Coletiva RGarcia - SP ultrapassa 55 milhões de doses da vacina do Butantan entregues ao Brasil 20211607

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Coletiva RGarcia - SP ultrapassa 55 milhões de doses da vacina do Butantan entregues ao Brasil 20211607

Local: Capital – Data: Julho 16/07/2021

Soundcloud

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: ... todos, é com muita satisfação que eu estou aqui representando o governador João Doria, ao lado do nosso secretário Jean Gorinchteyn, ao lado do nosso presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, pra fazer a entrega de mais 1 milhão de doses da nossa Coronavac. Esse 1 milhão de doses completa mais de 55.140.000 doses de vacina da Coronavac já entregues ao Ministério da Saúde, ajudando, portanto, no combate à pandemia. E a grande notícia já dada pelo governo de São Paulo é a antecipação em mais de 30 dias da entrega completa das compras do Ministério da Saúde. O Instituto Butantan assumiu compromisso de, até o dia 31 de agosto, portanto, 30 dias antes do prazo final, nós entregaremos as 100 milhões de doses contratadas pelo PNI, reforçando o compromisso do Butantan e do governo de São Paulo com a saúde, com a imunização dos brasileiros. Pra mim, é uma honra muito grande estar aqui representando o governo de São Paulo. Eu tomei a primeira dose da Coronavac há 15 dias atrás, devo tomar a segunda dose nas próximas duas semanas. Como tive contato com o governador João Doria, fiz o meu teste de Covid, teste saiu negativo. E também aproveitar pra dizer que o governador João Doria já falou comigo por essa manhã, está bem, com sintomas leves e trabalhando virtualmente. Então, mais 1 milhão de doses da Coronavac entregues ao PNI na manhã de sexta-feira. Quero aqui já passar para as perguntas, convidando aqui a Adriana Cimino, da TV Cultura, para a sua pergunta.

ADRIANA CIMINO, REPÓRTER: Oi, bom dia a todos. Eu gostaria de saber se, depois do anúncio da antecipação da vacinação lá no Rio de Janeiro, para o dia 18 de agosto, se o estado de São Paulo pretende anunciar alguma nova antecipação para o calendário daqui.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Eu vou pedir para o professor Jean responder, mas quero registrar, Adriana, essa saudável competição, né? Uma competição pela vida, uma competição que só mostra a importância da vacina para a imunização dos brasileiros, e pra gente vencer a pandemia.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO ESTADUAL DE SAÚDE: Quanto antes pudermos vacinar, antes o faremos. Quanto os estados, em termos de disputa da famosa corrida da vacina, isso é algo extremamente saudável, que protege a população, que protege a vida e que protege a economia. Assim sendo, se tivermos a possibilidade de fazê-lo, assim ocorrerá. Mas a garantia, a certeza que, no dia 20 de agosto, o dia da esperança, todos os brasileiros de São Paulo, adultos acima de 18 anos, estarão vacinados, pelo menos com a primeira dose. E a partir do dia 23, vacinaremos os adolescentes de 12 a 17 anos, dando prioridade para as adolescentes grávidas, aquelas portadoras de doenças crônicas, no pulmão, coração, diabetes, autismo, Down, todas aquelas que merecem uma atenção especial do governo de São Paulo.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Jean, obrigado, Adriana. Vamos aqui à segunda pergunta, que é a do Guilherme Balza, da TV Globo, GloboNews.

GUILHERME BALZA, REPÓRTER: Bom dia a todos. Primeira pergunta sobre o governador. O senhor falou que ele está com sintomas leves, dá pra destrinchar um pouco mais? O que ele está sentindo e quais são esses sintomas? Queria saber se também o Dr. Dimas e o Dr. Jean fizeram o teste. E sobre o estudo que foi divulgado por pesquisadores chilenos, recomendando uma terceira dose da Coronavac por lá. O Chile é um país que está com a vacinação bastante avançada, praticamente só usou Coronavac, que é um laboratório bastante importante, e eles fizeram esse estudo com essa conclusão. E aqui em Serrana também, alguns meses depois da conclusão do estudo, houve três mortes de pessoas que tomaram a vacina. O que vocês estão pensando? A gente sabe que o Butantan tem um estudo em andamento. Qual é a previsão de conclusão desse estudo e como vocês recebem esse estudo do Chile? É isso.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Guilherme. Bom, o governador ontem concluiu quase 22h as reuniões virtuais no Palácio, né? Participando da reunião do programa estadual de imunização, do Instituto Butantan, enfim, seguindo a sua agenda virtualmente. Hoje, já logo pela manhã, nós nos falamos. Eu diria que, se a gente tem uma equivalência do que ele está sentindo é um resfriado leve, mostrando a eficácia da vacina Coronavac contra casos mais graves. Então, o governador tem um sintoma bastante leve e segue em casa, isolado, enfim, com o distanciamento social devido para não colocar em risco outras pessoas. Vou pedir ao professor Dimas para fazer o detalhamento aí do estudo do Chile, e também da segunda pergunta do Guilherme.

