Combate às enchentes

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar
Atualizado em: 21 de fevereiro de 2018

Combate às enchentes: desde a década de 60, o DAEE vem atuando na área de combate a enchentes na Região Metropolitana de São Paulo, tendo realizado estudos, projetos e diversas obras como desassoreamento dos Rios Tietê e Pinheiros, construções dos piscinões e construção de pôlderes.

Desassoreamento: é ação ou efeito de desassorear, ou seja, dragagem ou limpeza realizada no fundo dos rios, lagoas: desassoreamento de regiões afetadas pela chuva. Os piscinões cumprem papel das várzeas que foram ocupadas desordenadamente.

Piscinões: a função de um “piscinão” (reservatório de detenção) é retirar, por algum tempo, certa quantidade de água do sistema de drenagem (galerias, canais, rios, etc…), justamente quando esse sistema está mais cheio, durante uma chuva intensa.

Polderes: polderes são estruturas hidráulicas artificiais, uma das mais clássicas técnicas de drenagem para controle de enchentes em locais de baixa altitude próximas a rios, áreas ribeirinhas em geral, e o mar. O sistema é composto por diques (muros), reservatórios, dutos e bombas. Quando ocorrem chuvas de grande intensidade, especialmente no verão, os diques fazem o trabalho de isolamento das águas: o volume intenso de águas pluviais é coletado na vizinhança da estrutura, armazenado, e então lançado de volta ao rio após o período de pico de vazão.

Pôlderes na Marginal Tietê: a construção do sistema de pôlderes na Marginal Tietê se faz necessária devido à altitude variável da região que compreende o rio. Essa característica foi agravada pelo rebaixamento realizado na via ao longo das últimas décadas, com o objetivo de possibilitar a passagem de veículos altos por baixo das pontes existentes, vulnerabilizando o tráfego e a toda a população circunvizinha quando ocorrem grandes precipitações.

Desassoreamentos

Desassoreamento dos Rios Tietê e Pinheiros

Volumes retirados em M³

Atualizado em: 03 de setembro de 2013

O Governo do Estado já retirou 9 milhões de m³ de sedimentos dos rios Tietê, Pinheiros e seus afluentes (janeiro/2011-setembro/2013). Este volume é equivalente a capacidade dos 28 piscinões construídos pelo DAEE entre 1995 e 2011 (5,2 milhões de m³); é também volume equivalente a quase 3 mil piscinas olímpicas lotadas de sedimentos.

Serviço de desassoreamento em M³
2011 2012 2013 total
Rio Pinheiros
400.000
1.298.998
228.893
1.927.891
Rio Tietê
2.445.067
2.239.992
1.663.785
7.157.545
Total
2.845.067
3.538.990
1.892.678
9.085.436

Fonte: AI Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) e AI Empresa Metropolitana de Águas e Energia (EMAE)

Desassoreamento do Rio Tietê

Atualizado em: 06 de março de 2014

Desassoreamento do Rio Tietê e seus afluentes.

Desde o início de 2011, já foram retirados 7,6 milhões de m³ de sedimentos do Rio Tietê e dos córregos e rios afluentes que deságuam no rio (Córrego Juqueri, Córrego Carapicuíba, Rio Cotia, Rio Cabuçu de cima, Rio Baquirivu – Guaçu, Córrego Três Pontes e Canal de Circunvalação na Margem Esquerda do Rio Tietê). Investimento total de R$ 319 milhões.


Desassoreamento do Rio Tietê e afluentes de 2007 até janeiro de 2014
Fonte:DAEE


Serviço de desassoreamento Rio Tietê
Trecho do Rio 2011 2012 2013 Jan/2014 Total
Barragem Edgard de Souza a Barragem móvel (Lote 1) 426.987 728.013 192.459 6.514 1.353.973
Barragem móvel a Barragem da Penha(Lote 2) 369.916 894.091 213.986 36.184 1.514.177
Barragem da Penha - Foz do Córrego Três Pontes(Lote 3) 737.186 503.873 541.423 11.081 1.842.806
Totais 1.534.089 2.125.977 947.868 53.779 4.710.956


Lotes

  • Lote 1: Barragem de Edgard Souza a Barragem Móvel no Complexo Cebolão (16,5 km) – iniciado em maio de 2011. Previsão de remoção de 1.840.915 m³ de sedimentos.
  • Lote 2: Barragem Móvel no Cebolão a Barragem da Penha - início da Rodovia Ayrton Senna da Silva (24,5 km) – iniciado em maio de 2011. Previsão de remoção de 1.939.766 m³.
  • Lote 3: Barragem da Penha até foz do córrego Três Pontes - Divisa São Paulo/Itaquaquecetuba (25 km) – iniciado em outubro de 2010. Previsão de remoção de 1.824.158 m³ sedimentos.
  • Lote 4: O trecho vai do Córrego Três Pontes, no limite de São Paulo com Itaquaquecetuba, e vai até Mogi das Cruzes. 49 km de extensão, passando por cinco municípios da RMSP (Região Metropolitana de São Paulo): Guarulhos (na margem direita do rio), Itaquaquecetuba, Poá, Suzano e Mogi das Cruzes. Investimentos no valor de R$ 46 milhões e previsão de remoção de 446 mil m3 de material assoreado.

Investimentos totais em 2011, 2012 até 2013

  • Lote 1 – R$ 62,7 milhões (até 12/2014).
  • Lote 2 – R$ 121,8 milhões (até 12/2014).
  • Lote 3 – R$ 174,4milhões (até 10/2014).
  • Tietê Total – R$ 358,9 milhões (valor contratado).

Demais cursos d´água: com investimento de R$ 203,4 milhões.

  • 31/05/2017 - Alckmin inicia trecho de desassoreamento do Rio Tietê e entrega ciclovia e via parque

O governador Geraldo Alckmin acompanhou nesta quarta-feira, 31, o início das obras de desassoreamento do rio Tietê, entre o córrego Três Pontes, na divisa de São Paulo com Itaquaquecetuba, e a Barragem da Penha. Com este novo trecho, o DAEE está realizando obras em 120 quilômetros do rio Tietê.

“Essa é a hora de evitar enchentes, aproveitar a seca, limpar e dragar o rio, avançar as obras e nos prepararmos para o período do próximo verão”, afirmou Alckmin.

O trabalho é realizado pelo DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) e beneficia diretamente os municípios de São Paulo e Guarulhos. O investimento do Governo do Estado nas obras de desassoreamento de mais 25 quilômetros do rio Tietê é de R$ 39,6 milhões.

A estimativa é remover um total de 500 mil m³ de sedimentos (areia, argila e materiais não inertes) e lixo depositados no fundo do canal. A expectativa é concluir o trecho em 10 meses.

