Conversa com o Governador - Infraestrutura, saúde e habitação - 20131501

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

LOCUTORA DESCONHECIDA: Conversa com o governador.

ÂNCORA: Começa agora mais uma edição do programa Conversa com o Governador, o nosso encontro de todas as semanas com o governador Geraldo Alckmin. Governador, tudo bem com o senhor? Passou bem a semana?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Passei bem, tudo bem, graças a Deus. ÂNCORA: Que ótimo. Neste último final de semana o senhor esteve na região Centro-Oeste do estado nas cidades de Marília e Lins, quais novidades o senhor anunciou lá na região, governador?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Olha, nós tivemos primeiro no município de Lins que sofreu bastante com as fortes chuvas das últimas semanas. Então, lá em Lins nós percorremos os pontos mais afetados, verificamos o problema nas ruas, as erosões, falta de galeria de águas pluviais e de macro drenagem. Então já tínhamos liberado apoio para as famílias, agora liberamos 1 milhão de reais para recuperar pontes, galerias e casas. E colocamos toda a Defesa Civil à disposição para auxiliar as famílias atingidas no que for necessário. Em seguida nós visitamos a Santa Casa de Misericórdia de Lins que estava quase fechando há um ano atrás, e que foi totalmente recuperada, fizemos um contrato de gestão com o Frei Francisco, com a associação sem fins lucrativos lá da região, e estamos recuperando. A Santa Casa estava fazendo menos de 60 cirurgias por mês, hoje já ultrapassou cem cirurgias por mês, está sendo recuperada ala por ala, andar por andar e agora liberamos mais R$ 658 mil para reforma de uma outra parte do prédio, que é de 1920, é um prédio muito antigo. E investimos no ano passado R$ 4,8 milhões de custeio para manter lá o hospital. Então a Santa Casa de Lins que atende o SUS, beneficia Lins e os municípios da região. Então, uma grande conquista a recuperação da nossa Santa Casa. Custeio para ela se manter, reforma do prédio e novos equipamentos.

ÂNCORA: Excelente, governador. E para Marília o que senhor já pode adiantar para os ouvintes?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Marília também a prioridade na questão da saúde, nós estamos recuperando todos os hospitais universitários do Estado de São Paulo, porque são os hospitais de alta e média complexidade, atende os casos mais graves, tudo de graça, tudo através do SUS, e ainda forma médicos, residentes, enfermagem, toda a área de profissionais de saúde. Então, para o Hospital das Clínicas, lá de Marília, autorizamos R$ 59,2 milhões, isso vai beneficiar 62 municípios da região Centro-Oeste do nosso estado. O Hospital das Clínicas do estado lá de Marília, é um dos grandes hospitais de São Paulo, do estado, faz 144 mil atendimentos ambulatoriais, 1300 internações, mais de 600 cirurgias por mês, portanto, um grande hospital. E 15 milhões já estão sendo repassados para a reforma e melhorias do HC1 que é o primeiro prédio, mais antigo, que abriga centro cirúrgico, UTI, vai ser tudo reformado e vamos ter 20 leitos a mais, nós vamos ampliar o atendimento no Hospital das Clínicas de Marília, e os outros 44,2 milhões, ainda vai ser licitado, nós vamos ampliar a ala C do HC de letra C, laboratório de pesquisa, lavanderia, reservatório de água, vamos duplicar a oferta de serviços de radioterapia, e também, em Marília, nós vamos, em 90 dias, entregar a rede Lucy Montoro, é um novo hospital, praticamente ao lado no Hospital das Clínicas, que vai atender as pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida. Então, toda a parte de fisiatria, fisioterapia, reabilitação, aparelhos, inclusive, internação. A Rede Lucy Montoro, em Marília, não é só atendimento ambulatorial, mas ela também fará internação, praticamente um novo hospital dedicado a pessoas com deficiência ou com problemas de mobilidade.

