Coletiva - SP chega a 50 milhões de doses da vacina do Butantan entregues aos brasileiros 20211606

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - SP chega a 50 milhões de doses da vacina do Butantan entregues aos brasileiros 20211606

Local: Capital – Data: Junho 16/06/2021

Soundcloud

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Pessoal, mais uma vez, bom dia a todas e a todos, nesta fria manhã de quarta-feira. Nós estamos entregando mais 1 milhão de doses da vacina do Butantan, da Coronavac, a vacina do Brasil, para o Ministério da Saúde. Agora, são 50 milhões de doses da vacina do Brasil, entregues para a vacinação no braço dos brasileiros, a metade do compromisso estabelecido pelo Butantan, com o Ministério da Saúde, de 100 milhões de doses. Hoje, estamos entregando 50 milhões de doses, com 1 milhão de doses neste caminhão aqui atrás, cuja entrega será feita de imediato para o Ministério da Saúde. E vamos prosseguir, dentro dessas entregas. Na próxima sexta-feira temos uma nova entrega, igualmente aqui no Instituto Butantan pela manhã. E na semana que vem, a chegada de novos insumos, data, horário e aeroporto serão confirmados ainda esta semana. Ao meu lado, Dimas Covas, presidente do Instituto Butantan, Jean Gorinchteyn, secretário da Saúde, e Regiane de Paula, coordenadora do Programa Estadual de Imunização, e também gerenciadora do PNI, aqui em São Paulo. Nós vamos agora às perguntas. Pela ordem, temos a CNN, na sequência a Rádio Jovem Pan e a Folha de São Paulo. Começando com Renan Fiusa, da CNN. Renan, bom dia, obrigado por estar aqui conosco. Sua pergunta, por favor.

RENAN FIUSA, REPÓRTER DA CNN: Tudo bem, governador?

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Tudo bem.

RENAN FIUSA, REPÓRTER DA CNN: Ótimo dia para o senhor, ótimo dia para todo mundo. A minha dúvida é com relação às tratativas do anúncio que foi feito pelo senhor no último domingo, na coletiva de imprensa, com as prefeituras. O porquê dessa pergunta: A gente tem a prefeitura de São Paulo escalonando, anunciando ontem, por meio do Ricardo Nunes, prefeito de São Paulo, e secretário Edson Aparecido, a data da vacinação. Então, portanto, no seu anúncio, 50 anos já poderia, por exemplo, pessoas com 50 anos poderiam tomar a vacina hoje. Eu queria saber se esse anúncio do senhor foi, de fato, feito com uma conversa junto das prefeituras ou não. Porque a gente está percebendo muitas dúvidas e, acima de tudo, um fato que ficou pendente ontem, segundo o secretário municipal de Saúde, e também o prefeito, não tem doses suficientes, caso todo mundo, de fato, procurasse hoje uma unidade básica de saúde para se vacinar. Então, assim, estamos gerando muitas dúvidas para a população com relação a esse calendário. Ele disse que toda vez que formos mudar de faixa etária, também teremos o escalonamento. Então, isso não pode gerar muita confusão para a população? E além disso, deixarmos de vacinar também, criar uma bola de neve? Obrigado.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Renan, vou dividir a resposta com a Dra. Regiane de Paula, que é a coordenadora do PEI, Programa Estadual de Imunização, e também do PNI aqui em São Paulo. Vacina não vai faltar, em hipótese alguma. E o escalonamento foi um pedido do prefeito Ricardo Nunes, com o qual nós concordamos, e por quê? A capital de São Paulo tem o maior volume de pessoas nessa faixa etária e, consequentemente, o objetivo da prefeitura foi evitar formação de filas. Escalonando, melhora o conforto, a funcionalidade e a previsibilidade da população. E também não há e não vejo nenhuma razão para problemas em outras cidades que desejarem também escalonar a sua vacinação, dentro do critério onde a data que se inicia a vacinação naquela faixa etária é a mesma pra todos. Isto será seguido. Regiane pode completar a informação, Regiane.

REGIANE DE PAULA, COORDENADORA DO PROGRAMA ESTADUAL DE IMUNIZAÇÃO: Obrigada, governador. Bom dia a todos, Renan. Veja, o que o governador acabou de colocar é muito importante: A campanha, de fato, ela começa hoje, de 50 a 59 anos, e vai até o dia 22. O que acontece, governador? Nós temos alguns municípios, e eu vou citar 25 municípios, na região metropolitana de São Paulo, que estão vacinando fora dessa faixa etária e que iniciaram inclusive antes do dia de hoje. Eu tenho municípios vacinando com 40 anos. E nós não enviamos essa grade para esses municípios. A grade que foi enviada é uma grade de 50 a 59 anos. Então, nós solicitamos que os municípios mantenham aquilo que foi acordado com o Programa Estadual de Imunização.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Regiane. Renan, muito obrigado pela pergunta. Vamos agora com Beatriz Manfredini, Rádio Jovem Pan. Bom dia, prazer em te rever.