120 quilômetros

Com este novo trecho, o DAEE está realizando intervenção em 120 quilômetros do rio Tietê, reduzindo o risco de inundações em 10 municípios, de Mogi das Cruzes a Santana de Parnaíba. As máquinas estão removendo um total de 1,4 milhão m³ de sedimentos, representando um investimento de R$ 139,7 milhões.

– 5 quilômetros do rio Paraitinga (a partir da foz com o rio Tietê), no município de Biritiba Mirim e 5 quilômetros do rio Tietê (a montante do canal de adução da Sabesp para o reservatório do Biritiba);

– 44,2 quilômetros – do córrego Ipiranga, em Mogi das Cruzes ao córrego Três Pontes, na divisa de São Paulo com Itaquaquecetuba, englobando os municípios de Mogi das Cruzes, Suzano, Poá e Itaquaquecetuba;

– 24,5 quilômetros – da Barragem da Penha ao Cebolão, no município de São Paulo;

– 16,5 quilômetros – do Cebolão à Barragem Edgard de Souza, englobando os municípios de Osasco, Carapicuíba, Barueri e Santana de Parnaíba;

Ciclovia e Via Parque

Na ocasião, o governador Geraldo Alckmin entregou mais um trecho de 8 quilômetros de Via Parque e 14 quilômetros de ciclovia do Parque Várzeas do Tietê, em Guarulhos. O conjunto permite melhor acesso aos núcleos e áreas de lazer do Parque Várzeas do Tietê e do Parque Ecológico do Tietê, além de estímulo ao uso da bicicleta.

“Entregamos mais 14 quilômetros de ciclovia às margens do Rio Tietê, aqui em Guarulhos, oito quilômetros de Via Parque e 64 mil mudas de árvores nativas plantadas no Parque Várzeas do Tietê. Com o prefeito (Gustavo Henric Costa) Guti, de Guarulhos, nós fomos vistoriar o piscinão, um dos grandes piscinões de São Paulo. Temos as obras de circunvalação, que evitam enchentes e protegem os bairros, além do início da dragagem do Rio Tietê, entre a Barragem da Penha até o córrego Três Pontes, na divisa de Itaquaquecetuba com São Paulo”, afirmou.

As pistas começam no final da rua Vitória Calegari, próximo à barragem da Penha, e se estendem sempre paralelas à rodovia Ayrton Senna, no sentido de quem chega à Capital. Na altura do km 13,5 da Ayrton Senna, as pistas cruzam a rodovia por baixo e entram pelo Jardim Metropolitano. A Via Parque termina na altura do posto de apoio da Ecopistas, empresa concessionária da rodovia; e a ciclovia se estende por mais 6 quilômetros, até as proximidades da avenida Recife.

Este é o segundo trecho de Via Parque e Ciclovia do Parque Várzeas do Tietê, que já conta com 15 quilômetros de Via Parque e Ciclovia, no lado de São Paulo, do núcleo Engenheiro Goulart, do Parque Ecológico do Tietê até o Parque da Vila Jacuí.

O Jardim Metropolitano foi concebido pelo arquiteto Ruy Ohtake e implantado na área do Parque Ecológico do Tietê e do Parque Várzeas do Tietê ao longo da rodovia Ayrton Senna com o objetivo final de auxiliar na recuperação e preservação da várzea natural do rio Tietê.

Parque Várzeas do Tietê

O projeto Parque Várzeas do Tietê tem o objetivo de preservar as várzeas do rio no trecho entre o Parque Ecológico do Tietê – núcleo Engenheiro Goulart, no bairro da Penha, e a divisa de São Paulo com Itaquaquecetuba, por meio da implantação de núcleos de esportes, lazer e cultura.

Além do núcleo Engenheiro Goulart, o Parque Várzeas do Tietê conta com:

– Parque da Vila Jacuí;

– Núcleo Itaim Biacica (em obras);

– Núcleos Jardim Helena e Any Jaci, em projeto.

Todos contam com campos de futebol; quadras poliesportivas; quiosques com churrasqueiras, mesa, bancos e pia de alvenaria; pistas para caminhada e corrida; núcleos para educação ambiental; bibliotecas; estacionamentos e outros equipamentos de esportes e lazer.

Além da implantação de novos núcleos, o DAEE está investindo também na recomposição de 40 hectares de matas ciliares ao longo de 15 quilômetros do rio Tietê em Guarulhos, no trecho entre a Barragem da Penha e a avenida Nitroquímica. O trabalho inclui o plantio e manutenção de mais de 66 mil mudas de 115 espécies de árvores e arbustos nativas ao longo da Via Parque e Ciclovia Guarulhos.

Canal de Circunvalação do Parque Ecológico

Durante o evento, o governador Geraldo Alckmin realizou uma vistoria técnica às obras de construção do Piscinão do Canal de Circunvalação do Parque Ecológico do Tietê (CC-01). Localizado entre a foz do Ribeirão dos Cubas e o Córrego dos Japoneses, ocupará uma área de 165 mil m² e terá capacidade para acumular 415 mil m³ de águas das chuvas.

O Governo do Estado está investindo R$ 67,4 milhões na construção do piscinão CC-01 e na canalização de 3,96 km do Canal de Circunvalação do Parque Ecológico do Tietê, localizado na margem direita do rio, no trecho entre a Barragem da Penha e o Ribeirão dos Cubas, em Guarulhos. As obras são executadas pelo DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica).

As obras incluem a canalização de 500m dos córregos Itapegica, Querumano, dos Cavalos, dos Cubas e dos Japoneses, além da instalação de três conjuntos de comportas ao longo do canal de circunvalação, com término previsto para início de 2018.

Os canais de circunvalação do Parque Ecológico do Tietê são canais escavados ao longo das divisas do núcleo Engenheiro Goulart – na zona leste – e têm a função de interceptar os córregos e galerias de águas pluviais, evitando que as águas contaminadas cheguem às lagoas de preservação do Parque. O volume de água captado pelo canal é descartado no rio Tietê abaixo da Barragem da Penha.

Desassoreamento do Rio Pinheiros

Atualizado em: 03 de outubro de 2013

Entre janeiro de 2011 e setembro de 2013, foram removidos mais de 1,9 milhões m³ de sedimentos do rio Pinheiros.

