanto ao incentivo para a produção de cana de açúcar que houve uma queda [ininteligível] o que pode ser feito?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, o Governo do Estado do fez a questão mais importante, o ICMS da gasolina é 25% no Brasil inteiro e do álcool também, o etanol. O país inteiro, alguns até 26%, 27%, 28%. Eu reduzi para 12% o ICMS do álcool. Então o carro Flex Fuel, bicombustível, em muitos lugares o pessoal tá pondo gasolina. Em São Paulo não, todo mundo põe álcool, porque o álcool é mais barato. Ele é 12% o imposto e a gasolina é 25%, então nós fizemos a nossa parte. E o álcool é uma energia limpa, uma energia renovável, né? Você planta cana, você fixa carbono, importante sob o ponto de vista ambiental. O grande problema do álcool é o fato de que a Petrobras segurou o preço da gasolina, os custos aumentaram, os custos aumentaram, vai dificultando a questão do álcool. Então, por isso, tinha lá trás a Sid para fazer essa compensação. Então você tinha uma compensação, não precisa aumentar para o consumidor, mas você criava uma diferencial pra o álcool pra prestigiar uma energia limpa, renovável, que gera muito emprego. Mas acredito que vamos buscar aí uma boa solução. E por isso o projeto de gaseificação, porque ele através da biomassa da cana, ele vai poder produzir outros produtos além de açúcar e álcool. Então você faz a biomassa virar gás com o carbono, porque a cana tem carbono, e remonta as moléculas e vai fazer outros produtos de biocombustível ou de plástico. Então é um bom caminho, além de gerar mais energia.


REPÓRTER: O investimento é R$ 5 milhões do Governo do Estado.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O projeto total são R$ 80 milhões, R$ 80 milhões. R$ 5 milhões nós estamos passando para o IPT.


REPÓRTER: Qual seria pra a duplicação da 304 [ininteligível] as melhorias.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: É o seguinte, nós incluímos no... Posso te dar. Pega para mim a formação da Luís de Queirós. São três obras que tão sendo executadas: o Anel viário, a Rodovia do Açúcar e a Hermínio Petrin. E a Luís de Queirós nós incluímos no BIRD, Banco Mundial. Luís de Queirós: É BIRD, Banco Mundial. Ainda vai ser feito o projeto. Cadê o valor aqui? R$ 85,7 milhões. Tá bom?


REPÓRTER: Qual vai ser o prazo da construção?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: E eu estou vindo tanto a Piracicaba que estou pensando em alugar uma casa aqui. [ininteligível].


REPÓRTER: Sobre o prazo para construção aqui. O projeto começou há quatro anos e é inaugurado hoje. O considera o prazo muito alto para... Muito longo para [ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: A inauguração ela é comemorativa, mas na realidade já está funcionando. Quer dizer, a [ininteligível] ele já tem 1.000 colaboradores. A Fatec foi inaugurada faz dois anos.


REPÓRTER: A Fatec já tem turma formada.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Já tem até turma formada. Então o Parque Tecnológico é assim, ele é um processo. E vai crescer muito mais. Vai ter inauguração aqui o ano que vem, daqui dois anos, quatro anos, seis anos. Esse processo de gaseificação deve levar um ano e meio. Então é um processo, mas eu diria que antigamente, o que é que fazia uma cidade? Ela pegava um terreno bem localizado na beira de uma estrada e picotava. Ah, o Parque Industrial. Hoje não, hoje é Parque Tecnológico. Esse é o caminho para atrair investimento. Você une teoria e prática, você une institutos de pesquisa, universidades, laboratórios como o IPT, setor produtivo. Você trás as empresa para terem aqui os seus centros de pesquisa e desenvolvimento. E daqui saem os grandes projetos. Então é um polo que atrai, isso é fundamental para o Brasil, pra o Brasil, não é nem só para a cidade.


REPÓRTER: O laboratório de gaseificação do Estado, [ininteligível].


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: O Luciano [ininteligível]. É o primeiro. O Quadrelli já respondeu. Tá bom? Diz o Barjas que tem um café aí. Eu estou procurando.


ORADORA NÃO IDENTIFICADA: Tá bom, pessoal. Obrigada.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, e o laboratório grande lá da ponta, isso é parque tecnológico. Numa área, um quadradão, R$ 64 milhões de investimento nesse projeto. O parque tecnológico é isso, é muito valor agregado. Só naquele canto lá R$ 64 milhões atrai investimento.


REPÓRTER: Em um único laboratório?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Em um laboratório, o maior, o grande. Depois você tem cada célula ali desenvolve um projeto. E local de reunião, de palestra, debate, toda infraestrutura, toda acessibilidade, elevador, rampa. Está muito bem amparado.


REPÓRTER: Diferente dos outros parques que estão sendo construídos no estado, que existem?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Ah, esse aqui é modelo. E a força dele... Porque parque tecnológico é iniciativa privada. Você tem que ter o setor privado interessado, investindo, enfim, fazendo pesquisa. E o setor de bioenergia, ele é muito rico, porque você tem mil possibilidades a partir da cana de açúcar, do carbono. Você tem biorefinaria, biocombustível plástico, resina, aminoácido. Você tem uma infinidade... Gás, energia. Muita possibilidade.


REPÓRTER: Como é que está o andamento dos demais parques e como que vai se dar essa relação?


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Então, esse é um dos mais avançados. E claro que você tem parques mais antigos. Você tem São Carlos, que é antigo, você tem São José dos Campos. Mas eu diria que esse é o que está mais pujante.


REPÓRTER: Certo. Obrigada.