BEATRIZ MANFREDINI, REPÓRTER DA RÁDIO JOVEM PAN: Bom dia, governador, prazer em te rever também. Bom dia a todos. Minha pergunta é sobre o IFA. O senhor acabou de adiantar que semana que vem então chega mais um lote. A gente tinha a data anteriormente do dia 28/06. Queria saber se a gente já tem quantos litros, quantas doses chegam, e se já está autorizado a chegar aqui no Brasil, pode ser a pergunta também para o Dr. Dimas Covas. Obrigada.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Beatriz, vou passar a palavra, sim, ao Dimas Covas, mas apenas para esclarecer que, até sexta-feira dessa semana, portanto, na sexta-feira, quando nós estivermos aqui, nesse mesmo local, no Instituto Butantan, para a entrega de mais 2,2 milhões de doses da vacina da vida, da vacina do Butantan, da vacina de São Paulo para o Brasil, já poderemos anunciar a data precisa da chegada dos insumos, e também qual o aeroporto e qual o horário. Portanto, nesta sexta-feira, depois de amanhã, essa informação será ratificada. Dimas, se tiver alguma coisa a acrescentar.

DIMAS COVAS, PRESIDENTE DO INSTITUTO BUTANTAN: A data do dia 28 era a data limite, e o governador acho que respondeu que essa data se mantém, mas pode inclusive adiantar. Seis mil litros, seis mil litros.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Que corresponde a 10 milhões de doses da vacina, Beatriz. Bom, vamos agora à Ana Botallo, da Folha de São Paulo. Ana, prazer em reencontrar você, bom dia. Sua pergunta, por favor.

ANA BOTALLO, REPÓRTER DA FOLHA DE SÃO PAULO: Bom dia, governador, bom dia, Dr. Dimas, Dr. Jean, Dra. Regiane. No dia 30 de abril, o Butantan entregou à Anvisa os dados sobre imunogenicidade da Coronavac. Porém, esses dados não foram ainda divulgados ao público. Eu gostaria de perguntar ao Dr. Dimas quais foram os resultados desses estudos, porque é importante a gente saber como se comporta a resposta imune, principalmente na população mais idosa. E aproveitando, governador, eu gostaria de saber: Ontem, o presidente disse que vai um projeto de passaporte da vacina, que já foi aprovado no Senado e que está em tramitação na Câmara, se passar, ele vai vetar. Eu gostaria de saber, aqui no Estado de São Paulo a gente tem o maior aeroporto internacional, na cidade de Guarulhos, e caso esse veto do presidente realmente ocorra como que vai ser a postura aqui em São Paulo, se vai ser exigido algum documento de comprovação de vacina dos passageiros que chegam no aeroporto. Obrigada.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado. Ana, vamos começar então com o Dimas Covas.

DIMAS COVAS, PRESIDENTE DO INSTITUTO BUTANTAN: Essas informações de imunogenicidade, elas fazem parte do protocolo, tá certo? Não estava prevista a sua divulgação, e eles não diferem de tudo que já foi anunciado em relação ao perfil da vacina, quer dizer, os resultados são muito bons e confirmam o que a vacina já se demonstra na prática, já tem se demonstrado na prática, que é muito eficiente, uma vacina de elevado perfil e comparável a qualquer outra vacina.

JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Dimas. Ana, em relação à sua segunda pergunta, nós aqui no Estado de São Paulo defendemos a certificação de vacinação, ou seja, os estrangeiros que chegarem ao Brasil deverão apresentar a certificação de que estão efetivamente vacinados. Aliás, assim já acontece na Comunidade Econômica Europeia, assim já acontece na maioria dos países asiáticos, assim acontece nos Estados Unidos, no Canadá e em muitos países aqui da América Latina. Em relação ao passaporte, especificamente, nós vamos aguardar um pouco para ter mais informações a esse respeito, mas solicitar a apresentação da certificação de vacina antes mesmo do embarque do passageiro para o Brasil é uma medida sanitária, correta, justa e necessária, assim como já exigem dos brasileiros, que podem acessar ao exterior, também essa certificação de vacinação prévia, com as duas doses, no caso de vacinas de duas doses, ou de uma dose, nas vacinas onde se toma apenas uma dose.Bem, agradeço a presença de todos. Hoje, está uma manhãzinha fria, para vocês tomarem um café, e daqui a pouquinho estamos juntos, às 12h45, na coletiva no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo. Obrigado a todos, obrigado às jornalistas, aos jornalistas, aos cinegrafistas e fotógrafos. Um bom dia, até daqui a pouco. Obrigado, pessoal.