Desassoreamento do Rio Pinheiros
Serviço de desassoreamento em m³ 2011 2012 2013 Total
Rio Pinheiros
400.000
1.298.998
228.893
1.927.891

Fonte: Assessoria de Imprensa do DAEE

Piscinões construídos

Atualizado em: 27 de novembro de 2012

Dos 53 piscinões existentes na Região Metropolitana de São Paulo, o DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) construiu 28, além de um que está em obra (Olaria, com capacidade para 80,3 mil m³). No total os 29 piscinões têm a capacidade de armazenamento de 5,2 milhões de m³. Investimento de R$ 288,6 milhões.

Baciasribeirao.jpg
Piscinão Município Localização(curso d'água) Localização(Endereço) Investimento Capacidade Entregue em
1
Rochdalle
Osasco
Córrego Baronesa
Avenida Presidente Médici, s/n°
2,4 milhões
25 mil m³
1/4/2007
2
Bonança
Osasco
Córrego Bonança
Av. Juscelino Kubitschek de Oliveira, nº625
6,1 milhões
62 mil m³
1/4/2007
3
Anhanguera
São Paulo
Ribeirão Vermelho
Estrada Turística do Jaraguá,

nº 218, 250 m a montante do km 15,5

da Via Anhanguera
17 milhões
160 mil m³
12/2009
TOTAL
25,5 milhões
247 mil m³


Baciasalto.jpg
Piscinão Município Localização(curso d'água) Localização(Endereço) Investimento Capacidade Entregue em
4
Canarinhos
S.Bernardo do Campo
Córrego Saracantan
Rua dos Vianas, 2560 - Baeta Neves
7,1 milhões
95 mil m³
1/3/1999
5
Paço Municipal
Mauá
Córrego Taboão
Bairro Vila Noemia,

junto ao Paço Municipal de Mauá,

s/n°
3,9 milhões
136 mil m³
1/6/1999
6
Vila Rosa
S.Bernardo do Campo
Ribeirão dos Couros
Av. Humberto de

Alencar Castelo Branco, n° 1050 -

Vila Rosa
7,9 milhões
113,5 mil m³
1/7/1999
7
Piraporinha / Casa Grande
Diadema
Ribeirão dos Couros
Avenida Casa Grande, 2054 - Bairro Piraporinha
6,6 milhões
85 mil m³
1/7/1999
8
Bombeiros
S. Bernardo do Campo
Córrego da Avenida Rotary
Praça dos Bombeiros, s/n° - Jd. Atlantico
5,6 milhões
34 mil m³
1/7/1999
9
Fac. Medicina
Santo André
Ribeirão dos Meninos
Rua Grã Bretanha, s/n° - Príncipe de Gales
7,5 milhões
120 mil m³
1/7/1999
10
Ecovias Imigrantes
Diadema
Ribeirão Capela
Av. Fábio E.

Ramos Esquivel, s/n° - na área do Trevo do KM 16 da Rodovia

dos Imigrantes - Jardim Canhema
7,5 milhões
120 mil m³
12/2001
11
Chrysler
S.Bernardo do Campo
Córrego Chrysler
Avenida Doutor José Fornari, s/n ° - Bairro Ferrazópolis
5,6 milhões
190 mil m³
12/2001
12
Corumbé
Mauá
Córrego Corumbé
Avenida Presidente

Castelo Branco, s/n° -

Jardim Zaira
7,7 milhões
105 mil m³
1/6/2002
13
Petrobras
Mauá
Rio Tamaduateí
Avenida Alberto

S. Sampaio, s/n° -

Bairro Capuava
21,6 milhões
800 mil m³
1/7/2002
14
Mercedes Diadema
Diadema
Ribeirão dos Couros
Avenida Fagundes de Oliveira s/n° - Jardim Piraporinha
5,3 milhões
140 mil m³
1/3/2003
15
Volks Demarchi
S.Bernardo do Campo
Ribeirão dos Meninos
Av. Maria Servidei Demarchi s/n° - Bairro Demarchi
8,7 milhões
170 mil m³
1/4/2003
16
Sônia Maria
Mauá
Córrego Oratório
Rua Oscarito s/n° - Jardim Sônia Maria
7,1 milhões
120 mil m³
1/8/2004
17
Mercedes Paulicéia
S.Bernardo do Campo
Ribeirão dos Couros
R. Giacomo Gobato,

s/n°, km.16 da Via Anchieta -

Vila Paulicéia
17,1 milhões
380 mil m³
1/2/2005
18
São Caetano
S.Caetano do Sul
Ribeirão dos Meninos
Av. Almirante Delamare, s/n°
8,6 milhões
235 mil m³
12/2004
19
Ford Taboão
S.Bernardo do Campo
Ribeirão dos Couros
Avenida Taboão, n°555 - Rudge Ramos
17,5 milhões
340 mil m³
1/4/2007
20
Oratório
Santo André
Córrego do Oratório
Jardim Elba, no Bairro Sapopemba, s/n°
17,7 milhões
320 mil m³
1/4/2007
21
Ford Fábrica
S.Bernardo do Campo
Córrego Taboão
Pátio da Ford
7,2 milhões
82 mil m³
7/2010
22
Taboão
S.Bernardo do Campo
Córrego Taboão
Margem Esquerda do Córrego Taboão, entre Rua Birmania e Rua Polônia.
9,2 milhões
180 mil m³
1/9/2009
TOTAL
179,4 milhões
3.765 milhões m³


Baciaspira.jpg
Piscinão Município Localização(curso d'água) Localização(Endereço) Investimento Capacidade Entregue em
23
Nova República
Embú
Córrego Pirajuçara
Rua Sucuri, n°26 -

Jardim Nova República,

junto à Av. Rotary
6,9 milhões
110 mil m³
1/7/2000
24
Parque Pinheiros
Taboão da Serra
Córrego Joaquim Cachoeira
R. Carla Cristina Pelegrina de Souza,

n° 155 - próximo à Av. Kizaemon Takeuti -

Bairro Parque Pinheiros
5,2 milhões
117 mil m³
1/7/2000
25
Portuguesinha
Taboão da Serra
Córrego Poá
Rodovia Régis Bittencourt,

s/n°, km 273,5 -

Jardim Três Marias
7,0 milhões
120 mil m³
10/2003
26
CPTM/Maria Sampaio
São Paulo
Córrego Pirajuçara
R. Doutor Jorge Arida,

n° 171 - Jd. Maria Sampaio - próximo da Escola Municipal

Carlos Varella
8,1 milhões
120 mil m³
1/6/2004
27
Eliseu de Almeida
São Paulo/Tab.Serra
Córrego Pirajuçara
Final da Avenida

Francisco Morato,

n° 6.700 (lado direito)
11,7 milhões
113 mil m³
1/10/2004
28
Sharp
São Paulo
Córrego Pirajuçara
Estrada do Campo Limpo, n° 6197 - Campo Limpo
34,6 milhões
500 mil m³
01/2010
TOTAL
73,5 milhões
1.080 milhões m³

Fonte: Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE)

Piscinões em processo de construção

Construção dos Piscinões pelo DAEE

Atualizado em: 26 de julho de 2013

Estão em obras 4 novos piscinões: Olaria em São Paulo (entrega prevista até o final de novembro de 2013), dois no Canal de Circunvalação do Tietê, em Guarulhos e o Piscinão Guamiranga. Juntos, estes quatro reservatórios têm capacidade de 2,7 milhão de m³.

