Discurso-Parceria com Sírio-Libanês-20122701

De Infogov São Paulo
Ir para navegação Ir para pesquisar

Transcrição do discurso da Parceria com Sírio-Libanês para o Hospital Grajaú

Local: Capital - Data: 27/01/2012

MESTRE DE CERIMÔNIA: De São Paulo, senhor Geraldo Alckmin.


GOVERNADOR GERALDO ALCKMIN: Bom dia a todas e a todos. É uma satisfação estarmos juntos aqui no hospital do Grajaú. Cumprimentar a professor Giovanni Guido Cerri, secretário de Estado da Saúde; deputado federal, Júlio Semeghini, secretário de Planejamento; Ivette Rizkallah, presidente da Sociedade Beneficente Senhoras do Hospital Sírio Libanês; Dr. Gonzalo Vecina Neto, superintendente corporativo de Sírio Libanês; Dr. Sérgio Fernando Rodrigues Zanetta, superintendente executivo do Instituto de Responsabilidade Social, do Sírio; Dra. Josilene Batista Pereira, diretora aqui do hospital; Dra. Ivanilda Marques, coordenadora municipal de saúde da região Sul; colegas aqui da área de saúde, profissionais de saúde, amigas, amigos, lideranças aqui da comunidade; é uma grande alegria. Eu me lembro quando o Mário Covas veio aqui ao Grajaú para retomar as obras, nós tínhamos muitos prédios de hospitais paralisados, e esse foi uns dos primeiros a se retomados aqui no Grajaú, e já no modelo de Organização Social, e a OS parceria foi, a como lembrou o Dr. Messina, a UNISA, a Universidade de Santo Amaro. Me lembro, aqui, com muito carinho e saudade da Dra. Cristina que foi diretora da faculdade de medicina, La da UNISA é uma grande entusiasta. Depois o AME, Interlagos, e nós estamos falando de grandes equipamentos de saúde. Estava vendo aqui o hospital de Grajaú, fez o ano passado, só atendimento aqui de emergência, 311 mil, 16 mil internações, é quase uma cidade média que foi internada; quase 4 mil cirurgias, 254 partos, 742 mil exames, um grande hospital, perto de 300 leitos. E o AME, também importantíssimo, uma referência aqui para a região, então atendimento secundário com os especialistas do AME, nós temos aqui 25 especialidades, e o hospital de retaguarda aqui para a região. E ficamos felizes de assinar aqui hoje um convênio, um contrato, por cinco anos, com um Instituto de Responsabilidade Social, do Sírio Libanês. Eu queria aqui agradecer ao professor Giovanni e a Dona Ivette Rizkallah por essa partiria, por que é para nós uma grande alegria, a gente poder ter aqui, para trabalhar conosco, como parceiro, uma instituição que hoje é talvez, está entre os melhores hospitais do Brasil, da América Latina e no topo da medicina mundial. Então, estamos trazendo aqui o que há de melhor, para gente poder avançar, qualidade do nosso atendimento do SUS. E, além disso, uma boa referência em termos de gestão, por que além da nossa consultaria, que nós estamos contratando para todas as OS’s aqui terá contratada pelo Instituto de Responsabilidade Social do Sírio, uma consultaria própria, então, nós vamos ter uma referência para todos os serviços de saúde do estado. E ensino, atividade de saúde é eminentemente uma atividade das pessoas, a questão da formação, ela é fundamental, por isso que hoje o segredo de um profissional é procurar se qualificar melhor, no caso os médicos, a residência, por que eu tive residência em Barretos, e estava vendo lá em Barretos, eles montaram lá um centro de robótica, Giovanni foi lá conosco, e um centro de e de cirurgia laparoscópica. É gigantesco. São cinco centros, o núcleo tem na França, na Europa, China, na Ásia, e na América Latina, em São Paulo e lá em Barretos. Então, você treina operar por laparoscopia, você está olhando a televisão e está operando ali. E opera em porcos, então, você faz em animais, que você ali faz três buraquinhos e fica operando. Essa falta de capacitação fez com que há uns 20 anos atrás, em Nova York, cirurgia laparoscópica fosse proibida, porque houve tanto acidente no começo, mais tanto acidente, que acabaram até proibindo. Então, a questão da formação, da qualificação que é permanente. Eu quando fiz medicina não existia tomografia, não existia ressonância magnética, não existia computador e, então, é muito rápida a mudança, as mudanças são muito rápidas e a gente tem que estar sempre se atualizando. Então, trazer uma instituição com essa certa expertise, sob o ponto de vista de ensino, é um grande ganho para a gente poder ter aqui por falta da excelência no atendimento. Nós estamos muito felizes, como médico, para mim, é uma alegria poder celebrar aqui esse casamento entre o Sírio Libanês e aqui o Hospital do Grajaú, sendo instituto de responsabilidade social. Agradecer ao professor Giovanni. Nós temos um enorme desafio de oferecer o melhor para a população e os resultados a gente colhe permanentemente. São Paulo, que tinha 25 mortalidades infantis por 1.000 nascidos vivos, hoje são é 11. Nós estamos ali entre os menores índices de mortalidade infantil do país, com o pré-natal, com a boa excelência, com a neonatologia, com a educação, com o cuidado, com a família, com o programa de saúde da família e a expectativa de vida subindo. Quer dizer, nós estamos vivendo mais e vivendo melhor. Eu tenho uma colega que é médica, eu tenho 59 anos e ela é um ano mais velha do que eu, tem 60. Nós fomos colegas de ginásio, de cientifico e de medicina; ela um ano na minha frente. Ela é de [ininteligível], sexta turma, eu era da quinta turma. Sempre foi com uniforme, sempre foi... Aí um dia desses encontrei com ela, ela 60, um dia desse encontrei e falei: “está tudo bem?”. Ela falou: “não, estou revoltada”. Falei: “o que houve?”. “Abri o jornal hoje e estava: idosa atropelada. Fui ver a matéria: idosa. A menina tem 60”. Mudou tudo, nós vivemos em um outro mundo. Aliás, a melhor definição de idoso que eu vi e é seguinte: quem é idoso, quem tem dez anos a mais do que nós, você que tem 20 e passou dos 30 já é meio coroinha, não é? Quando chegar nos 30, passou dos 40, não é? Quando chegar nos 59 já vai para os 70 e você vai pulando. É sempre 10 a mais do que nós. E o mais importante: viver mais e com qualidade de vida. Temos desafios. Ficou caro, porque a medicina ficou muito sofisticada, então ficou caro. Você precisa fazer um esforço de gestão para poder oferecer o que há de melhor de graça para a população através do SUS e com qualidade. Mas eu quero deixar um grande abraço aqui a todos. Desejar um ótimo trabalho, a todos vocês, e dizer da alegria de voltar aqui no Grajaú.

Parabéns a todos.