Coletiva - Visita técnica ao Casarão Major Novaes + Visita técnica às obras da nova unidade da FATEC 20141807

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva - Visita técnica ao Casarão Major Novaes + Visita técnica às obras da nova unidade da FATEC

Local: Cruzeiro - Data:Janeiro 18/07/2014

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Olha, duas conquistas importantes para Cruzeiro, para o vale histórico e para todo o estado de São Paulo. A primeira é a restauração completa do Museu do Solar Major Novaes. É um prédio de 1815 que retrata bem a época áurea do café, século XIX, foi o primeiro prédio tombado pelo Condephaat na história, 1815, um casarão estilo colonial e que com o tempo foi se deteriorando, e acabou ficando vários anos inclusive fechado e com risco para o conjunto arquitetônico. Então o governo do estado fez a restauração completa, foram 5,4 milhões de reais, restaurando, respeitando toda a sua originalidade, isso vai fortalecer a vocação turística aqui do vale histórico, né? Será, tenho cert eza, um grande centro ligado ao turismo. Era a sede da antiga fazenda Boa Vista na época do café. Então está pronto, a secretaria de estado da cultura e a prefeitura farão a inauguração, entra a parte da museologia, os mobiliários da época, exposições permanentes, exposições transitórias, tem um salão também sobre a história de Cruzeiro, então um ganho importante. A outra aqui é a Fatec, o prédio fica pronto agora em dezembro. Nós temos três cursos aqui em Cruzeiro, e não temos como expandir por que funciona no mesmo prédio da Etec. Vindo pra cá, aqui são 12 salas de aula, oito laboratórios, auditório, área administrativa, um prédio muito grande. Então vamos poder ter cinco faculdades gratuit as, públicas de qualidade, e curso a noite, que infelizmente hoje nós não temos por que a Etec usa o prédio à noite, então nós vamos poder ter mais cursos a noite, que é o mais necessário. Às vezes as pessoas trabalham e precisam ou querem estudar a noite. Daqui nós estamos indo pra Bananal, nós lá em Bananal nós estamos fazendo a estrada que vai para o sertão da Bocaina, também importantíssima do ponto de vista turístico, depois vamos começar agora também a rodovia dos tropeiros, refazê-la integralmente. Depois em São José do Barreiro nós também estamos fazendo a ligação de São José do Barreiro com o Parque Nacional da Bocaina, também extremamente importante para o turismo, dando um acesso… Aliás, já aumentou muito a visitação ao Parque da Bocaina em Areias, onde Monteiro Lobato escreveu Cidades Mortas retratando a decadência do café no começo do século XX, no meio do século XX, e depois vamos ainda... Areias nós vamos também restaurar o antigo prédio de câmara e cadeia, e em Silveiras a nossa Santa Casa de Misericórdia que tem também investimento importante do estado. E aqui também nós incluímos a Santa Casa como hospital estratégico, então ela vai receber 40% a mais do que ela atender para o SUS.

REPÓRTER: Governador queria que o senhor comentasse a pesquisa Datafolha divulgada ontem que o senhor aparece na liderança das intenções de voto no governo do estado.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Olha, é uma vinda aqui de trabalho, né, de governo. Mas eu só quero dizer que o nosso compromisso é trabalhar, né, acho que acordar cedo, suar a camisa, fazer o máximo em beneficio da população de São Paulo.

REPÓRTER: Quanto nacional muito se falou da questão de se relacionar um pouco a Copa com a corrida presidencial, o senhor acha que houve algum impacto nessa questão agora com o segundo turno apontando empate técnico entre Dilma e Aécio.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Olha, sempre que a gente misturar futebol com eleição se comete um erro, a população é muito sábia, separa muito bem questão futebolística de questões de natureza de administração pública. Então eu não sou daqueles que relacionam, né, essas questões. Mas enfim, acho que a população quer é trabalho, resultado, é melhorar a qualidade de vida da nossa população.

REPÓRTER: Queria também falar um pouco da questão da água, que o estudo do ANA... tem a previsão de ser encerrado acho que em setembro, né, pra estudar um pouco mais essa questão dos baixos níveis dos reservatórios. Queria que o senhor comentasse um pouco essa questão.

GERALDO ALCKMIN, GOVERNADOR: Olha, nós estamos estudando uma interligação entre dois reservatórios. Existe o reservatório da bacia do Paraíba no município de Igaratá, que é o reservatório de Jaguari. Existe o reservatório do lado, há 14 15 quilômetros em Nazaré Paulista, que é da bacia do Cantareira, que é o reservatório Atibainha. Então, o que se pretende é interligar os dois. Então você dobra a capacidade de reservação. Ninguém vai tirar um litro de água do Rio Paraíba, zero, zero, zero. N& atilde;o tem nenhuma captação, não tem nenhuma transposição, não tem nada. O que nós pretendemos é ter os dois reservatórios interligados. Então você passa de 1 bilhão para 2 bilhões de metros cúbicos de água de reservação. Porque o que a gente observa? Quando chove, chove demais, então precisa guardar água, e evitar enchente. Quando faz seca, faz seca demais. E aí falta água. Então é preciso ter maior reservação. Você fazer um reservatório novo, hoje não é fácil, questão ambiental, desapropriações, tirar famílias, custo. Então, o que o mundo inteiro faz hoje? Interliga reservatórios. Choveu demais num, você guarda no outro, e vice versa. Então v ocê sempre está com uma reservação mais alta. O que nós estamos fazendo nesse momento? Nós estamos terminando o projeto executivo e o licenciamento ambiental. E aí, tudo isso vai ser discutido pela ANA. Região de São José dos Campos