Outros quatro reservatórios estão em processo de licitação, todos em Franco da Rocha, com capacidade de 720 mil m². Os envelopes de habilitação foram abertos em abril/12, mas houve recurso da concorrência.

Outros 3 piscinões - Jaboticabal, Miranda D'Aviz e Pindorama - estão em planejamento, em parceria com o governo federal. O Estado já enviou a documentação necessária e aguarda a contrapartida da União. No total, os 11 piscinões têm capacidade de 3,6 milhões m³.

Novos piscinões programados 2012/2014 - Um acréscimo de 3,6 milhões de m³ de capacidade de contenção
Piscinão
Município
Capacidade
Estágio Atual
Investimento (R$ milhões)
1 Olaria São Paulo 80 mil m³ Em Obras - início jan/2010, execução 93,32%, previsão de entrega até o final de novembro de 2013.

Previsto para ser entregue em maio de 2012, o piscinão Olaria teve problemas de solo. A fragilidade do solo encontrada em “camadas inferiores”, ou seja, mais profundas, obrigaram o DAEE a adotar precauções extras de segurança para o trabalho não só dos operários, mas de toda a população do entorno e isso causou algum retardo. Entretanto, as obras seguem em ritmo bastante acelerado. Obs.: o piscinão será coberto e o projeto prevê a implantação de um grande jardim com parque, áreas de lazer e esportes e pavilhão para atividades culturais na cobertura.

R$ 35,6 milhões (GESP)
2 Jaboticabal São Paulo, São Caetano do Sul e São Bernardo do Campo 900 mil m³ Aguardando definição para continuidade ou não do empreendimento. Empreendimento inserido no Programa PAC 2 do Governo Federal, por intermédio do Ministério das Cidades. O agente financeiro que é a Caixa Econômica Federal está analisando os projetos de engenharia e o plano de trabalho.

Licitação que estava paralisada foi REVOGADA.

Elaboração de Edital para nova Licitação.

Termo de Compromisso CEF x Gov. Est. São Paulo No 0350.998-54 assinado em 31/10/2011.

Licenciamento Ambiental em andamento.

Tratativas com a PMSP, para ações de desapropriação de área particular.

O Governo Federal repassará valor de R$ 88,98 milhões, com contrapartida do Governo do Estado de São Paulo no valor de R$ 45 mil

Governo Estadual: 45 mil

3 Guamiranga São Paulo 850 mil m³

obras em andamento com 27,9% de execução

  • Prazo: 24 meses

R$ 113,4 milhões (GESP)
4 Miranda d’Aviz Mauá 100 mil m³ O agente financeiro que é a Caixa Econômica Federal está analisando os projetos de engenharia e o plano de trabalho. Licenciamento Ambiental em andamento. Tratativas com a Prefeitura de Mauá, para ações de desapropriação de área particular – existência de cerca de 30 habitações na área de implantação. Edital em elaboração. A desapropriação deverá ser feita por meio de DUP (Decreto de Utilidade Pública), com uma solução da CDHU. O Governo Federal repassará valor de R$ 20 milhões, com contrapartida do Governo do Estado de São Paulo no valor de R$ 4,6 milhões.Termo de Compromisso CEF x Gov. Est. São Paulo No 0351.001-25 assinado em 31/10/2011.
5 Pindorama São Bernardo do Campo 35 mil m³ O agente financeiro que é a Caixa Econômica Federal está analisando os projetos de engenharia e o plano de trabalho. Licenciamento Ambiental em andamento. Área de implantação de propriedade da Prefeitura de São Bernardo do Campo, que fez uma série de exigências, aumentando o custo da obra em R$ 30 milhões. Edital em elaboração, aguardando solução habitacional da CDHU. O Governo Federal repassará valor de R$ 10 milhões, com contrapartida do Governo do Estado de São Paulo no valor de R$ 5,7 milhões.

Termo de Compromisso CEF x Gov. Est. São Paulo No 0351.003-43 assinado em 31/10/2011.

6 EU -08

Ribeirão Euzébio

Franco da Rocha 227 mil m³ O convênio com o Ministério da Integração Nacional para construção dos piscinões foi assinado em 27 de outubro de 2011. Licença ambiental em andamento, com previsão de emissão para outubro de 2013.

Status: minuta de Decreto para a Declaração de Utilidade Pública elaborado pelo DAEE, e encaminhada a SSRH, para análise da Procuradoria Jurídica. Os recursos necessários da ordem de R$ 26 milhões, já foram reservados pelo DAEE. Projeto básico e memorial descritivo em fase de análise pelo Ministério da Integração Nacional.

R$ 13,5 milhões (sendo R$ 6 milhões do Governo do Estado e R$ 7,5 milhões do Governo Federal)
7 EU – 09

Ribeirão Euzébio

93,1 mil m³ R$ 16,4 milhões (sendo R$ 7,3 milhões do Governo do Estado e R$ 9,1 milhões do Governo Federal)
8 AV – 3

Ribeirão Água Vermelha

200 mil m³ R$ 4,5 milhões (sendo R$ 2 milhões do Governo do Estado e R$ 2,5 milhões do Governo Federal)
9 TG-09

Córrego Tapera Grande

203 mil m³ R$ 16,7 milhões (sendo R$ 7,4 milhões do Governo do Estado e R$ 9,3 milhões do Governo Federal)
10 Canal de Circunvalação

CC1 – Córrego dos Cubas e dos Japoneses

Guarulhos /SP 550 mil m³ Obtida a licença para o desassoreamento, executando os serviços de desassoreamento nos locais críticos.

Execução de serviço emergencial para retenção de margens devido a solapamento em área lindeira de particular com utilização de gabiões.

Concluídos os trabalhos de sondagens e de levantamento topográfico do primitivo.

Processo de Licenciamento da canalização da CMD sendo providenciado, pois é uma licença mais abrangente que o desassoreamento.

Não há como precisar a data de início das obras, pois há também necessidade de modificações no projeto por conta da ocupação irregular da área destinada para o Reservatório CC04.