ÂNCORA: Perfeito. Governador ainda dentro das ações da área de saúde, tivemos um anúncio importantíssimo em relação ao tratamento dos dependentes químicos, não é verdade?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente. Essa é uma ação, que eu diria, das mais importantes para interromper essa questão da epidemia verdadeira das drogas, é uma luta para dar a mão, para ajudar quem é dependente químico, para que ele possa se recuperar. Trata-se da internação involuntária de dependentes químicos. Essa intervenção já existe ao amparo da lei, desde 2001, a diferença é que agora nós estamos trabalhando em conjunto. Então a partir de segunda-feira da semana que vem, nós teremos lá no Bom Retiro, na Rua Prates, no nosso Cratod, no prédio Cratod que é o centro referência contra álcool, tabaco e outras drogas, a presença do juiz de direito. Quero aqui agradecer ao presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Ivar Sartori, a presença do promotor público, destacar aqui a participação do Dr. Márcio Elias Rosa, da Ordem dos Advogados do Brasil, voluntariamente a OAB está designando advogadas, mães e advogados para trabalharem conosco, agradecer ao Dr. Marcos, presidente da OAB, Dr. Cid Vieira que é da área de combate às drogas da OAB, e teremos toda a parte de saúde, médicos, psicólogos, assistente sociais, todas as equipes, enfermagem. A dependência química é uma doença, como é apendicite, como é a pneumonia e precisam de tratamento. Então eles farão, as equipes de saúde as abordagens, levam as pessoas até o Cratod, elas são examinadas, ali nós temos, inclusive, 10 leitos de observação. Se for caso de acompanhamento e tratamento ambulatorial é pelo CAPS AD o Centro de Atendimento Psicossocial o ambulatório de saúde mental de álcool e droga, o CAPS AD, se for caso mais grave as comunidades terapêuticas ou as internações hospitalares. E para isso nós estamos dobrando o número de leitos para dependentes químicos. E ali será então... Vai resolver rápido, uma mãe, um avô, uma avó, geralmente os pais que tenham problema de drogadição de um filho, já pode ir lá no Cratod, vai lá leva o caso, lá vai estar presente o juiz, o promotor e o advogado, e se for o caso resolve na hora e já providencia, o governo providencia a internação, e eu acredito muito na recuperação das pessoas que estão sofrendo de dependência química, seja de álcool, seja de droga.

ÂNCORA: Governador, o senhor se referiu aos leitos. O sistema de saúde paulista ganhou mais leitos para o tratamento dos dependentes químicos não é verdade?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Exatamente. Nós tivemos na semana passada, no município de Espírito Santo do Pinhal, temos lá o hospital Bezerra de Menezes que é uma instituição que tem mais de 80 anos de serviços prestados a São Paulo. Contratamos 104 leitos só como referência para álcool e droga. Então 104 leitos no Hospital Bezerra de Menezes, já tínhamos contratado quatro meses atrás 95 leitos no Américo Bairral, que é uma das melhores instituições lá em Itapira, temos também no hospital Lacan aqui em São Bernardo do Campo, inclusive, leitos só para mulheres grávidas, para gestantes, com isso nós chegamos a 700 leitos no Estado de São Paulo. E agora em março nós teremos um novo hospital em Botucatu estritamente voltado para o tratamento de dependentes químicos com a faculdade da medicina, a UNESP lá de Botucatu.

ÂNCORA: Governador, a preocupação com a saúde está entre as prioridades do seu governo, e isso tem rendido bons resultados também em outras áreas não é verdade?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Excelentes resultados. A mais recente novidade foi a queda no número de adolescentes grávidas no Estado de São Paulo. Esse número foi apurado agora, levantamento feito pela Secretaria Estadual de Saúde em parceria com a Fundação SEAD. Atingimos aqui em São Paulo o menor índice dos últimos treze anos. Nós tivemos uma redução de 39,7% na faixa etária de 15 a 19 anos de gravidez na adolescência. Em 1998 foram 143.490 adolescentes nessa faixa etária entre 15 e 19 anos grávidas no Estado de São Paulo, o que representou 20,7% no total de partos. Em 2011 esse número caiu para 86.456 jovens, o que representou 14,1% dos partos do Estado de São Paulo. Então uma queda de quase 40%. Na faixa etária de 10 anos, nós estamos falando quase de infância, de 10 anos até 14 anos, a redução foi de 25,5%, e olha que na América Latina eu acho que só São Paulo teve uma queda tão significativa, em muitos lugares aumentou a gravidez nessa faixa de 10 a 14 anos. Nós passamos de 4.528 casos de gravidez para 3.369 em 2011, ou seja, uma queda de 25,5%, isso se deve às casas de adolescentes que nós criamos, o trabalho junto às escolas, as informações, a educação, a conscientização e a também métodos contraceptivos.