DIMAS COVAS, PRESIDENTE DO INSTITUTO BUTANTAN: Guilherme, na realidade, a realidade do Chile é completamente diferente da realidade do Brasil. O Chile já tem mais de 80% da população com duas doses, e na realidade não foi uma recomendação de uma terceira dose, foi de reiniciar o processo vacinal, tendo em vista a possibilidade da variante delta. Quer dizer, não foi feito nenhum estudo populacional, são estudos de laboratório que mostram que essa vacina, como as outras vacinas disponíveis, tem uma resposta neutralizante menor em relação à variante delta. A variante delta não circula no Chile e não circula no Brasil. Eles estão adotando, da mesma forma que o Reino Unido, já a previsão do segundo ciclo vacinal, quer dizer, a vacinação para o Covid deve ser anual e, como esses países adiantaram muito no primeiro ciclo, eles já estão prevendo o segundo ciclo, o mesmo que deve acontecer aqui no Brasil a partir do ano que vem. Isso para todas as vacinas, inclusive já tem vacinas aqui no Brasil sendo testadas exatamente pra isso. Então, existe a vacina da Pfizer, a da AstraZeneca, que têm estudos em andamento aqui no Brasil e no mundo, já prevendo esse novo ciclo de vacinação. O Butantan vai fazer isso também, está planejando um estudo que é continuação do Projeto S, lá em Serrana, exatamente para estudar qual é o efeito da vacinação anual, ou seja, uma vacinação adicional, exatamente com as variantes de interesse. No nosso caso aqui, não é a delta, no nosso caso aqui é a variante gama. Então, nós temos uma vacina já em desenvolvimento, já pronta para ser usada, que inclui essa variante gama, que é a variante P1. Então, são coisas um pouco diferentes. Quer dizer, o Chile não está recomendando uma terceira dose, ele está planejando já a revacinação da sua população, principalmente começando pelos grupos idosos e profissionais de saúde. Eu fiz o teste ontem, teste de antígeno, eu estava um pouco sintomático, mas não tenho Covid.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Jean, para responder também sobre o seu teste.

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO ESTADUAL DE SAÚDE: Todas as pessoas que tiveram contato com o governador João Doria foram testadas, sejam assessores, sejam serviçais do Palácio ou da residência, bem como todo o secretariado que esteve em contato nos últimos cinco dias. Todas as pessoas que tiveram sintomas foram acompanhadas de uma forma ainda mais minuciosa, e portanto só retoma se os testes vierem negativos. Eu fiz o teste, fiz o teste pelo Butantan, estou totalmente assintomático e o meu teste veio negativo. Hoje, a Dra. Regiane de Paula, aguardando ainda seu resultado do teste, a despeito de estar totalmente sem sintomas, de forma absolutamente responsável e prudente, não veio para a coletiva e aguarda, portanto, o resultado da sua testagem.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Dr. Jean. Vamos aqui à Beatriz, da Jovem Pan.

BEATRIZ, REPÓRTER: Bom dia, bom dia a todos. Complementando a primeira pergunta do colega, sei que a variante gama é a mais preocupante aqui pra gente, mas, Dr. Dimas, a gente aqui, a prefeitura de São Paulo confirmou recentemente que a variante delta já tem transmissão comunitária. Então, já estamos pensando em algo sobre isso? Já começamos algum estudo sobre isso? E sobre os testes da Butanvac, também para o Dr. Dimas, a gente vai começar a aplicar quando? Porque na semana passada foi aquela triagem, né? Queria saber a aplicação mesmo, qual é o dia exato. Obrigada.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Vamos lá, Dimas.