R$ 49 milhões
11 Circunvalação

CC4 –Foz do Rio Tietê

450 mil m³
Capacidade total 3,6 milhões m³

Construção e Manutenção dos Piscinões via PPP

Atualizado em: 09 de janeiro de 2013

PPP: prevê a construção de sete novos piscinões. A operação e a manutenção de oito reservatórios atualmente em processo de construção pelo DAEE (Guarulhos - CC01,Guarulhos - CC04, Franco da Rocha - AV-03, Franco da Rocha - EU-08, Franco da Rocha - EU-09, Franco da Rocha - TG-09, São Paulo - Olaria/RPI-8 e São Paulo -Guamiranga/ AT-9) e a recuperação, modernização e operação de 30 dos reservatórios já existentes. Com os 15 novos reservatórios a capacidade de acumulação aumentará de cinco para 9,5 milhões de metros cúbicos. Estudos realizados para embasar a PPP indicam que haverá uma economia de até 22% nas despesas com limpeza e manutenção.

Período de concessão: o período de concessão da PPP é de 20 anos, ao final dos quais todo o sistema retorna ao Estado, que incorpora o empreendimento realizado. O valor estimado do contrato para o período é de R$ 3,8 bilhões, dos quais R$ 840 milhões serão investidos somente em obras.

Objetivo: aumentar o número de reservatórios, ampliando a capacidade de retenção nos períodos críticos das chuvas, modernizá-los e garantir a sua manutenção constante para diminuir os transtornos causados pelas enchentes.

Anuncio: O Governo de São Paulo anunciou, no dia 15 de março de 2013, a publicação do edital de licitação para Parceria Público Privada dos Piscinões da Região Metropolitana de São Paulo.

Cronograma

A licitação: desde maio de 2012 o DAEE deu início ao processo para a PPP dos Piscinões. O contrato incluiria a construção de 7 novos piscinões e a modernização e operação de 38 reservatórios (30 já existentes e 8 em implantação pela autarquia). Ele também incluiria a operação dessas 45 unidades pelos próximos 20 anos. Todo o conjunto deveria ser dotado de comportas e equipamentos para operação remota, à partir de uma central de controle.

Investimento: R$ 3,8 bilhões.

Status: o conselho gestor das PPP´s revogou a PPP dos piscinões por questões técnicas apontadas em estudos do PDMAT3, iniciados em agosto de 2011 e que se encontram concluídos.

Dado (Alceu Segamarchi): em 29 de janeiro de 2014, foi publicado o interesse de revogação da PPP. Com isso, a PPP não ocorrerá mais este ano, 2014. No entanto, segundo o dr. Alceu, foi realizada a contratação da manutenção e limpeza dos piscinões para este ano, ou seja, mesmo sem a PPP, não deixarão de ser realizadas.


PPP - Construção/ Operação/Manutenção
Bacia Curso D´Água Município Volume (M³) Sigla
1
Tamanduateí
Córrego Taióca
Santo André
155.348
RM-20
2
Córrego Mooca
São Paulo
135.000
MO-2
3
Córrego Mooca
São Paulo
115.000
MO-5
4
Juqueri
Rio Juqueri
Franco da Rocha
734.520
JU-8
5
Rio Juqueri
Franco da Rocha
374.894
JU-2
6
Pirajuçara
Córrego Antonico
São Paulo
36.000
RA-1
7
Córrego Antonico
São Paulo
91.100
RA-2
1.641.862

Fonte: Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE) e Assessoria Especial do Governador

Pôlderes

Pôlderes entregues

Atualizado em: 07 de março de 2013
Pôlder Data de entrega Características Investimento
Pôlder da Ponte da Vila Maria -

(margem direita da Marginal Tietê)

06/03/2014

Extensão de 215 m (130 m a montante e 85 m a jusante da ponte).

Altura máxima de 0,70 m e reservatório com capacidade

de 2.700 m3 (30 x 30 x 3 m) e 3 bombas (400 l/s cada)
R$ 35,5 milhões*

*O Pôlder da Ponte da Vila Maria - margem direita faz parte do mesmo pacote de investimento do Pôlder da Ponte Aricanduva - margem direita e margem esquerda, os três juntos estão orçados em 35,5 milhões.

Construção de Pôlderes

Atualizado em: 07 de março de 2013

O que são: pôlderes são diques, construídos ao longo das margens dos rios, para evitar a inundação das várzeas. São dotados de tanques de reserva e sistema de bombas que drenam as águas das chuvas que se acumularem na várzea, lançando-as no rio.

Pôlderes em construção: o Estado de São Paulo está construindo nove pôlderes, com previsão de entrega até agosto de 2014. Investimento total de R$ 96,5 milhões.

  • Em janeiro de 2012, foi iniciada a construção de três pôlderes no Rio Juqueri e no Ribeirão Eusébio. O investimento é de R$ 38,9 milhões e a previsão da conclusão da obra é até o final do ano de 2013.
  • Outros seis pôlderes estão em construção no Rio Tietê: dois na ponte Aricanduva na margem esquerda e direita do rio, mais dois nas duas margens da Ponte da Vila Maria, um na margem esquerda da Vila Guilherme e outro na margem direita da Ponte do Limão. Investimento total de R$ 57,5 milhões, com prazo de 18 meses.

Pôlderes em planejameto: O governador Geraldo Alckmin liberou, no dia 12 de setembro de 2013, R$ 80 milhões para a construção do pôlder em Vila Itaim. O pacote inclui também a via, a ciclovia e a desapropriação. Status: elaboração do Convênio.

Polders.jpg
9 Polderes em construção
Polderes Situação Obras Previsão de entrega Investimento
Ribeirão Euzébio – Margem Direita
  • Início da obra: Abril/2012;
  • Conclusão inicial: Dezembro/2013;
  • Aditamento contratual com replanilhamento sem aditivo de verba e aditamento do prazo em 13 meses: Setembro/2014
  • Licenciamento Ambiental – Autorização para Intervenção em APP emitido pela CETESB No 13631/2012 em 09/02/2012.

Dique em concreto, com 1.600 metros de extensão, da foz do ribeirão Água Vermelha (altura da rua Benedito F.Marques) até Rua Professor Carvalho Pinto.

Altura: varia de 0,50 metros (foz do ribeirão Água Vermelha) a 2 metros (próximo ao viaduto Donald Savazzoni)

setembro de 2014 R$ 38,9 milhões
Ribeirão Euzébio – Margem Esquerda Dique em concreto, com 700 metros de extensão, da rua Charles Dickens até avenida dos Coqueiros. Altura: varia de 0,50 metros a 2 metros
Rio Juqueri – Margem Direita Dique em terra, com 980 m de extensão, da linha férrea da CPTM à avenida Cestini. Altura: varia de 0,80 metros a 2 metros
Pontes Aricanduva- margens direita Ordem de Serviço: 24/11/2011

Fase atual: serviços de escavação na área do reservatório MD - Ponte Vila Maria, concluída, executando laje inferior. Obras iniciadas na segunda quinzena de outubro de 2012.