ÂNCORA: Governador, na semana passada o senhor esteve na região de Campinas, levando novidades para as áreas de transportes e habitação. O senhor poderia comentar um pouquinho para os ouvintes, por favor?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: tivemos na cidade Jaguariúna e anunciamos uma redução de 50% no valor do pedágio para a população de Jaguariúna que utiliza a SP-340, a Rodovia Governador Ademar de Barros, é o pedágio ponto a ponto. Eles pagavam 9,50 centavos para ir de Jaguariúna até Campinas, e agora passam a pagar, já está valendo há uma semana, 4,75 centavos. O cadastramento é voluntário, quem quiser na praça de pedágio do Km-123 da SP-340 com o respectivo veículo, de segunda a sábado, das 8 às 17h, faz o seu cadastramento. O chip, o tag é de graça, não paga nada, 5800 motoristas de Jaguariúna já se cadastraram, e isso aumenta todo dia. E nós esperamos, em seis meses, abrir o sistema ponto a ponto para toda a região. Então quem quiser vai poder se beneficiar. Já esse primeiro momento que já está funcionando o tag, beneficia toda a população de Jaguariúna e também parte de Campinas, o chamado bairro Bananal que fica próximo a Jaguariúna lá em Campinas. E nós teremos também a instalação de outro pórtico no Km-147 em Santo Antonio da Posse, isso até julho, e aí toda a região estará beneficiada. Aliás, quero também destacar que nós estamos duplicando a rodovia entre Jaguariúna, Pedreira, até Amparo, uma das principais rodovias da região, está em plena obra, nós visitamos lá as obras sendo duplicada. Já tínhamos implantado o pedágio, ponto a ponto, na Rodovia Santos Dumont, SP-75, em Indaiatuba, já tínhamos implantado na Rodovia Engenheiro Constâncio Cintra, SP-360 entre Jundiaí e Itatiba, e agora na SP-340 Rodovia Ademar de Barros. O ponto a ponto, no caso de Jaguariúna, redução de 50% no valor do pedágio.

ÂNCORA: E na área da habitação, governador, ali na região?

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Na habitação nós assinamos, em Campinas, um acordo de cooperação com a Caixa Econômica Federal, e já iniciamos praticamente 4.916 apartamentos e casas nos municípios da região. Nós estamos colocando até 20 mil reais a fundo perdido por unidade para poder viabilizar que quem ganha um salário mínimo, dois salários mínimos, três salários mínimos também possam ter acesso à casa própria, através desse subsídio. São moradores de Americana, Sumaré, Hortolândia, e Campinas. E já a partir deste mês de dezembro deste ano, deixam de pagar aluguel e passam a realizar o sonho da casa própria. Se imaginarmos cinco pessoas cada família, nós estamos falando de 25 mil pessoas que vão poder ter a sua casa própria. E o principal, famílias de baixa renda. Nós estamos investindo 42,27 milhões nesse Programa da Casa Paulista, em parceria com a Caixa Econômica Federal.

ÂNCORA: A edição dessa semana do programa Conversa com o Governador chega ao final. Governador, muito obrigado. Uma boa semana, bom trabalho e até a edição da semana que vem.

GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Até a semana que vem. Boa semana a todos.

LOCUTORA DESCONHECIDA: Programa Conversa com o Governador.

Conversa com o Governador
201120122013201420152016201720182019

Ver também

Links externos