DIMAS COVAS, PRESIDENTE DO INSTITUTO BUTANTAN: Bem, não há dúvida, a variante delta está presente, mas ainda ela não é representativa, do ponto de vista populacional. Quer dizer, o estado de São Paulo está fazendo um monitoramento de todas as variantes, faz isso semanalmente, num percentual que seja epidemiologicamente significativo, e ela não aparece. Quer dizer, apareceram em três casos até esse momento. Obviamente que são casos de transmissão comunitária, por isso que nós precisamos ficar alertas, mas o estado de São Paulo controla isso, é o único estado do Brasil que faz isso de forma sistemática. Ele testa, nesse momento, mais ou menos 6% dos casos positivos, os casos que são PCR positivos, que vêm aqui para o Butantan, nós testamos pela genotipagem 6%. Então, nós estamos monitorando isso muito de perto, para que não sejamos pegos aí de surpresa. Com relação à Butanvac, sim, a Butanvac já iniciou seus estudos clínicos, nesse momento é uma fase inicial, que ainda é um pequeno número de voluntários, que precisam ser triados, porque não podem ter tido nenhum tipo de exposição. Isso foi feito durante essa semana, nós já temos os voluntários escolhidos para receber a vacina e eles receberão já... Aí são dois voluntários num primeiro momento, mais dois, mais dois, até atingir um número mínimo aí para dar a segurança para prosseguir. Isso acontece na semana que vem.

REPÓRTER: [pronunciamento fora do microfone]

DIMAS COVAS, PRESIDENTE DO INSTITUTO BUTANTAN: Aí é o centro que está responsável pelo estudo, que está determinando qual é o melhor momento, porque tem que fazer o acompanhamento, as pessoas têm que todo dia entrar em contato. Então é a lógica agora lá do centro de Ribeirão Preto.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Obrigado, Beatriz. Acabamos de saber do resultado da Dra. Regiane, ela é negativo, então a coordenadora estadual do PEI também fez o seu exame de Covid e saiu negativo. Vamos à última pergunta aqui, da Isabela Palhares, da Folha de São Paulo.

ISABELA PALHARES, REPÓRTER: Bom dia. Secretário, o senhor nessa semana falou, durante a coletiva na quarta-feira, que não estava faltando vacina para a cidade de São Paulo, que o que podia estar acontecendo é um problema logístico. A gente continua com um descompasso entre o calendário do estado e o calendário da prefeitura. Pelo menos uma semana aí de atraso. Ainda é um problema logístico ou a quantidade de doses que está sendo enviada para o município está sendo insuficiente para acompanhar o ritmo previsto pelo governo estadual?

JEAN GORINCHTEYN, SECRETÁRIO ESTADUAL DE SAÚDE: Todo o processo de vacinação, todo o desenho de distribuição das doses da vacina, para os 645 municípios, eles são feitos de forma muito individualizada, para que nós não tenhamos nenhum descompasso ou risco de descontinuidade no processo de vacinação. O governo do estado de São Paulo, sob a liderança do governador João Doria, o vice-governador Rodrigo Garcia, tem a responsabilidade de entender que vacinar é um gesto de esperança para nós termos a vida garantida. E é por isso que nós fazemos essa análise muito criteriosa. Nós não temos falta de vacinas, nós vivenciamos falta de vacinas há pelo menos seis semanas, sete semanas, quando toda aquela normativa, toda aquela discussão ligada a questões políticas, frente a insumos, foi comprometida. Aí sim, nós tivemos, tanto para a vacina do Butantan como para a vacina da Fiocruz, dificuldade de produção de doses. Isso não vem acontecendo. Ao mesmo tempo, o próprio Governo Federal vem mandando doses de vacinas, através do Programa Nacional de Imunização. Só para se ter uma ideia, a estimativa deste mês de julho, pelo PNI, é a distribuição de 41 milhões de doses de vacinas, da Pfizer, da Astra, e 10 milhões de doses são as vacinas do Butantan. Então, a gente sempre pede para que todos os municípios sigam as grades, as faixas etárias daquilo que está sendo distribuído, para que nós não tenhamos nenhum descompasso na administração das doses, para que não impacte esse sentimento, levando à frustração, de uma campanha tão bonita e tão importante.

RODRIGO GARCIA, VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO: Bom, pessoal, muito obrigado aí pela presença de todos. Até a próxima semana, com mais entrega de doses da Coronavac.