Extensão de 3.550 m (130 m a montante e 3.420 m a jusante da ponte).Altura máxima de 1,43 m e reservatório com capacidade de 3.000 m3 (25 x 40 x 3 m) e 3 bombas (400 l/s cada) 1º semestre de 2014 35,5 milhões
Ponte Aricanduva - margem esquerda Extensão de 785 m (680 m a montante e 105 m a jusante da ponte). Altura máxima de 1,10 m e reservatório com capacidade de 3.000 m3 (25 x 40 x 3 m) e3 bombas (400 l/s cada).
Vila Maria-margem direita (entregue) Extensão de 215 m (130 m a montante e 85 m a jusante da ponte). Altura máxima de 0,70 m e reservatório com capacidade de 2.700 m3 (30 x 30 x 3 m) e 3 bombas (400 l/s cada)

Vila Maria-margem esquerda Ordem de Serviço já assinada

Fase atual: obras iniciadas na segunda quinzena de outubro de 2012.

Extensão de 1.015 m (875 m a montante e 140 m a jusante da ponte). Altura máxima de 1,30 m e reservatório com capacidade de 2.400 m3 (20 x 40 x 3 m) e 3 bombas (400 l/s cada)

março de 2014 R$ 24,3 milhões
Limão - margem direita Extensão de 605 m (280 m a montante e 325 m a jusante da ponte). Altura máxima de 0,92 m e reservatório com capacidade de 3.000 m3 (25 x 40 x 3 m) e 3 bombas (400 l/s cada)

Vila Guilherme - margem esquerda Extensão de 590 m (475 m a montante e 115 m a jusante da ponte). Altura máxima de 1,15 m e reservatório com capacidade de 2.850 m3 (área 950 m2 trapezoidal, altura 3 m) e 3 bombas (400 l/s cada) agosto de 2014
Investimento Total de R$ 96,5 Milhões

Fonte: Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE)


Limpeza dos piscinões Municipais

Atualizado em: 09 de janeiro de 2014

Assinatura: o Governo de São Paulo assinou, no dia 13 de novembro de 2011, o contrato de serviço para a limpeza dos 25 piscinões.

Investimento em 2012: R$ 29 milhões no período de 12 meses.

Início das obras: as obras já se iniciaram logo após o contrato, no dia 14 de novembro de 2011, com a limpeza do piscinão Petrobrás, em Mauá. O DAEE estima remover mais de 245 mil metros cúbicos de sedimentos e lixo que se acumularam no fundo dos piscinões. O material será destinado a áreas de deposição autorizadas pelos órgãos ambientais.

Resultado: dos 25 piscinões municipais que serão desassoreados 23 reservatórios já estão totalmente limpos, dois parcialmente limpos (ver tabela abaixo). Em dezembro de 2012, foram removidos 245 mil m³ (100% do contrato).

Renovação do contrato: Esse contrato não foi renovado, pois essa manutenção e limpeza será implantada pela PPP (Parceria Público Privada), logo nos seis primeiros meses.


Limpeza dos piscinões Municipais
Já foram limpos Parcialmente limpos
Piraporinha/Casa Grande (Diadema)
Ford Fábrica (SBC)
*Petrobrás (Mauá)
Chrysler (SBC)
Rochadalle (Osasco)*
Volks Demarchi (SBC)
Bonança (Osasco)
Em processo de limpeza
Mercedes Paulicéia (SBC)
Canarinho (SBC)
Paço Municipal (Mauá)
Capitão Casa (SBC)
Sonia Maria (Mauá)
Corumbé (Mauá)
Vila Rosa (SBC)
Taboão ( SBC)
Ford Taboão (SBC)
Ecovias Imigrantes (Diadema)
Faculdade de Medicina (Santo André)
Mercedes Bens (Diadema)
Praça dos Bombeiros(SBC)
Nova República(SBC)
Oratório(Santo André)
São Caetano do Sul
Portuguesinha
Parque Pinheiros


Obs 1: O reservatório Petrobrás teve sua limpeza parcial, sendo removidos cerca de 30.000m³ de um total de 100 mil. A execução parcial foi necessária tendo em vista que o volume total de escavação contratual é de 245.000 m³ para este ano. Assim sendo, para atendermos todos os piscinões, o Petrobrás será limpo parcialmente. Porém deve-se ressaltar que essa situação não compromete sua eficiência, pois sua capacidade de armazenamento de água é de 800.000 m³.

OBS 2: O piscinão Rochdalle teve sua limpeza prejudica por moradias irregulares ao redor do reservatório.

Fonte: Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE)

30piscinões.jpg

Limpeza emergencial

No dia 6 de janeiro de 2014 foi assinado o contrato para limpeza emergencial de 25 piscinões na Região Metropolitana de São Paulo. Os serviços serão realizados pela empresa DP Barros, que começará pelos piscinões mais problemáticos. Prazo: 6 meses. Valor: R$ 3,8 milhões.

Piscinões contemplados pela limpeza emergencial: Paço Municipal, Petrobras, Corumbé, Jd. Sonia Maria, Mercedes Bens, Piraporinha/Casa Grande, Ecovias Imigrantes, Vila Rosa, Volks Demarchi, Praça dos Bombeiros, Chryler, Mercedes, Paulicéia, Canarinho, Taboão, Ford Fábrica, Ford/Av.Taboão, Capitão Casa, São Caetano, Faculdade de Medicina, Olaria, Nova República, Parque Pinheiros, Portuguesinha, Rochdalle e Bonança.

Abaixo, temos uma lista com todas as cidades, piscinões e cursos d'água contemplados pela limpeza emergencial:

CIDADES PISCINÕES CURSO D'ÁGUA
Mauá
Paço Municipal
Córrego Taboão
Mauá
Petrobras
Rio Tamanduateí
Mauá
Corumbé
Córrego Corumbé
Mauá
Jd. Sonia Maria
Córrego Oratório
Diadema
Mercedes Bens
Ribeirão dos Couros
Diadema
Piraporinha/Casa Grande
Ribeirão dos Couros
Diadema
Ecovias Imigrantes
Ribeirão Capela
São Bernardo do Campo
Vila Rosa
Ribeirão dos Couros
São Bernardo do Campo
Volks Demarchi
Ribeirão dos Meninos
São Bernardo do Campo
Praça dos Bombeiros
Córrego Rotary
São Bernardo do Campo
Chryler
Córrego Chrysler
São Bernardo do Campo
Mercedes Paulicéia
Ribeirão dos Couros
São Bernardo do Campo
Canarinho
Córrego Saracantan
São Bernardo do Campo
Taboão
Córrego Taboão
São Bernardo do Campo
Ford Fábrica
Córrego Taboão
São Bernardo do Campo
Ford/Av.Taboão
Ribeirão dos Couros
São Bernardo do Campo
Capitão Casa
Córrego Casa Grande
São Caetano do Sul
São Caetano
Ribeirão dos Meninos
Santo André
Faculdade de Medicina
Ribeirão dos Meninos
São Paulo
Olaria
Córrego Olaria
Embu das Artes
Nova República
Córrego Pirajuçara
Taboão da Serra
Parque Pinheiros
Córrego Joaquim Cachoeira
Taboão da Serra
Portuguesinha
Córrego Poá
Osasco
Rochdalle
Ribeirão Vermelho
Osasco
Bonança
Córrego Bonança


Piscinões existentes (Municipais e Estaduais)

Atualizado em: 31 de agosto de 2012

Com base nos Estudos de Macrodrenagem elaborados pelo Governo do Estado, por meio do DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica), a Região Metropolitana de São Paulo possui, atualmente, 53 piscinões, destinados ao armazenamento das águas das chuvas, principalmente as pesadas chuvas do verão. Por ter larga experiência técnica no segmento - conquistada ao longo dos seus 60 anos (completados em 12/12/11 - o DAEE construiu a maioria desses reservatórios artificiais, que cumprem o papel das várzeas dos rios (29= 28 prontos + 1 em obra).

O monitoramento, limpeza e segurança dos piscinões é de responsabilidade das prefeituras onde se localizam. O município de São Paulo administra 20 piscinões (quatro construídos pelo DAEE, o Anhanguera, Jd. Maria Sampaio, Sharp e Oratório). Mogi Das Cruzes possui 1 piscinão construído e monitorado por sua prefeitura e, nas mesmas condições, as cidades de São Bernardo (1); Sto André (4); e Francisco Morato (1) - (tabela com relação no final do texto). O mesmo deve ser feito pelas prefeituras das demais cidades da RMSP. Porém, diante das dificuldades apresentadas por elas, o Governo do Estado se propôs a ajudá-las.

Outros piscinões do Governo Alckmin: 1 em obras (Olaria); 1 com obras contratadas (piscinão Guaramiranga); 3 em licitação (Jaboticabal, CC1 e CC4); 4 com recursos garantidos (em Franco da Rocha, os EU-08, EU-09, AV-03 e TG-09), além de outros 2 previstos (Miranda D´Aviz e Pindorama).

Piscinão Construção Administração Capacidade
1
Anhanguera
DAEE
Prefeitura de São Paulo
160 mil m³
2
Aricanduva I
Prefeitura de São Paulo
Prefeitura de São Paulo
200 mil m³
3
Aricanduva II
150 mil m³
4
Aricanduva III
320 mil m³
5
Aricanduva V
167 mil m³
6
Bananal
210 mil m³
7
Bom Pastor
Prefeitura de Santo André
Prefeitura de Santo André
19.3 mil m³
8
Bombeiros
DAEE
Prefeitura de São Bernardo do Campo
34 mil m³
9
Bonança
Prefeitura de Osasco
62 mil m³
10
Caguaçu
Prefeitura de São Paulo
Prefeitura de São Paulo
310 mil m³
11
Canarinhos
DAEE
Prefeitura de São Bernardo do Campo
95 mil m³
12
Capitão Casa / Casa Grande
Prefeitura de S. Bernardo do Campo
Prefeitura de São Bernardo do Campo
50 mil m³
13
Cedrolândia
Prefeitura de São Paulo
Prefeitura de São Paulo
113 mil m³
14
Chrysler
DAEE
Prefeitura de São Bernardo do Campo
190 mil m³
15
Corumbé
Prefeitura de Mauá
105 mil m³
16
CPTM/Jd. Maria Sampaio
Prefeitura de São Paulo
120 mil m³
17
Ecovias Emigrantes
Prefeitura de Diadema
120 mil m³
18
Eliseu de Almeida
Prefeitura de São Paulo
113 mil m³
19
Fac.Medicina
Prefeitura de Santo André
120 mil m³
20
Ford. Fábrica
Prefeitura de São Bernardo do Campo
82 mil m³
21
Ford. Taboão
340 mil m³
22
Guaraú
Prefeitura de São Paulo
Prefeitura de São Paulo
240 mil m³
23
Inhumas
100 mil m³
24
Jabaquara
360 mil m³
25
Limoeiro
300 mil m³
26
Mercedes Diadema
DAEE
Prefeitura de Diadema
140 mil m³
27
Mercedes Paulicéia
Prefeitura de São Bernardo do Campo
380 mil m³
28
Nova República
Prefeitura de Embú
110 mil m³
29
Nova República
Prefeitura de Embú
110 mil m³
30
Oratório
Prefeitura de Santo André
320 mil m³
31
Pacaembu
Prefeitura de São Paulo
Prefeitura de São Paulo
74 mil m³
32
Paço Municipal
DAEE
Prefeitura de Mauá
136 mil m³
33
Pantanal
Prefeitura de São Paulo
Prefeitura de São Paulo
15 mil m³
34
Parque Pinheiros
DAEE
Prefeitura de Taboão da Serra
117 mil m³
35
Parque Santana
Prefeitura de Mogi das Cruzes
Prefeitura de Mogi das Cruzes
90 mil m³
36
Pedras
Prefeitura de São Paulo
Prefeitura de São Paulo
25 mil m³
37
Pedreira
Prefeitura de São Paulo
Prefeitura de São Paulo
1,5 milhão m³
38
Petrobrás
DAEE
Prefeitura de Mauá
800 mil m³
39
Piraporinha
Prefeitura de Diadema
85 mil m³
40
Portuguesinha
Prefeitura de Taboão da Serra
120 mil m³
41
Rincão
Prefeitura de São Paulo
Prefeitura de São Paulo
304 mil m³
42
Rochdalle
DAEE
Prefeitura de Osasco
25 mil m³
43
Santa Teresinha
Prefeitura de Santo André
Prefeitura de Santo André
19 mil m³
44
São Caetano
DAEE
Prefeitura de São Caetano do Sul
235 mil m³
45
Sharp
Prefeitura de São Paulo
500 mil m³
46
Sônia Maria
Prefeitura de Mauá
120 mil m³
47
Taboão
Prefeitura de São Bernardo do Campo
180 mil m³
48
Tapera Grande Nove (TG3)
Prefeitura de Francisco Morato
Prefeitura de Francisco Morato
200mil m³
49
Vila América
Prefeitura de Santo André
Prefeitura de Santo André
3 mil m³
50
Vila Pires *
Prefeitura de Santo André
Prefeitura de Santo André
4.500 m³
51
Vila Rosa
DAEE
Prefeitura de São Bernardo do Campo
113 mil m³
52
Volks Demarchi
DAEE
Prefeitura de São Bernardo do Campo
170 mil m³
53
Sem nome (em construção)
Prefeitura de Ferraz de Vasconcelos
Prefeitura de Ferraz de Vasconcelos
16 mil m³
Total 10.003,8 milhões m³


2017

01/02/2017 - Maior piscinão da cidade vai beneficiar 1 milhão de pessoas

Os moradores da região da zona leste, na capital paulista, acabam de ganhar mais uma estrutura para ajudar a reduzir o efeito das chuvas. O governador Geraldo Alckmin inaugurou nesta quarta-feira (1), o piscinão Guamiranga, o maior da cidade, com capacidade para acumular 850 milhões de litros.

Localizado ao lado do rio Tamanduateí, no Ipiranga, o piscinão irá contribuir para minimizar o risco de inundações no trecho a jusante, especialmente nos bairros da Vila Prudente e Mooca, com reflexos em todos os bairros abaixo, até o centro da cidade, beneficiando cerca de 1 milhão de pessoas.

“O piscinão funciona quando a água do Rio Tamanduateí sobe muito. As comportas são abertas e reserva a água. Quando passa a tempestade, a água é devolvida ao Tamanduateí por um sistema de bombeamento e o reservatório fica vazio de novo esperando a nova chuva,” explicou o governador.

O DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica) já construiu, ao todo, 7 piscinões na capital paulista, totalizando uma capacidade de reservação de 2 milhões de metros cúbicos de água das chuvas.


  • 15/12/2017 - Começam obras do pôlder de Vila Itaim

Com investimento previsto de R$ 96,4 milhões, o pôlder de Vila Itaim é uma estrutura hidráulica artificial projetada para conter enchentes em pontos baixos de áreas ribeirinhas, composto de dique, dutos e bombas, para evitar que o rio transborde. Com a retirada de 130 famílias que viviam no terreno onde será feita a obra – agora, inscritas no auxílio-aluguel – o DAEE já começou as obras.

O pôlder da Vila Itaim terá um dique maciço em aterro compactado em seção trapeizodal, com 1,7 mil metros de extensão, 20 metros de largura de base e 5 metros de largura na crista. O maciço servirá de base para a implantação da Via Parque e uma ciclovia com 3 metros de largura, ligando o Parque Itaim Biacica a outras unidades do Parque Várzeas do Tietê.

Durante a reunião, o governador autorizou a construção da galeria de desvio do Córrego Mooca. A obra terá R$ 20 milhões investidos por meio do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (FEHIDRO) e R$ 3 milhões de contrapartida do DAEE.


2019

  • 11/07/2019 - Governo de SP anuncia pacote de investimento de R$ 17,3 milhões a 46 cidades para combater enchentes

O Governador em exercício Rodrigo Garcia anunciou nesta quinta-feira (11) um pacote de investimento de R$ 17,3 milhões em convênios com 46 cidades paulistas para obras preventivas e recuperativas contra enchentes. Os recursos serão destinados para a construção de pontes, travessias, galerias de águas pluviais e muros de contenção para prevenir danos causados pelas chuvas, além de recuperar os estragos provocados pelas chuvas do início do ano.

“São obras que a Defesa Civil do Estado identificou como prioritárias. A partir de agora, os convênios são assinados com os prefeitos e as Prefeituras licitam e executam as obras. São obras de médio e pequeno porte, que entre três a nove meses estarão prontas e vão beneficiar a população”, afirmou Garcia. O evento foi realizado no Palácio dos Bandeirantes e teve a participação dos Secretários da Casa Militar e Defesa Civil e de Desenvolvimento Regional, Coronel Walter Nyakas Junior e Marco Vinholi.

O total destes convênios de hoje é maior do que o investimento feito por meio de parcerias com a mesma finalidade nos últimos três anos, que somaram R$ 15,5 milhões de 2016 a 2018. A Defesa Civil do Estado já destinou R$ 21,9 milhões para a gestão de riscos e de desastres em 2019, por meio de obras preventivas e recuperativas.

As autorizações para os convênios assinadas nesta quinta são para as seguintes cidades: Apiaí (R$ 242,7 mil), Álvares Machado (R$ 524,5 mil), Anhumas (R$ 709,1 mil), Araçatuba (R$ 322,2 mil), Avaí (R$ 371,6 mil), Bady Bassitt (R$ 430,9 mil), Barra do Chapéu (R$ 545,7 mil), Bilac (R$ 355,9 mil), Caiabu (R$ 688,1 mil), Caiuá (R$ 849,6 mil), Campos do Jordão (R$ 260,5 mil), Dolcinópolis (R$ 246,8 mil), Eldorado (R$ 299,7 mil), Floreal (R$ 210,7 mil), Gália (R$ 192 mil), Gastão Vidigal (R$ 30,2 mil), Glicério (R$ 93,1 mil), Iracemápolis (R$ 312,3 mil), Ibiúna (R$ 273,9 mil), Itápolis (R$ 450 mil), Itararé (R$ 420,4 mil), Jacupiranga (R$ 594,9 mil), Lavrinhas (R$ 296,3 mil), Macaubal (R$ 423,6 mil), Macedônia (R$ 199,6 mil), Mairinque (R$ 454,8 mil), Marabá Paulista (R$ 454,4 mil), Marinópolis (R$ 245,5 mil), Murutinga do Sul (R$ 228,7 mil), Natividade da Serra (R$ 252,4 mil), Nova Castilho (R$ 279,5 mil), Paraibuna (R$ 559,4 mil), Paranapuã (R$ 241,1 mil), Paulicéia (R$ 544,9 mil), Piacatu (R$ 595,9 mil), Piracaia (R$ 492,6 mil), Pompeia (R$ 223,6 mil), Presidente Bernardes (R$ 732,5 mil), Presidente Venceslau (R$ 615,9 mil), Quintana (R$ 456,7 mil), Salesópolis (R$ 154,2 mil), São José da Bela Vista (R$ 389,3 mil), Santa Cruz da Esperança (R$ 195,2 mil), Serra Azul (R$ 26,1 mil), Silveiras (R$ 201,5 mil) e Valparaíso (R$ 624,3 mil).

Ver também

Links externos